12.812 – Contra a Calvície, células tronco


careca-pente-calvicie-size-598
Em um novo estudo da Sanford-Burnham Medical Research Institute, os pesquisadores usaram células-tronco pluripotentes humanas para gerar novos fios de cabelo.
O estudo representa o primeiro passo para o desenvolvimento de um tratamento à base de células para as pessoas com a perda de cabelo. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a OMS, quase 50% dos homens no mundo apresentam algum grau de calvície até os 50 anos, que tende a aumentar com o avanço da idade.
Somente nos Estados Unidos, mais de 40 milhões de homens e 21 milhões de mulheres são afetados pela queda de cabelo. A pesquisa, considerada promissora, foi publicada na versão on-line da revista PLOS One.
“Nós desenvolvemos um método que utiliza células-tronco pluripotentes humanas para criar novas células capazes de iniciar o crescimento do cabelo. O método é uma melhoria significativa em relação aos métodos atuais que dependem do transplante de folículos pilosos existentes de uma parte da cabeça para o outra“, disse Alexey Terskikh, Ph.D., professor associado do Programa de Regeneração da Sanford-Burnham.
“O método de células estaminais fornece uma fonte ilimitada de células a partir do paciente para o transplante e não é limitada pela disponibilidade de folículos capilares existentes“, complementou. A equipe de pesquisa desenvolveu um protocolo que orienta as células-tronco a tornarem-se células da papila dérmica – um conjunto único de células que regulam a formação de folículos de cabelo e seu ciclo de crescimento.
As células da papila dérmica humana, por si só, não são adequadas para o transplante de cabelo. Isso ocorre porque elas não podem ser obtidas em quantidades necessárias e rapidamente perdem a capacidade de induzir a formação do cabelo folicular em cultura de laboratório, antes mesmo de serem introduzidas no transplante, mas o professor Alexey conseguiu driblar isso.
“Em adultos, as células da papila dérmica podem não ser facilmente aplicadas fora do corpo e elas rapidamente perdem suas propriedades de indução de cabelo”, disse Terskikh. “Nós desenvolvemos um protocolo para dirigir células-tronco pluripotentes humanas para que, quando se diferenciam, consigam fixar sua capacidade de induzir o crescimento capilar, quando transplantadas em ratos”.
“Nosso próximo passo é transplantar células da papila dérmica humanas derivadas de células-tronco pluripotentes de volta em seres humanos. Agora estamos buscando parcerias para realizar esta etapa final”.

11.652 – Estética – Mais de 80% das propagandas de cosméticos divulgadas são falsas


Um novo estudo norte-americano sobre a publicidade de produtos de beleza feitos em revistas como Vogue, Glamour e Marie Claire, descobriu que a maioria das reivindicações são falsas, com uma quantidade significativa afirmando mentiras de forma absurda.
Pesquisadores da Universidade Estadual de Valdosta avaliaram 289 anúncios de cosméticos a partir das páginas de sete revistas publicadas em abril de 2013, categorizando as reivindicações feitas pelos anúncios. Estas afirmações incluíam declarações ambientais (ex. “Nenhum teste em animais”), reivindicações de endosso (ex. “Recomendado por dermatologistas”), e afirmações científicas (ex. “Clinicamente comprovada”). Anúncios foram adquiridos a partir de um número de categorias de produtos de cosméticos femininos, incluindo maquiagens, produtos faciais, produtos para o corpo, perfumes, entre outros.
Uma vez classificados pelos pesquisadores, as reivindicações de cosméticos dos anúncios foram avaliadas por um painel de juízes e classificadas de acordo com quatro escalas de veracidade: mentira deslavada, omissão, vaga e aceitável. Embora a maioria encare anúncios com ceticismo, os resultados do estudo são assustadores. Em última análise, apenas 18% das reivindicações feitas nos anúncios foram considerados aceitáveis ​​pelos juízes, com mais de 4 das 5 reivindicações do produto sendo avaliadas como vaga ou inverídicas.
Em termos de afirmações científicas feitas por produtos, apenas 14% eram vistos como ‘aceitáveis’. As alegações ambientais foram aceitas com menos cinismo, embora, mesmo assim, apenas metade desses pedidos foram considerados aceitáveis. Reivindicações de desempenho também se saíram mal. Cerca de uma em cada quatro reivindicações baseadas no desempenho foram consideradas ‘aceitáveis’, mas 23% foram consideradas mentiras descaradas.
“A decepção não só prejudica a credibilidade da propaganda como um todo, fazendo os consumidores ficarem na defensiva, como também produz efeitos prejudiciais para os anunciantes que são diretamente responsáveis ​​por fazer as reivindicações”, disse Sarah Knapton, uma das coautoras do estudo.
“O estudo deixa claro que os comerciantes têm grande interesse em defender a verdade na publicidade de cosméticos, porém, mais métodos de regulação precisam ser desenvolvidos”, completou. A pesquisa foi publicada no Journal of Global Fashion Marketing.

11.596 – Adeus, careca – Pesquisadores encontram a cura para a calvície


Uma empresa japonesa, a  Shiseido, alega ter encontrado a cura para um mal que aflige milhões de homens pelo mundo: a calvície. A cura veio com o uso de células-tronco, que faz com que cresça cabelo onde não existe mais. O produdo, produzido em parceria com a empresa RepliCel, é resultado de um estudo conduzido desde 2013.
De acordo com o fabricante, o processo levaria apenas alguns meses para reativar o crescimento do cabelo. A Shiseido diz que a comercialização do produto deve ocorrer em 2018.

