12.285 – Curiosidades – O homem que largou tudo para viver nas árvores


casa-avore-instagram-foster-hunting
Depois de dizer adeus a uma vida agitada de cidade grande, Foster Huntington viajou mais de 160 mil quilômetros até se estabelecer em uma casa que ele mesmo construiu sobre as árvores.
A história pode ser resumida assim: ele teve um sonho e resolveu ir atrás dele. Tudo começou em 2011, quando Foster deixou a movimentada de Nova York e um emprego cobiçado como designer da Ralph Lauren. Ele, então, dirigiu por mais de 160 mil quilômetros a bordo de um trailer, viajando e praticando surf e skate em todos os cantos da costa oeste norte-americana.
Finalmente, alguns meses atrás, Foster decidiu se assentar, embora, fiel ao seu estilo, de uma maneira pouco tradicional: construiu sua própria casa nas árvores, em uma colina do sudoeste de Washington. “Podia ter comprado uma casa. Mas isso é muito melhor. Para mim, é como realizar um sonho de infância”, afirmou o jovem de 27 anos.
E ele não só construiu uma, mas duas casas na árvore: a primeira funciona como um estúdio, um espaço para trabalhar; e a segunda é sua morada. As duas possuem uma lareira para serem aquecidas nas noites frias e se conectam entre si através de uma ponte. Além disso, ele também fez uma pista de skate e banheiras ao ar livre.

12.284 – Biologia – Os animais podem ter sentimentos mais complexos que os humanos


elefante
Se você convive com um bichinho de estimação, sabe que, de alguma forma, eles percebem quando os humanos estão tristes ou felizes. Mas esse tipo de comportamento não se restringe aos gatos e cachorros: estudos mostram que os cavalos conseguem entender algumas emoções dos humanos e que os corvos conseguem “ler os pensamentos” de outros animais da espécie – coisa que até então se acreditava que só os humanos eram capazes de fazer.
Essa crença fez com que a pesquisa relacionada aos sentimentos dos animais ficasse estagnada. Ao supor que determinadas emoções eram restritas aos humanos, os cientistas deixaram de fazer perguntas (e, consequentemente, pesquisas) relevantes sobre como são os sentimentos no mundo animal.
Carl Safina, professor da Universidade de Stony Brook, nos Estados Unidos, foi contra a corrente e começou a levantar questionamentos sobre o assunto. As perguntas o levaram a realizar uma pesquisa que, por sua vez, resultou no livro Beyond Words: What Animals Think and Feel, lançado em julho de 2015.
“Acho importante sabermos com quem estamos na Terra. Nós discutimos a conservação de animais em números, mas eles não são só números”, disse o pesquisador em entrevista à National Geographic. “Tenho observado animais durante toda a minha vida e sempre fico impressionado com as semelhanças entre eles e os humanos.”
O professor acredita que o debate em relação à possibilidade de os animais terem sentimentos ou não nem deveria existir. “Se você observar mamíferos ou até mesmo aves, verá como eles respondem ao mundo. Eles brincam. Eles ficam com medo quando estão em perigo, relaxam quando as coisas estão bem”, diz. “Não parece lógico pensar que os animais não estejam experimentando emoções como o medo e a o amor.”
Quando os elefantes asiáticos veem outro animal da espécie bem agitado, tendem a tocá-lo até ficar mais tranquilo. “É uma espécie de ‘shh, está tudo bem’, muito parecido com o que os humanos adultos fariam para tranquilizar um bebê”, explica o cientista Joshua Plotnik em entrevista ao Discovery.
Existem estudos que conseguiram confirmar, por meio do teste do espelho, a capacidade de algumas espécies de reconhecerem a si mesmos. Trata-se de um experimento bastante utilizado por cientistas em que os animais são colocados em frente a um espelho. Para “passar” no teste, os animais têm que ficar envolvidos com seus próprios reflexos, examinando a imagem de seus corpos, o que indica que reconheceram suas representações. Animais como macacos e golfinhos estão entre os que passaram na experiencia.
Safina aponta ainda que pesquisadores que passam bastante tempo em campo conseguem perceber traços de personalidade nos animais que estão estudando. Assim como os humanos, os animais têm personalidades diferentes. De acordo com o professor, alguns são tímidos, outros agressivos ou tranquilos.

