5645 – Mega Conto – O Reformador do Mundo


Américo Pisca-Pisca tinha o hábito de pôr defeito em tôdas as coisas. O mundo para êle estava todo errado e a natureza só fazia asneiras.
– Asneiras, Américo?
– Pois então?! Aqui mesmo, neste pomar, tens a prova disso. Aí está uma jabuticabeira enorme, sustendo frutas pequeninas, e lá adiante uma colossal abóbora, prêsa ao caule duma planta rasteira. Não era lógico que fôsse justamente o contrário? Se as coisas tivessem de ser organizadas por mim, eu trocaria as bolas, passando as jabuticabas para a abobeira e as abóboras para a jabuticabeira. Não achas que tenho razão?
Assim discorrendo, Américo provou que tudo estava errado e que só êle era capaz de dispor com inteligência o mundo.
– Mas o melhor, concluiu, é não pensar nisto e tomar uma soneca, à sombra destas árvores, não achas?
E Pisca-Pisca, piscando-piscando que não acabava mais, estirou-se de papo acima, à sombra da jabuticabeira.
Dormiu. Dormiu e sonhou. Sonhou com o mundo novo, reformado inteirinho pelas suas mãos. Uma beleza!
De repente, no melhor da festa, plaft! Uma jabuticaba que cai e lhe esborracha o nariz!
Américo desperta de um pulo; pisca, pisca; medita sôbre o caso e reconhece, afinal, que o mundo não é tão mal-feito assim.
E segue para casa, refletindo:
– Que espiga!… Pois não é que, se o mundo fôsse arranjado por mim, a primeira vítima teria sido eu? Eu Américo Pisca-Pisca, morto pela abóbora, por mim posta em ligar da jabuticaba? Hum !… Deixemos de reformas. Fique tudo como está, que está muito bem.
E Pisca-Pisca continuou a piscar pela vida em fora, mas desde então, perdeu a cisma de corrigir a natureza.

Monteiro Lobato

5644 – Almanaque – Mega Goleiros – Leão, uma fera no gol


Um verdadeiro leão!

Jogava muito!

Ribeirão Preto, 11 de julho de 1949) é um treinador e ex-futebolista brasileiro que atuava como goleiro. Atualmente,(2012) dirige o São Paulo pela 2ª vez.
Iniciou sua carreira de goleiro nas categorias de base do São José e depois foi para o Comercial FC, de Ribeirão Preto, onde tornou-se profissional. No ano de 1968 Leão transferiu-se para o Palmeiras. Assumiu a posição nas redes pouco depois de chegar, devido a contusão do goleiro titular. A partir daí, foram dez anos de glórias no clube, ganhando inclusive o bi Campeonato Brasileiro de 1972/73. Muitos o consideram um dos maiores goleiros brasileiros de todos os tempos.
Jogou 105 vezes pela Seleção Brasileira. Foi reserva na Copa do Mundo de 1970 aos 21 anos de idade. Após aquele Mundial, Leão tornou-se titular absoluto da Seleção de 1971 a 1979. Disputou as Copas do Mundo de 1974, 1978 — permaneceu 457 minutos sem levar gol — e 1986, injustamente na reserva.

Como treinador
Começou sua carreira de técnico em 1987, sendo Campeão Brasileiro pelo Sport. Em 1997 dirigiu o Atlético Mineiro, sagrando-se campeão da Copa Centenário de Belo Horizonte e da extinta Copa Conmebol em jogo conturbado contra o Club Atlético Lanús, na Argentina. Em 1998 voltou a conquistar a Copa Conmebol, desta vez pelo Santos. Seu auge como treinador até hoje foi a segunda passagem pelo Santos, clube ao qual voltou após rápida e conturbada passagem pela Seleção Brasileira. Levou o time ao título brasileiro de 2002, que tirou o clube da fila de 18 anos sem uma grande conquista. Ainda foi vice-campeão brasileiro e vice-campeão da Copa Libertadores em 2003. Saiu em 2004 e foi para o Cruzeiro.
Ainda no mesmo ano foi para o São Paulo, onde conquistou seu último título, o Campeonato Paulista de 2005 e levou o clube à final da Copa Libertadores da América do mesmo ano, que conquistaria mais tarde o título com Paulo Autuori no comando, substituindo Leão que na oportunidade foi para o Vissel Kobe, do Japão, onde teve uma curta passagem de apenas quatro partidas. Depois, assumiu o comando do Palmeiras em 18 de julho de 2005. Foi demitido em 2006 após uma má sequência de resultados, havendo suspeita de ter sido “derrubado” pelos jogadores.
Após breve passagem pelo São Caetano em 2006, Leão assume como técnico do Corinthians, até então último colocado no Campeonato Brasileiro de 2006, e consegue fazer o time terminar na 9ª colocação. Em 3 de abril de 2007, Leão e Corinthians entraram em acordo e o técnico deixou o clube, devido a má campanha do clube no Campeonato Paulista.

Em 27 de julho, acerta com o Atlético Mineiro, levando o time à Copa Sul-Americana de 2008.
Em 15 de dezembro de 2007, o presidente do Santos, Marcelo Teixeira, anunciou a volta de Emerson Leão ao clube, onde se apresentou dois dias depois. Foi a terceira passagem do técnico pela Vila Belmiro.
Mas no dia 27 de maio de 2008, após a eliminação do Santos diante do América (México), pela Libertadores, e da goleada sofrida contra o Cruzeiro (4×0), no Campeonato Brasileiro, Leão, não suportando os maus resultados e as críticas, deixou o comando do time.
Em 2009 assumiu o Atletico Mineiro mais uma vez, e mesmo com um bom desempenho não resistiu a uma goleada para seu maior rival na final do Campeonato Mineiro de 2009, e um mau resultado frente ao Vitória pela Copa do Brasil de 2009.[6] Foi contratado pelo Sport Club do Recife em 3 de junho de 2009 para a temporada de 2009.
Após três vitórias, dois empates e cinco derrotas em apenas um mês e 22 dias a frente do time pernambucano, Emerson Leão foi demitido do Sport após empate contra o Náutico e polêmica sobre uma suposta contratação do atacante Marcelo Ramos.

