2504-De ☻lho no Mapa – A Índia


Índia, divisão
Índia, localização no globo. Clic para ampliar

País asiático. Seu território tem formato triangular e a maior parte de sua fronteira norte acompanha a cadeia do Himalaia, composta pelas montanhas mais altas do mundo. As duas faces do sul são formadas por linhas costeiras, no mar da Arábia e na Baía de Bengala. A implantação do estilo ocidental de educação superior começou em 1917 em Calcutá, com a criação do colégio hindu. A exigência da criação do Paquistão como estado autônomo, compreendendo as áreas da maioria muçulmana, foi satisfeita em 1947. Após a guerra de secessão no Paquistão oriental, este passou a se chamar Bangladesh. Apesar de medidas adotadas a fim de proporcionar crescimento econômico, estas nações sofrem em decorrência da miséria, da alta taxa de natalidade e da diversidade de grupos étnicos dentro de suas fronteiras, aspirando por autonomia

A Índia, oficialmente República da Índia, (em hindi: भारत गणराज्य, Bhārat Gaṇarājya), é um país da Ásia Meridional. É o sétimo maior país em área geográfica, o segundo país mais populoso com 1,3 bilhão de habitantes e a democracia mais populosa do mundo. Delimitado ao sul pelo Oceano Índico, pelo mar da Arábia a oeste e pela Baía de Bengala a leste, a Índia tem uma costa com 7.517 km. O país é delimitado pelo Paquistão a oeste; pela República Popular da China, Nepal e Butão no norte e por Bangladesh e Mianmar a leste. Os países insulares do Oceano Índico, o Sri Lanka e Maldivas, estão localizados bem próximos da Índia.
Lar da Civilização do Vale do Indo, de rotas comerciais históricas e de vastos impérios, o Subcontinente indiano é identificado por sua riqueza comercial e cultural de grande parte da sua longa história. Quatro grandes religiões, Hinduísmo, Budismo, Jainismo e Sikhismo, originaram-se no país, enquanto o Zoroastrismo, o Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo chegaram no primeiro milênio d.C. e moldaram a diversidade cultural da região. Anexada gradualmente pela Companhia Britânica das Índias Orientais no início do século XVIII e colonizada pelo Reino Unido a partir de meados do século XIX, a Índia se tornou uma nação independente em 1947 após uma luta pela independência que foi marcada pela extensão da resistência não-violenta.
A Índia é uma república composta por 28 estados e sete territórios da união com um sistema de democracia parlamentar. O país é a décima segunda maior economia do mundo em taxas de câmbio e a quarta maior economia em poder de compra. As reformas econômicas feitas desde 1991, transformaram o país em uma das economias de mais rápido crescimento do mundo, no entanto, a Índia ainda sofre com altos níveis de pobreza, analfabetismo, doenças e desnutrição. Uma sociedade pluralista, multilingue e multiétnica, a Índia também é o lar de uma grande diversidade de animais selvagens e de habitats protegidos.
O nome Índia é derivado de Indus, que é derivado da palavra Hindu, em persa antigo. Do sânscrito Sindhu, a denominação local histórica para o rio Indus. Os gregos clássicos referiam-se aos indianos como Indoi (Ινδοί), povos do Indus. A constituição da Índia e o uso comum em várias línguas indianas igualmente reconhecem Bharat como um nome oficial de igual status. Hindustão (ou Indostão), que é a palavra persa para a “terra do Hindus”.
As pinturas da Idade da Pedra nos abrigos na Rocha de Bhimbetka em Madhya Pradesh são as pegadas mais antigas conhecidas da vida humana na Índia. Os primeiros assentamentos humanos permanentes apareceram há mais de novecentos mil anos atrás e pouco a pouco se desenvolveram no que hoje é conhecido como a Civilização do Vale do Indo, a qual teve seu florescimento ao redor de 3 300 a.C, no oeste do atual territorio indiano. Depois de sua queda, começa a civilização védica, que acolheu as bases do hinduísmo e outros aspectos da sociedade indiana, período que terminou em 500 a.C, onde em todo país se estabeleceram muitos reinos independentes e outros estados conhecidos como “Mahajanapadas”.

2503-A Revolta da Vacina


Charge de uma famosa revista semanal da época chamada "O Malho"

Além da varíola, Osvaldo Cruz teve que enfrentar a ignorância do povo

No inicio do século XX, a cidade do Rio de Janeiro, como capital da República, apesar de possuir belos palacetes e casarões, tinha graves problemas urbanos: rede insuficiente de água e esgoto, coleta de resíduos precária e cortiços super povoados e muitas das chamadas favelas. Nesse ambiente proliferavam muitas doenças, como a tuberculose, o sarampo, o tifo e a hanseníase. Alastravam-se, sobretudo, grandes epidemias de febre amarela, varíola e peste bubônica.
Decidido a sanear e modernizar a cidade, o então presidente da República Rodrigues Alves (1902-1906) deu plenos poderes ao prefeito Pereira Passos e ao médico Dr. Oswaldo Cruz para executarem um grande projeto sanitário. O prefeito pôs em prática uma ampla reforma urbana, que ficou conhecida como bota abaixo, em razão das demolições dos velhos prédios e cortiços, que deram lugar a grandes avenidas, edifícios e jardins. Milhares de pessoas pobres foram desalojadas à força, sendo obrigadas a morar nos morros e na periferia.
Oswaldo Cruz, convidado a assumir a Direção Geral da Saúde Pública, criou as Brigadas Mata Mosquitos, grupos de funcionários do Serviço Sanitário que invadiam as casas para desinfecção e extermínio dos mosquitos transmissores da febre amarela. Iniciou também a campanha de extermínio de ratos considerados os principais transmissores da peste bubônica, espalhando raticidas pela cidade e mandando o povo recolher os resíduos.
Bondes tombados, trilhos arrancados, calçamentos destruídos, tudo feito por uma massa de 3 mil revoltosos. A causa foi a lei que tornava obrigatória a vacina contra a varíola. Tudo política : queriam derrubar o presidente Rodrigues Alves. No meio do conflito, com saldo de 30 mortos, 110 feridos, cerca de 1000 detidos e centenas de deportados, aconteceu um golpe de estado cujo objetivo era restaurar as bases militares dos 1°s anos da república. A revolta foi sufocada e a cidade remodelada e pouco depois o RJ perderia o título de “túmulo de estrangeiros”. Atualmente a varíola está extinta e a OMS discute a destruição dos últimos exemplares do vírus, mantidos em laboratório. Rodrigues Alves assumiu a Presidência em 1902 no RJ com um programa de governo que consistia em modernizar o porto e remodelar a cidade e para isso deveriam desaparecer as doenças como peste bubônica, febre amarela e varíola. Em 1895, ao atracar no RJ, o contratorpedeiro italiano Lombardia perdeu 234 de seus 337 tripulantes por febre amarela. Em 9 meses a reforma urbana derrubou cerca de 600 edifícios e casas para abrir a Av. Central, atual Rio Branco. A operação bota-abaixo obrigou parte da população mais pobre a se mudar para os morros da periferia. Financiados pelo monarquismo, um jornal promovia desordens, passando á população suas idéias conspiradoras por artigos e charges. Mesmo após os confrontos, com a revogação da obrigatoriedade da vacina, permaneceu válida a exigência do atestado de vacinação para trabalho, viagem, casamento, alistamento militar, matrícula em escolas públicas, hospedagem em hotéis. Em 1904, cerca de 3500 pessoas morreram de varíola; dois anos depois o n° caiu para 9. Em 1908, um nova epidemia elevou os óbitos para cerca de 6550, mas em 1910 foi registrada uma única vítima. Para combater a peste bubônica, Osvaldo Cruz formou um esquadrão especial de 50 homens vacinados, que percorriam a cidade espalhando raticida e mandando recolher lixo. Criou o cargo de comprador de ratos, um funcionário que recolhia os ratos mortos pagando 300 réis por animal, pois já se sabia que eram as pulgas desse animal, o agente transmissor. Em 1881, o médico cubano Carlos Finlay identificou o mosquito transmissor da febre amarela. Foram então criadas as brigadas mata-mosquitos que invadiam as casas para a desinfecção com gases de piretro e enxofre. No primeiro semestre de 1904, foram feitas 110 mil visitas domiciliares e interditados 626 edifícios e casas. A população contaminada era internada em hospitais. De mil mortes em 1902, baixaram para 48. Em 1909, não era registrada no RJ mais nenhuma vítima de febre amarela. O cientista envelheceu rapidamente. Aos 30 anos já tinha cabelos brancos. A sífilis causou-lhe insuficiência renal e mais tarde vieram delírios. Prefeito de Petrópolis, morreu em 11 de fevereiro de 1917, com uma passeata de protesto de frente a sua casa.