12.283 – Acredite se Quiser – Anestesia mal aplicada transforma paciente em cleptomaníaca


Cleptomania_0
Os médicos sabiam que algo estava errado quando sua paciente de 40 anos – cujo nome não foi revelado – acordou do procedimento múltiplo de lipoaspiração, implante de silicone e outras reformas gerais. Sentia-se confusa e letárgica e tinha problemas de memória. Fizeram então dois tipos de tomografia, que revelou danos na região do núcleo caudado, relacionado à memória e aprendizado. Esse é um risco da anestesia: o acidente foi causado por má oxigenação durante o procedimento.
Após sua aparente recuperação, ela foi mandada para casa. E, então, uma coisa bizarra aconteceu: ela passou a ter pensamentos recorrentes e compulsivos de roubar coisas. Que só se acalmavam quando ela cedia, estendia suas mãos leves e saía com os pertences alheios.
Um dia, ela estava comprando um presente para o amigo de sua filha numa loja e sentiu a vontade irresistível de pegar um item da prateleira – que ela tinha mais que o suficiente para pagar – e enfiar na sua bolsa. Um segurança viu e ela foi mandada para a delegacia. Acabou liberada quando se provou que o roubo era causado por dano neurológico, não na moral e bons costumes.
Os estranho caso foi publicados no journal BGM Case Reports, onde médicos compartilham suas histórias mais peculiares. O estudo foi comandado pelo brasileiro Fábio A. Nascimento, da Universidade de Toronto (Canadá), que caiu de estar no Brasil no mesmo dia, acompanhando as tomografias. A cirurgia foi em 2013. O dano não era permanente e a mulher se recuperou, não roubando mais nada e curtindo seu novo visual.

12.282 – Mega Byte – Novo Wi-Fi consome 10 mil vezes menos energia e economiza bateria do smartphone


roteador
Pesquisadores da Universidade de Washington desenvolveram um sistema de Wi-Fi que tem como objetivo economizar a bateria dos dispositivos móveis. Tradicionalmente, boa parte da bateria de celulares e tablets é consumida na tarefa de buscar conexões o dia todo. O “WiFi passivo” usa menos energia do que uma conexão comum e chega a ser mais eficiente do que ele.
De acordo com os pesquisadores, o sistema utiliza 10 mil vezes menos energia do que os métodos convencionais, além de oferecer velocidades de transferência de até 11 megabits por segundo. Ele ainda consegue funcionar sem problemas a uma distância de até 3,3 metros.

Como funciona?
O Wi-Fi passivo recebe ondas analógicas em seus sensores, que praticamente não usam energia. De lá, elas são refletidas com um switch digital, o que é chamado de “Wi-Fi packets”. Segundo os pesquisadores, esse sinal é capaz de atingir grandes velocidades.
O novo padrão Wi-Fi é compatível

12.281 – Alívio pro seu Bolso – Ligações de telefone fixo para celular ficam mais baratas em todo o Brasil


fone fixo
O governo federal oficializou na última sexta-feira, 26 de fevereiro, uma nova tabela de tarifas telefônicas que reduz o preço das ligações de telefone fixo para celulares em todo o Brasil. Não só ligações locais, mas também as interurbanas ficarão entre 15% e 22% mais baratas com a nova determinação.
Com a unificação das tarifas, uma ligação feita a partir de um telefone fixo para uma linha móvel de longa distância terá o mesmo custo de uma chamada local. Segundo a gência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a nova regra vale para todas as operadoras.
O volume da redução, porém, vai depender de alguns fatores técnicos. Em média, a queda nos preços ficará assim:

Telefônica/Vivo – 14,95%
Sercomtel – 17,80%
Brasil Telecom – 18,52%
Algar Telecom – 19,25%
Telemar Norte Leste – 22,35%
Já em casos de ligação interurbana em que o primeiro dígito do DDD discado é igual ao número de origem – por exemplo, chamadas de São Paulo (DDD 11) para Campinas (DDD 19) – a redução no valor da tarifa é um pouco menor. A queda no preço, nesse caso, será a seguinte:

Telefônica/Vivo – 9,15%
Brasil Telecom – 9,79%
Claro – 9,91%
Sercomtel – 10,38%
Telemar Norte Leste – 13,06%
Algar Telecom – 14,04%
Quando o primeiro dígito do DDD do número a ser telefonado for diferente – uma ligação de São Paulo (11) para Salvador-BA (71), por exemplo – a redução do preço será maior. Desse modo, ligar para locais mais distantes do Brasil será mais barato do que ligar para cidades vizinhas. Veja de quanto será a queda nesse caso:

Telefônica/Vivo – 7,73%
Brasil Telecom – 8,32%
Claro – 8,37%
Sercomtel – 8,86%
Telemar Norte Leste – 11,05%
Algar Telecom – 11,80%

