2727-Audiotecnologia – Fm e Hi-Fi, a aliança perfeita


Clic para ampliar e leia os conceitos básicos

O aperfeiçoamento do sistema de transmissão em Fm foi paralelo ao aprimoramento da alta fidelidade. Na prática significa reproduzir em toda a gama de freqüências audíveis ao ouvido humano, com um mínimo de distorções. Em Hi-fi distingui-se desde as notas mais graves do órgão de tubos até os tons mais agudos dos flautins, pratos, triângulos etc. Alguns equipamentos modernos, não só superam a faixa de freqüência audíveis pelo homem como apresentam distorções com índices inferiores a 1%. Ainda dentro das exigências o som deve ser estéreo, correspondente a audição humana, que é biaural. Ouvir uma obsoleta transmissão em AM em mono seria o mesmo que estar ouvindo uma orquestra com apenas um ouvido. Tanto na gravação quanto na reprodução tudo deve ser duplicado, ou em 2 canais ou mais. Microfones, cabeças de gravação, caixas e etc.

Diminuir para sobreviver
A miniaturização foi outro caminho seguido pelo rádio, para resistir a televisão. A válvula foi substituída pelo transistor , que além de economizar espaço, libertou o rádio da tomada de força, sendo alimentados por pequenas pilhas e baterias, os novos aparelhos são facilmente transportáveis e de dimensões semelhantes a um maço de cigarros.
Áudio – Breve histórico Partindo da descoberta das ondas de rádio ( hertz, 1887 ), e da invenção das antenas para recebe-las ( Aleksandr Popov ) , no ano de 1885 ; Guglielmo Marconi conseguiu emitir sinais e capta-los a centenas de metros, criando o telégrafo sem fios (1896). No início do século 20, o americano Lee De Forest inventou o emissor de ondas regulares e contínuas e a válvula. Os EUA possuíam 4 emissoras em 1921 e 382 em fins de 1922. A proliferação de emissoras criou o problema da interferência de freqüência, impondo a regulamentação de faixa e horário. Com a invenção do transistor, em 1947, aumentou rapidamente o n.º de aparelhos : 180 milhões em 1950, 870 milhões em 1988. A 1ª transmissão radiofônica no Brasil aconteceu em 7 de setembro de 1922, a primeira estação, porém, só entraria no ar em abril de 1923 : a Radio Sociedade do RJ, fundada por Henrique Morize e Edgard Roquete Pinto.
Antes da era atual ( a era dos CDs ), o velho disco de vinil e as fitas K7 pré gravadas nasciam em um estúdio de gravação, onde o técnico desenvolve um trabalho bastante delicado : é ele que maneja as centenas de botões e controles de volume da grande mesa de som, fazendo a mixagem, misturando e modificando os sinais para obter o sinal de saída desejado. Para esse comando é necessário um perito, não tanto em eletrônica, mas em qualidade de som, uma vez que de sua sensibilidade depende uma montagem precisa e equilibrada, que melhor corresponda as características sonoras e interpretativas dos músicos que estão tocando. Ao lado da grande janela de vidro, caixas acústicas do tipo monitor de som neutro permitem ao operador ouvir diretamente com a máxima fidelidade, o resultado da sessão de gravação.
A gravação sonora é realizada por intermédiode microfones, dispositivos que transformam energia mecânica ( As vibrações do ar do sinal sonoro ) em energia elétrica, obtendo movimento por um imã em um campo elétrico ou pela variação de capacitância de um capacitor embutido no invólucro do microfone. O sinal elétrico é assim obtido e enviado a um gravador que possui numerosas pistas ( até 32 ). Quanto maior a quantidade de pistas utilizadas, melhor a distribuição dos vários sinais sonoros. Tal recurso é importante para a gravação de peças musicais executadas por muitos instrumentos diversos e especialmente quando a gravação é estéreo, cujos efeitos dependem da distribuição dos diferentes instrumentos pelo espaço do estúdio. A fita magnética original obtida era então transformada em disco de vinil, fita de rolo e k7. Para fabricar as fitas pré gravadas, já em desuso, bastava transferir a gravação do programa, para fitas de menor tamanho e com velocidades diferentes. Nos casos do vinis a operação é mais complicada: Iniciava-se com a gravação de sinais mecânicos em uma chapa de matéria plástica, geralmente acetato de polietileno. Os sinais elétricos provenientes de 2 canais gravados com fita magnética master, resultante da mixagem dos diversos canais originais, fazem vibrar um agulha cujos movimentos laterais e verticais vão deixando um suco irregular inscrito na chapa. No processo de reprodução, percorre-se um caminho de certo modo inverso. A agulha de leitura de um toca vinil ( hoje raro), move-se lateralmente e verticalmente ao percorrer o sulco, cuja variação de forma corresponde as variações do sinal que lhe deu origem ( sistema analógico). Esse movimento é transmitido a um imã que se pode deslocar dentro de um campo elétrico: o sinal de variação desse campo é enviado a um amplificador e, depois elaborado e convenientemente amplificado, move os alto-falantes. Também nesse processo de reprodução ocorre transformação da energia mecânica em elétrica ( da agulha para o cabeçote ) e vice versa ( do amplificador para os alto-falantes ).