11.590 – Envelhecimento – Por que temos pés de galinha nos olhos?


pe de galinha
Mas mesmo o mais poderoso dos cremes não pode suavizar completamente a região problemática. Agora, pesquisadores descobriram que as diferenças no número de glândulas secretoras de óleo na pele explica por que as rugas são mais rasas na testa do que na área externa dos olhos.
Eles suspeitam que a falta de glândulas secretoras de óleo na área dos olhos, juntamente com uma camada interna mais fina da pele, podem deixar a derme mais suscetível à deformações. Quando as glândulas secretoras de óleo envelhecem, as pessoas produzem menos sebo, deixando a pele sem uma camada protetora. A capacidade da pele para ficar hidratada, em seguida, diminui drasticamente, fazendo com que ela se torne seca e escamosa.
A descoberta foi feita por cientistas da Universidade de Kagoshima e da Universidade de Medicina Jichi, no Japão, que observou uma área conhecida como cútis retinacular, logo acima das camadas musculares.
Eles analisaram imagens nas regiões da testa e dos olhos de 58 amostras de pele masculinos e femininos de cadáveres. Fatias de tecido foram então preparadas para análise das glândulas secretoras de óleo ou glândulas sebáceas, e sua densidade, medida em relação à profundidade das rugas.
Uma densidade mais elevada da glândula levou a profundidade menor das rugas em amostras da testa que tinham pele mais fina. Mas tal ligação não foi encontrada em rugas de pés-de-galinha, talvez devido à falta de glândulas sebáceas na região.
“A densidade de glândulas sebáceas parece ser um dos vários fatores que impedem o aprofundamento das rugas e é por isso que as rugas são mais profundas nas áreas laterais do que na testa”, escreveram os pesquisadores em seu estudo.
O Sol é responsável por 80% dos casos de envelhecimento da pele, segundo estudos.
Raios ultravioletas (UV) representaram 80% dos casos de envelhecimento da pele, incluindo rugas, de acordo com um estudo que envolveu quase 300 mulheres. O estudo também descobriu um aumento de 2% em danos da pele no rosto em envelhecimento de três anos.
Exposição à radiação UV de longa duração também pode levar a pigmentação, redução da elasticidade e uma degradação da textura da pele. Vários outros fatores também podem alterar a aparência e estrutura da pele, incluindo gravidade, o processo natural de envelhecimento, poluição, dieta, tabagismo, doenças e estresse.
No início deste ano, os dermatologistas da L’Oréal examinaram os rostos de 298 mulheres, com idades entre 30 e 78 anos. Doze especialistas estudaram fotografias de rostos individuais em uma tela.
Os resultados mostraram que o efeito da exposição à radiação UV aumenta com a idade. Foram observadas diferenças significativas na qualidade da pele e textura das rugas após os 50 anos.

11.545 – Estética – Nova técnica promete destruir gordura da barriga usando o congelamento


gordura congelada

Agora, a moda é o CoolSculpting®. O procedimento, que resfria as células a temperatura de – 7 ºC evita certas lesões na pele e músculos. Congelada, a gordura é convertida em triglicerídeos por meio dos glóbulos brancos do sangue.
Após metabolizada, a substância é eliminada naturalmente pelo corpo. Além disso, o processo recebeu aprovação por parte da Administração de Drogas e Alimentos dos Estados Unidos, órgão de validação de procedimentos estéticos. Tal procedimento “mágico” é capaz de remover de 20% a 25% de gordura da área tratada. E o melhor de tudo: sem esforços!
A sessão é realizada através de um pad com gel, colocado na área de gordura. Em seguida, a perda de temperatura é controlada por um aparelho denominado Zeltiq. Ao todo, são 17 máquinas e mais de 15 mil tratamentos foram finalizados no Centro de Cirurgia Plástica de Marina, na Califórnia.
Desde 2010, 1,5 milhão de sessões já foram feitas ao redor do mundo (cada uma custa de US$ 400 a US$ 1.800). O CoolSculpting® é uma adaptação semelhante ao resfriamento usado para o método de combate ao câncer.
De acordo com alguns médicos, ainda não é possível afirmar a eficácia do método e eliminação dos triglicerídeos. Contudo, a eliminação de gordura de forma simplificada vem, a cada dia, atraindo mais interessados em perder centímetros sem se submeter a processos complicados ou dolorosos – sem se importarem se isso, de fato, é apenas uma promessa mirabolante ou uma realidade científica.

11.499 – Fitness – A ciência manda pegar leve


Physical Fitness Logo_full
Ninguém precisa se conformar com barriga flácida ou pernas finas. Mas, do jeito como a ginástica vem sendo praticada por aí, além de se machucar, seu corpo pode não entrar na melhor forma. Por isso, médicos e professores de Educação Física alertam: cuidado com as academias. A maioria ainda não entrou na era dos exercícios inteligentes.
As aparências enganam o 1 milhão de brasileiros que passam horas em cerca de 15 000 academias espalhadas pelo país. Em algumas delas, aparelhos gigantescos com luzes piscando fazem os mais franzinos se sentirem Rambos e dão a impressão de que ali está a mais alta tecnologia para atingir a boa forma física. Mas, atenção, os equipamentos de última geração são fantásticos desde que bem aplicados, o que nem sempre acontece. Prova disso é que muitos centros da boa forma endossam, quando não estimulam, que seus alunos passem mais de 3 horas malhando. Um erro da pesada.

Um Brasil de mil formas e vaidoso
“O Brasil é um dos maiores consumidores mundiais de aparelhagem de ginástica”, conta o técnico da seleção brasileira de triatlo, acostumado a uma rapaziada fanática que corre, nada e pratica ciclismo com garra olímpica. “Era de se esperar que eu defendesse os treinos pesados. Mas sou contra”, diz. “O que já estraga o corpo do atleta só pode ser péssimo para gente comum.”
Reis é um dos coordenadores do Projeto Acqua, em São Paulo, academia especializada nos esportes aquáticos. A especialidade do técnico são os exercícios aeróbicos, aqueles que exigem mais resistência do que força e botam coração e pulmão em ordem. “Um executivo não precisa pedalar mais do que 40 minutos por dia em uma ergométrica”, garante. “Esse tempo já lhe dá um ótimo fôlego.”
Para o fisiologista Turíbio Leite, da Universidade Federal de São Paulo, todo erro está no programa de exercícios. “Além de não impor várias horas de dedicação, ele deve considerar a heterogeneidade dos brasileiros”, explica. “Diante da nossa mistura de raças, é irresponsável fazer uma média da população para estabelecer metas de peso, medidas e mesmo capacidade respiratória, pois a gente sabe que ela também varia de acordo com os genes. No Brasil, mais do que em qualquer outro canto, vale o ditado de que cada caso é um caso.”