Em abril de 2010, acertou com o Goiás.Três meses depois, em 21 de julho de 2010, envolveu-se numa polêmica num jogo contra o Vitória, no Barradão. Após o final da partida, Leão agrediu um repórter de uma emissora de rádio local e chegou a receber voz de prisão. Porém, o treinador foi liberado após prestar depoimento.
Em 27 de agosto, após 9 partidas sem vitória no Campeonato Brasileiro e com o Goiás na última colocação, Leão pediu demissão do clube esmeraldino.
Em 24 de outubro de 2011, Emerson Leão assina contrato para dirigir o São Paulo pela segunda vez.1] O técnico tentará repetir o excelente desempenho que teve no Tricolor Paulista em sua primeira passagem.
Títulos como jogador:
Comercial F.C.
Copa Ribeirão Preto: 1967.
Palmeiras
Campeonato Brasileiro: 1969,1972,1973
Campeonato Paulista: 1972,1974,1976
Troféu Ramón de Carranza: 1969, 1974, 1975
Grêmio
Campeonato Brasileiro: 1981
Campeonato Gaúcho: 1980
Corinthians
Campeonato Paulista: 1983
Brasil
Copa do Mundo: 1970
Títulos como treinador:
Sport
Campeonato Brasileiro – 1987
Campeonato Pernambucano – 2000
Atlético MG
Copa Conmebol – 1997
Copa Centenário de Belo Horizonte – 1997
Santos
Copa Conmebol – 1998
Campeonato Brasileiro – 2002
São Paulo
Campeonato Paulista – 2005
Tokyo Verdy
1992 – Copa Kanagawa (Verdy Kawasaki)
1996 – Copa do Imperador (Verdy Kawasaki)

Curiosidades:

No vídeo acima, a derrota para o Guarani perdendo o título brasileiro não foi nenhum demérito. Esta lendária formação do Guarani talvez tenha sido o melhor time do Guarani de todos os tempos.
Quando jogador suas camisas eram bem diferentes, com estampas chamativas ou listradas com as cores do time que defendia. Quando jogou no Corínthians usava uma camisa zebrada de preto e branco.
É o 2º jogador que mais atuou com a camisa do Palmeiras, ficando atrás apenas de Ademir da Guia, “O Divino”, que atuou 901 vezes. Leão esteve presente em 617 partidas defendendo o gol do Verdão.
É casado com uma psicóloga e tem duas filhas.
Na final da Copa Conmebol em 1997, dirigindo o time do Atlético Mineiro contra o Club Atlético Lanús, Leão teve um osso da face fraturado como resultado de uma violenta briga dentro de campo entre os integrantes das duas equipes, iniciada pelos argentinos. O então técnico atleticano foi atigindo covardemente pelas costas por um dirigente argentino que portava um soco inglês. Apesar disso Leão ficou com o título e teve boa recuperação.
No Corinthians, Leão entrou em choque com os jogadores argentinos do time: Sebastián Domínguez, Javier Mascherano e, principalmente, Tévez. O motivo foi uma declaração do técnico dizendo que não gostava de argentinos. O conflito chegou ao auge quando Leão tirou a faixa de capitão de Tévez sob a alegação de que não entendia o que o jogador portenho falava. Foi a desculpa que Tévez precisava para sair do clube e ir para a equipe inglesa West Ham.
Após a queda do Corinthians para a Série B do Campeonato Brasileiro em 2 de dezembro de 2007, muito se falou sobre a responsabilidade do antigo dirigente corinthiano, Kia Joorabchian, presidente da firma MSI, nesse fato. Kia não só se eximiu da responsabilidade como também jogou a culpa em outras pessoas como, por exemplo, seu desafeto, Emerson Leão.

Leão nos dias de hoje

5643 – Astronomia – Netuno surpreendente


Netuno

Sabia-se pouco sobre Netuno, é certo, mas havia bons motivos para isso. Oitavo planeta em ordem de afastamento do sol, situado a 4,3 bilhões de quilômetros da Terra, Netuno está tão distante que não é visível a olho nu, assim como Plutão. Mesmo com o auxílio do maior telescópio brasileiro, o refletor de 1,6 metro do Laboratório Nacional de Astrofísica, em Minas Gerais, parece “um minúsculo círculo de luz com uma cor meio estranha brilhando no céu”, como descreve o astrônomo Roberto Martins, do Observatório Nacional do Rio de Janeiro, que há poucos meses observou o astro noites a fio para medir a órbita de seus satélites. Foi preciso que a Voyager 2, no seu giro de doze anos pelos planetas gigantes, que a levou às vizinhanças de Júpiter, Saturno e Urano, passasse a 4850 quilômetros de Netuno no dia 25 de agosto último, para que se pudesse finalmente dar uma boa olhada nesse remoto mundo verde e no seu curioso satélite, Tritão.
Os estudos anteriores à sonda haviam mostrado que Netuno é o quarto maior planeta do sistema, depois de Júpiter, Saturno, e Urano, o que já não é pouco. Com diâmetro de 50 mil quilômetros, é quatro vezes maior que a Terra. Desde que foi descoberto em 1846, ainda não completou uma volta em torno do Sol. Explica-se: está tão distante que seu movimento de translação dura 164 anos e 280 dias terrestres. À distância que se encontra do Sol, não é de admirar que seja gelado. A temperatura ali fica na marca de 200 graus centígrados negativos. Em Tritão, considerado o lugar mais frio do sistema solar, desce a menos de 240 graus.
Netuno guarda a honra de ser o primeiro planeta cuja existência foi deduzida por cálculos matemáticos antes da observação ótica. Desde o fim do século XVIII se suspeitava que um corpo estranho estava alterando a trajetória prevista de Urano, até então o planeta mais distante conhecido. Ao estudar o movimento deste astro, o astrônomo inglês John C. Adams (1819-1892), em Cambridge, e seu colega francês Urbain Le Verrier (1811-1877), em Paris, descobriram, cada qual por si, que as alterações da órbita de Urano se deviam à influência de um astro ainda mais afastado do Sol. Embora Adams e Le Verrier tivessem concluído os cálculos praticamente juntos, não tiveram a mesma sorte na divulgação dos resultados.
As observações do astrônomo inglês, enviadas ao Observatório Real de Greenwich, não foram levadas a sério. Já Le Verrier comunicou suas conclusões ao Observatório de Berlim. Ali, na noite de 23 de setembro de 1846, o alemão Johann Galle (1812-1910) viu o planeta Netuno pela primeira vez. Por sugestão de Le Verrier, Netuno, que possuía uma cor azul esverdeada, recebeu o nome da versão romana do deus grego do mar, originalmente Poseidon. Seus satélites — Tritão, avistado um mês depois, e Nereida, observado apenas em 1949 — receberam seus nomes em homenagem a figuras da mitologia marinha.
Nenhum planeta do sistema interior tem anéis, todos os exteriores, com exceção de Plutão, têm pelo menos um. No caso de Netuno, desde 1984, os telescópios terrestres mostraram o que pareciam ser anéis incompletos, chamados arcos. “Se fossem realmente arcos, seriam os primeiros avistados ao redor de um planeta”, comenta o astrônomo Jair Barroso, do Observatório Nacional do Rio de Janeiro. Barroso especializou-se numa técnica de observação conhecida como ocultação de estrelas. Ou seja, utilizando um fotômetro fotoelétrico rápido acoplado ao telescópio, ele registra a passagem de um astro por trás de outro — um fenômeno que ocorre às vezes em ínfimos um ou dois segundos.
Assim foram percebidos os anéis de Urano e os supostos arcos de Netuno. No começo de agosto de 1989, a Voyager 2 mostrou que entre estes últimos havia segmentos poeirentos muito tênues, por isso mesmo não observados da Terra. As imagens mostraram pelo menos cinco anéis, um deles tão tênue que parece uma camada de poeira. Eles lembram incontáveis luazinhas geladas orbitando o planeta. Podem representar relíquias de um período em que cometas e asteróides batiam nos planetas e se fragmentavam, sendo então capturados pela gravidade do planeta. Ou podem ser restos de uma lua que vagou muito perto e foi despedaçada pela atração de Netuno.