12.280 – Cientistas aguardam nascimento raro de ‘dragões’ em caverna na Eslovênia


dragao
Em uma caverna visitada por um milhão de turistas todos os anos, um anfíbio pouco estudado colocou ovos que estão causando grande expectativa.
Acredita-se que o Proteus anguinus, o proteus, uma salamandra cega encontrado em rios de cavernas nos Bálcãs, viva por mais de cem anos, mas se reproduza apenas um ou duas vezes por década.
Uma fêmea em um aquário da caverna Postojna, na Eslovênia, colocou entre 50 e 60 ovos – e três estão mostrando sinais de crescimento.
O proteus é uma espécie de ícone na Eslovênia, onde aparecia em moedas antes da chegada do euro. Há centenas de anos, quando enchentes expulsavam as criaturas para fora das cavernas, eram tidas como bebês de dragões.
Ninguém sabe quantos filhotes irão sair dos ovos e nem sequer quanto tempo isso vai levar.
Ele e seus colegas tiraram fotos com exposição muito alta na escura caverna para reunir indícios de que os pequenos ovos estão se desenvolvendo.
“Ela começou a colocar ovos em 30 de janeiro. Ela ainda está colocando um ou dois ovos por dia, e eles precisam de cerca de 120 dias até o animal nascer.”
Essa estimativa por alto, explica ele, é baseada no conhecimento adquirido com uma colônia dos anfíbios estabelecida na década de 1950 em um laboratório subterrâneo nos Pirineus franceses para estudar aspectos da vida biológica em cavernas.
Mas lá eles vivem um uma água uma pouco mais quente, com temperatura de 11º C.
“Na nossa caverna é um pouco mais frio, 9º C, então tudo vai durar mais.”
É uma oportunidade única de observar o enigmático proteus se reproduzindo na mesma caverna onde morou por milhões de anos.
“É muito significativo porque não há muitos dados sobre a reprodução deste grupo de animais”, disse Dusan Jelic, pesquisadora do programa Edge da Sociedade Zoológica de Londres que estuda proteus mergulhando em cavernas na Croácia.
Em 2013, outro proteus de Postojna colocou ovos, mas nenhum deles vingou e muitos foram comidos por outros proteus do tanque.
Desta vez, precauções foram tomadas. Todos os animais, exceto a mãe, foram removidos e o aquário está protegido da luz. Oxigênio extra está sendo adicionado de forma artificial.
“Agora cabe a eles”, diz Weldt.
Uma câmera infravermelha transmite imagens a uma tela próxima para que a equipe da caverna, assim como os turistas, possam ver o que acontece.
Quase não há movimento, mas às vezes a fêmea proteus se mexe para checar os ovos, colocar mais um ou se proteger de anfípodes – crustáceos pequenos e famintos que ela não pode ver, mas que detecta usando órgãos eletrossensíveis em seu focinho.
Nas últimas semanas, a “mãe dragão” do Postojna virou uma celebridade e, agora, leva uma grande expectativa em seus pequenos ombros.
Mas o peso também é sentido pelos biólogos da caverna.

12.279 – Saúde – Queda em casos de HPV em adolescentes nos EUA é devido a vacina


hpv
A prevalência de infecções do papilomavírus humano (HPV) entre adolescentes nos Estados Unidos caiu mais de 60% desde que a vacina contra o vírus foi introduzida no país, há uma década.
Os dados são do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos EUA. No Brasil, a vacina também é oferecida, por isso esses resultados são empolgantes.
Segundo informações do Ministério de Saúde brasileiro, a cada ano, no país, surgem 15 mil novos casos de infecções por HPV e 5 mil mulheres morrem. A vacina é a melhor forma de prevenção, por isso é distribuída de graça nos postos de vacinação.

Os resultados
Os pesquisadores descobriram que, no prazo de seis anos da introdução da vacina em 2006, a prevalência do HPV entre as meninas com idades entre 14 a 19 anos diminuiu 64%.
Entre mulheres de 20 a 24 anos, a prevalência diminuiu em 34% durante o mesmo período de tempo.
Os resultados sugerem que a vacina “é muito eficaz”, disse a autora do estudo Dra. Lauri E. Markowitz.
Na maioria dos casos, o vírus vai embora por conta própria, mas em pessoas com infecções persistentes, o HPV pode causar verrugas genitais e alguns tipos de câncer, incluindo câncer de colo do útero, pênis, ânus e cavidade oral.
As vacinas oferecidas