2502-Mega Notícias da Medicina – Bebê Chorão


Um cientista americano de Washingnton divulgou o resultado de sua pesquisa sobre a cólica dos bebês. É um fenômeno para o qual a medicina já foi buscar explicações tanto na digestão quanto no sistema nervoso, mas até o momento, não achou nada definitivo. Ele constatou que, apenas 37% dos casais que tinham bebês chorões queriam ter mais filhos. Enquanto o desejo de aumentar a prole era 57% dos casais com bebês sem cólicas e estas são até 7 vezes mais frequentes nos que tem pais impacientes. Mas esse é um dado duvidoso porque, na verdade a aparente impaciência é que pode ser a causa da barulheira.
A Fala – Quando uma criança demora para falar, isto tem mais a ver com a predisposição genética do que com a falta de estímulos adequados no ambiente escolar ou familiar. A conclusão é de psiquiatras de Cambridge na Inglaterra, após terem acompanhado 3 mil crianças nos primeiros anos de vida. Gêmeos que estudaram em colégios diferentes desenvolveram a fala com a mesmíssima desenvoltura, por terem material genético idêntico.

2501-De ☻lho no Mapa-Onde ficam as Índias Ocidentais?


Clic para ampliar

É um grupo de 3 ilhas situadas no oeste do Atlântico, no mar do Caribe. São elas : Bahamas, Grandes Antilhas e Pequenas Antilhas. As Bahamas formam um círculo de cerca de 500 ilhas a sudoeste da Flórida. Grandes ilhas são Cuba, Jamaica, Hispaniola, dividida entre Haiti e República Dominicana; Porto Rico e pequenas ilhas como Caimãs. Pequenas Antilhas são as de Sotavento e Barlavento, constituindo em numerosas ilhotas colonizadas durante o século 17 por espanhóis, ingleses, franceses, holandeses e dinamarqueses.
O Caribe (português brasileiro) ou Caraíbas (português europeu) constitui uma região do continente americano, formada pelo Mar do Caribe, suas ilhas e estados insulares no Mar do Caribe, também chamados de Antilhas ou Índias Ocidentais, nome originado pela crença inicial de que o continente americano fosse na verdade a Índia. Os nascidos nas Ilhas do Caribe são denominados de caribenhos ou oxalés, língua originária das tribos nativas do Caribe.

O Caribe está localizado na placa tectónica do mesmo nome – a Placa Caribeana, que engloba também a parte sul da América Central. Na fronteira desta placa com a Placa Sul-americana, a leste, junto ao Oceano Atlântico, existe uma zona de subducção vulcanicamente ativa, que originou as Pequenas Antilhas.

Toda a área, em especial as suas muitas ilhas, é conhecida como Caraíbas, Caribe ou Antilhas.

2500-O Câncer de Mama


Foi reconhecida a porção de DNA culpada por uma doença que atinge uma a cada 8 mulheres no mundo. Cinco % já nascem com o DNA defeituoso. Nas demais, o defeito pode aparecer mais tarde, provocados por fatores como radiação. Os pesquisadores sabiam que o gene associado ao câncer de mama estava em algum lugar na metade inferior do cromossomo 17 e também que mulheres com mutações nessa região tem 85% de chance de desenvolver a doença. Era preciso vasculhar uma molécula de DNA com milhões de subunidades, os chamados pares de base e daí saber qual o grupo de pares, formando um gene, seria o famoso BRCA 1. Foi examinando amostras de sangue de pessoas pertencentes a famílias com grande incidência de câncer. Foi estudado casos de certas famílias mórmons em Utah. Em algumas chegavam a existir 40 mulheres com câncer de mama. Num futuro próximo, qualquer mulher poderá saber se carrega ou não tal gene com 1 simples exame de sangue, mas nada garante evitar o câncer, pelo menos por enquanto. É necessário saber também o que ativa o gene que também é suspeito de causar câncer de ovário.

Nos EUA, a cada 3 minutos é detectado um tumor de mama. Só lá são 180 mil novos casos por ano. A probabilidade de desenvolver a doença aumenta com a idade, principalmente quando existem outros episódios na família. Mulheres que entraram na menopausa com mais de 50 anos de idade ou que nunca tiveram filhos também tem mais chance de adoecer. Já a partir dos 20 anos as mulheres devem se auto examinar, apalpando as mamas a procura de nódulos, uma vez por mês, na primeira semana após o fim da menstruação. Depois dos 40 anos é preciso fazer um exame de mamografia todo ano.
Ter mãe ou irmã com câncer de mama
– Nunca ter tido filhos
– Ter tido o primeiro filho após os 30 anos
– Histórico de exposição a radiação
– Fumar
– Terapia hormonal (estrogênio)
– Uso excessivo de álcool
– Ferimento no seio
– Obesidade

Não há evidências definidas ainda que o uso de pílulas por um longo período de tempo pode causar câncer de mama, mas esta possibilidade continua a ser estudada. Também parece que tomar estrogênio depois da menopausa causa um pequeno aumento de risco de câncer de mama.