5642 – Tecnologias Obsoletas – Como funcionavam as Polaroids?


A velha Polaroid

O mistério estava escondido nas chapas fotográficas, que funcionavam ao mesmo tempo como papel e filme. Segundos depois do clic a foto saía por uma abertura na parte frontal da máquina. No início, é só um papel branco, mas em 2 minutos, começa a surgir a imagem, que fica pronta em 4 minutos. Uma chapa que se auto revelava porque estava impregnada de substâncias químicas necessárias ao processo e que entravam em açãono momento em que o papel saía da máquina. O sistema se tornou obsoleto com o advento das fotos digitais, até porque, o custo dos filmes Polaroid eram bem mais alto que o dos filmes convencionais.

Um pouco +

A invenção das modernas câmeras instantâneas é creditado ao cientista americano Edwin Land , que divulgou o primeiro comercial câmera instantânea, a câmera da terra , em 1948, um ano depois de apresentar filme instantâneo na cidade de Nova York. A primeira câmera instantânea, que consistia de uma câmara e câmara escura portátil em um único compartimento, foi inventado em 1923 por Samuel Shlafrock.

As vendas de película química de todos os fabricantes caíram em pelo menos 25% ao ano na primeira década do século 21 , eo declínio tende a acelerar. Fujifilm é agora o único fornecedor restante do filme instantâneo nos Estados Unidos. No entanto, em outubro de 2009, a Polaroid anunciou que iria trazer de volta suas câmeras de filme clássicos instantâneos, depois de anunciar um ano antes que a produção estava interrompida.

5641 – Biologia – A Classificação dos Animais


O reino Animalia está dividido em cinco categorias taxonômicas:
Filo » Classe » Ordem » Família » Gênero » Espécie
A espécie é a unidade básica da classificação biológica. É formada por um grupo de seres que possuem características comuns, e que são diferentes dos seres dos outros grupos.

Os indivíduos da mesma espécie originam de antepassados comuns e através do cruzamento formam novos descendentes férteis.
Não existe cruzamento natural entre indivíduos de espécies diferentes, quando ocorre são gerados descendentes infecundos.
O gênero é formado por duas ou mais espécies que possuem algumas características em comuns.
A família é formada por dois ou mais gêneros que possuem algumas características em comuns.
A ordem é formada por duas ou mais famílias que possuem algumas características em comuns.
A classe é formada por duas ou mais ordens que possuem algumas características em comuns.
O filo é formado por duas ou mais classes que possuem algumas características em comuns.
O reino é formado pelo conjunto do todos os filos.
Existem também as categorias intermediárias, como subfilo, subespécie, subgênero, subfamília, etc., estas são usadas para demonstrar os graus de parentescos mais próximos.

Regras de taxonomia
No século XVIII as regras de taxonomia foram estabelecidas pelo botânico Lineu.
1ª Regra
O animal deve ser nomeado com no mínimo dois nomes, sendo que o primeiro nome refere-se ao gênero e o segundo à espécie. O nome deve estar escrito em latim.
2ª Regra
A letra inicial do nome do nome gênero sempre deve ser maiúscula.
3ª Regra
A letra inicial do nome da espécie sempre deve ser minúscula. Em alguns casos o nome da espécie é uma homenagem a uma pessoa, nesse caso pode-se usar a letra maiúscula para espécie.
4ª Regra
No caso da subespécie (se existir) o nome deve ser escrito depois do nome da espécie, com a letra inicial maiúscula, até mesmo quando for nome de pessoa.
5ª Regra
No caso de subgênero (se existir) o nome deve ser escrito depois do nome do gênero, entre parênteses, sempre com inicial maiúscula.
6ª Regra
Para formar o nome da família acrescenta-se ao radical do gênero tipo a terminação idae, e para formar a subfamília acrescenta-se ao mesmo radical a terminação inae.
7ª Regra
A 7ª regra consiste a Lei da Prioridade. Quando um animal for nomeado com diferentes nomes, por diferentes autores, adota-se o primeiro nome que foi usado para denominar a espécie.
8ª Regra
O nome do animal deve ser escrito com uma letra diferente do texto. Pode ser usado negrito, itálico ou grifar o nome.
9ª Regra
Para trabalhos científicos, deve-se escrever o nome do animal seguido do nome do autor que o descreve. Outras citações sobre o animal devem ser colocadas entre parênteses, depois do nome do autor.