No estudo, os pesquisadores utilizaram registros do CDC e de uma pesquisa anual de nutrição e saúde que envolve entrevistas e exames físicos. Eles analisaram dados sobre a percentagem de adolescentes e mulheres jovens infectadas com HPV entre 2003 e 2006, pouco antes de a vacina ser introduzida, e entre 2009 e 2012, anos depois.
11,5% das meninas com idades entre 14 a 19 foram infectadas com HPV antes de a vacina ser introduzida em 2006. Esse percentual caiu para 4,3% entre 2009 e 2012. Entre mulheres com idades entre 20 a 24, a prevalência caiu de 18,5% para 12,1% nos anos depois da vacina.
Três tipos de vacina contra o HPV estão disponíveis nos EUA, e pesquisas têm demonstrado que todas funcionam bem para prevenir infecções. Uma é a bivalente, que tem como alvo duas estirpes do vírus, outra é a quadrivalente, que tem como alvo quatro estirpes e a mais nova, a 9-valente, licenciada em 2014, tem como alvo os mesmos quatro estirpes do vírus que a quadrivalente, além de cinco estirpes adicionais.

Vacine seus filhos
Embora os novos resultados sejam encorajadores, o número de jovens que receberam a vacina aumentou mais lentamente do que os pesquisadores esperavam nos EUA.
De acordo com dados recolhidos pelo CDC nos últimos anos, apenas 42% das meninas e 22% dos meninos de 13 a 17 anos receberam as três doses recomendadas da vacina.
O CDC atualmente recomenda a vacina contra o HPV para meninas e meninos de 11 ou 12 anos de idade, administrada em três doses ao longo de seis meses.
No Brasil, a recomendação é de que toda menina de 9 a 13 anos receba as três doses da vacina, que podem ser adquiridas gratuitamente e estão incluídas no Calendário Nacional de Vacinação. É só procurar uma Unidade de Saúde do SUS para recebê-las.

12.278 – Arqueologia – A cidade que poderá surgir do fundo das águas


Fundada pelo rei trácio Seutes III e construída entre 325 a.C. e 315 a.C, suas ruínas foram descobertas na região central da Bulgária em 1948, durante a construção de uma importante represa. Em 1954, o lago transbordou e a antiga cidade desapareceu sob a água.
Modelo da engenharia civil e do planejamento, Seutópolis ficou por décadas debaixo d’água, o que favoreceu sua conservação. Em 2005, surgiu o projeto para descobrir, preservar e reconstruir a cidade, cercando as ruínas com uma parede circular que delimita o local como Patrimônio da Humanidade, e que poderá se tornar uma grande atração mundial do turismo histórico.
De acordo com o planejado, os visitantes serão transportados ao local através de barcos e, lá, poderão observar a cidade a 20 metros de altura. Essa atração será incrementada com cafés, restaurantes e centros de lazer e recreação, como um serviço de pesca. No nível superior do dique, haverá um museu, uma sala de conferências e um hotel. Essa parede circular de 420 metros de diâmetro, conhecida como “o anel”, “é uma fronteira entre o passado e o presente, a história e a contemporaneidade, a terra e a água…”, conforme explicaram seus criadores.
A exposição in situ das ruínas da cidade submersa de Seutópolis será parte integral do chamado Vale dos Reis Trácios.

12.277 – Saúde – O que acontece quando alguém tem um surto depressivo?