Derretendo a gordura
Outro erro comum nos templos da vaidade é não dar exclusividade para os exercícios aeróbicos, como correr, nadar ou pedalar, em uma fase inicial do treinamento. “Começar com aparelhos pode ser perda de tempo”, afirma Turíbio. Ocorre que os chamados aeróbicos são muito mais eficientes em derreter as gordurinhas extras: meia hora de caminhada consome o dobro de calorias que meia hora fazendo os dolorosos abdominais. Ou seja, a barriga de quem anda vai embora mais depressa. “Eliminada a gordura é que se pode notar, depois, músculos bem definidos.”

Os aparelhos definem os músculos
Os músculos precisam que o coração mande mais sangue enquanto dão duro nos aparelhos. Suas fibras terminam a ginástica com microscópicas rupturas. Mas, passadas 24 a 48 horas de repouso, uma série de substâncias entram em ação para restaurar essas lesões. Elas tampam as rachaduras musculares com mais proteínas do que havia ali antes, prevendo outras sessões de esforços. Assim, a fibra reconstruída acaba sendo mais forte. “Os aparelhos modernos são projetados para isolar a porção do músculo onde a gente pretende que isso aconteça”, explica o treinador paulista José Carlos Altieri, que fortaleceu seu currículo com mais de vinte cursos de especialização em definição muscular. “Assim, conseguimos resultados melhores” (veja quadros).

Quando a Genética é o limite
Na nova era da boa forma, é possível moldar o corpo até os limites da Genética. “Quem nasceu com tendência a ter quadris largos poderá fortalecer a musculatura torácica”, exemplifica Altieri. “Assim, o peito ficará mais largo também, criando a impressão de um corpo mais proporcional e harmonioso.” Hoje, justamente porque os aparelhos isolam melhor os grupos musculares, o bom professor de ginástica olha para um aluno como um escultor, notando o que precisa aumentar e o que precisa diminuir para se aproximar dos contornos desejados.
Na maioria das grandes academias, porém, embora os alunos até façam testes de avaliação, eles ganham uma ficha com a mesma seqüência de exercícios do vizinho de sala de aula. “É um absurdo”, lamenta Altieri, que hoje se dedica a alunos particulares. Segundo o treinador, não existe corpo moldado sem levantar pesinhos. “A gente já está acostumado com o peso dos próprios braços e pernas. Por isso exercícios localizados sem sobrecarga não dão bons resultados.”
Nos últimos anos, porém, ficou claro que os efeitos são melhores quando essas cargas extras são pequenas. Pois, como mostrou um estudo realizado no início deste ano pela Universidade de Miami, nos Estados Unidos, o peso mais leve faz o indivíduo agüentar muitas repetições. Essa insistência, por sua vez, aumenta ainda mais o fluxo de sangue para a região trabalhada. Com nutriente e oxigênio à vontade carregados pela circulação, o desempenho muscular é melhor (veja quadro à direita). As metas são atingidas mais depressa e, claro, o risco de lesões nas articulações despenca.

Vem aí o wellness
Há quem aposte, contudo, que o chamado fitness, a mania de conquistar a boa forma nas academias, será soterrado pela onda do wellness, termo que pretende designar bem-estar físico. “A idéia é de que todos podem ter saúde mexendo o corpo meia hora por dia”, explica o professor Luís Carlos de Oliveira, da Universidade do ABC, em São Paulo, e do Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física São Caetano do Sul (Celafiscs), em São Paulo. Um dos maiores estudos a favor do wellness foi realizado por americanos da Universidade Harvard, chefiados pelo médico Ralph Paffenberguer.
O time de cientistas concluiu que o pulo do gato, capaz de diminuir em mais de 30% o risco de doenças ligadas ao sedentarismo, é sair da inércia e movimentar o corpo meia hora por dia. “Isso, em termos de saúde, é mais importante do que fazer aulas de ginástica três vezes por semana”, diz Oliveira (veja quadro abaixo). Segundo o médico do esporte Victor Matsudo, diretor do Celafiscs, essa meia hora diária não precisa ser ininterrupta. “Se alguém se exercita 10 minutos de manhã, mais 10 à tarde e 10 à noite”, exemplifica, “isso já basta.” Atividades mais pesadas exigem até menos tempo do que isso . “O melhor é que, diferente das academias, o wellness é acessível a todos, como crianças e idosos.”

11.408 – Universidade cria primeiro “Chocolate de Beleza” do mundo, desenvolvido para combater o envelhecimento