Pesquisadores também estão estudando alguns vírus como possíveis causas.

Quais são os sintomas?

Na maior parte das vezes o primeiro sinal do câncer de mama é um pequeno nódulo no seio. O nódulo é geralmente indolor que pode crescer lenta ou rapidamente.

Outros sintomas do câncer de mama incluem:

– Mudança de cor, reentrâncias, enrugamentos, ou elevação da pele em uma área do seio
– Uma mudança do tamanho ou formato do seio
– Secreção no bico do seio
– Um ou mais nódulos nas axilas

Como é diagnosticado?

Para descobrir o câncer de mama o mais rápido possível, você deverá, a partir do momento que tiver idade suficiente para ter exames ginecológicos anuais:

– Fazer um auto exame mensal
– Fazer exame médico pelo menos uma vez ao ano
– Fazer uma mamografia entre 35 a 39 anos de idade. A partir daí, após os 40 a cada 1 ou 2 anos, de acordo com o programa recomendado pelo seu médico. A partir dos 50 anos, você deve fazer uma mamografia a cada ano. Se você apresentar características de alto risco de câncer de mama, você deve começar a fazer mamografias regulares aos 35 anos ou menos.

A maior parte dos nódulos não são câncer. Na maioria das vezes eles são cistos com fluidos no tecido do seio que aumentam e diminuem com o ciclo menstrual. Mas todo nódulo deve ser avaliado.A avaliação normalmente envolve:

– um exame médico
– uma mamografia
– uma biópsia de agulha ou cirúrgica (estes testes devem ser feitos mesmo que o nódulo não seja visto na mamografia)

Se fizer biópsia de agulha (também chamada de aspiração de agulha), primeiramente será aplicada uma anestesia local para adormecer a área do seio que será analisada. Então o médico insere uma agulha dentro do nódulo e retira o fluido ou tecido dele. Se o fluido completar a agulha, o nódulo é um cisto de fluido e não câncer. Remover o fluido também faz o nódulo desaparecer. O tecido retirado pela agulha será examinado no laboratório.

Se fizer biópsia cirúrgica, será aplicada uma anestesia local por seu médico que fará um corte no seio e removerá o nódulo. Este tecido será examinado através de um microscópio. Um teste receptor de estrogênio (ER) poderá ser feito com a amostra da biópsia para ver se os hormônios promoveram o crescimento do tecido cancerígeno. Um nódulo linfático também pode ser removido das axilas para que se verifique se o câncer estendeu-se além do seio.

Como é tratado?

Se um nódulo do seio é cancerígeno, a decisão para tratamento será feito por você, seu cirurgião, e seu oncologista (especialista de câncer).Estas decisões serão baseadas no tipo e no tamanho do câncer e se ele estendeu-se para o nódulo ou para outras partes do corpo.

Os possíveis tratamentos cirúrgicos são lobectomia (remoção somente do tecido cancerígeno) ou mastectomia (remoção completa do seio). Outros tratamentos possíveis são a radiação e a quimioterapia, estes tratamentos podem ser usados isolados ou em combinação.

Se você estiver considerando a mastectomia, você deve discutir com seu cirurgião as opções e datas para a reconstrução cirúrgica.

Como posso me cuidar?

Se foi diagnosticado câncer de mama:

– discuta com seu médico a respeito do câncer e opções de tratamento. Não hesite em ter uma segunda opinião.
– Pergunte para seu médico o que deve ser feito caso o tratamento cause desconforto.
– Faça exames regulares após o tratamento terminar.
– Continue com auto-exame mensal, mesmo que ambos os seios tenham sido removidos cirurgicamente, para que se possa perceber cedo a reincidência do câncer, caso haja.

Muitos serviços de suporte estão disponíveis para as mulheres com câncer de mama. A sobrevivência ao câncer de mama continua sendo aperfeiçoado. A maior parte dos tumores são encontrados pelas próprias mulheres. Quanto mais as mulheres fizerem o auto-exame regular, mais o câncer será constatado prematuramente. Como a mamografia e outras tecnologias aperfeiçoam-se, o câncer tem sido detectado antes mesmo de sua existência ser sentida ou suspeita. Detecção prematura aumentam grandemente as chances de sobrevivência e facilitam o êxito do tratamento. Para detectar o câncer prematuramente:

Faça um auto-exame mensalmente.

– Faça mamografias anuais a partir dos 50 anos
– Não ignore um nódulo ou mudança na aparência ou sensação do seio. Lembre-se que o tumor cancerígeno é normalmente indolor.

Quando é pequeno o tumor pode ser isolado e arrancado numa cirurgia. Tumores maiores porém exigem a retirada de boa parte ou de toda a mama, que pode ser reconstituída numa plástica, que são combinadas com rádio e quimioterapia. A incidência de cura tem subido, mas o diagnóstico tem que ser precoce. Uma geneticista da Universidade da Califórnia, provou em 1990 que o gene do câncer de mama estava em algum lugar no cromossomo 17. Algumas mulheres apresentavam câncer nos seios e nos ovários ao mesmo tempo. A partir daí, não cansou de procurar o gene culpado, mas o endereço exato ainda não foi encontrado.

Câncer de mama é o desenvolvimento anormal das células do seio. Estas células crescem e substituem o tecido saudável.

Câncer de mama é uma doença tratável. A descoberta precoce é a chave para sobreviver ao câncer de mama. O câncer normalmente começa com um pequeno nódulo que, com o tempo pode crescer e se espalhar para áreas próximas, como os músculos e pele, assim como nódulo de pus sob o braço. Principalmente o tumor pode se espalhar para órgãos vitais como fígado,cérebro, pulmão e espinha.

Mais ou menos uma entre oito mulheres desenvolvem câncer de mama. Mesmo com o recente progresso de descoberta precoce e tratamentos aperfeiçoados, o câncer de mama é terceira maior causa de morte para mulheres nos E.U.A

Como ocorre?

A causa do câncer de mama não é conhecida. Qualquer mulher pode desenvolver câncer de mama e apesar de muito menos comum, homens também podem. Algumas mulheres são mais propícias a desenvolver câncer do que outras se apresentarem os seguintes fatores :

2499-O pepino-do-mar não quer saber de “pepino”


Pepino do mar nas profundezas do oceano

Ele é um parente da estrela ou ouriço do mar e a maioria tem entre 10 e 30 cm. A primeira reação do animal quando é atacado é procurar abrigo. Como não é rápido para sair nadando, tem 2 atitudes: se enterra na areia ou busca esconderijo nas rochas. O animal não é agressivo nem na hora de procurar alimento, ele come areia que pega com os tentáculos existentes ao redor da boca. E o seu organismo aproveita a matéria orgânica que está misturada com a areia, como restos de algas e depois elimina o que sobrou.

