2688-Mega Clássicos- Tubarão



O famoso cartaz do clássico da década de 70

Titulo original em inglês, Jaws (mandíbulas), este filme tornou famoso o diretor Steven Spielberg.
É um filme norte-americano de 1975, dos géneros terror e suspense, realizado por Steven Spielberg e baseado em romance homónimo de Peter Benchley. A trilha sonora do filme é de John Williams.
É um dos maiores clássicos do gênero, filmado a um custo total de 8,5 milhões de dólares e que arrebatou platéias do mundo inteiro, arrecadando em dois anos de exibição 260 milhões de dólares, batendo o recorde de O Poderoso Chefão II, de 1974, e superado em 1977 por Contatos Imediatos do Terceiro Grau, do mesmo Spielberg, que arrecadou 300 milhões de dólares.
O filme teve as seguintes sequências, sem a participação de Spielberg: Tubarão II (1978), Tubarão III (1983) e Tubarão IV – A Vingança (1987).
Uma garota é encontrada morta na beira da praia, possivelmente por um ataque de tubarão. O xerife Brody (Roy Scheider) tenta fechar a praia mas por estar perto do dia 4 de julho (o dia que dá mais lucro na cidade) o prefeito não permite, com medo de criar pânico. Porém uma criança é morta e o tubarão é caçado por todos os pescadores por uma recompensa.
Elenco
Roy Scheider…. Martin Brody
Robert Shaw…. Quint
Richard Dreyfuss…. Matt Hooper
Lorraine Gary…. Ellen Brody
Murray Hamilton…. Larry Vaugh
Carl Gottlieb…. Meadows
Jeffrey Kramer…. Hendricks
Susan Backlinie…. Chrissie Watkins
Chris Rebello…. Michael Brody
Jay Mello…. Sean Brody
Jeffrey Voorhess…. Alex Kintner
Steven Spielberg…. voz do rádio

2687-A Academia Brasileira de Letras


Sede da ABL, no RJ

É uma instituição fundada no Rio de Janeiro em 20 de julho de 1897 pelo escritor Machado de Assis, tendo iniciativa de Lúcio de Mendonça. Composta por 40 membros efetivos e perpétuos e 20 sócios estrangeiros, ela tem por fim “o cultivo da língua e a literatura nacional”.A instituição remonta ao final do século XIX, quando escritores e intelectuais brasileiros desejaram criar uma academia nacional, nos moldes da Academia francesa.
A iniciativa foi tomada por Lúcio de Mendonça, concretizada em reuniões preparatórias que se iniciaram em 15 de dezembro de 1896, sob a presidência de Machado de Assis (eleito por aclamação), na redação da Revista Brasileira. Nessas reuniões foram aprovados os Estatutos da Academia Brasileira de Letras, a 28 de janeiro de 1897, compondo-se o seu quadro de 40 membros fundadores. A 20 de julho desse ano era realizada a Sessão Inaugural, nas instalações do Pedagogium, prédio fronteiro ao Passeio Público, no centro do Rio.
A Academia Brasileira de Letras (ABL) nasceu inspirada na Academia Francesa, fundada em 1634, pelo Cardeal Richelieu, para estabelecer e manter os padrões literários franceses. A semelhança entre elas não estava apenas nos objetivos. No início, a ABL tinha trinta membros mas, para ficar mais parecida com a francesa, que tinha quarenta, foram eleitos mais dez, número mantido até hoje. Mesmo o fardão, usado pelos imortais, como são chamados os seus membros, é bastante semelhante ao francês. A principal diferença entre as duas é que a francesa aceita escritores de todos os países que falam francês e a ABL, apenas brasileiros.
A ABL foi fundada em novembro de 1896, no Rio de Janeiro. O escritor Machado de Assis (1839-1908), seu primeiro presidente, liderou o movimento pela sua fundação. Até meados dos anos 70, o regimento era machista: somente autores masculinos eram aceitos. Apenas em 1976 foi aprovada a eleição também de escritoras. A primeira eleita foi Rachel de Queiroz. A palavra “academia” é uma referência ao semideus Academus. Platão ensinava Filosofia, em Atenas, em um jardim de oliveiras consagrado a essa divindade.

2686-Há moléculas orgânicas no espaço? Como se formam?


Os compostos orgânicos se constituem de átomos de carbono misturados a outros elementos. Fora do nosso planeta, eles nascem de reações químicas entre átomos que são expelidos por algumas estrelas, principalmente as mais frias.O fenômeno já aconteceu no sistema solar, antes da formação dos planetas. Mas hoje, ocorre com mais frequência fora dele.Uma das fábricas destes compostos é a estrela Betelgeuse, na constelação de Orion, situada a cerca de 309 anos luz da Terra. Ela emite umas micropedrinhas que podem ser feitas de silício, ferro e até grafite, um cristalde carbono e quando este tromba com átomos de hidrogenio, que também são lançadospela estrela o tempo todo, as 2 substâncias podem reagir, resultando em moléculas orgânicas simples, como o metano, além de alcoois e açúcares, que são mais complexos. Isso é possível detectar porque cada substância tem o seu espectro luminoso, como se fosse uma impressão digital. Além do metano, já foram identificados cerca de 50 compostos orgânicos no espaço.Mas os cientistas acreditam que existam muito mais.