choco estetic
É um chocolate escuro com 70 % de cacau que contém níveis elevados de dois poderosos antioxidantes que ajudam a reverter o processo de envelhecimento natural da pele.
Um pedaço de 7,5 g do Esthechoc possui tantos flavonoides de cacau quanto um pedaço de 100g de chocolate normal, e a mesma quantidade de astaxantina quanto 300g de salmão fresco. Estas substâncias ajudam a melhorar a circulação sanguínea e aumentar a oferta de sangue para a pele, tornando-o mais saudável e mais jovem. Uma empresa biomédica chamada Lycotec, com base em Cambridge, testou o chocolate em voluntários com idades entre 50 e 60 anos, e registrou benefícios visíveis em apenas três semanas.
“O ‘chocolate de beleza’ foi capaz de, não só reprimir marcadores de lesão inflamatória subclínicas no sangue dos voluntários, como também inverter a sua depressão relacionada à microcirculação e fornecimento de sangue a tecidos periféricos como gordura subcutânea e pele”, afirmou uma postagem da Lycotec no site oficial. “Isso, consequentemente, resultou em um aumento significativo da oferta de oxigênio para esses tecidos e a restauração de sua respiração, uma necessidade fisiológica essencial no controle e apoio à saúde da pele”.
Ivan Petyaev, inventor da Esthechoc e diretor do Lycotec, disse que a tecnologia por trás deste chocolate revolucionário, é exclusiva da Universidade de Cambridge e exigiu vários anos até chegar à fórmula funcional. Ex-aluno de Cambridge, Petyaev é uma figura um tanto controversa, que afirmou, certa vez, que a clamídia, uma infecção sexualmente transmissível, poderia ser tratada ao comer queijo francês.
Outros acadêmicos se declararam insatisfeitos com o Esthechoc, argumentando que mais pesquisas são necessárias para confirmar as alegações convictas de seus criadores.
A melhor coisa sobre Esthechoc é que ele contém apenas 38 calorias por porção, ou seja, níveis significativamente menores do que o chocolate normal, podendo ser apreciado até mesmo por diabéticos. Não se sabe muito sobre o gosto, por isso é difícil afirmar que ele possa ser tão satisfatório quanto uma barra de chocolate regular.

11.405 – Bioquímica – O Colágeno


COLGEN-1
É uma proteína de importância fundamental na constituição da matriz extracelular do tecido conjuntivo, sendo responsável por grande parte de suas propriedades físicas.
No corpo humano, o colágeno desempenha várias funções, como, por exemplo, unindo e fortalecendo os tecidos. Com o passar do tempo, o corpo pode sofrer algumas privações desta substância, principalmente na alimentação atual, muitas vezes carente de vitaminas e proteínas. Durante os primeiros anos até a puberdade, essas deficiências não são visíveis e nem mostram suas evidências. A falta de colágeno vai se tornar mais visível e notável quando o homem entra na fase da maturidade, fase em que há uma possibilidade maior dele sofrer fraturas com frequência. Também é nessa etapa da vida que começam a aparecer as rugas, pois a pele não tem mais a mesma elasticidade de antes.
A partir deste momento, é interessante fazer uma análise para examinar o que está danificado ou gasto pelo tempo, para fazer mudanças que possibilitem que seu corpo siga em frente e continue a operar seus shows de transformações. Praticar exercícios físicos, reforçar a alimentação saudável, levar uma vida regrada e saudável, tem uma grande colaboração.
A deficiência de colágeno no organismo denomina-se colagenoses, acarretando alguns problemas como má formação óssea, rigidez muscular, problemas com o crescimento, inflamação nas juntas musculares, doenças cutâneas, entre outros.
Todos os mamíferos fabricam o colágeno e seu uso se estende em diversas áreas de aplicação. No setor alimentício, ele é usado na fabricação de iogurtes, embutidos (salsichas, presunto, rosbife) e para sobremesas de fácil preparação (sobremesas de gelatinas, pudins, maria-mole, baianu´s e Pint), sendo também muito utilizado na área de cosméticos e produtos fármacos (cápsulas moles e duras são de gelatina obtida do processo de hidrólise parcial do colágeno, por exemplo).
O colágeno hidrolisado é o colágeno que passou por processo de hidrólise (hidros=água + lise=quebra) ou seja a grande cadeia proteica se quebra em um ponto, agregando uma molécula de água em sua estrutura. O processo de hidrólise mais comum utilizado pelas indústrias é através de enzimas específicas que garantem um tamanho mínimo desses fragmentos proteicos (normalmente próximo de 5000 Daltons). É justamente o tamanho do fragmento proteico que garante a absorção pelo organismo (cerca de 90%) através do trato intestinal, chegando facilmente à corrente sanguínea. Já a síntese de colágeno pelo corpo depende de fatores como a disponibilidade de vitaminas e minerais específicos de cada colágeno, além da necessidade do organismo em sintetizar aquele tipo de colágeno.
Como a maioria de sua estrutura é composta dos 3 tipos de aminoácidos já citados, o colágeno não é uma boa “fonte de proteínas”, pois não oferece todos os aminoácidos essenciais necessários à boa alimentação.
Colágeno Tipo I
É o mais comum; aparece nos tendões, na cartilagem fibrosa, no tecido conjuntivo frouxo comum, no tecido conjuntivo denso (onde é predominante sobre os outros tipos), sempre formando fibras e feixes, ou seja, está presente nos ossos, tendões e pele.
Colágeno Tipo II
É produzido por condrócitos, aparece na cartilagem hialina e na cartilagem elástica. Não produz feixes. Presente nos discos intervertebrais, olhos e cartilagem. A suplementação de Colágeno tipo II é indicado para tratamento de artrose, por ajudar a recompor a cartilagem das articulações.

Colágeno Tipo III
Presentes em músculo liso, endoneuro e nas trabéculas dos órgãos hematopoieticos (baço, nódulos linfáticos, medula óssea vermelha); artérias, fígado, útero e camadas musculares do intestino.Abundando no tecido conjuntivo frouxo, é encontrado na artéria aorta do coração, nos pulmões, nos músculos dos intestinos, fígado, no útero. Constitui as fibras reticulares.

Colágeno Tipo IV
Aparece na lâmina basal, um dos componentes da membrana basal dos epitélios. Presente nas lentes da cápsula ocular, glomérulos.

Colágeno Tipo V
Está presente nos ossos, tendões e sangue.

Colágeno Tipo VI
Está presente no sangue, camada íntima da placenta.

Colágeno Tipo VII
Está presente nas membranas corioaminióticas e na placenta.