Provavelmente o sistema de defesa mais nojento é o do pepino-do-mar. Quando ele é atacado, seu corpo se contrai violentamente, e ele expulsa o sistema digestivo pelo ânus. Em algumas espécies, os intestinos são tóxicos, contendo uma substância química chamada holoturina. O predador fica confuso e pode até mesmo ser morto.
E se você acha que isto prejudica o pepino-do-mar, pode esquecer. O sistema digestivo se refaz em pouco tempo. O pepino-do-mar é capaz de regenerar qualquer parte perdida em seis semanas.

A classe de equinodermos que inclui os animais conhecidos como pepinos-do-mar ou holotúrias. Em oposição aos outros equinodermes, possuem corpo delgado, alongado em um eixo oral-aboral. A boca é circundada por 10 a 30 tentáculos que são modificações de pés ambulacrários bucais encontrados em outros equinodermos. Seu alimento é o material orgânico dos detritos do fundo, que é empurrado para a boca ou o plâncton aprisionado em muco nos tentáculos. As holotúrias frequentemente são os invertebrados dominantes nas partes mais profundas dos oceanos e muitos taxa são restritos a águas profundas. São aproveitados, depois de desidratados, como iguaria da culinária oriental e, deste modo, conhecidos como bicho-do-mar ou tripango.
Uma epiderme simples recobre o esqueleto e possuem endoesqueleto de placas calcáreas articuladas macroscópicas, distribuídas pelo corpo. O sistema digestivo é completo. Não possuem coração nem mesmo sistema circulatório típico. Existe, porém, um reduzido sistema de canais (canais pseudohemais), com disposição radial, onde circula um líquido incolor contendo amebócitos.
A respiração por difusão ocorre no sistema ambulacrário. Na cloaca do pepino-do-mar existem túbulos ramificados, as árvores respiratórias ou hidropulmões, que acumulam água para as trocas gasosas.
Não existe nenhum órgão especializado em excreção. Os catobólitos são levados por amebócitos aos pés ambulacrários, hidropulmões ou a qualquer estruturas exposta à água, que os elimina por difusão.
Não possui gânglios, mas sim um anel nervoso próximo à região oral, de onde saem nervos radiais. Na superfície do corpo existem células táteis.
São animais sexuados e de fecundação externa. Os órgãos sexuais são simples, existindo, geralmente, apenas gônadas sem ductos genitais. O desenvolvimento é indireto, aparecendo uma larva auriculáriade simetria bilateral que passa a radial nos animais adultos. A reprodução assexuada aparece em algumas larvas que se autodividem e possuem a capacidade de regenerar partes perdidas. eles também possuem endoesqueleto.Quando se sentem ameaçados eles liberam uma espícula para se defenderem.

2498-Astronomia – Sem defeito (foto de Caronte)


Caronte. A imagem mais nítida feita pelo telescópio Hubble

James W. Christy, um cientista do Observatório Naval dos E.U., estava a estudar fotos para melhorar o nosso conhecimento da órbita e posição de Plutão, quando ocorreu a descoberta de Caronte. A imagem da descoberta de Caronte e Plutão foi obtida em 2 de Julho de 1978. O novo satélite recebeu o nome do barqueiro que levava as almas pelo Rio Styx até ao reino de Plutão no submundo da mitologia grega e romana. Caronte em inglês, Charon, é informalmente pronunciado “SHAR-on”, semelhante ao nome da esposa do descobridor, Charlene.

A descoberta em 1978 do satélite de Plutão, Caronte, foi um passo importante para um melhor entendimento de Plutão. Medindo a distância entre os dois e conhecendo o período orbital, foi possível calcular as suas massas. A massa de Caronte é cerca de 9.6 x 10-10 massas solares. Isto é cerca de 1/7 da massa de Plutão.

Durante a década de 1980, a Terra cruzou o plano orbital de Caronte e foi observada uma série de acontecimentos mútuos que melhoraram significativamente o estudo do sistema Plutão-Caronte. Foi um golpe de sorte a descoberta de Caronte ter ocorrido antes dos acontecimentos mútuos, considerando que o Sol atravessa o plano orbital de Caronte apenas duas vezes durante um ano Plutoniano.

Os acontecimentos mútuos levaram à primeira determinação suficientemente exacta das dimensões de Plutão e Caronte. O diâmetro de Caronte mede 1,172 quilómetros (728 milhas), um pouco mais de metade da dimensão de Plutão. Caronte é o maior satélite relativamente ao seu planeta no sistema solar. A sua separação média é de 19,640 km (12,200 milhas).

A órbita de Caronte está gravitalmente bloqueada a Plutão, por isso anbos os corpos mantêm o mesmo hemisfério virado um para o outro. Os períodos de rotação de Plutão e de Caronte e o período orbital de Caronte são de 6.387 dias (6 dias, 9 horas e 17 minutos).

A composição da superfície de Caronte é diferente da de Plutão. A lua parece ser coberta de gelo de água e não de nitrogénio. A densidade de Caronte é 1.2 a 1.3 g/cm3, indicando que contém poucas rochas. A densidade de Plutão é 1.8 a 2.1 g/cm3. As diferenças na densidade mostram-nos que Plutão e Caronte foram formados independentemente. Isto conduz-nos à ideia que eles se formaram juntos como um planeta duplo.

O rigor na medida da densidade de Caronte fornecido pelas informações do TEH é ainda contrariada por observações a partir de telescópios terrestres. Alguns teorizam que Caronte foi formado quando um planetesimal atingiu Plutão há muito tempo, semelhante à ideia considerada como o acontecimento que deu origem à lua da Terra. “O eixo ou rotação de Plutão e a órbita de Caronte estão muito inclinadas, como seria de esperar de um impacto como esse.”

Pensa-se ser possível que Caronte, a lua de Neptuno Tritão e Plutão são mundos gelados do sistema solar exterior que não foram arrastados por Úrano ou por Neptuno ou ejectados do sistema solar. Estes três parecem ser parentes. Caronte e Tritão podem ter-se tornado satélites e o maior pode ter-se tornado em Plutão

Se não fosse uma máquina quebrada, o astrônomo James christy, do observatório naval dos EUA, não teria descoberto Caronte, a lua de Plutão. Em 1978, estava medindo a órbita do planeta, e para isso colocou uma placa fotográfica com a imagem de Plutão dentro de uma máquina rastreadora de estrelas de estrelas. Então notou que a imagem tinha um alongamento. Julgou ser um defeito e estava pronto para jogar a foto fora quando a máquina deu problemas. Enquanto esperava que um técnico a consertasse, resolveu fuçar arquivos a procura de fotos anteriores. A primeira que encontrou registrava o mesmo alongamento, foi adiante e achou mais 6. Intrigado, o astrônomo prosseguiu seus estudos e descobriu que a saliência nada mais era que a lua de Plutão.
Planeta Vênus
Após perder contato com a Terra várias vezes, a sonda americana Magalhães acabou superando as expectativas de seus idealizadores. Chegou sem danos a Vênus, seu destino final, e as primeiras imagens causaram surpresa. Foram mostradas estranhas fraturas cruzadas, possivelmente geradas por atividade vulcânica. A sonda Magalhães, enviada a seguir, discerniu detalhes de até 120m, 10 vezes menos que qualquer outro instrumento anterior.
Esse planeta tem uma temperatura de 300°C em sua superfície, uma atmofera venenosa e chuva de ácido sulfúrico.

