2747- Tragédia no Japão – Detectada radiação na carne; água sob a usina está contaminada


Fonte:Folha de S.Paulo de 31-03-2011

O governo japonês detectou nesta quinta-feira a presença de material radioativo em amostras de carne em criações de gado na cidade de Tenei, a 70 km da usina de Fukushima. Horas antes, a operadora do complexo nuclear disse que lençóis freáticos localizados 15 metros abaixo da central contêm 10 mil vezes mais radiação do que o permitido.
Os anúncios chegam no mesmo dia em que o presidente francês, Nicolas Sarkozy, clamou por uma reforma nos padrões nucleares globais até o final do ano, durante a primeira visita de um líder estrangeiro ao Japão desde o terremoto e o tsunami que desencadearam o desastre atômico.
O Ministério da Saúde japonês disse que desde o início da crise esta é a primeira vez que a carne bovina produzida na região mostrou sinais de contaminação, e a Agência de Segurança Nuclear e Industrial japonesa afirmou que mais testes serão feitos.
Horas antes, a operadora da usina, a Tokyo Electric Power Company (Tepco), afirmou ter encontrado altas concentrações de iodo radioativon um lençol d’água situado a 15 metros sob a central nuclear de Fukushima.
O porta-voz da empresa Naoyuki Matsumo disse que a radiação encontrada era “10 mil vezes superior” ao permitido.
“Não há nenhuma dúvida que se trata de uma cifra elevada”, destacou, não descartando, no entanto, a possibilidade de que essa taxa seja revista na sexta-feira.
Iodo 131 também foi descoberto em grande quantidade na água do mar, perto da central Fukushima.
A Tepco mediu nesta quinta-feira uma concentração de iodo radioativo 4.385 vezes superior à norma legal.
Trata-se do nível mais importante desde o começo do acidente na central.
Prejuízo Monumental
O governo japonês anunciou estar considerando criar um imposto especial e emitir títulos especiais para ajudar a financiar a ajuda humanitária e a reconstrução das cidades devastadas pelo terremoto e tsunami no começo do mês, informou o jornal “Nikkei”.
As estimativas do governo japonês indicam que o custo econômico da tragédia alcançará 25 trilhões de ienes (cerca de US$ 310 bilhões), especialmente pelos danos em edifícios e na infraestrutura, o que tornaria o desastre no mais caro já ocorrido no mundo.
O governo está elaborando uma legislação que pede a criação de um imposto especial e títulos. A lei também inclui linguagem mais clara que permitiria ao governo solicitar ao Banco do Japão subscrever títulos do governo, disse o comunicado.
Sob a atual lei fiscal, o Banco do Japão pode subscrever diretamente as dívidas do governo apenas em circunstâncias especiais.
O imposto especial poderia ser estabelecido como um aumento no imposto corporativo ou no imposto sobre vendas, ou um aumento na taxa do imposto de renda, disse o “Nikkei”.
O governo pretende apresentar a proposta de lei ao Parlamento até o final de abril.
O governo também pretende compilar diversos orçamentos adicionais para lidar com o desastre, mas o primeiro –provavelmente a ser compilado até o final de abril– terá como foco medidas urgentes como a retirada de escombros e a construção de casas temporárias.

2746 – História: A 1ª Guerra Mundial


Cidades arrasadas

Cenário de destruição

Em 1914, as potências européias estavam divididas em 2 campos rivais. Após o início da guerra, os 2 grupos procuravam aliados. A Alemanha e a Áustria – Hungria receberam adesão da Turquia e da Bulgária. A Rússia e a França e Inglaterra, ganharam o apoio do Japão, Itália, Romênia e após muito esforço a Grécia. De longe, os principais partidários da causa foram os EUA que declararam guerra a Alemanha em 6 de abril de 1917. Na Europa o preço das vidas humanas e destruição material alterou a concepção sobre a guerra. Estima-se que mais de 8 milhões de combatentes tenham morrido. O estopim do conflito foi o assassinato do presumível herdeiro austríaco, o arquiduque Francisco Ferdinando, por bósnios em Sarajevo, em 28 de junho de 1914. Na crise que se seguiu, como nenhuma potência aceitou derrota diplomática, a guerra venceu a diplomacia.
Entre os anos de 1870 e 1914, o mundo vivia a euforia da chamada Belle Epóque (Bela Época). Do ponto de vista da burguesia dos grandes países industrializados, o planeta experimentava um tempo de progresso econômico e tecnológico. Confiantes de que a civilização atingira o ápice de suas potencialidades, os países ricos viviam a simples expectativa de disseminar seus paradigmas às nações menos desenvolvidas. Entretanto, todo esse otimismo encobria um sério conjunto de tensões.

Com o passar do tempo, a relação entre os maiores países industrializados se transformou em uma relação marcada pelo signo da disputa e da tensão. Nações como Itália, Alemanha e Japão, promoveram a modernização de suas economias. Com isso, a concorrência pelos territórios imperialistas acabava se acirrando a cada dia. Orientados pela lógica do lucro capitalista, as potências industriais disputavam cada palmo das matérias-primas e dos mercados consumidores mundiais.

Um dos primeiros sinais dessa vindoura crise se deu por meio de uma intensa corrida armamentista. Preocupados em manter e conquistar territórios, os países europeus investiam em uma pesada tecnologia de guerra e empreendia meios para engrossar as fileiras de seus exércitos. Nesse último aspecto, vale lembrar que a ideologia nacionalista alimentava um sentimento utópico de superioridade que abalava o bom entendimento entre as nações.

Outra importante experiência ligada a esse clima de rivalidade pôde ser observada com o desenvolvimento da chamada “política de alianças”. Através da assinatura de acordos político-militares, os países europeus se dividiram nos futuros blocos políticos que conduziriam a Primeira Guerra Mundial. Por fim, o Velho Mundo estava dividido entre a Tríplice Aliança – formada por Alemanha, Império Austro-Húngaro e Itália – e a Tríplice Entente – composta por Rússia, França e Inglaterra.

