14.042 – Astronomia – Mega de ☻LHO no Eclipse


eclipse glif
O eclipse solar foi totalmente visível apenas em uma faixa da Terra entre o Chile e a Argentina. O fenômeno foi parcial no Brasil.
No fim da tarde desta terça-feira, foi possível acompanhar em 14 das 27 capitais: Manaus, Porto Velho, Rio Branco, Palmas, Cuiabá, Goiânia e Brasília.
Campo Grande, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte também ficaram dentro do limite.
O eclipse solar de 2 de julho de 2019 foi um eclipse total visível no sul do Oceano Pacífico e na América do Sul. Foi o eclipse número 58 na série Saros 127 e teve magnitude 1,0459.

observatorio

eclipse 2 jul

eclipse2

eclipse3

10.827 – Eclipse total da Superlua é visto das Américas ao Oriente Médio


eclippse glif

O eclipse total da Lua pôde ser observado durante mais de uma hora neste domingo (27), das 23h11 até 0h23 (horário de Brasília), do continente americano até o Oriente Médio.
O astro, que não produz luz própria e aproveita a que recebe do Sol, esteve alinhado com o Sol e a Terra.
saiba mais
FOTOS: A Superlua pelo mundo
Moradores de SP observam Superlua em planetário
Superlua e eclipse total ocorrem ao mesmo tempo na noite deste domingo
Blog do Observatório: Entenda o eclipse da Superlua
Em seu ponto mais próximo da Terra e em fase cheia, a Lua parece maior e mais luminosa, por isso é chamada de Superlua. Além disso, o eclipse total fez com ela ficasse vermelha, um fenômeno magnífico que só voltará a acontecer em 2033.
Os admiradores que conseguiram contemplá-la foram presenteados com um espetáculo da natureza.
A Lua desapareceu do nosso campo de visão, privada dos raios solares, e reapareceu pintada de vermelha – por isso, também é conhecida como “lua sangrenta” ou “lua de sangue”. A transmissão foi feita pelo site da rede de observatórios Slooh e reproduzida no Youtube.

eclipse3

eclipse1