Dos instrumentos musicais ao velho disco de vinil
Primeiro reveste-se a chapa de acetato gravada (disco mestre) com uma camada de prata, mediante um processo de deposição eletrolítica. Depois de 3hs, pode se destacar do disco mestre a primeira matriz prateada, chamada forma mestra, com 0,625 mm de espessura. Essa forma, por sua vez, também é submetida a um processo de metalização eletrônica , que a recobre de uma camada mais dura , de níquel, obtendo-se assim a forma positiva ou madre, que pode ser ouvida num toca discos, permitindo a descoberta dos defeitos removíveis. Da forma positiva, obtém-se uma forma matriz, negativa, também metalizada. Ele é que servirá de estampo para a prensagem dos discos . A forma matriz tem apenas 0,25mm de espessura e seu verso é polido para remover quaisquer protuberâncias. Antes da prensagem essa forma recebe o furo central numa operação de grande precisão, porque um furo excêntrico, mesmo que ligeiramente, determinará pressões no braço do toca discos obrigando-o a movimentos laterais que provocarão distorções. A pasta plástica para os discos é uma mistura de cloreto de polivinila (PVC) , com 14% de acetato de vinila. Biscoitos dessa mistura, aquecidos, são levados á prensa , onde são colocados em estampos de um lado e do outro do disco. As etiquetas centrais já são postas sobre o biscoito, de modo que sejam fixadas no lugar pela própria prensagem no disco. Após essa operação, o disco é colocado num aparelho que recorta as rebarbas do excesso de plástico na borda. A seguir é acondicionado em envelopes de plástico ou papel e inserido em uma capa de papelão. Nas fabricas modernas é tudo automático.

O que é transfer?
Se trata de um torno especial, destinado á gravação da chapa. A operação de gravar os sinais no acetato de polietileno é uma etapa crucial na produção do disco. Um gravador magnético de alta fidelidade lê a fita master gravada. O sinal elétrico produzido na cabeça de leitura é enviado á cabeça de gravação da chapa provocando o movimento das duas bobinas magnéticas, que por sua vez fazem mover as agulhas. O sulco gravado sobre a chapa será, portanto, a reprodução fiel das variações do sinal registrado sobre a fita magnética. O torno possui dispositivos elétricos totalmente automatizados para controle e comando do movimento da cabeça.

Um dos maiores problemas da gravação fonográfica diz respeito a perda de algumas características físicas do sinal como a amplitude e a intensidade, que se refletem depois de uma menor fidelidade na audição. Isso se deve ao número de etapas ainda necessárias, levadas do sinal sonoro ao disco. Para sanar esse inconveniente, fazem-se hoje gravações diretas, ou seja, suprimem-se as etapas intermediárias de gravação da fita : o sinal sonoro recolhido pelo microfone vai comandar diretamente o torno de gravação. Mais avançado ainda é a gravação laser, na qual veremos mais adiante com detalhes.