2497-Mega Curtíssimas:Paleontologia – Uma presa veloz


O Ramoceros osbomi media 90 cm. Parente extinto do veado pronghorn ( o corredor mais resistente do mundo atual), era alvo constante do Amphicyon.
O precursor dos cachorros
Um dos maiores predadores entre os mamíferos de todos os tempos, o Amphicyon ingens media 3,3 metros de comprimento. Semelhante ao urso, também tinha característica de cachorros. Há 14,5 milhões de anos, caçava nas planícies da atual América do Norte.

Mega Drops
Você sabia que … Insetos bebem água enquanto dormem
A maioria bebe água de maneira indireta, através da alimentação. É o caso das lagartas que ao comer as folhas, ingerem também a água da chuva ou o orvalho e os marimbondos que absorvem água das frutas. A água auxilia na digestão. Alguns insetos ingerem uma quantidade maior do líquido, como no caso das abelhas. De volta a colmeia, regurgitam o líquido para auxiliar na diluição do mel.

O que é o WWW?
É a World Wide Web ( ampla teia mundial), um avançado sistema de navegação dentro da Internet. Com a Web, pode-se utilizar o recurso de hipertexto, os links que nos levam a assuntos relacionados, a WWW reúne todos os outros sistemas de comunicação pela Internet, como o Gopher, o Wais e a própria WWW.
Cada vez mais aumenta o número de usuários da grande rede e é também colossal o número de informações que circula por ela, mas sobre a Internet, dedicaremos um capítulo á parte.

2496-Nutrição – Entendendo as funções das vitaminas


São indispensáveis. Os suplementos são necessários apenas as pessoas que não, estão bem de saúde, sofrem de doenças crônicas ou não se alimentam bem. Algumas tem efeito tóxico quando ingeridas em excesso por período prolongado.
A vitamina A – é encontrada em diversos alimentos de origem animal, como fígado e óleo de fígado de peixe. Gema de ovo e derivados de leite. O retinol produzido pelo organismo é uma forma ativa da vitamina A, a partir do betacaroteno existente em verduras e em frutas e legumes de cor amarelo-laranja. É importante para a visão. A B1, controla enzimas envolvidas nas reações químicas que transformam glicose em energia. Também chamada de tiamina, é encontrada em alimentos de origem animal e vegetal Niacina, têm 2 formas: nicotiamina e ácido nicotínico. O organismo produz em pequenas quantidades, a partir do triptofano, um aminoácido liberado durante o metabolismo das proteínas. Ajuda a produzir energia a partir das gorduras e carbohidratos. A B2 ajuda na produção de hormônios. É também chamada de riboflavina, encontrada no leite, queijo, ovos, verdura e levedo de cerveja.
Ácido fólico» Necessário a formação de novas hemáceas na medula óssea. Vitamina C » Preserva gengivas e vasos sangüíneos, ajuda sistema imunológico e a cicatrização. É encontrada no morango, laranja. Acerola, limão e etc.
Vitamina D » Fortalece ossos e dentes. Encontrada no salmão, leite, ovos, etc, mas a maior fonte é a luz solar. Vitamina E » Retarda o envelhecimento das células encontrada na margarina, cereais, verduras, peixe, carne e castanhas. Seus efeitos tóxicos ainda estão em estudos.

2495-De ☻lho no Mapa – Indochina


Mapa da Indochina

Península do sudoeste asiático, composta por Tailândia, Malásia, Laos, Camboja, Vietnã. O termo é usado para designar os 3 últimos países. Quando usado genericamente, refere-se a um aspecto geográfico e descreve a influência das culturas indiana e chinesa presente na região. Línguas indo-iranianas Algumas são adotadas como oficiais em países como Afeganistão, Bangladesh, Índia, Irã, Nepal, Paquistão e Tadjiquistão, com 700 milhões de falantes , subdivididos em vários grupos. O período do sanscrito clássico, a grande língua da cultura hindu vai do século 6AC até o século 10 e até hoje é empregada entre sábios do hinduísmo. O bengali, língua falada por 60 milhões de pessoas na Índia é o idioma nacional de Bangladesh.

2494-As Línguas Indígenas


Norte-americanas
São faladas pelos nativos de tal continente, em territórios atualmente pertencentes ao Canadá e EUA, antes da chegada dos europeus, cuja ocupação teve efeito devastador sobre a população de indígenas e suas línguas, que desapareceriam total ou parcialmente. Menos da metade das cerca de 300 línguas originalmente faladas na América do norte sobreviveram, e muitas estão a ponto de desaparecer. Sua classificação não é simples e continua sendo objeto de controvérsias. Esses ameríndios eram habitantes originais do continente que haviam migrado da Ásia há cerca de 30 mil anos. Na época da colonização européia, a população indígena provavelmente não somava mais de 900 mil pessoas e a maior parte vivia ao longo das costas, habitando pequenas aldeias, nas quais organizavam-se em torno da caça, tendo a agricultura como atividade secundária. As guerras entre as tribos eram freqüentes. A aquisição de cavalos dos europeus pelos indígenas aumentou o número de índios nômades nas grandes planícies, no oeste desértico(apaches), montanhas e planaltos e extremo oeste.
Línguas indígenas Latino-americanas
São as línguas faladas neste continente antes da invasão espanhola em 1519. A maioria ainda é falada atualmente, apesar do declínio. A família uto-asteca incluía línguas comanche, hopi e asteca e se estende do México ao oeste dos EUA. O asteca é a principal língua falada por 1 milhão de pessoas. As civilizações pré-colombianas dessa região possuíam literatura oral e praticamente não usavam a escrita, exceto a escrita Maia, que até hoje, não foi satisfatoriamente decifrada.