Mediante esse contexto, tínhamos formado o terrível “barril de pólvora” que explodiria com o início da guerra em 1914. Utilizando da disputa política pela região dos Bálcãs, a Europa detonou um conflito que inaugurava o temível poder de metralhadoras, submarinos, tanques, aviões e gases venenosos. Ao longo de quatro anos, a destruição e morte de milhares impuseram a revisão do antigo paradigma que lançava o mundo europeu como um modelo a ser seguido.
A guerra ocorreu entre a Tríplice Entente (liderada pelo Império Britânico, França, Império Russo (até 1917) e Estados Unidos (a partir de 1917) que derrotou a coligação formada pelas Potências Centrais (liderada pelo Império Alemão, Império Austro-Húngaro e Império Turco-Otomano), e causou o colapso de quatro impérios e mudou de forma radical o mapa geo-político da Europa e do Médio Oriente.
No início da guerra (1914), a Itália era aliada dos Impérios Centrais na Tríplice Aliança, mas, considerando que a aliança tinha carácter defensivo (e a guerra havia sido declarada pela Áustria) e a Itália não havia sido preventivamente consultada sobre a declaração de guerra, o governo italiano afirmou não se sentir vinculado à aliança e que, portanto, permaneceria neutro. Mais tarde, as pressões diplomáticas da Grã-Bretanha e da França fizeram-na firmar em 26 de abril de 1915 um pacto secreto contra o aliado austríaco, chamado Pacto de Londres, no qual a Itália se empenharia a entrar em guerra decorrido um mês em troca de algumas conquistas territoriais que obtivesse ao fim da guerra: o Trentino, o Tirol Meridional, Trieste, Gorizia, Ístria (com exceção da cidade de Fiume), parte da Dalmácia, um protetorado sobre a Albânia, sobre algumas ilhas do Dodecaneso e alguns territórios do Império Turco, além de uma expansão das colônias africanas, às custas da Alemanha (a Itália já possuía na África: a Líbia, a Somália e a Eritreia). O não-cumprimento das promessas feitas à Itália foi um dos fatores que a levaram a aliar-se ao Eixo na Segunda Guerra Mundial.
Em 1917, a Rússia abandonou a guerra em razão do início da Revolução. No mesmo ano, os EUA, que até então só participavam na guerra como fornecedores, ao ver os seus investimentos em perigo, entram militarmente no conflito, mudando totalmente o destino da guerra e garantindo a vitória da Tríplice Entente.

2745-Transplante de Memória – Realidade ou Ficção?


Imortalidade em um corpo metálico por enquanto só em filme. A idéia está na fronteira mais distante da robótica e saiu de uma pequena sala repleta de livros e revistas científicas, no 3° andar da universidade de Carnegie-Mellon,em Pittsburg, EUA. Ali vem trabalhando um engenheiro e físico Moravec, autor de importantes estudos sobre a visão do robô.
Ele é o pai do conceito de “transferência” e por isso, talvez, possa ser comparado ao Dr.Frankstein. Ele imagina uma pessoa anestesiada mas sem perder a conciência, então, um robô cirurgião lhe abriria a caixa craniana, deixando o cérebro descoberto. O cirurgião se concentra numa ínfima área da superfície cinzenta, equivalente a cerca de 100 neurônios. Tal segmento seria ligado a um computador e submetido a diversos exames de encefalografia, para descrever as ondas que emite, irrigação sanguínea etc. De acordo como o cérebro reage, o computador faz então um programa, que depois é transferido para um chip do cérebro-computador do robô. Testes permitiriam verificar se os dois cérebros, humano e robótico, se comportariam da mesma forma. Em caso de positivo, o cirurgião passa para o segmento seguinte do cérebro e assim, pedacinho por pedacinho, construiria uma mente. Terminado o trabalho, o novo cérebro é colocado num robô e terá a memória que havia na pessoa e agirá como ela. Ele não vê problemas em repartir a mente com uma máquina. O cientista norte-americano criador do conceito de inteligência artificial não acredita que a façanha seja realizável ainda neste século, mas é otimista, lamentando que talvez sejam a última geração de cientistas a morrer.

2744-Pré-História Reescrita


1950. Firmou-se a teoria que o homem passou da Ásia para a América há cerca de 12.500 anos, defendida por um grande níumero de pesquisadores nos EUA.
1981. Niède Guidon encontrou ferramentas de pedra lascada que teriam 25 mil anos. O achado, anunciado 5 anos depois provocou polêmica e não é aceito por toda a comunidade científica.
1988. Uma arqueóloga brasileira datou restos de carvão de 48 mil anos e anunciou ter encontrado uma fogueira pré-histórica. Mas alguns cientistas afirmaram que o carvão pode ter sido produzido por incêndio natural.
2000. Niède recebeu a datação de 3 dentes humanos desenterrados em 1986. Se ficar confirmada a data de 15 mil anos, eles podem ser os restos humanos mais antigos das Américas.
Fóssil de Transição
Dá-se o nome de forma ou fóssil de transição a um organismo conhecido apenas do registo fóssil que combina características dos seus descendentes e antecessores evolutivos. Estes fósseis são conhecidos popularmente como elos perdidos da evolução, embora o termo seja pouco preciso em termos científicos, uma vez que a evolução das espécies é mais complexa que uma simples cadeia onde há um elo em falta. De fato, a grande maioria dos fósseis de transição não é antecessora direta de formas atuais. Tendo em conta que a evolução das espécies é um processo contínuo, todos os organismos vivos num dado momento representam formas transicionais, mas algumas são particularmente importantes para perceber a relação filogenética entre grupos distintos.
A existência de formas de transição foi posta pela primeira vez por Charles Darwin no seu livro A Origem das Espécies, publicado numa altura em que a paleontologia dava os seus primeiros passos enquanto ciência. A ausência de fósseis de transição conhecidos era um grande obstáculo à teoria da evolução, reconhecido pelo próprio Darwin. Dois anos mais tarde, porém, foram descobertos fósseis de Archaeopteryx, numa formação geológica alemã, que combinavam as penas e asas de aves com mandíbulas e cauda de réptil. Nas décadas seguintes, a existência de fósseis de transição foi confirmada por mais descobertas, em particular pelos estudos do paleontólogo Othniel Charles Marsh, que reconstruiu a evolução dos equídeos com base em várias formas transicionais.

2743-Música – Mr. Barry White


O maestro Barry White, um dos pioneiros da Disco Music

Barry White (Galveston, 12 de Setembro de 1944 — Los Angeles, 4 de Julho de 2003) foi um cantor e produtor musical norte-americano. Compositor de inúmeros sucessos em estilo soul e disco e de baladas românticas, e um intérprete com voz profunda e grave.
Criou-se no gueto negro da cidade de Los Angeles. Como outros cantores norte-americanos de sucesso, também cantou em coral de igreja na juventude. Foi um adolescente inconseqüente, que acabou preso aos dezessete anos de idade por roubar pneus. Na prisão, decidiu mudar de vida e de amigos.
Obteve grande êxito como intérprete de baladas românticas nos anos 60. Em 1972 criou o trio feminino Love Unlimited. Posteriormente aproveitou este nome para batizar seu grupo de acompanhamento, a Love Unlimited Orchestra.
Foi considerado um dos precursores da disco’ music com o lançamento, em 1974, dos sucesos Can’t Get Enough of Your Love, Babe, You´re the first, the last, my everything e a instrumental (da Love Unlimited Orchestra) Love´s Theme. Em 1975, veio What I´m gonna do with you. Em 1976, Let the music play. Em 1979, sua Love Unlimited Orchestra lança o hit I´m so glad that I´m a woman. No início dos anos 80, esteve no Brasil, se apresentando em S. Paulo na danceteria privé Gallery e, antes da turnê, lançou Rio de Janeiro.
Em meados de 80 , em conjunto com a cantora Lisa Stansfield , gravou um de seus grandes sucessos : All Around The World . Apesar de já sem o mesmo pique,sua simplicidade e simpatia aliado a sua grande versatilidade em interpretar temas românticos , tornou essa parceria inesquecível.
Em fins dos anos 90, apareceu várias vezes na série de TV Ally McBeal, o que contribuiu para revitalizar sua carreira. Foi também inspirador do personagem “Chef” do desenho animado South Park. Lançou em 1999 uma autobiografia.
No ano 2000 ganhou dois prêmios Grammy nos quesitos de melhor música tradicional e R&B por Staying Power.
Morreu no Centro Médico Cedars-Sinai, em Los Angeles aos 58 anos, vítima de falência renal. Padecia de pressão alta e estava à espera de um transplante.