grafico depressao
A doença muitas vezes é vista como uma frescura e é tratada como se fosse tabu. Ainda assim, Boechat não está sozinho. Um estudo realizado pela Federação Mundial de Saúde Mental mostra que uma em cada 20 pessoas tem depressão. A instituição estima que a doença afeta cerca de 350 milhões de pessoas ao redor do mundo.
“Os quadros de depressão podem ser leves e às vezes são confundidos com questões de personalidade, como se fosse um tipo de frescura”.
A depressão é causada por dois fatores: a genética e o ambiente. Isso significa que aqueles que têm um histórico familiar de depressão correm um risco maior de serem afetados pela doença. E algumas características do ambiente de convivência do indivíduo, como estresse e pouca valorização, podem ser decisivas para a saúde dele. Fora isso, há uma série de eventos que ocorrem ao longo da vida que podem levar alguém a ter depressão. O luto e o período pós-parto, por exemplo, são alguns deles.
Quem tem a doença sofre alterações no córtex pré-frontal, região do cérebro responsável pela tomada de decisões e julgamentos do que é certo e errado. Muda também a neuroplasticidade, ou seja, a capacidade dos neurônios de se comunicarem entre si. A sensação que um indivíduo tem durante um surto depressivo, segundo o psiquiatra, é de dificuldade em processar informações e agir, como se o cérebro não estivesse funcionando muito bem.
Ao longo do surto o corpo também sofre outros tipos de alterações, como o aumento na produção de cortisol. O excesso do hormônio aumenta a adrenalina no sangue e faz com que a variabilidade da frequência cardíaca do paciente diminua.
O tratamento para a doença varia de acordo com a gravidade. De acordo com André Brunoni, quadros leves e moderados podem ser tratados a partir de mudanças no estilo de vida, como exercícios e alimentação. Em casos mais sérios, é necessário contar com a ajuda de antidepressivos.
Como nem todos os pacientes podem adotar a medicação, seja por conta de outros remédios ou condições pessoais, novas técnicas de tratamento estão sendo desenvolvidas. Uma delas é a estimulação magnética transcraniana, na qual um pulso eletromagnético é gerado no córtex pré-frontal de forma a estimular a neuroplasticidade. “Essa técnica não tem efeitos colaterais, o que é muito importante pois é comum que pacientes melhorem por conta dos remédios, mas sofram com ganho de peso, perda de libido, problemas gastrointestinais. Se elas param de tomar a medicação, a depressão volta e cria-se um ciclo vicioso”, afirma Brunoni.
No momento, o psiquiatra e outros profissionais da área estão pesquisando a possibilidade de o tratamento ser mais eficaz que o uso de medicamentos. Por isso, farão o estudo a partir de 240 voluntários – ainda há 40 vagas, os interessados podem entrar em contato com os pesquisadores através do e-mail pesquisa.depressao@gmail.com.
Dados do Instituto de Psiquiatria da USP mostram que 15% das pessoas terão algum tipo de depressão ao longo da vida. Com tanta gente propensa a ser afetada por essa doença, relatos como o de Boechat e outros profissionais que atingem um maior número de pessoas, como Dan Harris, apresentador do programa americano Good Morning America, e da jornalista e roteirista Mariliz Pereira Jorge, são importantes e necessários.

12.276 – Sós no Universo? Estudo sugere que não existe nenhum planeta como a Terra nesse universo


irmas da Terra
Uma equipe de astrônomos de diversas universidades ao redor do mundo fizeram um censo de exoplanetas e, partir dele, estimam que não existe nada como a Terra pelo universo que habitamos. Os resultados foram publicados recentemente no periódico científico The Astrophysical Journal.
Eles fizeram uma compilação de todos os exoplanetas terrestres que existem – foram descobertos dois mil deles, mas estima-se que existam 700 quintilhões no universo. Com esses dados foi possível fazer uma simulação no computador.
Em um primeiro momento, os astrônomos criaram uma espécie de mini universo que continha os modelos das primeiras galáxias. A partir disso, as leis da física foram aplicadas e, a partir daí, os cientistas conseguiram simular com as galáxias crescem e como os planetas se desenvolvem. Os astrônomos aceleraram a simulação em 13,8 bilhões de anos de história cósmica.
Os dados mostram que a formação da Terra é única entre todos. Isso porque, de acordo com os cálculas, o nosso planeta é uma espécie de anomalia: não há nenhum outro na Via Láctea que seja mais velho, maior e tenha a capacidade de sustentar vida.
“É supreendente que estejamos em um ponto em que finalmente conseguimos fazer esse tipo de coisa”, disse Andrew Benson, coautor do estudo, em entrevista ao Scientific American.
Como aponta o Science Alert, os cientistas admitem que essas previsões possam ter falhas, ainda mais considerando o quão pouco se sabe sobre os exoplanetas. “Claro que há bastante incerteza nesse tipo de cálculo, nosso conhecimento dessas parcelas é imperfeito”, disse Benson. Ainda assim, ter a possibilidade de fazer esse tipo de simulação é incrível – e pode trazer muitos benefícios para os estudos astronômicos nos próximos anos.

12.275 – Saúde – Risco de morrer de câncer diminui após os 70 anos


Dados_morte_0_1
Se você passar dos 70 anos sem nunca ter enfrentado um câncer, como aconteceu com Mick Jagger e Keith Richards, que têm 72 anos, talvez você jamais morra disso. Segundo dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, a partir dos 70, as mortes por conta de tumores malignos começam a cair – tanto em homens como em mulheres.
Em ambos os sexos, o câncer passa a ser culpado por menos de 30% das mortes após os 70 anos. E cai para menos de 25% após oito décadas de vida.
É que o principal vilão na terceira idade é outro: o sistema circulatório. Doenças desse tipo acabam com a vida de quase 30% da população de idosos. Mas não são as únicas vítimas fatais dessas doenças. Mortes por complicações circulatórias começam a aumentar a partir dos 20 anos – e nunca mais param de crescer entre as citações mais comuns nos atestados de óbitos.
No geral, esses dois tipos de doenças acabam com a vida de mais da metade da população. Câncer mata 22% das pessoas, enquanto doenças circulatórias respondem por 33% das mortalidades.
Dados morteFlowingdata
Os dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, incluem as causas mortis de americano entre os anos de 2005 a 2014.