2726-Ciência Antiga – Alquimia-Astronomia-Geografia-Matemática-Medicina-Química-Tecnologia


Textos de Alquimia foram publicados em Alexandria, ensinando a preparar pedras preciosas artificiais com corantes; Zózimo afirmava que os metais eram organismos mutáveis,que se desenvolviam até atingir a perfeição do ouro e que esse processo poderia ser acelerado se fosse possível isolar a alma do ouro, transferindo-a para outros metais. Cláudio Ptolomeu, um gregodo século 2 escreveu sua teoria do geocentrismo, onde defendia que a Terra estaria no centro do universo. Martin Betlain (1436-1507) construiu o primeiro globo terrestre. Em 1492, Cosmas Indico Pleustes,outro grego do século 6, publicou em Alexandria, a Topografia Cristiane, baseado em sua viagem ao longo do Nilo. Em 525, Abdala Ur-Ruml publicou a mais completa enciclopédia geográfica árabe. Em 1224, Diofanto de Alexandria escreveu Arithimética, o 1° manual de álgebra, usando de forma sistemática, símbolos para indicar as potências e as equações chamadas “diafantinas”. O indiano Ariabata formulou um processo para a extração de raízes quadradas e cúbicas em 517 DC. O astrônomo Varahamihira escreveu “Ensinamentos”, uma compilação de todo o conhecimento matemático da Índia. Os Elementos de Euclides foram traduzidos em árabe em 774, língua da qual seriam mais tarde traduzidas para o latim e divulgados por toda a Europa. Galeno usou sucos extraídosde plantas em tratamentos médicos. Há registros na Índia de cirurgias feitas no fígado, estômago e pequenas plásticas. Avicena (980-1037), dedicou o 5° volume de seu Cânon a farmacologia, separando essa ciência da Medicina. Rasis, o árabe (865-925) fez a descrição sistemática de várias doenças infecciosas em 870. A Escola de Salerno, publicou um dos primeiros tratados de prática médica em 1040. Constantino, no século 11, trouxe a Medicina grega para o ocidente em 1071. Medicina Equorun foi o primeiro manual importante de Veterinária em 1250. A Chirurgia, de Guclielmo Saliceto (1210-1277), foi o primeiro registro da dissecação de um cadáver humano em 1275. Pela 1ª vez, o exame de urina foi usado como auxiliar de diagnóstico, no ano de 1300. Surgia a Química como uma ciência distinta da Alquimia.Surgiram na China,os primeiros livros impressos, em 600 dC. E logo a seguir, os 10 clássicos, eram manuais científicos oficiais, usados nas escolas da corte chinesa. Na Europa apareceram os primeiros moinhos movidos a água no ano de 700. João Escoto Erígena (escocês, 810-880) compilou ” A Enciclopédia da Natureza” em 870 e na China, nada mais , nada menos que 22.937 volumes da Yung-Lo Ta-Tien, uma enciclopédia sobre todo o saber científico da época. Era tão grande que foram feitos apenas 3 exemplares da coleção completa, no ano de 1403. Johann Gutemberg, o alemão (1398-1468) imprimiu a 1ª Bíblia em 1453. A 1ª impressora foi instalada em Paris em 1470.

2725-Coração Guardado há mais de 200 anos


Na França, tal órgão está mumificado há mais de 2 séculos e se diz ser de Luís 17. Mas ninguém sabe com certeza se é mesmo. O príncipe foi preso aos 7 anos, em 1793, quando seu pai, o rei Luís 15, morreu na guilhotina, por causa da Revolução Francesa. A idéia era evitar que o garoto assumisse o trono. Dois anos depois, anunciou-se que a criança teria morrido de tuberculose, mas o cadáver deveria ser de outro menino, usado para encobrir a fuga. O músculo cardíaco foi mantido para exames mais detalhados. O legista guardou em em vidro com álcool e, por descuido, o álcool evaporou e desidratado, o órgão se manteve livre de bactérias que causam deterioração. Passado 2 séculos os cientistas farão exame de DNA para comparar os genes da criança com os retirados dos fios de cabelo da sua mãe.

2724-☻Mega Polêmica-BIOTECNOLOGIA: Ciência e Con(ciência)


Aspectos científicos, éticos e econômicos

· 1944: Oswald T. Avery isola o DNA
· 1953: James Watson e Francis Crick descrevem a “dupla-hélice”
· 1973: Stanley Cohen e Herbert Boyer criam a técnica do DNA recombinante
Organismos Geneticamente Modificados (Transgênicos)

Organismos nos quais foram inseridos genes de outras espécies

Exemplos
Soja Roundup Ready (Monsanto): contém genes virais e bacteriano;
milho Bt (Novartis): genes da bactéria Bacillus thuringiensis;
Ratos com genes para GH humano
Tabaco sem o gene para a produção de nicotina
Argumentos favoráveis
· Combate à fome
· Prevenção e cura de doenças
· Redução nos custos de produção agrícola