5640 – Lei e Direito – A Justiça Brasileira


A Justiça tarda mas não falta”, reza o ditado popular. Ou melhor, rezava. Hoje, os brasileiros sabem que só a primeira metade desse ditado continua verdadeira. No Brasil, a Justiça tarda tanto que muitas vezes não chega. O resultado é a impunidade, que dá aos piores bandidos o salvo-conduto para continuar a praticar homicídios, seqüestros e estupros. Apenas 0,2% dos crimes cometidos chegam à condenação e prisão dos culpados. E os bandidos são os mais bem informados de que é mais fácil ganhar num jogo de bingo do que receber a justa punição por um crime cometido. A Justiça tarda tanto que muitos crimes prescrevem antes que o processo chegue ao final, premiando o réu com uma providencial extinção da pena. E, quando um processo criminal cumpre inteiramente o longo percurso de julgamentos e recursos até chegar à sentença final, quase dez anos terão se passado.
O resultado disso é o pior possível: o total descrédito da população pelo sistema judiciário. A parcela de brasileiros que batem à porta do Judiciário com esperança de ver um erro reparado é ínfima. No último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado em 1990, apenas 4% dos brasileiros haviam procurado a polícia e a Justiça para garantir seus direitos. Desses, a grande maioria o havia feito apenas para cumprir as exigências das companhias de seguros, como acontece nos casos de roubos de automóveis. E nisso está uma das principais fontes de violência na sociedade, pois muita gente prefere “fazer justiça” com as próprias mãos.
Os efeitos econômicos da ineficiência da Justiça também são terríveis. Em 1996, uma pesquisa do Banco Nacional de Desenvolvimento mostrou que a ineficiência do Judiciário custa, anualmente, o equivalente a 15% do Produto Interno Bruto.
Se você nunca leu “O processo” talvez tenha assistido ao filme Brazil, que narra a história de um mundo superburocratizado, em que injustiças são perpetuadas para não atrapalhar o funcionamento da máquina judiciária. O título do filme diz muito da imagem que nosso sistema tem pelo mundo afora. Nesse jogo que muitas vezes beira o surreal, no qual só os advogados, promotores e juízes entendem as regras nos seus detalhes mais complexos, o processo se transformou numa peça abstrata, um monte de relatórios, pareceres e sentenças que seguem mecanicamente o rito processual sem levar em conta que os interessados são pessoas de carne e osso, que sofreram agressões ou até mesmo que perderam suas vidas nas mãos de pessoas perigosíssimas. Muitas vezes conta mais para a sentença final quem falou primeiro perante um juiz (o código exige que a acusação fale antes da defesa do réu para que o julgamento tenha validade) do que aquilo que foi dito durante a audiência.
A aproximação do Judiciário com a população começa a acontecer de uma outra forma: a implantação dos juizados especiais criminais, que estão sendo criados principalmente onde há alta taxa de criminalidade. Eles são semelhantes aos popularmente chamados “juizados de pequenas causas”, só que voltados para delitos menores, que não envolvam atentados à vida.
As vantagens desses juizados são muitas: eles desafogam a Justiça comum, hoje atolada com centenas de milhares de processos, para que cuide apenas dos crimes mais graves. Isso deve agilizar o andamento dos processos. Por outro lado, julga rapidamente os pequenos delitos, o que a longo prazo deve restabelecer a confiança da população no sistema judiciário. Outra característica importante dos juizados é buscar um acordo entre as partes envolvidas já na primeira audiência. Se houver acordo, o juiz aplica uma pena alternativa ao culpado (geralmente trabalho na comunidade). A queixa só se transforma em processo se não houver acordo. Dessa forma, disputas que poderiam se arrastar por vários anos na Justiça comum são resolvidas em poucos meses.

Curiosidades:

Temis é uma divindade grega onde a justiça é definida, no sentido moral, como o sentimento da verdade da equidade e da humanidade, colocado acima das paixões humanas.
Conceitos associados: imparcialidade.

MARTELO
Também chamado de malhete, o martelo do juiz, todo em madeira, é, juntamente com a deusa Thêmis e a balança da justiça comutativa, um dos mais fortes e conhecidos símbolos do direito e da justiça. A origem para seu significado é controversa, alguns autores ligam-no à mitologia grega, para a qual a figura do martelo liga-se à do deus Hefesto, divindade do fogo, dos metais e da metalurgia, conhecido como o ferreiro divino.
Outros autores fazem referência ao antigo cajado utilizado pelos sacerdotes judeus e cristãos, que, quando presidindo os cultos ou reuniões públicas, o utilizavam para chamar a atenção da assembléia. No Direito o martelo representa o sinal de alerta, respeito e ordem para o silêncio.

BALANÇA

Utensílio de origem caldéia, símbolo místico da justiça, quer dizer, da equivalência e equação entre o castigo e a culpa (CIRLOT, 1984, p. 112); não é apenas um signo zodiacal, mas em geral o símbolo da justiça e do comportamento correto, da medida, do equilíbrio; em muitas culturas, representa a imagem da jurisdição, da justiça terrena, da “Iustitia” com os olhos vendados, que não se deixa influenciar durante a avaliação da culpa.
Também no além, segundo a doutrina ética de muitas religiões no que se refere à remissão dos pecados, ocorre um julgamento que decide sobre o peso das boas e das más ações realizadas na terra; assim como, por exemplo, o julgamento dos mortos dos antigos egípcios, no qual o deus Osíris, na presença de Maat, a deusa da justiça, pesa o coração do morto e decide sobre seu destino ultraterreno. O ato de pesar as ações terrenas encontra-se presente também nos julgamentos do além dos antigos persas e dos tibetanos.
Na Grécia, com a balança, Zeus inflige ao homem seu destino. No cristianismo a balança é símbolo e atributo eminente do juiz universal no fim dos tempos; ele decide, com a balança na mão, se aquele que se encontra defronte à cadeira do juiz divino deve ser designado ao paraíso do céu ou aos tormentos eternos do inferno (BIEDERMANN, 1994, p. 49).