12.274 – Sociologia: Uma nova ameaça – Profissionais que ganham menos correm mais risco de perder emprego para robôs


robo ressicitador
O governo dos Estados Unidos está começando a se preocupar com os seus trabalhadores. De acordo com um relatório econômico publicado pela Casa Branca, os profissionais com os menores salários têm maiores chances de serem substituídos por robôs.
Segundo o documento, 83% das pessoas que ganham menos de US$ 20 por hora podem perder o emprego para as máquinas, enquanto aqueles que ganham até US$ 40 por hora têm 31% de chance de perder a vaga para robôs. Já os profissionais com salários acima disto tem uma probabilidade de apenas 4%.
Apesar de a automatização ter sido responsável por um crescimento de 16% na produtividade entre 1993 e 2007 e os robôs terem trazido benefícios na qualidade de vida das pessoas, a preocupação do governo é com os efeitos da troca de um trabalhador por um robô.
Com a falta de empregos, profissionais se submetendo a trabalhos com salário cada vez mais baixo e o alto custo da educação superior, a tendência é de que haja um aumento expressivo da desigualdade. O relatório ainda identifica que alguns economistas acreditam que as mudanças na tecnologia são já parcialmente responsáveis pelo aumento da desigualdade nas últimas décadas.

12.273 – Mega Polêmica – Cientistas brasileiros criticam uso de peixe contra larvas do aedes


mosquito2

Um grupo de cinco pesquisadores incluindo brasileiros e estrangeiros publicou uma carta na revista científica “Science” criticando o uso de peixes no controle das larvas de mosquito, notadamente o Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e febre amarela.
A espécie mais usada para essa finalidade é o Poecilia reticulata, também conhecido como “guppy” (barrigudinho) ou como “mosquito fish” (peixe mosquito).
É um peixe pequeno: as fêmeas, que podem chegar a seis centímetros de comprimento, são maiores que os machos, que atingem meros 3,5 cm. Nativo do norte da América do Sul (incluindo a Amazônia brasileira, mas não o resto do país) e do Caribe, ele foi descrito pela primeira vez na Venezuela.
A espécie hoje é comum em muitos países, seja por sua introdução acidental –o barrigudinho é popular em aquários domésticos–, seja proposital, como tentativa de controle de mosquitos.
“Diversos municípios brasileiros têm encorajado o uso de espécies não nativas do gênero Poecilia como forma de controle do A. aegypti, uma vez que eles comem suas larvas. Essa estratégia é equivocada”, escreveram os pesquisadores na carta, cujo principal autor é Valter M. Azevedo-Santos, do Laboratório de Ictiologia, Departamento de Zoologia, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu (SP).
Os pesquisadores consideram que, por serem espécies invasivas, esses peixes afetam a biodiversidade dos rios e lagos, diminuindo a presença de espécies nativas. O Aedes aegypti, no entanto, também é uma espécie invasiva.
Embora esteja muito longe de ser um predador no topo da cadeia alimentar, o “barrigudinho” provoca estragos quando inserido. Ele pode, por exemplo, se alimentar de ovos de outras espécies, ou transmitir vermes aos peixes nativos. Essas interferências já foram observadas nos Estados americanos de Nevada, Wyoming e Havaí.
O pequeno peixe também é prolífico. Em vez de colocar ovos na água, os ovos de Poecilia são gestados dentro do corpo da mãe, e literalmente “ejetados” na hora do nascimento. Nascem minúsculos, pouco maiores que um grão de arroz, mas já aptos para nadar, se esconder e procurar comida (em suma, para tentar sobreviver).

12.272 – Economia – Telefônica registra queda de 10% nos lucros no final de 2015


chips
A Telefônica Brasil anunciou os resultados fiscais do último trimestre de 2015. Entre outubro e dezembro, a empresa registrou um lucro líquido de US$ 1,1 bilhão de reais, uma queda de 10% em relação ao mesmo período de 2014. A operadora fechou o ano de 2015 com 96,8 milhões de linhas, uma queda de 6,3% em relação ao ano anterior.
No período, as linhas móveis pré-pagas caíram 18,2%. Segundo a Telefônica, a queda reflete a “política restritiva de desconexão de clientes não rentáveis, evidenciando o foco em clientes de maior valor”.

Internet móvel
Enquanto o número de linhas pré-pagas caiu, o faturamento com a internet móvel teve aumento de 52,9% em relação ao ano de 2014, gerando US$ 2,1 bilhões de lucro.