2493-Parque dos Dinossauros–Matando a charada


Dinossauros

Monstros horrorosos violentos, mas também estúpidos e desajeitados, que se equilibravam sobre as patas traseiras. Senhores absolutos do planeta por 140 milhões de anos, seu desaparecimento súbito intrigam cientistas. O que até agora se sabe é pouco, existem várias teorias. Eram 800 espécies conhecidas. Uns teriam sido velozes, não muito grandes, outros mais lerdos e alguns se tornaram gigantes. O brontosauro era um herbívoro com 21 metros de comprimento e 30 toneladas, mas havia uma espécime com 30 metros e pesando 100 toneladas, o equivalente ao peso de dois Boeings 737. As primeiras descobertas de dentes e ossos datam de 1822, quando foi encontrado casualmente em Sussex, sul da Inglaterra um fragmento de rocha contendo 1 dente. Outro inglês sustentou que outros dentes e ossos descobertos em várias partes do mundo pertenciam a uma espécie desconhecida de animal a que ele chamou de dinossauria, que em grego quer dizer: “répteis terríveis”. Em 1964, ,uma descoberta veio revolucionar as teorias existentes sobre tais criaturas. Foi encontrado em Montana, um pé de dinossauro com 4 metros de comprimento. Teorias levantadas por anatomistas, com base na dimensão de ossos, garantem que eles possuíam uma agilidade típica de animais de sangue quente, como mamíferos e não sujeitos as variações de temperatura, como os répteis. Quando os raios solares incidem sobre as escamas de um lagarto ou serpente, sua agilidade e rapidez aumentam. No frio são acometidos por uma espécie de topor. Não seria possível a um animal de várias toneladas, aquecer-se o bastante apenas deitando-se ao Sol; as horas de luz seriam insuficiente para aquecer aquela massa.

2492- Clássicos do Cinema-A Mosca da Cabeça Branca


O filme é de 1958, mas houve um remake em 1986.
Cientista inventa maquina capaz de desintegrar a matéria e reintegrá-la em outro lugar, mas quando ele resolve teletransportar-se uma mosca entra na maquina com ele e os dois são desintegrados e reintegrados de forma trágica.
Testando um invento, homem entra na câmara de teletransporte mas não percebe que uma mosca entra junto. Quando se materializam do outro lado, ele está com a cabeça e uma pata da mosca (no lugar de um braço), e ela ficou com sua cabeça.
Elenco principal
David Hedison … Andre Delambre
Patricia Owens … Helene Delambre
Vincent Price … François Delambre
Herbert Marshall … inspetor Charas
Kathleen Freeman … Emma (governanta)
Betty Lou Gerson … enfermeira Andersone
Charles Herbert … Philippe Delambre

2491-As moscas apreciam qualquer matéria orgânica em decomposição


É provável que nunca sejam eliminadas por causa da sua extraordinária capacidade de reprodução, fazendo com que novas gerações se adaptem a inseticidas. A mosca doméstica fêmea bota cerca de 150 ovos por vez. Qualquer local sujo pode ser usado para a incubação dos ovos, mas o interior quente e úmido de uma lata de lixo, torna-se ideal. Cinco dias é o suficiente para formar a pupa. Seu ciclo evolutivo permite que se proliferem rapidamente se não forem combatidas com inseticidas e hábitos de limpeza; as moscas espalham bactérias todas as vezes que pousam. Em laboratório, uma placa de cultura mostrou que uma única mosca deixou colônias de bactérias. Isso explica porque é considerada um dos maiores inimigos do homem, justificando seu combate.
A mosca doméstica apresenta 12 cromossomos.

2490-O Oceano Índico


Ilha paradisíaca do Oceano Índico

É o 3° maior em área. Estendeu-se desde a África até a Austrália, a leste está limitado pela Ásia ao norte e prolonga-se até o pólo sul. Uma elevação no meio do oceano dá origem a algumas pequenas ilhas; Madagascar, Sri Lanka e Sumatra são extensões estruturais da África e da Ásia. Seu braço norte: Mar vermelho, Golfo Pérsico, Mar da Arábia, Baía de Bengala. Apresentam em geral pouca profundidade.
Há uma teoria de que ha muitos milhões de anos atrás só havia um único oceano e um único continente, a Pangéia.
O oceano Índico, que se distingue por suas dimensões relativamente reduzidas em comparação com as do oceano Pacífico ou do oceano Atlântico, estende-se em sua maior parte em hemisfério Austral e é fechado ao norte pela Ásia. Largamente aberto ao sul, sob influência da monção asiática, tem a forma de um triângulo, cujas linhas medianas são formadas por dorsais oceânicas, dispostas em Y invertido. A sua profundidade média é de 3.897 m e a máxima, de 7.455 m (fossa de Java).
A dinâmica das águas do oceano Índico é mais complexa que nos outros oceanos. O sistema austral (ao S de 10º de latitude S) é caracterizado pela distribuição regularmente zonal dos ventos, das temperaturas (do ar e da água), da salinidade e das correntes superficiais. O sistema de monções ocupa a porção norte do Índico. Seu motor é a inversão sazonal dos ventos de monção. No inverno, os alísios sopram do NE em direção à zona de convergência intertropical, criando uma circulação superficial comparável à dos outros oceanos. No verão, os ventos quentes e úmidos e instáveis (ciclones), atraídos pelas baixas pressões asiáticas, provocam um reaquecimento e uma dessalinização parcial das águas, bem como uma aceleração das correntes que se dirigem predominantemente para leste
Para a ONU, o oceano Índico engloba o canal de Moçambique, o mar Vermelho, o golfo Pérsico, o mar da Arábia, o golfo de Bengala, o mar das Ilhas Andamão e a Grande Baía Australiana; ao sul, seu limite é o paralelo 60, entre os meridianos do cabo das Agulhas (África do Sul) e da Tasmânia (Austrália). Trinta e seis países litorâneos fornecem acesso marítimo a outros onze países sem saída para o mar.
O Oceano Índico e seus mares banham todos os países litorâneos do leste e do nordeste da África, as nações do litoral sul da Ásia desde a Península Arábica até o oeste do Sudeste Asiático, a Indonésia, mais o noroeste, oeste e sul da Austrália.
Designa-se por Pangeia o continente que, segundo a teoria da deriva continental, existiu até há 200 milhões de anos, durante a era Mesozoica, porém, há relatos também de 540 milhões de anos. A palavra origina-se do fato de todos os continentes estarem juntos (pan do grego, pâs, pâsa, pân, todo, inteiro) e exprime a noção de totalidade, universalidade, formando um único bloco de terra (gea) ou Géia, Gaia ou Ge como a Deusa que personificava a terra com todos os seus elementos
Milhões de anos se passaram até que a Pangeia se fragmentou, dando origem a dois mega-continentes. Separação esta que ocorreu lentamente e se desenvolveu deslocando sobre um subsolo oceânico de basalto.
A parte correspondente à América do Sul, África, Austrália e Índia, denomina-se Gondwana (região da Índia). O resto do continente, onde estava a América do Norte, Europa, Ásia e o Ártico se denomina Laurásia.
Foi inicialmente sugerida a hipótese no início do século XX pelo meteorologista alemão Alfred Wegener, criando uma grande polêmica entre a classe científica da época. Wegener teve como ponto de partida de sua teoria os contornos semelhantes da costa da América com a da África, os quais formariam um encaixe quase perfeito. Entretanto, não foi utilizado este fato na sua fundamentação científica, mas a comparação dos fósseis encontrados nas regiões brasileira e africana. Como estes animais não seriam capazes de atravessar o oceano na época, então concluiu-se que eles teriam vivido em mesmos ambientes em tempos remotos.
Esta teoria não foi aceita, sendo até ridicularizada pela classe científica. Foi confirmada somente em 1940, após 15 anos da morte de Wegener.