2742 – Mega Notícias da Medicina


A doação de órgãos foi regulamentada pela lei 8459, de 18 de novembro de 1992, onde os pacientes devem obedecer a critério de seleção onde requisitos são analisados como idade e etc. A média nacional de transplantes é de 1 para 11,4 milhões de habitantes.

Câncer e eletricidade
Pesquisa epidemiológica iniciou nos EUA a rever a vida profissional de 130 mil trabalhadores que se expõem a radiação emitida por fios. Esse tipo de radiação é criado pela inversão da corrente elétrica 50 ou 60 vezes por segundo, seja em transformadores, bobinas ou fios , transporta uma quantidade muito pequena de energia, milhões de vezes menos intensa do que a necessária para danificar moléculas orgânicas. Não se sabe portanto, como ele poderia causar o mal. No entando, pessoas que vivem perto de fontes de alta tensão parecem ter maior propensão ao câncer, mas o assunto ainda está em debate.

A Antidieta
Fazer dieta engorda. Esse aparente absurdo é a filosofia da antidieta. Aplicada no Brasil desde 1987. A busca é no processo de seleção natural, a justificativa para liberar a comilança. Quando alguém faz dieta rigorosa o corpo reage como se a inanição estivesse se instalado. Como a comida é pouca, a queima de gordura é cada vez menor; o apetite então aumenta e o organismo vai aumentar ainda mais suas reservas calóricas. Armazenar gordura é um mecanismo de defesa da espécie humana. Quando o regime acaba, é como se uma mola comprimida fosse subitamente liberada, daí a gula. A solução proposta é comer quando se tem fome, comer o que se tem vontade e parar de comer quando estiver satisfeito.

2741-Apnéia do sono – Distúrbio


Trata-se de um distúrbio que provoca paradas respiratórias e está associado ao ronco. É uma das causas de morte súbita e atinge 9% da população. Representa 70% dos distúrbios do sono. Caracteriza-se pela parada respiratória que dura no máximo 2 minutos e meio. Parada com mais de 3 minutos pode acarretar conseqüências sérias como uma parada cardíaca ou morte súbita. Ocorre várias vezes durante o sono. A causa é a obstrução das vias aéreas superiores, impedindo a passagem de ar. Quando o distúrbio ocorree a medidaque a respiração para, há uma queda na oxigenação do sangue. O cérebro quase sempre desperta a pessoa. Isso porque ele nunca deixa de trabalhar e durante o sono acumula todas as funções involuntárias do organismo, entre elas, a respiração. 70% das pessoas que roncam apresentam o distúrbio. Algo obstrui a passagem do ar pelas vias aéreas superiores. O ronco pode ser nasal, provocado por alguma obstruçãononariz, como a rinite, ou oral. O homem ronca mais do que a mulher, mas esse privilégio ela só tem até a 4ª década de vida. É que os hormônios femininos protegem desse incômodo até a menopausa.

O fator determinante da SAOS está localizado nas vias aéreas superiores (VAS), especialmente na faringe. O colapso de suas paredes durante o sono pode restringir, em parte, o fluxo aéreo, produzindo vibrações de baixa frequência, constituindo o ronco. O ronco não pode mais ser avaliado simplesmente pelo seu aspecto social e deve ser considerado um problema médico, pois pode preceder a SAOS em mais de 90% dos casos.
O que é SAOS?
É uma doença (síndrome) crônica, evolutiva, com alta taxa de morbidade e mortalidade, apresentando um conjunto sintomático múltiplo que vai desde o ronco até a sonolência excessiva diurna, com repercussões gerais hemodinâmicas, neurológicas e comportamentais.
É uma situação complexa que muitas vezes requer uma inter-relação de várias áreas médicas, tanto no diagnóstico quanto no tratamento.
As cirurgias utilizadas dependem do grau de obstrução e também dos locais de obstrução estudados e diagnosticados; dependendo também da idade e da constituição física de cada paciente, podendo ser desde cirurgias das adenóides, amígdalas, cornetos, desvios de septo, correções do palato mole incluindo úvula (campainha), língua, maxilares e mandíbula.
Algumas vezes os tratamentos são combinados com cirurgias e tratamento clínico com medicamentos.

Recomendações para pacientes com SAOS

perder peso
evitar álcool no mínimo quatro horas antes de dormir
evitar medicamentos sedativos do tipo hipnóticos, anti-alérgicos, anti-histamínicos, preferencialmente antes de dormir
evitar dormir de costas (barriga para cima)
evitar refeições pesadas antes de dormir
evitar bebidas cafeinadas no mínimo quatro horas antes de dormir (chá, café, chocolate)
evitar fumar no mínimo quatro horas antes de dormir
evitar comer no meio da noite
evitar privação de sono
procurar manter um horário relativamente constante para dormir e acordar
levantar a cabeceira da cama cerca de 15 a 20 centímetros
eventualmente, dormir sentado em uma poltrona
controlar infecções, inflamações, principalmente das vias aéreas
procurar seu médico otorrinolaringologista.