5639 – Mega Tecs Áudio – Caixas Acústicas Lando


A Lando banca 5 anos de garantia

Com fôlego de gato este fabricante já está no mercado de som profissional há décadas e conseguiu subsistir em um mercado cheio de concorrência e mudaças econômicas e que fizeram por sucumbir grandes marcas famosas das quais nos referimos em capítulos anteriores, como Gradiente, Polyvox, Quasar e Cygnus.
A empresa LANDO High Fidelity Ltda, foi fundada em 1977 para fabricar as caixas acústica HI-FI da marca Lando.
As caixas acústicas LANDO são produtos fabricados com tecnologia alemã de alto nivel. Devido a fabricação 100% nacional, a LANDO compete no mercado brasileiro com preços adequados ao poder aquisitivo nacional. Seguindo esta mentalidade de excelente relação custo beneficio oferecida pelos produtos LANDO, a empresa conseguiu estabelecer-se no mercado dentro de poucos anos e garante sua posição de fabricante de alta tecnologia até hoje.
A LANDO recebeu o “Prêmio Quality Brasil” que tem como objetivo reconheçer, distinguir e premiar a gestão de empresas e instituições que se destacam no mercado brasileiro, cuja excelência na qualidade de seus produtos ou serviços contribuem efetivamente para o desenvolvimento sócio econômico do país, valorizando o produto nacional.

5638 – Cores – A mistura de todas dá sempre branco?


Só de luzes coloridas. Juntando um monte de tintas diferentes num balde, o resultado vai ficar muito próximo do preto. Cores não passam de ondas eletromagnéticas e podem tre frequências diferentes, o que gera as tonalidades. O branco é a mistura de todas as frequências. Para comprovar basta focalizar fachos de luz coloridas sobre um mesmo ponto, numa folha branca. Mas tinta não é o mesmo que um facho de luz. Uma tinta preta absorve todas as cores, causado o negrume. Já uma branca, reflete todas.

Um pouco +

O arco-íris é um fenômeno óptico e meteorológico que separa a luz do sol em seu espectro (aproximadamente) contínuo quando o sol brilha sobre gotas de chuva. É um arco multicolorido com o vermelho no seu exterior e o violeta em seu interior; a ordem completa é vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil (ou índigo) e violeta. No entanto, a grande maioria das pessoas consegue discernir apenas seis cores, e o próprio Newton viu apenas cinco cores, e adicionou mais duas apenas para fazer analogia com as sete notas musicais.
Para ajudar a lembrar a sequência de cores do arco-íris, usa-se a mnemónica: «Vermelho lá vai violeta», em que l, a,v, a,i representam a sequência laranja, amarelo, verde, azul, índigo. Na língua inglesa é usada a mnemónica roygbiv.
O efeito do arco-íris pode ser observado sempre que existir gotas de água no ar e a luz do sol estiver brilhando acima do observador em uma baixa altitude ou ângulo. O mais espetacular arco-íris aparece quando metade do céu ainda está escuro com nuvens de chuva e o observador está em um local com céu claro. Outro local propício à apreciação do arco-íris é perto de cachoeiras.

5637 – Por que os vegetais são verdes?


Por causa dos cloroplastos. São bolsinhas verdes contendo clorofila, a substância esverdeada que absorve a luz do Sol e a transforma em energia. Quanto mais cloroplastos, maior a capacidade de produzir energia. Mas há exceções. É o caso da acalifa, um arbusto vermelho comum em jardins, mas elas também tem bastante clorofila, só que o verde é mascarado por outros pigmentos.

Um pouco +

A intensa cor verde da clorofila se deve a suas fortes absorções das regiões azuis e vermelhas do espectro eletromagnético, e por causa destas absorções a luz que ela reflete e transmite parece verde. Ela é capaz de canalizar a energia da luz solar em energia química através do processo de fotossíntese. Neste processo a energia absorvida pela clorofila transforma dióxido de carbono e água em carboidratos e oxigênio.
As moléculas de clorofila encontram denominados fotossistemas, que se encontram integrados nos tilacóides de cloroplastos. A maioria das moléculas de clorofila absorve luz e transmite a energia luminosa através de um fenómeno designado por “transferência de energia por ressonância” a um par de moléculas de clorofila específico que se encontra no centro reaccional dos fotossistemas. Os fotossistemas I e II possuem centros reaccionais distintos, denominados P680 e P700 de acordo com o comprimento de onda (em nanómetros) correspondente ao seu pico máximo de absorção.
A clorofila em plantas verdes consiste em duas formas, clorofila a e b. As clorofilas c e d são encontradas especialmente em algas e cianobactérias.
A clorofila a difere da clorofila b por apresentar na posição 3 do grupo tetrapirrólico o radical -CH3 (metila) no lugar do -CHO (aldeído). A clorofila está presente nas folhas das plantas, sendo crucial para a fabricação de glicose através da fotossíntese. A clorofila é produzida pela planta através dos cloroplastos. É a clorofila a a principal responsável pela coloração verde das plantas e pela realização da fotossíntese.
A clorofila b difere da clorofila a por apresentar na posição 3 do grupo pirrólico o radical -CHO (carbonila/aldeído) no lugar do -CH3 (metila).

O pigmento clorofila, presente no granum dos cloroplastos, não absorve luz verde, que é refletida, e por isso enxergamos as plantas dessa cor. A energia captada pela clorofila vem das luzes azul e vermelha, absorvidas pela clorofila. Além do verde, as plantas refletem o ultravioleta, e por isso vários insetos podem enxergar nessa cor.
A molécula de clorofila não sofre desgaste ou modificações na sua estrutura durante a fotossíntese. Se fosse extraído a clorofila de uma folha e depois submetida à luz, verficaríamos o fenômeno da fluorescência. Esse fenômeno ocorre pois os elétrons que ocupam subníveis energéticos mais baixos absorvem luz, ficam “excitados” e sobem para níveis energéticos mais altos. Esses elétrons perdem a energia recebida em forma de fóton, causando a fluorescência, retornando para os níveis energéticos inferiores. Há vários tipos de molécula de clorofila: nos vegetais superiores são comuns as clorofilas “a” e “b”. A clorofila “a” absorve melhor a luz com comprimentos de onda entre 400 e 700 nm, enquanto que a clorofila “b” absorve melhor na faixa entre 450 e 680 nm. Os dois tipos possuem maior absorção na faixa do azul e do vermelho.

5636 – Qual a diferença entre a cerveja e o chopp?