Colágeno Tipo VIII
É endotélio.

Colágeno Tipo IX
Ele tem a função de manter as células unidas e é o principal componente proteico de órgãos

Colágeno Tipo X, XI e XII
Está presente na cartilagem.

Colágeno que formam longas fibrilas
As fibrilas de colágeno são formadas pela agregação de moléculas de colágeno do tipo I, II, III, V e XI, que se agregam para formar fibrilas claramente visíveis ao microscópio eletrônico. O colágeno do tipo I é o mais abundante, sendo amplamente distribuído no organismo. Ele ocorre como estruturas classicamente denominadas de fibrilas de colágeno e que formam ossos, dentina, tendões, cápsulas de órgãos, derme etc.

Colágenos associados a fibrilas
Colágenos associados a fibrilas são estruturas curtas que ligam as fibrilas de colágeno umas às outras e a outros componentes da matriz extra celular. Pertencem a este grupo os colágenos do tipo IX e XII.

Colágeno que forma rede
O colágeno cujas moléculas se associam para formar uma rede é o colágeno do tipo IV e VII. O tipo IV é um dos principais componentes estruturais das laminas basais, onde tem o papel de aderência e de filtração. O tipo VII forma dímeros que se reúnem em estruturas especializadas denominadas fibrilas de ancoramento. As fibrilas de ancoramento auxiliam a conexão da lâmina basal do epitélio de múltiplas camadas ao tecido conjuntivo subjacente e, portanto, sao especialmente abundantes na pele.

Colágeno líquido, cápsula ou pó
O colágeno hidrolisado pode ser encontrado na forma líquida, em cápsula ou pó.
O colágeno em pó é o mais difundido entre as apresentações do produto devido à baixa atividade água (umidade normalmente próximo de 8%), o que garante uma estabilidade muito grande da proteína (chegando a 5 anos na embalagem original de fabricação). Esta apresentação em pó normalmente apresenta um preço mais baixo que as outras apresentações. Esta apresentação, quando vendido puro (sem aditivos ou sabor) requer uma melhor qualidade sensorial (sabor neutro).
As cápsulas de colágeno são o produto em pó, inserido na cápsula garantindo doses, normalmente miligramas do produto. É bastante útil para quem tem facilidades em ingerir capsulas e evita a necessidade de diluição. Esta apresentação permite utilizar um produto de baixa qualidade sensorial (sabor característico mais evidente). É necessário avaliar a dose/cápsula para analisar a relação custo/benefício.
O colágeno líquido pode ser obtido através da exclusão da etapa de secagem do colágeno hidrolisado ou da diluição do colágeno em pó. Normalmente essa apresentação requer a necessidade de conservantes e agentes de sabor. É necessário conferir a concentração do produto para analisar a relação custo/benefício.

11.396 – Empresa japonesa cria a primeira cerveja do mundo que rejuvenesce sua pele utilizando colágeno


colageno
Criada pela empresa Suntory, ela possui 5% de concentração alcoólica, e afirma ter 2 gramas de colágeno purificado por cada latinha.
O famoso colágeno é um tipo de proteína que a pele usa para fornecer ‘estrutura’, firmeza e textura. Quanto mais jovem, mais colágeno uma pessoa tem. Com o passar dos anos, os estoques naturais de colágeno vão diminuindo e as primeiras rugas surgem.
Suplementos da proteína estão se tornando cada vez mais famosos em diversos programas de TV ao redor do mundo, sempre com alegações de antirrugas ou com poder de combater o envelhecimento.
Atualmente, a cerveja está sendo vendida em Hokkaido. A empresa não divulgou oficialmente o quão eficaz a cerveja se mostrou em estudos científicos.
Mas, o que a Ciência sabe é que, ao se tomar colágeno, você não irá fornecê-lo diretamente para suas células. No sistema digestório existem enzimas chamadas proteases, que vão quebrar o colágeno em milhões de minúsculas unidades chamadas aminoácidos.
Estes aminoácidos serão usados pelo corpo para compor novas proteínas dentro das células – as mais diversas possíveis – dentre elas, o colágeno.

11.236 – Biologia – Desvantagem na Beleza (?)


Pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, analisaram uma série de estudos relacionados ao efeito da beleza física na vida social e chegaram a uma conclusão surpreendente. Apesar de reconhecerem que, inconscientemente, a atração física é associada à inteligência ou ao sucesso, eles encontraram inúmeras desvantagens para as pessoas bonitas.
Esse padrão é mais comum para mulheres, que poderiam se achar menos aptas para cargos de maior responsabilidade e autoridade pelo fato de serem belas. Ainda na área do trabalho, costuma ser conflituoso, durante o recrutamento, se o entrevistador considerar o candidato como mais atraente que ele, o que acabaria trazendo dificuldades em conseguir a vaga para os mais bonitos. Os pesquisadores retomaram um estudo de 1975, segundo o qual as pessoas tendem a se distanciar mais ao cruzar com uma mulher atraente do que com uma menos atraente.
É a ambivalência de uma virtude: apesar de transmitir poder, também faz com que os demais sintam que não podem se aproximar. E isso acontece de tal maneira que, de acordo com um estudo baseado em dados de um portal de encontros na internet, há quem se sinta intimidado pela beleza; por isso, prefere pessoas “menos perfeitas”.