2740- Mega Notícias – Ciência na China


A China investe cerca de 0,6% de seu PIB em Ciência e Tecnologia, um índice várias vezes menor do que o dos EUA. A Academia Chinesa de Ciências, que foi fundada em 1949, teve um importante papel no desenvolvimento de novas tecnologias, além de fazer mais de 3 mil convênios com empresas privadas para a transferência de tecnologia.
Linus Pauling
Mais conhecido por sua obsessiva militância em prol da vitamina C, e embora ganhador de 2 prêmios Nobel, foi taxado de charlatão. Passou boa parte do seu tempo estudando química e lendo enciclopédias. Foi agraciado em 1954 com o Nobel de química por seus estudos sobre as ligações químicas. Recebeu também o Nobel da Paz em 1963 devido a seus esforços para a proibição de testes nucleares. Suas conclusões foram as que enquanto a maioria dos mamíferos produz vitamina C, outros, entre eles o homem, perderam tal capacidade durante a evolução e precisam tomar grandes quantidades de suplementos: 10 a 15 gramas diárias. (A Medicina contra indica doses altas devido a acidez da vitamina). Ele faleceu em 1994, aos 93 anos de idade.
Por que sentimos dores na costela quando corremos muito?
Porque respiramos errado. Uma pessoa sem bom preparo físico, logo depois de iniciar a corrida passa a respirar pela boca. Parte desse ar vai para o pulmão, mas uma porção dele é engolida e chega ao sistema digestivo. “Esse ar pressiona o cólon – uma parte do intestino grosso – distendendo-o e provocando a dor”, segundo um médico da Universidade de São Paulo. Os atletas respiram pelo nariz e, por isso, o ar vai direto para os brônquios.

2739-História Científica da Humanidade – 1972 a 1995


O superveloz trem bala (500 km/h), realidade na Europa e Japão há mais de 2 décadas, está vindo para o Brasil a passos de tartaruga

Europa – 1972. O inglês Godfried Hounsfield construiu o primeiro scanner.
1973. A França contruiu o primeiro avião supersônico, o Concorde.
1974. O escocês Sthephen Salter projetou a primeira central maremotriz.
1975. No Mar do Norte, estendeu-se o maior e mais profundo gasoduto submarino do mundo.
1983. Na Espanha, inaugurou a maior central de energia solar do planeta.
1985. A Europa iniciou o programa Eureka.
1987. Na França construiu-se a primeira habitação inteligente.
1989. Os alemães HG Delmey e W Paul receberam o Nobel por seus trabalhos em eletroscopia de precisão.
1991. O francês PD de Gennes recebeu o Nobel por suas pesquisas sobre polímeros.
1992. Na Espanha inaugurou-se o primeiro TGV ( trem de alta velocidade) conhecido popularmente como trem-bala.
1994. Inaugurou-se o túnel sobre o Canal da Mancha; a Agência Espacial Européia constata que o espaço intergaláctico é formado por hélio e hidrogênio ionizado.
1995. O alemão Crutzen recebeu o Nobel por seus estudos sobre os gases que destróem a camada de ozônio; astronomos suíços descobriram um planeta ao redor da estrela Pégaso 51 e confiramaram a existência de planetas fora do sistema solar.
América. 1976. Os norte-americanos conseguiram pousar a primeira nave em Marte.
1981. Os EUA lançaram o primeiro foguete recuperável, o Colúmbia; a IBM fabricou o 1° PC equipado com um microprocessador da Intel.
1982. Na Universidade de Princenton, EUA, foi realizada a primeira fusão nuclear controlada.
1987. No EUA, utilizou-se os supercondutores de cerâmica.
1988. Os EUA lançaram o ônibus espacial Discovery.
1989. O norte-americano Norman F. Ramsey recebeu o Nobel poe seus estudos sobre o RNA.
1990. Os EUA colocaram em órbita o telescópio espacial Hubble.
1991. O norte-americano Rudolph Marcus recebeu o Nobel por seus estudos sobre a fotossíntese, as pilhas eletroquímicas e a corrosão.
1993. Os norte-americanos Taylor e Russell receberam o Nobel pela descoberta do pulsar binário.Lançado na Flórida o primeiro satélite brasileiro, o SCD-1, projetado e construído pelo IMPE. O laboratório Lawrence Berrley, da Universidade da Califórnia, EUA, começou a operar com o supermicroscópio Fonte de Luz Amarela, à base de raios X e ultravioleta.
1994. O colombiano Manuel Elkin Patarroyo conseguiu a primeira vacina contra a malária.
1995. Do Deserto de Atacama, no Chile, construiu-se o VLT, o maior telescópio do mundo; chegava a Netuno a sonda Galileo, lançada pelo satélite Voyager 2 da Nasa; os americanos Cornell e Wielman descobriram o 5 estado da matéria.

2738-A Alma Quântica


Estudiosos vem erguendo novos alicerces, tanto na física quântica quanto nos campos mais avançados das ciências espiritualistas, para reunir numa visão holística os conceitos de ambas, oferecendo uma explicação para os vários níveis de existência em nosso universo.
Para tanto, e importante retomar os conceitos da física – unidos à filosofia para dai tirar um corpo coeso de propostas e idéias que contornem os obstáculos e estabeleçam um novo conjunto de conceitos psicofisico-espirituais, permitindo ao ser humano atingir novos níveis de consciência.
Alberto Cabral é um deles, graduado em Filosofia e criador do Centro de Estudos Filosóficos Laboratório Evolutivo (CEFLE), esta desenvolvendo suas pesquisas e buscas justamente neste sentido. Com profunda formação nas ciências exatas, ele também buscou nos estudos filosóficos as respostas para suas inquietações, descobrindo que na união do conhecimento cientifico e da espiritualidade surge um campo vasto e inovador.
Nos últimos cinqüenta anos, aconteceu um fato curioso. Vários pesquisadores, de diversos campos da ciência, iniciaram pesquisas importantes buscando soluções interdisciplinares, que abarcam tanto as explicações ligadas à própria ciência (medicina, física, sociologia, biologia, entre outras) como as ligadas à fé e à figura de Deus. Também nesse espaço de tempo a busca pelos conhecimentos das sabedorias antigas se tornou importante, com uma revalorização das sabedorias hindu e chinesa, entre outras.
O que está havendo, ultimamente, é um grande afluxo de pessoas da área científica buscando embasamento na área espiritual.
No campo da consciência, mas é uma conexão que existe além da matéria, além até do que muitos chamam de matéria espiritual (ou matéria sutil); é um princípio, é a substância mais íntima do universo, como se fosse um “DNA” do universo. Essa consciência teria uma única função no universo, que seria existir, simplesmente existir; ela seria fruto de “algo” que muitos classificam como Deus. Na verdade, tal “consciência” estaria mais próxima do conceito chinês do Tão, ou da iluminação no Zen, pois não existiriam palavras para descreve-la pura e objetivamente. Ela seria o motor por trás de todas as coisas que existem em nosso universo.
Exemplificando, o mundo espiritual seria um mundo que tem um certo grau de probabilidade de existir; um grau menor de probabilidade em relação ao nosso, mas ainda assim é um grau de probabilidade, que produz resultados num meio de menor densidade (nas esferas sutis, muito relatam que, ao pensarem em algo, o meio ambiente se modula e constrói algo semelhante ao que foi imaginado), ou seja, uma matéria menos densa, algo que chamamos “mais sutil”.