2489-Desenvolvimento Industrial


A indústria é tão antiga quanto a civilização humana. Em aldeias pessoas com habilidades especiais eram escaladas para produzir bens para a comunidade em troca de dinheiro ou outros bens. A revolução industrial surgiu a partir do advento de máquinas que podiam dispensar o trabalho de vários artesãos. Teares mecânicos substituíram os tecelões, concentrando a atividade em fábricas. Logo as máquinas a vapor puderam ser utilizadas para acionar novas indústrias e a crescente demanda de operários introduziu uma migração em massa do campo para as novas cidades por parte da população em busca do trabalho. O pioneiro do princípio de produção em série foi o britânico Mark Bruenel, que no começo de 1803, desenvolveu uma série de máquinas, para produzir polias para navios veleiros da Marinha Real Britânica. Em 1835, nos EUA, Samuel Colt (1814-62), introduziu a fabricação de peças mecânicas para a fabricação de revólveres. Henry Ford introduziu a técnica de linha de montagem na fábrica de higland Park, Detroit, em 1913.

A Indústria Eletrônica
Os computadores são os últimos e possivelmente os mais importantes produtos de uma indústria que mais que qualquer outra, caracteriza o processo tecnológico vertiginoso verificado no século 20. A eletrônica , como já vimos, é o estudo do comportamento da eletricidade no vácuo, nos gases e em semicondutores. Originou-se com a invenção em 1904, do diodo, válvula de duplo eletrodo, também conhecida como termoiônica ou tubo de vácuo; pelo físico britânico John Fleming, seu primeiro emprego importante foi um detetor usado num protótipo de receptor de rádio. Dois anos depois, o pioneiro americano da radiofonia Lee de Forest, adicionou um terceiro eletrodo ao dispositivo, criando o primeiro triodo, o que permitiu um maior controle do fluxo de elétrons. A válvula era usada para amplificar pequenas correntes elétricas e pelos 40 anos seguintes constituiu um dos componentes chaves dos circuitos eletrônicos, sobretudo aos empregados em rádios e a seguir em TVS. Grandes indústrias foram criadas na Europa e na América do Norte, para suprir a demanda criada pela radiodifusão e pelas transmissões de TV, bem como pelas aplicações militares da eletrônica na 2ª Guerra mundial. Foram usadas válvulas nos primeiros protótipos dos computadores, desenvolvidos no fim de tal guerra, mas esses exigiam milhares de válvulas, que requeriam por sua vez, grandes quantidades de energia, além de não serem confiáveis para que as máquinas operassem por mais de alguns minutos, sem que houvesse pane. A revolução viria em 1947, quando cientistas da Bell inventaram o transistor. Requerendo quantidades ínfimas de energia, foi usado para substituir o triodo; os diodos semicondutores foram criados quase simultaneamente. A partir daí, os circuitos eletrônicos puderam se tornar menores. A evolução dos Cis no início dos anos 60, permitiu a miniaturização ainda maior. O chip de sílica tornou o computador tão popular que já são mais numerosos que os automóveis.
Indústria Automobilística
No final do século 19, começaram a chegar ao Brasil os primeiros automóveis importados. Entre 1903 e 1905 foi construído o primeiro carro brasileiro utilizando motor importado. No ano seguinte, também em SP, os irmãos Grassi criaram uma pequena indústria de acessórios. Em 1917, ainda no mesmo estado, a Ford instalou a primeira linha de montagens do país. A partir de 1921, Washington Luís começou a construir estradas em larga escala. Em 1925 a GM instalou uma filial no país para a montagem de veículos importados dos EUA. Durante a 2ª guerra mundial houveram restrições as importações, porém, no início da década de 1950, as peças e os automóveis importados voltaram a invadir o mercado brasileiro, prejudicando a produção nacional, incapaz de acompanhar o desenvolvimento da indústria automobilística internacional. A reação veio através de estímulo que o governo brasileiro deu á produção de automóveis. Em 1952, foram fundadas a Willys Overland do Brasil que fabricou o primeiro jipe; a fábrica nacional de motores (FNM), dedicada a produção de caminhões e a Vemag, que foi distribuidora de veículos Studebaker. No ano seguinte, a Volksvagen instalou-se no Brasil para montar sedans e kombis, a Mercedes Benz começou a construção de uma fábrica e a Ford inaugurou novas instalações. Em 1956,a Vemag produziu o primeiro carro de passeio brasileiro, uma perua chamada de DKV, e no ano seguinte, a FNM lançou o primeiro caminhão diesel. A VW introduziu a kombi. Em 1988, a Gurgel lançou o br 800, o 1° automóvel projetado totalmente com tecnologia brasileira. Atualmente com uma política neo-liberal, as restrições diminuíram e voltaram os importados.

Indústria de Bebidas
Há registros de beberagens obtidas a partir de grãos fermentados entre os antigos sumétrios; o vinho também tem origens remotas, com registros em várias culturas mediterrâneas antigas. Sua fabricação começa pelo esmagamento das uvas, por prensas ou mesmo pisadas, a mistura do suco com suas cascas e cachos é chamado mosto, que é posto a fermentar em recipientes apropriados; pode ser adicionado fermento, mas em geral não é necessário, pois as cascas já contém microorganismos naturais que desencadeiam a fermentação, esta converte a frutose em álcool e dióxido de carbono. Nos vinhos suaves a fermentação é interrompida, já nos secos prossegue até fim. Os espumantes resultam da fermentação secundária dentro de garrafas. Os vermutes recebem a adição de conhaque. A fabricação de cerveja baseia-se no processo de fermentação, mas a fonte de açúcar é um cereal, em geral cevada. Os grão são umedecidos e têm parte do amido convertido em açúcar. A cevada geminada, chamada malte, é então tostada e fornos. O lúpulo é outro ingrediente básico. O líquido vai para tonéis de fermentação onde recebe a adição de fermento cervejeiro. A fermentação é interrompida por pasteurização e o produto passa por um amadurecimento em barris. Aguardentes são obtidas em alambiques, onde se processam a evaporação de um mosto e a posterior condensação. O uísque emprega uma infusão maltada de cevada. Os licores consistem em açúcar e infusão em álcool de essência de frutas.