11.033 – Genética – Finalmente o fim da Calvície?


calvicie-celulas-tronco-

Uma boa notícia para os carecas: pesquisadores estão usando células-tronco pluripotentes humanas para gerar novos cabelos. O estudo, realizado no Instituto de Pesquisa Médica Sanford-Burnham, nos EUA, representa o primeiro passo para o desenvolvimento de um tratamento à base de células para as pessoas com a perda de cabelo.
Segundo a Organização Mundial de Saúde, metade da população masculina do planeta tem algum grau de calvície até os 50 anos, e esse percentual tende a subir com o avanço da idade.
“Nós desenvolvemos um método que utiliza células-tronco pluripotentes humanas para criar novas células capazes de iniciar o crescimento do cabelo humano. O método é uma melhoria significativa em relação aos métodos atuais que dependem do transplante de folículos pilosos existentes de uma parte da cabeça para outra”, explica Alexey Terskikh, professora do Programa de Desenvolvimento, Envelhecimento e Regeneração em Sanford-Burnham. “O método de células estaminais fornece uma fonte ilimitada de células a partir do paciente para o transplante”.
A equipe de pesquisa desenvolveu um protocolo que induziu células-tronco pluripotentes humanas a se tornarem células da papila dérmica, uma população única de células que regulam a formação de folículos de cabelo e seu ciclo de crescimento. As células da papila dérmica humana por si só não são adequadas para o transplante de cabelo, porque não podem ser obtidas em quantidades necessárias, e rapidamente perdem a sua capacidade de induzir a formação de cabelo.
“Em adultos, as células da papila dérmica não são facilmente ampliadas fora do corpo e rapidamente perdem suas propriedades”, diz Terskikh. “Nós desenvolvemos um protocolo para fazer com que células-tronco pluripotentes humanas se tornassem células da papila dérmica e confirmamos sua capacidade de induzir o crescimento do cabelo, quando transplantadas em ratos”.
O próximo passo é transplantar essas células derivadas de células-tronco pluripotentes humanas em seres humanos. “No momento, estamos buscando parcerias para implementar esta etapa final”, projeta a pesquisadora.

10.950 – Curiosidades – Por que o smoking tem esse nome?


Porque ele foi feito para ser um “traje de fumar”. Criado na Inglaterra por volta de 1860, o “smoking jacket” era originalmente uma casaca de veludo ou caxemira com uma gola grossa e punhos acolchoados usada por fumantes de charuto ou cachimbo para proteger a roupa do cheiro e das cinzas. Em um encontro com o príncipe de Gales, o aristocrata norte-americano James Potter ficou maravilhado com a indumentária e pediu uma igual. Ao retornar ao seu país, Potter passou a usá-la no Tuxedo Park Club, um clube de elite de Nova York, e foi copiado pelos colegas – esse é o motivo pelo qual o smoking é conhecido como “tuxedo” nos EUA. Com o passar do tempo, o item sofreu modificações e deixou de ser associado ao ato de fumar. Ganhou lapelas de seda ou cetim e é sempre usado com camisa branca e gravata-borboleta.

9943 – Como surgiu o costume de pintar as unhas?


As primeiras unhas pintadas surgiram provavelmente na China, por volta de 3 000 a.C. As cores do “esmalte” estavam relacionadas com a posição social do indivíduo – homem ou mulher. Durante a dinastia Chou, no século 7 a.C., apenas os membros da família real podiam usar uma pasta dourada ou prateada na unha – as cores reais mudariam mais tarde para vermelho e preto. Ao redor do ano 30 a.C., pintar as unhas era moda também entre os egípcios, que mergulhavam os dedos em tintura de hena. Mulheres das classes menos favorecidas só estavam autorizadas a pintar as unhas com tons claros.
No reinado de Cleópatra, por exemplo, só ela podia usar vermelho para colorir sua unha. Desobedecer à ordem dava punição severa – às vezes, até morte.
Os primeiros esmaltes eram feitos de uma mistura de goma arábica, cera de abelha, clara de ovo e gelatina. Hoje, o esmalte é uma variação da tinta usada em pintura de carros. “Antes da década de 20, costumava-se passar óleo nas unhas e depois lustrá-la, hábito que indicava status”.

9274 – Por que os índios não têm barba?


É possível encontrar índios de algumas tribos com bigodes e, mais raramente, alguns que usam barba. É o caso dos guatós, que vivem no Pantanal, no Mato Grosso do Sul, e hoje estão quase extintos. Mas eles são exceção. Em regra, existem três razões principais para que existam poucos índios barbados.
Razão cultural
A maioria dos índios raspa os pelos do rosto ou os arranca fio a fio simplesmente por considerar a barba um troço anti-higiênico e antiestético.
A população indígena que vive atualmente no continente americano tem origem em povos que habitavam o norte e o centro da Ásia. “A ausência de barba é uma característica dos índios brasileiros que bate com a herança de seus ascendentes, os grupos asiáticos, que também têm poucos pelos”.
A barba nunca foi um “acessório” essencial para os índios que se estabeleceram em regiões tropicais, como é o caso do Brasil. Os pelos, você sabe, servem para reter calor. Se nossos índios vivessem num clima frio, provavelmente eles ostentariam barbas espessas, como os nativos dos povos de origem européia. Já no nosso Brasil-il-il, um índio tipo Tony Ramos ou Lula passaria um bruta calor. Por aqui, os povos indígenas desenvolveram um outro mecanismo para não sofrer tanto com o clima local.

7653 – Se a moda pega… – Roupa pró-paquera


Os dois irmãos estilistas suíços Daniel e Marcus Freitag já eram conhecidos por criar uma bolsa em estilo “carteiro”, feita com lona de caminhão, que causou furor entre os jovens, em 1999. Agora a dupla inventou mais uma moda. Cada peça bolada por eles para a Skim.com, uma loja suíça de roupas e acessórios, traz um número mágico estampado. Funciona assim: se o seu número é 0123,basta entrar no site skim.com e se cadastrar. Automaticamente você passa a ter o e-mail 0123@skim.com. Depois disso não estranhe se receber um e-mail daquela pessoa que estava sentada ao seu lado no metrô. Para quem é ruim no xaveco, nada melhor. Em vez de tomar coragem e conversar com a garota de jaqueta marrom, apenas anote os algarismos e mande um e-mail. “A idéia é criar uma ponte entre duas realidades: o mundo digital e as ruas”, disse Johne Eisenhut, co-fundadora da Skim.com, ao site de notícias americano WiredNews. Todas as peças podem ser compradas pela Internet.