Na cerveja há um aquecimento a 60°C por alguns minutos e um resfriamento súbito. Tal processo é conhecido comp Pasteurização e desativa as enzimas responsáveis pela fermentação do cereal. Com isso, aumenta a validade do produto, que pode ser consumido em até 6 meses. Com o chopp não há pausterização e as enzimas continuam agindo. Por isso, só dura 10 dias antes de se alterar. A ação das enzimas, também faz com que o chopp seja assimilado com mais facilidade pelo organismo, pois ajuda a digerir o açúcar da bebida.

5635 – Quem foram os druidas?


Panoramix preparando suas poções

Não eram bonzinhos como o Panoramix, o mago do Asterix. Consta que faziam julgamentos, decretavam penas e até promoviam sacrifícios humanos entre os celtas. Tal povo habitou a Europa ocidental até ser dominado pelos romanos, no século I aC. Suas reuniões, cercadas de mistério, aconteciam nas florestas. Ali trocavam saberes. Foram combatidos pelos romanos e mais tarde pelos cristãos. Na Gália, foram dizimados. Na Irlanda, mais ou menos na mesma época, perderam suas funções religiosas, virando poetas, historiadores ou juízes.

5634 – Ei, Al Capone, assim Chicago não agüenta!! Como nasceu a Máfia italiana?


Segundo alguns historiadores, surgiu no século 11, quando os normandos dominavam os saracenos, muçulmanos que viviam na Sicília. Sem terras, muitos se tornavam servos. Outros criaram sociedades clandestinas. Tal tradição foi retomada no fim do século 19. Perto de 1900, mafiosos do oeste da Sicília assumiram a maior parte da economia local. Nos anos 20 Mussoline prendeu milhares de integrantes de tais organizações, mas foram libertados após a vitória dos aliados na II Guerra Mundial.
Al Capone, o gangster
Ele era filho de napolitanos e nasceu em NY em 1899. Em 1919 foi para Chicago. Em 1925 tornou-se o mais importante chefe de gang na guerra pelo controle da venda clandestina de bebida. Nessa época vigorava a lei seca. Lucrava mais de 20 milhões de dólares por ano. Processado por sonegação de imposto, foi condenado a 10 anos de prisão. Morreu em janeiro de 1947.

5633 – Planeta Terra – O Ecossistema


O conjunto de todos os ecossistemas

A palavra “ecologia” é de origem grega:
oikos = casa, ambiente + logos = estudo.
Assim, a ecologia leva em consideração a interação entre os seres vivos e o meio ambiente e as interações entre os seres vivos, uns com os outros.
Conceito de ecossistema
Considerado como uma entidade única, o ecossistema é formado por relações entre os seres vivos e o meio ambiente, organizados em produtores, decompositores e compositores, na qual obtemos os fabricantes físicos e os fabricantes químicos, ou seja, o fator físico designa os abióticos e os químicos os bióticos.
Floresta, lagoa, água, aquário, a água aparente do mar são considerados ecossistemas.
O ecossistema absorve água e gás carbônico da atmosfera liberando oxigênio e alimentação, caso este cronograma não seja cumprido pelo ecossistema o ambiente perderá sua igualdade de forças.
Os animais viventes no ecossistema possuem a sua função, por exemplo, os vegetais precisam dos insetos para a passagem do pólen, caso não haja a espécie necessária de insetos os vegetais se extinguem.
Hábitat é o nome usado para indicar o lugar onde um determinado animal vive.
Nicho ecológico é uma expressão usada para designar a função do organismo dentro do organismo.
O nicho dos organismos proporciona a descoberta de seu habitat, sua alimentação, se são ou não presas e sua reprodução.
Quando encontramos algum inseto vivendo em uma planta, esta representa o seu habitat natural, ao observamos seus alimentos, sua forma de reprodução e seus costumes, estamos nos referindo ao seu nicho ecológico.
O nicho é construído somente pelo organismo, o habitat não, podendo ser reconstruído por seres humanos, por exemplo, os cativeiros, assim o homem pode proporcionar ao animal uma vida em seu ambiente natural.
População: organismos da mesma espécie que povoa um mesmo território.
Comunidade ou Biocenose: é um conjunto formado por populações de espécies distintas que compartilham o mesmo território.
Assim como uma célula pode ser considerada a unidade fundamental da vida, os ecossistemas podem ser considerados a unidade fundamental de estudo da ecologia.
O ecossistema é constituído por organismos e pelo meio ambiente em que vivem, é onde ocorre a relação dos seres entre si e com o meio.
Como já vimos, podemos encontrar dois componentes dentro do ecossistema: biocenose e biótopo.
A biocenose, também conhecida como comunidade biótica é o fator vivo do ecossistema. Conjunto de todos os seres vivos que interagem em uma certa região.
O biotópo ou abiótico é o fator físico do ecossistema, ou seja, que caracteriza o meio, onde os organismos vivos se desenvolvem. Conjunto de todos os fatores ambientais que atuam diretamente no mundo vivo. Os indivíduos euribiontes são capazes de tolerar amplos limites de variações das condições do meio onde vivem. Já os estenobiontes, apresentam limites de tolerância baixos. Alguns destes fatores são: temperatura, luz e água.

5632 – Último degelo do planeta elevou nível do mar em 20 metros


Em menos de 500 anos, subiu cerca de 20 metros, segundo Pierre Deschamps, geólogo e pesquisador principal do Cerege (sigla em francês de Centro Europeu de Pesquisa e Ensino de Geociências do Meio Ambiente), em artigo publicado a revista científica “Nature.
O ponto mais ativo desse degelo, que começou há 15 mil anos e acabou há 12 mil, foi no período entre 14.650 anos e 14.310 anos atrás. É nesse intervalo de tempo que, segundo as medições dos analistas, o nível de água subiu no Taiti entre 12 e 22 metros.
Os cientistas participantes do estudo basearam a pesquisa em medições efetuadas nesta ilha do Pacífico e concluíram também que a maior parte de água veio do degelo da Antártida.
Para obter os dados, Deschamps e seus colegas estudaram os fósseis dos corais e de uma espécie de búzio que habitaram no litoral norte, sul e oeste do Taiti.
O aumento das águas que o analista cita em seu artigo coincidiu no tempo com a Oscilação de Boelling, uma época na qual o clima se moderou e as massas de gelo continentais liberaram grandes quantidades de água no mar.
No entanto, a cronologia exata do degelo e a origem de suas águas seguem sem esclarecer tudo, já que o nível dos mares não ascendeu de forma uniforme, e por isso é necessário estudar os aumentos em distintas costas do planeta.
Além disso, os especialistas não só tentam averiguar quanto cresceram os mares, mas também qual foi a fonte que produziu o aumento das águas, ou seja, se o que derreteu foi o Ártico, a Groenlândia ou a Antártida.