TV por assinatura
A TV por assinatura também cresceu em 2015. De acordo com a empresa, o aumento foi de 9,7, com 1,7 milhão de assinantes.

Inadimplentes
Entre outubro e dezembro do ano passado, o número de clientes devedores também caiu, atingindo os 272 milhões, uma queda de 4,8% em relação ao mesmo período de 2015.

Investimentos
Para 2016, a Telefonica prevê um investimento de R$ 8,9 bilhões no país, um aumento de 7,1% em relação a 2015.

12.271 – Mega de olho na crise – Desemprego nas metrópoles sobe para 7,6% em janeiro, indica IBGE


A taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do país avançou para 7,6% em janeiro, acima dos 6,9% verificados em dezembro do ano passado, informou o IBGE nesta quinta-feira (25 de fevereiro de 2016).
Trata-se da maior taxa para o mês desde 2009, quando foi de 8,2%. Na comparação com o mesmo mês do ano passado (5,3%), o índice teve um incremento de 2,3 pontos percentuais.
O resultado veio melhor que as expectativas de economistas e instituições financeiras ouvidos pela agência internacional Bloomberg. O centro das expectativas da taxa de desemprego era de 8% no mês passado.
O aumento de desempregados era esperado, e não só por causa da crise econômica. Normalmente, a taxa cresce no mês por causa da dispensa dos trabalhadores temporários contratados no final do ano.
“Sabemos que em dezembro de cada ano registra-se a taxa mais baixa do ano. E, janeiro, normalmente temos a taxa mais alta. Isso também aconteceu nos anos anteriores”, disse Adriana Beringuy, técnica da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE.

12.270 – Estatura – Ficamos mais altos a cada geração


Principalmente nos países desenvolvidos. Apesar do crescimento ser limitado pela genética, uma melhora na dieta e nas condições de saúde trazem centímetros a mais. O consumo de proteínas estimula a produção de células dos tecidos ósseos e musculares, acelerando o crescimento. Analisando as últimas 3 gerações, foi constatado um aumento de 3 cm por década. Mas o caso mais exemplar é no Japão. Antes da 2ª Guerra mundial, a dieta japonesa era pobre em cálcio e proteína animal e todo mundo era tampinha. Depois da década de 1950 o cardápio ficou mais rico e hoje a média de estatura é de 1,71 M.

12.269 – Curiosidades – Como funcionam os adesivos que brilham no escuro?


adesivos
Esses adesivos – que parecem nunca sair de moda – funcionam graças a uma substância chamada sulfeto de zinco, que tem a propriedade de emitir um brilho amarelo-esverdeado depois de exposta à luz. O sulfeto de zinco é um composto fosforescente. Ao absorver partículas luminosas, ou fótons, os seus elétrons são estimulados e “chutados” para longe do núcleo. Quando você desliga o interruptor do quarto – que, aliás, também é feito do mesmo material, justamente para que você possa enxergá-lo no escuro –, o estímulo acaba e os elétrons retornam, aos poucos, para seus lugares de origem. Na volta eles devolvem a energia absorvida, também em forma de fótons (veja o infográfico). Daí a luminescência. O efeito pode durar horas.
Energia emprestada
Salto de elétrons provoca a fosforescência das figurinhas luminosas.
1 – A luz ativa os elétrons do sulfeto de zinco. Eles absorvem fótons, as partículas luminosas. Cheios de energia, pulam para a camada de fora do átomo.
2 – Quando o estímulo acaba, os elétrons se cansam e voltam para seus lugares de origem. Nesse salto, devolvem a energia emprestada também em forma de luz.

12.268 – Biologia – Qual pássaro voa mais alto?