7500 – Estética – Por que a calvície atinge principalmente os homens?


Porque eles normalmente possuem uma quantidade muito maior que as mulheres do hormônio testosterona. Ela estimula a secreção da glândula sebácea à qual o pelo está ligado, diminuindo a vida média do pelo e acentuando sua queda. A quantidade que se possui de testosterona é determinada geneticamente. Se o pai é calvo, ou algum dos antepassados da mãe, o homem terá probabilidade de ficar calvo também, diz um dermatologista do Hospital Albert Einstein.
Para alguns homens vaidosos, acompanhar pelo espelho o desaparecimento do topete de cabelos pode ser uma experiência desesperadora. Mas, de fato, não deixa de ser bizarro esse complexo de Sansão, personagem cuja força se originava na vasta cabeleira. Do ponto de vista funcional, os cabelos são supérfluos: teoricamente, serviriam para proteger a cabeça contra o excesso de frio ou dos raios de sol. Só que, no caso, um simples chapéu poderia substituí-los e, com certeza, a raça humana sobreviveria se todas as pessoas fossem carecas. Apesar da pouca utilidade, os fios que emolduram o rosto adquiriram o status de ingredientes fundamentais da beleza. Essa valorização vem impulsionando a ciência a trabalhar a serviço da estética. Os especialistas em Tricologia, a área da Dermatologia que estuda pêlos e cabelos, se empenham na investigação da calvície, buscando tratamentos eficazes, embora ainda desconheçam a cura definitiva do problema.
Desde a Antigüidade já se tentava resolver a questão dos carecas. Papiros egípcios de 4000 a.C. recomendavam que se aplicasse no couro cabeludo a mistura de partes iguais de gordura de leão, hipopótamo, jacaré, cabrito e cobra. O imperador romano Júlio César (100-44 a.C.) sonhava recuperar seus cabelos apelando para outra fórmula exótica, cuja receita incluía ratos domésticos queimados, dentes de cavalo, gordura de urso e vísceras de veado. Nas culturas orientais, ao contrário, principalmente entre os budistas, os monges rezavam para ficar calvos — a queda dos cabelos era interpretada como o desprendimento dos sentimentos mundanos. Infelizmente, a calvície não é freqüente em homens de origem asiática, assim como é mais rara em negros. Já em homens brancos, a careca não é, definitivamente, característica de uma minoria. Calcula-se que aos 65 anos, oito em cada dez homens de cor clara sejam calvos.
Em geral, a redução dos cabelos se inicia ao redor dos 20 anos de idade. No final do processo, que pode acontecer em poucos meses ou se estender por vários anos, notam-se desde discretas entradas, no alto da testa, até a cabeça toda lisa, quando resta apenas um tímido rodapé de cabelos, sobre as orelhas e a nuca — existem, enfim, casos de calvície em graus variados. Mas carecas totais, que não têm um fio de cabelo sequer, são um caso à parte: Não existe uma tendência hereditária para se ficar completamente careca.
O fato de o problema só afligir os homens também se explica pela Genética. “O gene da calvície é dominante no sexo masculino. ou seja, ele se manifesta mesmo quando herdado somente do pai ou só da mãe”. “E, ainda assim, essa herança se manifestaria na presença de hormônios masculinos. Como esses hormônios costumam ser muito baixos nas mulheres, os casos de calvície feminina são raros”.Teoricamente, para prevenir a calvície bastaria inibir a ação da testosterona, o que seria desastroso. A falta do hormônio tornaria o organismo do homem efeminado, além de causar impotência. Os cientistas, porém, buscam soluções alternativas.
Vinte ou trinta dias podem ser suficientes para o desastre: os cabelos começam a cair, até não restar nem sequer um único fio. Existem os chamados carecas totais — que os médicos preferem chamar de alopecias totais — não são determinados pelos genes. Netos e filhos de pessoas cabeludas podem exibir a cabeça inteira lisa, por causa de algumas doenças infecciosas, radiações ou certos médios para câncer, que costumam destruir a raiz dos cabelos. Existem ainda pessoas totalmente carecas devido a fatores emocionais: os cientistas garantem que situações estressantes provocam a perda de cabelos. Eles observam que, muitas vezes, tudo não passa do que chamam de eflúvio, a queda esporádica dos cabelos, percebida quando, por exemplo, a pessoa arrisca passar o pente. No entanto, há estressados que ficam completamente carecas — e o problema poderá não ter volta se a matriz do cabelo estiver morta. Resta aos pesquisa dores detectar quais substâncias, secretadas no organismo em situações de tensão, são capazes de matá-la.

5680 – Saúde, dieta e nutrição


Problemas de peso – Além do excesso de gordura, existem outros sinais que indicam excesso de peso:
Frequente falta de ar
Sensação de corpo pesado
Frequente sensação de calor
Juntas doloridas na parte inferior das costas, quadris, joelhos e etc.

O consumo excessivo de fibras associado a uma pobre dieta de proteínas pode ser prejudicial ao crescimento. Estudo feito em ratos demonstrou que a ingestão exagerada de grãos integrais, em vez de benéfica, pode interferir na forma como o organismo absorve os alimentos e na produção de hormônios fundamentais para o desenvolvimento.

Beliscar é prejudicial?

Não há mal em comer alguma coisa entre as refeições, desde que alimentos saudáveis. O problema é ingerir sem horário e controle grande quantidade de salgadinhos, batatas fritas, chocolate, balas, sorvetes etc. Estes são ricos em calorias açúcar, gordura e sal. É preferível frutas frescas ou legume cru. Fornecem pouca caloria, minerais e fibras.
O homem e a mulher tem depósitos de gordura sob a pele do corpo todo. As áreas onde, no homem as gorduras mais se acumulam são a região do abdomem, a parte externa dos ombros e a região dos mamilos. A mulher acumula gordura em torno dos antebraços, abdomem e nádegas. Também sob a pele dos seios e ao redor dos quadris e coxas.