2488-De ☻lho no mapa – Indonésia


Indonésia

Mapada Indonésia

País composto por milhares de ilhas tropicais no sudeste asiático, região onde os oceanos Pacífico e Índico se encontram. A partir do século 17, as ilhas formaram as Índias holandesas em 1920, movimentos políticos nativos passaram a exigir independência total. O partido nacionalista foi banido pelos holandeses na década de 1930. Se tornou independente em 1945. Em 1957, a democracia deu lugar a semi-ditadura, com um executivo forte e poderes especiais reservados ao exército e a burocracia. Seu regime conquistou um grande crescimento na economia e certa estabilidade nas 13.700 ilhas da república, mas cresceu a preocupação internacional com o desmatamento, bem como o desrespeito aos direitos humanos no país.
A República da Indonésia é um grande país localizado entre o sudeste asiático e a Austrália que é composto pelo maior arquipélago do mundo, as Ilhas de Sonda, e ainda a metade ocidental da Nova Guiné. Tem fronteiras terrestres com a Malásia, em Bornéu, com Timor-Leste, e com a Papua-Nova Guiné; e marítimas com as Filipinas, Malásia, Singapura, Palau, Austrália e com o estado indiano de Andaman e Nicobar. A localização entre dois continentes, a Ásia e a Oceania, faz da Indonésia uma nação transcontinental. Sua capital é Jacarta.
A Indonésia possui 17 508 ilhas das quais cerca de 6 000 são habitadas. As principais são Java, Samatra, Bornéu, Nova Guiné e Celebes.
O país é banhado pelo Oceano Pacífico na sua parte oriental e pelo Oceano Índico no sul e oeste. A nordeste, confina com o Mar das Filipinas e Mar de Celebes, a noroeste, com o Mar de Andaman, a sul pelos mares de Arafura e de Timor, e engloba por completo os mares de Java, Savu, Banda, Seram e das Molucas.
Formado por milhares de ilhas, as maiores e mais importantes destacam-se: Bornéu, Sumatra, Célebes, Java (esta encontra-se o centro administrativo do país, a cidade de Jacarta, sua capital e a maior concentração populacional) e em torno da metade da ilha de Nova Guiné (compartilhada com Papua-Nova Guiné. Esta última detem o ponto mais elevado do país na Pirâmide Carstensz com 4.884 m. (anteriormente considerava-se ter 5.020 metros).
A Indonésia tem fronteiras terrestres com a Malásia, em Bornéu, com Timor-Leste, e com a Papua-Nova Guiné, na Nova Guiné e fronteiras marítimas com as Filipinas, Malásia, Singapura, Palau, Austrália e com dois estados indianos. Estar localizado entre a Ásia e a Oceania, faz da Indonésia uma nação transcontinental.

2487-Mega Bloco – Medicina e Saúde


Distúrbios Alimentares – Anorexia não tem causa definida. Na maioria da vezes é psicológica, atingindo mais jovens com tendência à depressão. Na bulimia, o gatilho tembém é psicológico. É comum existir relação entre os distúrbios.Que já teve anorexia tem mais chance de desenvolver bulimia.
Gravidez com diabetes – Necessita cuidados especiais. Deve haver um controle rigoroso da doença, caso contrário aumentam as chances de má formação da criança, especialmente em relação a problemas cardiológicos. Há também,maior probabilidade de aborto espontâneo.Com acompanhamento, as chances de ter um filho saudável chegam a 100%.
Transplante de medula – A leucemia mielóide aguda é a substituição da medula, óssea que forma elementos do sangue, por um tumor. Quando isso acontece, não há espaço para a produção normal das células sanguíneas. No caso da leucemia, o mal pode se originar nos leucócitos, que combatem as infecções; nas hemáceas, que transportam o oxigênio; ou nas plaquetas, que ajudam na coagulaçao do sangue. Os sintomas são: anemia, sangramentos e queda na resistência as infecções. As formas de tratamento nem sempre são animadoras, pois as células doentes sãomais insensíveis a quimioterapia. A opção é o transplante de medula óssea, que possibilita doses altas de quimioterapia. Se a leucemia estiver controlada e o doador for irmão do paciente, as chances de cura são 50%.
O Lado Negativo do Colágeno
O colágeno é famoso por ser a proteína que dá consistência aos tecidos.Quando ele falta, tudo despenca e as rugas aparecem. Mas, um médico espanhol está relacionando a substância à falência dos rins e outros órgãos, no caso de doentes com pressão muito alta. Nesse grupo de pessoas, o colágeno no sangue fica 5 vezes maior.O excesso pode ficar impregnado nos vasinhos de órgãos vitais como os rins, prejudicando seu funcionamento. Falta explicar porque ocorre tal diferença na dosagem da proteína em quem tem pressão alta.

2486-Mega Curiosidades – Exportação de sapos: o tiro saiu pela culatra


O Brasil começou a alguns anos a exportar sapos para os EUA, a conseqüência foi um aumento considerável das pragas; surgindo verdadeiras nuvens de gafanhotos.
Microbiologia – Vida latente Abaixo de zero grau, muitos microorganismos morrem, outros ficam como se estivessem mortos, na chamada vida latente (nada a ver com cães), se desenvolvem muito bem em ambientes doces, quando porém a quantidade de açúcar é grande, não se desenvolvem , por isso a goiabada dispensa a geladeira.
Elemento Químico- Índio Ele não faz “urru ru ” e seu símbolo é IN, o número atômico 49, peso atômico 114,82. É um elemento metálico leve e prateado do grupo 3 da tabela periódica, reage rapidamente com ácidos e enxofre. É usado para fabricar dispositivos semicondutores e para monitorar fluxo de nêutrons próximos a reatores nucleares.
Terremotos
Não espalham destruição somente pela superfície, a energia liberada pelo grande sismo que, em 1989 devastou as ilhas Macárias, no Pacífico, efetivamente acelerou a rotação no planeta. O pulo foi ínfimo : a duração do dia diminuiu 0,06 milionésimos de segundo. Geologicamente porém, pequenos fenômenos podem se acumular por milhares de anos. Estima-se que um terremoto no Alasca em 1964 retardou o movimento da Terra e fez a duração do dia aumentar 7 milionésimos de segundo.
Além de alterar a velocidade de rotação, há alterações tambémno clima,que esfria drásticamente, quando ocorrem as erupções vulcânica. Vulcões e terremotos tem a mesma causa: o calor no centro da Terra

2485-Economia – Fim do desemprego?


Não há relação direta entre o volume de recursos aplicados num empreendimento e o total de empregos quee ele gera. Nenhum economista sério aposta num crescimento na economia brasileira superior a 3% ao ano. Nos últimos 7 anos, a média de crescinmento foi de 2,4% ao ano do PIB. As modernas tecnologias varreram muito empregos do mapa; a robotização na indústria já chega a 50%, um operário produz hoje mais de 100 automóveis por ano,contra 15 na década de 80. Por isso,os motivos para ceticismo são muitos, ainda que haja discursos mais otimistas, a geração de empregos e a melhor distribuição de renda é um problema crônico e longe de ser solucionado.