Sabemos que existem probabilidades das coisas acontecerem; a “consciência” consegue atuar sobre tais probabilidades independentemente de existir matéria ou não. A “consciência” gera novas probabilidades para interagir com o mundo físico.
AS MATERIALIZAÇÕES

São explicadas da forma simples a partir dessas observações. Existe tanto a materialização feita pela consciência lúcida (evoluída e espiritualmente plena), quanto a materialização feita por volume de insistência (quando muitas pessoas desejam a mesma coisa). Alberto Cabral diz que a materialização através da física espiritual acontece da seguinte forma: se muitas pessoas pensam em algo ela aceleram o processo de densificação para que aquilo aconteceça ou exista.

Contudo, existem materializações que fazem uso de ectoplasma, que é um material intermediário. O ectoplasma é formado a partir de tecidos cedidos por um corpo que, vibrando num determinado estado eletromagnético, pode ser reorganizado fora do corpo como matéria. É dessa forma que surgem as materializações a partir do ectoplasma.

2737-Fisiologia: O Paladar


Quando alguém coloca algo azedo na boca, suas papilas gustativas são estimuladas. Os nervos passam a informações para os do rosto, que levam 2 tipos de mensagens para o cérebro. Uma delas faz com que o cérebro mande uma ordem para os músculos da face se contraírem e outra com que ele avise as glândulas salivares para produzir mais saliva, que é alcalina e neutraliza o potencial ácido dos alimentos azedos. A contração da face é apenas expressão de desagrado e não tem função fisiológica.
O paladar é como uma impressão digital: não existe, no mundo inteiro, alguém com um paladar igual ao seu. No mesmo restaurante, os pedaços de pizza de muzzarela têm um gosto diferente na boca da cada freguês. A ciência ainda está tentando entender os motivos. Até onde se sabe, isso tem a ver com os genes, que tornam um indivíduo mais ou menos sensível a determinado sabor. Além disso, a saliva de cada um tem um gosto próprio. A variação se deve às sutis diferenças de composição. Se a sua saliva tem pouco sódio, um prato com pouco sal parecerá mais salgado.
A cultura também influi. Você, provavelmente, gosta mais daquilo com que está acostumado desde criança. Isso explica por que os mexicanos se deliciam com temperos que, para outros, são intragáveis. Uma coisa ninguém discute: doce é bom e amargo, ruim. O açúcar é um dos prazeres mais primitivos. A primeira coisa que você pôs na boca foi o leite de sua mãe, de gosto adocicado (só para os bebês). Quanto ao amargo, seu gosto desagradável tem uma função protetora. Como muitos venenos têm esse sabor, a rejeição é uma defesa do organismo. Não por acaso, as papilas gustativas sensíveis ao amargo ficam no fundo da língua – a última chance de cuspir o veneno.
A vida perderia muito da sua graça se não fosse o paladar. Chupar um limão ou uma laranja daria na mesma. Jiló com chocolate? Por que não, se tudo tem o mesmo gosto? O que torna a vida saborosa é uma combinação de sensores, dos quais apenas alguns estão situados na língua. Quando você mastiga uma maçã, uma parte das moléculas da fruta cai direto nas papilas especializadas em reconhecer o sabor doce. A outra parte – moléculas odoríferas voláteis – viaja por trás do nariz até os receptores do olfato. O cérebro junta todas essas informações. O resultado é o paladar.
As moléculas da comida precisam estar diluídas em algum líquido. Com a boca seca, nada tem gosto. Para garantir o sabor, a saliva entra em ação assim que você sente o cheiro agradável do alimento. É a chamada água na boca.
A arte de comer
O homem transformou a necessidade de comer em uma arte requintada. Os diversos povos desenvolveram suas próprias culinárias, com base nos seus gostos e tradições – e também nos ingredientes disponíveis. A sofisticação do paladar tem como símbolo supremo a cozinha francesa, com sua impressionante variedade. (Na foto, uma obra-prima: filé de linguado ao molho de vinho branco com caviar vermelho)
O mapa da língua
A língua só pode perceber quatro sabores básicos: doce, salgado, amargo e azedo. As papilas gustativas estão distribuídas ao redor da língua, em áreas bem delineadas: doce na ponta, amargo no fundo e salgado e azedo nas laterais. O centro da língua não registra nenhum gosto, apenas tato e temperatura. As moléculas de cada sabor ligam-se a receptores especializados dentro de cada papila. Algumas papilas têm mais de um tipo de receptor, e podem sentir até três gostos ao mesmo tempo.
Cada corpúsculo gustativo da língua está ligado a um terminal nervoso. Cada um desses nervos leva a informação para o tronco cerebral, a parte de cima da medula espinhal. De lá, o sabor vai para o tálamo, de onde é enviado, finalmente, para o córtex gustativo, a área do cérebro responsável pela identificação dos gostos.
Cheiro
Quando você come ou bebe, as moléculas odoríferas dos alimentos são liberadas. Elas viajam pela parte de trás da boca até o epitélio olfativo, seguindo depois por dentro do cérebro até o córtex olfativo. A soma das duas informações – o cheiro e o gosto – é interpretada pelo cérebro como uma sensação só, a do paladar.

2736 – Saúde & Estética:Dicas úteis para os pés


Deve-se cortar as unhas sempre retas, evitando cortar os lados. Isso evita que se encravem. Não ficar calçado durante muito tempo. Aumidade excessiva provoca uma inflamação em volta da unha, conhecida como unha de lavadeira. O deslocamento de lâminas da unha, geralmente é conseqüência do uso de esmalte que provoca um deslocamento. Nesse caso deve-se suspender o uso. Tirar sempre e cutícula é prejudicial, porque deixa a matriz exposta ás bactérias. A unha fica fraca quando o organismo não produz a proteína em quantidade suficiente. A solução indicada é comer vegetais, principalmente os verdes e amarelos. A unha que adquire o formato de uma colher virada para fora é comum em pessoas com anemia.

Varizes
As mulheres são mais propensas a essa disfunção. Para cada 4 mulheres um homem tem varizes. Durante a gravidez aumenta a taxa de progesterona, responsável pelo enfraquecimento da parede da veia , que a causa mais comum do aparecimento de varizes. Há no interior das veias um mecanismo valvular que se fecha, impedindo que o sangue enviado ao coração retorne. Quando tal mecanismo é prejudicado ocorrem varizes que nada mais são do que sangue congestionado. As paredes das veias são finas e se dilatam, não suportando o aumento da pressão. Varizes são o preço que o homem paga a natureza por não andar de 4. É uma demonstração da inadaptação a posição bípede. O retorno do fluxo sangüíneo das pernas para o coração é feito no sentido contrário ao da gravidade. Exercícios físicos e uma vida saudável ajudam na prevenção. Existem 2 tratamentos : a esclerose por injeções , feita em veias com menos de 2 mm ou a cirurgia vascular periférica, que pode ser feita com uma agulha de crochê. As aplicações são dolorosas e quase sempre deixam manchas na pele, que podem demorar muito a sumir se muito expostas aos raios solares.