Os 3 biotipos corporais:

Podemos identificar com maior facilidade três tipos corporais básicos. São eles: Os ectomorfos, os endomorfos e os mesomorfos. Os tipos corporais dizem respeito sobre a composição corporal de determinado individou e sua distribuição de gordura e músculos.
Ectomorfos são magros e possuem baixa porcentagem de gordura.
Endomorfos são “cheinhos”, com alta porcentagem de gordura.
Mesomorfos não são gordos nem magros. Eles possuem um físico naturalmente atrativo, além disso, seus músculos reagem mais rapidamente ao treinamento.
A maioria dos individuos não se encaixa em apenas um desses tipos. Possuímos características de um ou mais tipos físicos, apesar de um deles ser dominante.
A partir do tipo corporal, e de outras avaliações e testes, o profissional de educação física poderá estimar possiveis resultados, a dieta e o método de treino que você deverá seguir.

5538 – Homens ricos gostam de mulheres magras; pobres preferem gordinhas


Em testes com voluntários, outros pesquisadores dos EUA constataram que, quando os homens têm pouco dinheiro, tendem a desejar mulheres mais cheinhas. Mas quando têm a conta bancária gorda, preferem as mais magras.
A explicação é isso mesmo que vocês estão pensando. “Os homens que tinham a sensação de ‘escassez’ queriam mulheres que tivessem uns quilos a mais, quase como se a gordura da parceira pudesse protegê-los de passar fome“, diz o estudo.
Segundo os pesquisadores, a falta de dinheiro ativa um estado psicológico associado à pouca comida, à fome, à sensação de que precisamos de mais calorias – no caso, de gordura. E isso é refletido no interesse sexual. O efeito ficou ainda mais claro em um teste posterior, quando os cientistas fizeram entrevistas com diversos homens na porta de um restaurante e viram que, antes de comer, eles também demonstravam preferência pelas mulheres mais gordinhas e que, depois de satisfeitos, isso tendia a mudar.
A bonita e burra
A moça que nasce mais bonita que a média pode ter mais carinho dos pais (que tratam, sim, cada filho de forma diferente) e ser facilmente aceita entre os amigos. Mas essa herança pode ter um lado ruim: atraindo a atenção pela beleza, ela talvez não desenvolva artimanhas para se destacar, correndo o risco de ficar vazia e desinteressante.

2736 – Saúde & Estética:Dicas úteis para os pés


Deve-se cortar as unhas sempre retas, evitando cortar os lados. Isso evita que se encravem. Não ficar calçado durante muito tempo. Aumidade excessiva provoca uma inflamação em volta da unha, conhecida como unha de lavadeira. O deslocamento de lâminas da unha, geralmente é conseqüência do uso de esmalte que provoca um deslocamento. Nesse caso deve-se suspender o uso. Tirar sempre e cutícula é prejudicial, porque deixa a matriz exposta ás bactérias. A unha fica fraca quando o organismo não produz a proteína em quantidade suficiente. A solução indicada é comer vegetais, principalmente os verdes e amarelos. A unha que adquire o formato de uma colher virada para fora é comum em pessoas com anemia.

Varizes
As mulheres são mais propensas a essa disfunção. Para cada 4 mulheres um homem tem varizes. Durante a gravidez aumenta a taxa de progesterona, responsável pelo enfraquecimento da parede da veia , que a causa mais comum do aparecimento de varizes. Há no interior das veias um mecanismo valvular que se fecha, impedindo que o sangue enviado ao coração retorne. Quando tal mecanismo é prejudicado ocorrem varizes que nada mais são do que sangue congestionado. As paredes das veias são finas e se dilatam, não suportando o aumento da pressão. Varizes são o preço que o homem paga a natureza por não andar de 4. É uma demonstração da inadaptação a posição bípede. O retorno do fluxo sangüíneo das pernas para o coração é feito no sentido contrário ao da gravidade. Exercícios físicos e uma vida saudável ajudam na prevenção. Existem 2 tratamentos : a esclerose por injeções , feita em veias com menos de 2 mm ou a cirurgia vascular periférica, que pode ser feita com uma agulha de crochê. As aplicações são dolorosas e quase sempre deixam manchas na pele, que podem demorar muito a sumir se muito expostas aos raios solares.

A estética através dos tempos


A magérrima Carolina Ferraz

Todas as sociedades foram marcadas por padrões estéticos bem definidos, que serviam para a elite sinalizar seu diferencial em relação a maioria da população. A marquesa de Santos tinha formas arredondadas e flácidas.
Na virada do século 19 para o 20, os ricos buscaram uma silhueta mais fina. As mulheres alvíssimas passaram a se espremer em espartilhos. Em 1910 combatia-se o excesso de gordura com comprimidos de arsênico. Patrícia Galvão, uma escritora comunista antecipou um novo modelo de beleza, mais magra do que as gerações anteriores.
Com a 2ª Guerra mundial a incerteza e o racionamento alimentar se disseminaram e aí brilharam os perfis mais roliços. Martha Rocha perdeu o título de Miss Universo por causa de 2 polegadas a mais nos quadris. A anfetamina, arma de guerra para limitar o apetite dos soldados, tornou-se remédio para emagrecer.
A atriz Leila Diniz firmou-se como a musa da era da libertação sexual, ao expor o corpo bronzeado na Praia de Ipanema. Com a cultura Hippie, a comida vegetariana virou moda.
Carolina Ferraz é magra, alta, com músculos bem delineados, um modelo de beleza dos anos 90, numa luta permanente contra a balança, inclusive com uso de remédios.
A obesidade tem crescido nos setores populares, apesar da massificação de academias.