Ganso-indiano
O ganso indiano voa a 9 mil metros, a mesma altura de jatos comerciais. Ele passa o inverno no nordeste da Índia, ao nível do mar. Na primavera migra para os lagos do Tibete, onde choca seus ovos. O problema é que no meio do caminho tem a cordilheira do Himalaia, a mais alta cadeia de montanhas do mundo.
Um abutre encontrado nas planícies e nos desertos do continente africano, numa vasta área delimitada por países como Eritréia, Sudão, Tanzânia e Guiné. Ele atende pelo nome científico de Gyps rueppellii e já foi visto voando a incríveis 11 278 metros. Você pode estar se perguntando: mas que maluco conseguiu flagrar a ave nessa altitude? Simples: um desses abutres colidiu, no dia 29 de novembro de 1973, com um jato comercial que passava sobre Abidjan, na Costa do Marfim. O Gyps rueppellii pesa até 6,5 quilos e tem uma envergadura de 2,4 metros. Graças à grande abertura de suas asas, ele consegue planar durante horas e pegar correntes de ar quente que o levam sempre para cima. A ave, chegada a uma boa carcaça, tem uma excelente visão e é capaz de encontrar objetos de até 15 centímetros distantes a 2 500 metros! Outro recordista de vôo nas alturas, como citamos, é o ganso-indiano (Anser indicus), capaz de atingir 9 mil metros. Ele já foi avistado voando acima do monte Everest, que alcança a marca de 8 848 metros. Os gansos-indianos passam o inverno no nordeste da Índia, ao nível do mar, e migram para os lagos do Tibete, onde chocam seus ovos. No meio do caminho, precisam atravessar a gigantesca cordilheira do Himalaia e por isso voam tão alto. Para suportar a falta de oxigênio do ar rarefeito das grandes altitudes, essas duas espécies de aves têm um metabolismo acelerado, que produz muita energia em pouco tempo. Além disso, seus aparelhos respiratórios permitem que elas tenham ar nos pulmões o tempo todo.

12.267 -Sociedade – Empresários querem criar novo país na Europa – com polícia e leis próprias


pais
Procuram-se pessoas jovens, criativas e inovadoras para viver de graça em ilhas paradisíacas da Europa. Garantem-se fundos de investimento para iniciar suas startups e auxílio de empreendedores experientes para tocar novos negócios em um país novinho em folha – política e economicamente independente de qualquer outro governo. Só não há ainda data confirmada para a contratação.
É que o Sui generis, um microestado privado idealizado por empresários canadenses, ainda não tem um endereço definido – nem prazo para sair do papel. Precisam, primeiro, encontrar uma nação que tope vender um espaço de terra a eles. Quatro possíveis lugares podem se transformar no país Sui generis: Açores (Portugal), Møn (Dinamarca), Golfo Kvarner (Croácia) e Hiiumaa (Estônia). Mas ainda não há nenhuma negociação em curso – apenas um estudo para avaliar a viabilidade de fundar o país em um desses lugares.
A intenção dos canadenses é construir uma nação bem diferente das outras: uma sociedade igualitária e livre. Sem impostos ou taxas, com espaços que estimulem a criatividade, num sistema de economia baseado na disseminação da informação.
Para manter essa sociedade, os moradores precisarão dedicar algumas horas diárias para reduzir os gastos do país, trabalhando em diversas atividades, como educação, contrução civil, administração. E ainda ganham uns trocados por isso: o expediente gera renda suficiente para pagar o aluguel (apenas empresários dispostos a levar seus novos empreendimentos para Sui generis não pagam aluguel).
Os empresários acreditam que, em alguns anos, devem encontrar o lugar ideal e encontrar investidores interessados em comprar as terras e tirar o país utópico do papel. Segundo eles, cidades como Songdo (construída do zero para ser uma zona de livre comércio e referência no mundo de negócios) na Coreia do Sul, mostram que a ideia poderia funcionar muito bem.

12.266 – Neurociência – Implante permitirá controlar computadores com a força da mente


implante
Dentro de uma década, é possível que as pessoas sejam capazes de controlar computadores somente com a força da mente. Pelos menos é isso que cientistas australianos estão dizendo por aí; um grupo de pesquisadores está à frente uma tecnologia que capta e transmite sinais cerebrais.
Através de um dispositivo do tamanho de um palito de fósforo implantado em vasos sanguíneos próximo ao córtex motor, região de centro de controle do cérebro, o ser humano será capaz de “conversar com as máquinas”.
A tecnologia, batizada de stentrode, capta sinais elétricos do cérebro e os converte em informação. À princípio a novidade está sendo desenvolvida para ser usada em pessoas com paralisias e dificuldades motoras. Dessa forma, elas poderão controlar cadeiras de rodas, próteses e exoesqueletos. Também seria possível monitorar os sinais cerebrais de pessoas com epilepsia para antecipar uma convulsão.
“Ser capaz de criar um dispositivo que pode gravar a atividade de ondas cerebrais durante longos períodos de tempo, sem danificar o cérebro é um desenvolvimento surpreendente na medicina moderna”, afirma Terry O’Brien, chefe de Medicina na Departamentos de Medicina e Neurologia, do Hospital Royal Melbourne e professor na Universidade de Melbourne.
De acordo com os pesquisadores, a grande vantagem desse dispositivo é que não é necessário fazer uma cirurgia de alto risco para implantar o aparelho. Basta inserir o stentrode em uma veia no pescoço do paciente e posicioná-lo em um vaso sanguíneo perto do cérebro.

O primeiro teste em humanos será feito no ano que vem no Royal Melbourne Hospital.