2735-☻Mega Notícias:Peixe fora d’água


Foi criado um método de transporte de peixes, para avião que os mantém vivos, sem água. É uma aplicação em tanques da anabiose , um processo descoberto no fim do século 19, em que os peixes de rios congelados hibernam durante o inverno e ressuscitam na primavera. A técnica é empregada no caríssimo baiacu, um peixe portador de uma bolha de veneno e só pode ser preparado por cozinheiros especializados, que sabem limpa-lo sem espalhar o veneno pela carne. Ele é colocado num tanque com água salgada, cuja temperatura é gradualmente abaixada até 0º C. A água é então jogada fora e o peixe hibernado cumpre a 6 hs de vôo entre Kagoshima, onde é pescado, e Tóquio. Chegando é acordado lentamente com suaves massagens, e daí vai para a panela.

O Brasil, segundo a ONU
Por décadas considerou-se o desenvolvimento brasileiro dividido em 2 mundos, um desenvolvido e outro subdesenvolvido, mas um estudo atual dividiu o Brasil em 3 regiões. O 1º mundo é formado por estados da região sul e sudeste, mas inclui Mato Grosso do Sul e exclui MG. Faz parte também o distrito federal. O 2º mundo começa em MG, passa por Goiás e chega a MT incluindo quase toda a Amazônia, exceto Acre e Pará ; que estão no 3º mundo brasileiro junto com todo o nordeste e Tocantins, que está, no centro-oeste. A análise antiquada de renda per capita que é o PIB dividido pela população apresenta o inconveniente de não refletir a distribuição dessa renda. Quando um homem coloca a cabeça no forno e os pés no congelador, a média é a barriga, de uma pessoa morta, é claro. O país com maior índice de qualidade de vida foi o Canadá, EUA e Japão vieram em 2°, seguidos pela Holanda e Finlândia. No Brasil os 2 extremos da pesquisa foram o Rio Grande do Sul (o melhor) e a Paraíba, o pior.

2734-Nutrição – O Leite e a intolerância à lactose


Leite faz mal para alguns indivíduos porque provoca intolerância á lactose e pode instalar um quadro alérgico. 50% dos alérgicos ao leite tem casos de alergia na família. Há cerca de 40 proteínas diferentes no leite de vaca, algumas delas estimulam, no caso dos alérgicos, a produção excessiva das imunoglobinas que em pouca quantidade são células de defesa, mas em excesso provoca um quadro alérgico, como demartrite. Nesse caso recomenda-se substituir pelo de soja. Apesar disso, o leite é muito importante no organismo : É a melhor fonte de cálcio, que evita osteosporose nas mulheres. Encontra-se proteínas, carboidratos, e gorduras, além de vitaminas e sais minerais.. Suas proteínas são melhor aproveitadas que as dos vegetais. É fonte de fósforo, que ativa em conjunto com o cálcio no organismo. Mas não se deve abusar do seu uso porque é fonte de gordura, aumentando o colesterol.

Na superfície mucosa do intestino delgado há células que produzem, estocam e liberam uma enzima digestiva (fermento) chamada lactase, responsável pela digestão da lactose. Quando esta é mal absorvida passa a ser fermentada pela flora intestinal, produzindo gás e ácidos orgânicos, o que resulta na assim chamada diarréia osmótica, com grande perda intestinal dos líquidos orgânicos.
Existem pessoas que nascem sem a capacidade de produzir lactase e, enquanto bebês, sequer podem ser amamentados, pois surge implacável diarréia.
Por outro lado, em qualquer época da vida pode aparecer esta incapacidade de produção ou uma inibição temporária, por exemplo, na seqüência de uma toxinfecção alimentar que trouxe dano à mucosa intestinal. Igualmente, a dificuldade pode advir de lesões intestinais crônicas como nas doenças de Crohn e de Whipple, doença celíaca, giardíase, AIDS, desnutrição e também pelas retiradas cirúrgicas de longos trechos do intestino (síndrome do intestino curto).
A deficiência congênita é comum em prematuros nascidos com menos de trinta semanas de gravidez.
Nos recém-nascidos de gestações completas, os casos são raros e de caráter hereditário.
A concentração da lactase nas células intestinais é farta ao nascermos e vai decrescendo com a idade.
Nos EUA, um a cada quatro ou cinco adultos pode sofrer de algum grau de intolerância ao leite. Os descendentes brancos de europeus têm uma incidência menor de 25%, enquanto que na população de origem asiática o problema alcança 90%. Nos afro-americanos, nos índios e nos judeus, bem como nos mexicanos, a intolerância à lactose alcança níveis maiores que 50% dos indivíduos.
Os pacientes percebem aumento de ruídos abdominais, notam que a barriga fica inchada e que eliminam mais gases. Quando a dose de leite ou derivados é maior surge diarréia líquida, acompanhada de cólicas. A queixa de ardência anal e assadura é porque a acidez fecal passa a ser intensa (pH 6,0).
A maioria dos pacientes que só tem intolerância a lactose, não tem evidências de desnutrição, nem mesmo maior perda de peso. Quando isso ocorre, pode haver a associação da intolerância com outras doenças gastro-intestinais.
Uma vez caracterizado o diagnóstico, pode se prevenir novos sintomas não usando leite e laticínios. Usando-os, a prevenção é mediante a tomada de fermento sintético prévia a qualquer ingestão de lactose. Cabe salientar que vários medicamentos, inclusive antidiarréicos e anti-reumáticos contêm lactose no chamado excipiente, ou seja, no pó ou no líquido necessário para poder conter a substância básica num comprimido ou solução; isso é importante quando avaliamos os efeitos indesejáveis referidos pelos usuários.

2733- Nasa pode desistir do veículo de exploração encalhado em Marte


O Spirit não dá sinal de vida há um ano

A Nasa (agência espacial americana) enviou, em janeiro de 2004, dois veículos de exploração à superfície de Marte.
Há dois anos, apenas um deles está trabalhando na coleta de informações sobre o planeta, o Opportunity, enquanto o outro, o Spirit, não dá sinal de vida.
Uma falha no pneu dianteiro da direita, em 2006, comprometeu a mobilidade do veículo e, três anos depois, fez com que ele encalhasse em uma região marciana de areia fofa.
A comunicação também se perdeu desde 22 de março de 2010, seja por um problema no receptor e na transmissão ou até mesmo no relógio que programa seu funcionamento em determinadas horas.
A Nasa tinha esperanças que o veículo, dotado de painéis solares, pudesse captar energia durante o período com mais sol em Marte, mas isso não aconteceu.
Se a equipe de cientistas não encontrar uma solução para o Spirit e ele continuar silencioso até o final de abril, o projeto será abandonado, disse John Callas, da Nasa, em entrevista ao site Space.com.