5631 – Encéladus, o satélite de Saturno


Com 498,8 km de diâmetro e com um período orbital de 1,37 dias. Ele deve seu nome a um titã da mitologia grega, como vimos no resumo anterior, derrotado em uma batalha e sepultado sob o vulcão Etna pela deusa Atena.
Em junho de 2009, pesquisadores europeus confirmaram a existência de um oceano de água salgada sob a calota de gelo do polo sul do satélite.
Encélado foi descoberto em 28 de Agosto de 1789 por William Herschel.
As primeiras imagens a partir de sondas em visita a Encélado foram tiradas pelas duas sondas Voyager. A Voyager 1 apenas observou a lua de longe em Dezembro de 1980, a Voyager 2, em Agosto de 1981, conseguiu tirar imagens de muito melhor resolução, revelando uma superfície jovem e uma complexidade geológica inesperada.
Para que se desvendassem os segredos de Encélado foi necessário esperar mais de vinte anos. Em 30 de Junho de 2004, a sonda Cassini chegou a Saturno para revelar os segredos do planeta senhor dos anéis e das suas luas.
Dadas as imagens surpreendentes da Voyager 2, Encélado foi considerado uma prioridade, e foram planejados vários sobrevoos a 1500 km da superfície e outras oportunidades de visionamento a 100 mil quilômetros de Encélado. Até hoje, foram feitos três encontros com Encélado, que desvendaram mais segredos sobre esta lua; um dos mais surpreendentes foi a descoberta de fontes de vapor de água do pólo sul, uma zona geologicamente activa.
Na primavera de 2008, Cassini visitou novamente este pequeno mundo a apenas 350 km de distância. Os cientistas da missão colocam Encélado ao lado de Titã como uma das prioridades futuras, afirmando um deles que Saturno deu-nos dois mundos excitantes para explorar.
Estudos feitos com recurso às imagens obtidas pela sonda Voyager 2 mostraram que Encélado possui pelo menos cinco tipos diferentes de terreno, incluindo várias regiões de terreno crivado, terreno plano recente e faixas de terreno acidentado. Foram ainda observadas fissuras lineares de dimensão considerável. Dada a relativa falta de crateras nas planícies, estas regiões têm, provavelmente, menos de 100 milhões de anos. Desta forma, Encélado deve ter tido actividade recentemente com recurso a “vulcanismo de água” ou outros processos que renovam a superfície. O gelo novo e limpo que domina a sua superfície torna Encélado no corpo celeste do sistema solar com maior albedo (0,99).
Imagens de alta resolução da Cassini mostram jactos gelados e plumas em torre ejectando grandes quantidades de partículas a alta velocidade. Estes jactos provêm de bolsas de água (acima de 0 graus centígrados) próximas à superficie. Assim, Encélado foi adicionado à lista de mundos com uma forma de vulcanismo activo.

Nas condições próximas do vácuo da superfície, essa água dissipar-se-ia no espaço. Análises feitas aos jactos e plumas indicam que a maioria das partículas acabam por cair de novo na superfície, dando ao pólo sul um aspecto extremamente brilhante, local que deverá ser o único, na lua, onde a água existe mais próxima da superfície. As partículas que conseguem escapar à gravidade de Encélado acabam por entrar na órbita de Saturno, formando o anel E.
Dado que Encélado reflecte praticamente toda a luz que recebe do Sol, a temperatura média à superfície é de -198 °C, algo mais frio que as outras luas de Saturno. A atmosfera é uma fina cobertura composta por vapor de água, e sua maior concentração no pólo sul se deve à atividade geológica na região, que é a mais quente do satélite, com -163 °C. As listas de tigre também estão associadas à condução dos gases atmosféricos por toda a superfície do satélite. Considerando a baixa gravidade desse pequeno satélite, a atmosfera se deve exclusivamente aos vapores que saem de suas entranhas, uma vez que Encélado a perde constantemente para o espaço; portanto, há produção e perda constante de gases atmosféricos. Nessa atividade, as partículas que Encélado emite abastecem o mais externo dos anéis de Saturno.
A sonda Cassini parece ter encontrado provas da existência de reservatórios de água líquida que entra em erupção ao estilo de géisers (que podem atingir mais de cem metros de altitude devida à reduzida força gravítica). A existência deste tipo de actividade geológica num mundo tão pequeno e frio acrescenta significativamente o número de habitats com capacidade de sustentar organismos vivos no sistema solar.
Outras luas do sistema solar, tais como Europa ou Ganímedes, têm oceanos de água líquida por baixo de quilómetros de uma crosta gelada. No entanto, no caso de Encélado, existem bolsas de água a poucos metros da superfície.

5630 – Mitologia – Encélado


Gigante preso

Na Mitologia Grega é um dos gigantes que são os quatro filhos de Gaia. Foi vencido por Atena. É conhecido como o senhor do gelo. É irmão do mais poderoso gigante da mitologia grega, Tífon. Conhecido como aquele que rosna. Uma das máquinas de guerra construídas para destronar Zeus. Encélado e Tífon lutaram contra Zeus e Atena em uma batalha sangrenta que culminou na queda dos últimos gigantes. Em sua batalha com Atena e Zeus, foi aprisionado no monte Etna juntamente com seu irmão e lá estão presos até hoje lançando sua fúria sobre a Terra.

5629 – Sonda acha condições favoráveis para a vida em lua de Saturno


A sonda espacial Cassini registrou jatos de água gelada em vários voos próximos à superfície de uma lua de Saturno, Encélado, que poderiam indicar um habitat propício para a existência de vida, informou a Nasa em seu site.
“Mais de 90 gêiseres de todos os tamanhos estão emitindo vapor de água, partículas de gelo, e componentes orgânicos na superfície do Polo Sul de Encélado”, disse Carolyn Porco, chefe da equipe de Imagens Científicas da sonda espacial Cassini.
Estes gêiseres, que surgem através de fendas na superfície gelada da sexta lua de Saturno, poderiam revelar a existência de um vasto mar subterrâneo.
“Cassini voou várias vezes através destas partículas e as analisou. Além de água e material orgânico, encontramos sal nas partículas de gelo. A salinidade é a mesma que a existente nos oceanos da Terra”.
A cientista afirmou que parece “coisa de louco”, mas é como “se nevasse sobre a superfície deste pequeno mundo”, em referência às condições favoráveis à vida microbiana neste satélite.
“No fim, esse é o lugar mais promissor que conhecemos para a pesquisa em astrobiologia. Não precisamos sequer mexer na superfície. Basta voar entre estas colunas de partículas. Ou podemos pousar sobre a superfície e tirar amostras”, disse.
A sonda Cassini, lançada em 1997, é uma missão na qual participam a Nasa, a ESA (Agência Espacial Europeia) e a Agência Espacial Italiana, cujo objetivo é estudar as mudanças climáticas em Saturno e em suas luas.
No ano passado a Nasa decidiu prolongar a missão, que transmitiu informações do sistema de Saturno durante quase seis anos, até 2017.
“O tipo de ecossistemas que Encélado pode abrigar poderiam ser como os existentes nas profundezas de nosso planeta. Embora tudo aconteça inteiramente à revelia de luz solar”.
A Cassini foi lançada ao espaço em outubro de 1997 junto com a sonda Huygens da ESA, e chegou às imediações de Saturno em 2004 para iniciar o estudo de Titã, a maior lua do planeta.

5628 – Biologia – Jacaré e crocodilo, qual a diferença?


Os jacarés são répteis carnívoros muito semelhantes ao crocodilo. O que os diferencia é que os jacarés possuem a cabeça mais curta e larga e também possui membranas interdigitais nos polegares traseiros. Podem pesar até 80 kg e atingir 5m de comprimento.
Possui cerca de 80 dentes, mas só os usa quando a presa é grande, pois segura a presa e sacode até que se despedace. Quando a presa é pequena, o jacaré apenas engole. Há no Brasil cinco espécies de jacarés espalhadas em várias regiões.
Durante o dia os jacarés se juntam em bandos para tomar sol e saem à noite para caçar. Normalmente a caça é feita dentro d’água. Alimentam-se de peixes, aves, moluscos e pequenos mamíferos que ficam nas margens dos rios.
Para reproduzir, o jacaré curva o corpo com a cauda para baixo da fêmea até encostar a coacla na dela. As fêmeas põem seus ovos nas margens dos rios usando folhas soltas para esconder o ninho. Os jacarés atacam o homem quando sentem que seu ninho está ameaçado.
Os filhotes, após aproximadamente 80 dias, nascem parecidos com os pais, porém com 25 cm de comprimento. Chegam à fase adulta aos cinco anos de idade onde terá aproximadamente 1,8m de comprimento.

5627 – Biologia – Os lagartos


Os lagartos ou sáurios (do latim científico Sauria, chamados ainda de Lacertilia) constituem uma sub-ordem de répteis escamados, caracterizando-se pela presença de quatro patas, o que o distingue da sub-ordem Serpentes, pálpebras nos olhos, e ouvidos externos. As famílias Anniellidae e Anguidae correspondem a répteis sem patas que parecem cobras mas que, no entanto, são lagartos, tendo em conta a estrutura do esqueleto.
Os lagartos ocorrem em todos os continentes, excepto na Antártida, surgem em diversos tamanhos, desde alguns centímetros, como alguns guecos, até 3 metros, como o dragão-de-komodo.
São geralmente carnívoros, alimentando-se de insectos ou pequenos mamíferos, mas também há lagartos omnívoros ou herbívoros, como as iguanas. O monstro-de-gila, nativo do sul dos EUA, é a única espécie que é venenosa. Alguns tipos de lagarto são capazes de regenerar partes do seu corpo, mais usualmente a cauda, mas em alguns casos mesmo patas perdidas.
Eles variam em tamanho: de menos de 2cm no caso do dwarf gecko a mais de 3 metros como o dragão de Komodo. Os lagartos também podem viver em qualquer lugar, em árvores ou desertos, e comer de tudo, de insetos a cabras.
Em alguns casos, eles podem mudar de cor para se adaptar ao seu entorno ou planar sobre as florestas, usando o excesso de pele existente nos flancos como pára-quedas
A maioria dos lagartos tem quatro patas com cinco dedos em cada pé, apesar de existirem várias espécies que perdem seus membros externos do corpo. Os lagartos são famosos pela rapidez, pelo estado de alerta e pela habilidade para subir ou correr em volta de obstáculos, o que os ajudam a evitar muitos predadores perigosos. Muitas espécies podem deixar cair suas caudas quando são ameaçadas ou pegas.
Embora sejam geralmente inofensivos, a maioria das espécies morde quando é capturada, causando dor intensa nos seus captores. Duas espécies, o lagarto-de-contas e o monstro de gila, possuem um veneno muito parecido ao de algumas cobras, embora apresentem pouco risco para os humanos.

5626 – Biologia – O complexo de Golgi


Biogênese
Origina-se a partir de elementos do retículo endoplasmático.
Estrutura
É uma organela presente nas células eucariontes formada por uma pilha de vesículas grandes e achatadas e outras menores e esféricas, que brotam a partir da primeira.
Outros nomes do complexo de Golgi: dicitiossomo, golgiossomo, aparelho de Golgi, complexo golgiense.
Composição Química
O complexo de Golgi é composto por uma quantidade parecida de fosfolipídios e proteínas, e uma grande quantidade de fosfatase ácida.
Ocorrência
Comumente, podemos encontrar o complexo de Golgi em células eucarióticas, e sempre próximo ao núcleo.
Funções
Armazenamento e secreção de substâncias, tais como os hormônios; síntese da lamela média nas células vegetais; origem dos lisossomos; formação do acrossomo do espermatozóide; centro de distribuição de moléculas para diversas partes da célula.