2732-Oncologia – Combatendo os Efeitos Colaterais da Quimioterapia


Na guerra contra o tumor, quase sempre existe um momento de abaixar as armas. É quando o médico se vê obrigado a diminuir as doses ou mesmo interromper a quimioterapia, tratamento com drogas altamente tóxicas para células em ritmo de reprodução acelerado, como é o caso das cancerosas.
Certos glóbulos brancos defensores se renovam a cada 8 horas. Como são rápidos, também são arrasados pela terapia anticâncer.
O sistema imunológico destruído por tabela deixa o doente sujeito a infecções. Chega uma hora em que a queda da imunidade pode comprometer a saúde mais do que o próprio tumor. Xeque-mate.Sem contar o prejuízo para os rins e outros órgãos vitais.A amifostina, um remédio sintético com incrível poder de salvaguarda. Ele é capaz de poupar a parte sadia do corpo.
Da Guerra Fria para a luta contra a doença
A amifostina foi aprovada pelo FDA, órgão que controla os remédios nos Estados Unidos, no início deste ano. Mas sua história começou em 1958. Naquele ano, o Instituto Walther Reed de Pesquisas, em Washington, ligado ao Exército americano, preocupado com a ameaça nuclear da Guerra Fria, passou a buscar substâncias capazes de preservar os soldados de efeitos radioativos. Os cientistas, então, testaram mais de 4 000 compostos e concluíram que, entre todos, a amifostina oferecia a melhor proteção, embora estivesse longe de defender alguém de um desastre atômico.
A pesquisa para o uso da droga em câncer começou há mais de 20 anos e até hoje não se sabe tudo sobre sua forma de ação.O que se conhece, porém, são os efeitos da droga na quimioterapia. E esses são bastante animadores.
Há, é verdade, efeitos colaterais. O remédio pode provocar náuseas e até alergias, segundo a Universidade Federal de São Paulo. O mais comum, porém, era a queda brusca da pressão sanguínea e essa a gente está controlando. Para resolver o problema, os médicos hidratam o paciente com uma solução salina antes de aplicar a amifostina e, claro, ficam de olho na pressão.
Um oncologista, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, não é tão otimista assim com a amifostina. “Uma droga sozinha não faz tanta diferença. Seria o mesmo que ter um remédio capaz de resolver da gripe à Aids. Impossível.” O último ano, porém, foi cheio de conquistas que, juntas, significam um tremendo avanço. Uma delas é o UFT, um remédio oral contra o câncer de intestino. “Ele não é mais eficaz do que as drogas injetáveis”, diz outro especialista, da Universidade do Texas, nos Estados Unidos. “Mas para o paciente é ótimo se tratar em casa engolindo comprimidos.”
Os laboratórios não dão sossego ao câncer. “Muito do que está sendo estudado é para daqui a uns vinte anos”, diz o oncologista paulista Dráuzio Varella :“A principal arma, porém, já está ao alcance de todos. É apagar o cigarro, ter uma dieta saudável e fazer exames periódicos.”

2731-Atletismo – Florence Griffith Joyner, a supermulher


Florence, morta as 36 anos, suspeita de dopping

Delorez Florence Griffith-Joyner (Los Angeles, 21 de Dezembro de 1959 – Mission Viejo, 21 de Setembro de 1998) foi uma atleta norte-americana, especializada em provas de velocidade. Também conhecida como Flo-Jo, ganhou diversas medalhas olímpicas e bateu os recordes dos 100 metros e 200 metros rasos, que ainda hoje se mantêm. Flo-Jo foi casada com o atleta Al Joyner e cunhada da também campeã olímpica Jackie Joyner-Kersee.
nasceu em Los Angeles e desde cedo mostrou aptidão para as corridas de distância curta. Esteve presente nos primeiros Campeonatos Mundiais de Atletismo em 1983, onde ficou em quarto lugar na corrida dos 200 metros. Nos Jogos Olímpicos de 1984, Flo-Jo chamou a atenção do público e da imprensa pela sua medalha de prata nos 200 metros, mas também pelo seu estilo extravagante de manicure. As unhas muito longas e coloridas seriam a sua imagem de marca ao longo de toda a sua carreira. Após os Jogos, Florence casou com Al Joyner, campeão olímpico do triplo salto, e passou a correr menos.
Em 1987, voltou a conquistar a medalha de prata nos Campeonatos do Mundo de Atletismo. Pouco depois, Flo-Jo chocou o mundo do desporto ao bater o recorde do mundo de 100 metros rasos, apesar de ser uma especialista do duplo hectómetro. A marca de 10,49 s foi alcançada nos quartos de final das provas americanas de selecção olímpica. O recorde foi polémico, uma vez que o aparelho de medição da velocidade do vento indicava 0 m/s, mesmo quando todos os presentes testemunharam a existência de vento. Apesar disso, o recorde foi validado pela IAAF.
Nos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988, Florence Griffith-Joyner era a grande favorita para os eventos de velocidade. No total, ganhou três medalhas de ouro, nos 100 metros (com um tempo de 10,54 s, assistido por vento), nos 200 metros (batendo o recorde do mundo nos quartos de final) e na estafeta 4 x 100 metros, e uma medalha de prata na estafeta 4 x 400 metros. No final do ano recebeu o Prémio James E. Sullivan, que distingue o melhor atleta amador dos Estados Unidos. Pouco tempo depois, Flo-Jo retirou-se para sempre das competições oficiais.
Florence Griffith-Joyner morreu na noite de 21 de Setembro de 1998. A causa do óbito foi asfixia acidental na almofada, durante um ataque de epilepsia, causada por uma má formação congênita cerebral. A família Joyner revelou depois, que Flo-Jo vinha sofrendo de convulsões desde 1990.
A sua morte inesperada trouxe de novo as suspeitas de uso de dopagem na carreira de Florence Griffith-Joyner. A sua carreira foi atípica, principalmente porque todos os seus títulos e feitos foram alcançados numa única época (1987/1988), quando a atleta já tinha 28 anos e passara portanto o pico da sua forma. A forma abrupta como Flo-Jo se retirou das competições também foi interpretada como suspeita, tendo em conta que os testes antidoping passaram a ser rotina no ano seguinte. Pelo seu lado, Griffith-Joyner justificou a melhoria súbita de tempos como resultado de uma alteração no seu programa de treinos.
Porém, os tempos obtidos por Flo-Jo eram absurdamente irreais, tanto que até hoje, com toda a melhoria tecnológica, alimentar e de treinamentos, nenhuma atleta consegue chegar perto dos seus tempos. Nos 100 m rasos feminino, por exemplo, a campeã olímpica de Pequim 2008, Shelly-Ann Fraser, da Jamaica, obteve o ouro fazendo um tempo de 10s78, muito aquém dos 10s49 que são o recorde mundial de Florence. Nos 200 m rasos ocorre o mesmo: a campeã olímpica de 2008, Veronica Campbell-Brown, da Jamaica, obteve o ouro com 21s74, muito aquém do irreal recorde mundial de Florence, 21s34.

2730- Como se faz drenagem no Campo de Futebol?


Giant Stadium em New Jersey

Um cano de cerca de 4 polegadas atravessando o campo antes de ele ser gramado. Desse cano saem outros mais estreitos de cerca de 2 polegadas, direcionados para as laterais do campo, formando desenho parecido com espinha de peixe. São furados para permitir que a água entre e envoltos por uma camada de pedra grandes, cobertas por outras menores e algumas vezes, coloca-se carvão sobre essas camadas de pedras. Acima está o solo e mais acima, o gramado. A água penetra no solo e vai sendo filtrada até chegar nos canos. As camadas de pedra impedem que parte da terra seja carregada junto com a água, entupindo os canos. Para que ela escoe para as laterais, o campo tem uma pequena inclinação para os 2 lados, partindo do centro.
Mesmo que o terreno onde a bola vai rolar seja relativamente plano, tudo começa com um bom nivelamento. Uma prensa passa por cima da área para acertar qualquer irregularidade e compactar o terreno – o que evita que ele afunde mais tarde.
Após o nivelamento, o terreno não fica totalmente plano. Ele ganha uma pequena inclinação. Em um campo com 60 m de largura, as linhas laterais ficam num nível 30 cm mais baixo que o centro do campo. Isso ajuda a drenar a chuva que cair no gramado
Mas só a inclinação não basta. É preciso construir um sistema de drenagem, formado por 100 m de canos. Eles são colocados em pequenas valas, num desenho que lembra uma espinha de peixe. Os canos drenam a água da chuva até ralos fora do campo
Com 10 cm de diâmetro, os canos têm vários furinhos na parte superior. Em volta deles há uma camada de brita e uma manta filtrante. A água que penetra no solo é “filtrada” pela manta e pelas pedras antes de chegar aos canos, evitando que eles entupam com areia
O próximo passo é o sistema de irrigação. Molhar o campo com mangueira não dá certo, porque a água nunca é distribuída por igual. A irrigação é feita com canos ligados à rede de água do estádio.
A água chega ao gramado por aspersores, que lembram os jatos giratórios para molhar jardim. O aspersor fica embaixo da terra para não atrapalhar os jogadores. Quando a água chega aos canos, a pressão empurra a tampa até a superfície.
Antes de plantar a grama, é preciso despejar no terreno uma mistura de areia e matéria orgânica chamada topsoil – a areia favorece o escoamento da água até os canos de drenagem. A grama fixa as raízes sobre uma camada de até 30 cm dessa terra especial.
Acima do topsoil ainda vai um adubo bem nutritivo. É uma camada fina, mas que faz uma diferença enorme no crescimento da grama, pois funciona como um “suplemento alimentar”. Isso garante a sobrevivência da vegetação nos primeiros dias após o plantio.
Para plantar a grama, podem ser usadas mudas ou placas chamadas de tapetes. Com os tapetes, o gramado fica pronto mais rápido, em 45 dias. A grama bermudas é uma das mais usadas nos campos brasileiros.
A grama dos campos cresce rápido. Ela precisa ser aparada até duas vezes por semana para manter uma altura média de 24 mm. Os desenhos no gramado são feitos na hora do corte, pela máquina de aparar.
A máquina tem um cilindro para “pentear” a grama. Dependendo do sentido em que ela atravessa o campo, o “penteado” fica de um lado ou de outro. Com isso, as faixas de grama refletem a luz com intensidades diferentes, criando dois tons de verde.

2729-☻Mega Notícias da Astronomia


Observações
Foi descoberto há 200 anos entre as órbitas de Marte e Júpiter, cerca de 700 milhões de km do Sol, os asteróides que até então nunca haviam revelado qualquer traço de sua geografia, até que a sonda européia Galileu de passagem voltou suas câmeras na direção do Gaspra. Trata-se de rochedo cósmico de 20 km de comprimento e largura máxima de 12 km cuja órbita dista 411 milhões de km da Terra. As últimas fotos revelaram dimensões altamente irregulares do asteróide. Longas rachaduras são sinal de choque no passado.

Hiparcos
Quando o foguete Ariane deslocou do solo pela 30ª vez em agosto de 1989, levou a bordo um engenho de cerca de 500 milhões de dólares e a euforias dos astrofísicos do mundo inteiro. Instalado no nariz do foguete, Hipparcos , o 1º satélite de astrometria do mundo tinha uma missão ambiciosa : em dois anos e meio, inventariar nada menos que 120 mil estrelas da Via Láctea. Ele deveria estabelecer suas posições e movimentos , dados essenciais para a confecção do mais preciso catálogo de estrela já feito e o 1º em três dimensões. Dez dias depois do lançamento porém, uma pane no motor o impediu de atingir sua órbita a 36 mil km de altitude e comprometeu a missão. Sem muito entusiasmo , os engenheiros do centro de controle de Darmstadt, Alemanha, resolveram ativar pequenos motores inicialmente reservados a sutis correções de altitude. O satélite já catalogou 40 mil estrelas com precisão bem maior que a prevista.

2728-Uma pesquisa contestou a prova criacionista sobre a origem da vida


O local em questão

Fonte:Folha – caderno de ciências
A área de Kachina Bridge, em Utah (EUA), considerada uma evidência da teoria criacionista de que a Terra foi criada em um único dia, foi submetida a uma análise de pesquisadores, que chegaram à conclusão final.
As gravuras rupestres de dinossauros não seriam dos animais pré-históricos, mas sim uma boa pintura manchada.
A Kachina Bridge é uma formação rochosa em forma de arco, com mais de 60 metros de altura, que traria inscrições de culturas pré-históricas e de representações de dinossauros.
“A mais importante implicação nesses achados é que o sítio criacionista com evidências da coexistência entre dinossauros e humanos nem mesmo existe”, comenta em entrevista ao site LiveScience o paleontólogo Phil Senter, da Universidade Estadual Fayetteville, em Carolina do Norte.
Os estudiosos analisaram quatro imagens do que parecem ser de dinossauros em várias situações: do olhar puro e simples, passando por binóculos e lentes especiais, com iluminação direta e indireta do sol e na sombra.
“O dinossauro 1, apelidado de Sinclair, realmente se parece com um dino se visto por olhos comuns. Mas um olho treinado pode frequentemente enxergar o que um não-treinado vê.”
Segundo o grupo, a visão dos dinossauros são ilusões de óptica iguais aos rostos e animais que vemos nas nuvens e nas formações rochosas da Lua.
Senter e a arqueóloga Sally Cole detalham seu trabalho na edição de março do jornal “Palaentologia Electronica”.