Argumentos contrários
· Quantidade e duração dos testes de biossegurança não são ainda satisfatórios
· Problemas de saúde para o homem
· Contaminação de espécies selvagens com os genes inseridos nas plantas cultivadas
· Antibióticos marcadores poderiam eliminar variedades menos perigosas de bactérias

Experimentos positivos
· Mosquitos transmissores da malária imunes ao plasmódio (Margareth Capurro – Unifesp)
· Gatos anti-alérgicos (Transgenic Pets – EUA)
· Levedura “inteligente“
· Arroz dourado

A CLONAGEM
· Produção de células ou indivíduos idênticos a uma matriz

· 1996: nasce Dolly, primeiro animal clonado a partir de uma célula adulta
· Técnica: transferência nuclear
· 277 tentativas prévias
Projeto Missyplicity
CopyCat, primeiro animal doméstico clonado
Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Texas A&M
De 87 embriões produzidos apenas ela nasceu
2000: clonagem de primata usando células embrionárias
2000: anúncio da existência de Xena
17/03/2001: Vitória, primeiro clone animal brasileiro, feito a partir de células embrionárias (EMBRAPA – Brasília)
27/04/2002: Marcolino, clone de um feto (USP – São Paulo)
Células de um feto masculino foram usadas por engano no lugar das amostras retiradas da orelha de uma vaca
11/07/2002: Penta, o primeiro clone brasileiro produzido a partir de células adultas (UNESP – Jaboticabal)
19 embriões produzidos
Apenas um se desenvolveu
Morre em 12/08/2002
05/02/2004: nasce Vitoriosa, clone de Vitória
Morre ao final de junho de 2004

Clonagem de espécies extintas

· Lobo da Tasmania (tilacino)
· Número de tentativas frustradas em experiências de clonagem é bastante alto
· Clones nascidos, na maioria das vezes, apresentam deficiências fisiológicas, sobrevivendo por pouco tempo
· Possível explicação: instabilidade genética das células-tronco em meio de cultura, decorrente do mal funcionamento dos genes marcados (imprinted)
· Alguns animais nascem com peso 60% superior ao normal ou com a cabeça grande demais
CLONAGEM HUMANA
Os argumentos pró
· Ajuda a casais inférteis
· Possibilidade de uma família recuperar um ente querido que faleceu
· Razões religiosas, como no caso dos Raëlians
AS CÉLULAS-TRONCO
· Células pluripotentes
· Características:
· Auto-replicação
· “Imortalidade”
· Estabilidade genética

· Propósito: formação de tecidos adultos em laboratório para tratamento de doenças e lesões

· Fontes: células embrionárias ou células especializadas reprogramadas

· 1998: isolamento das primeiras células-tronco humanas (James A. Thomson – Universidade de Wisconsin – EUA)

BIOECONOMIA – TRANSGÊNICOS

No final do século XVIII, o pastor protestante Thomas Malthus lançou sua famosa teoria sobre o crescimento demográfico e a produção de alimentos, constatando que a população cresceria em uma progressão geométrica (P G ) e a produção de alimentos em uma progressão aritmética (P A ), desta forma o futuro revelava-se sombrio, a fome seria inevitável (Por sinal o pastor protestante pregava a abstinência sexual como uma forma de controle populacional, pregação esta solenemente ignorada pelos seres humanos …) !
Outras teorias foram desenvolvidas no século seguinte, como a Antimalthusiana e a Neomalthusiana. A Antimalthusiana defendia uma melhor distribuição de renda como uma forma de diminuir a população, partindo do pressuposto que as camadas de baixa renda tem mais filhos, uma melhor distribuição de renda poderia ajudar. Com uma renda mais adequada as classes de baixa renda teriam acesso a educação e a conscientização do controle populacional, além de mais recursos para consumir em outras atividades, desprezando o sexo nas horas vagas.
A teoria Neomalthusiana procura enfatizar a necessidade de esterilizar as mulheres mais pobres, o incentivo ao uso dos preservativos e da cirurgia de vasectomia nos homens como formas eficientes de controle populacional, também partindo do pressuposto que as camadas de baixa renda na população são aquelas que demonstram um crescimento demográfico mais acentuado.
Conforme podemos observar as teorias acima eram alarmistas, entretanto o tempo comprovou os erros de Malthus (será? Imagine quantas guerras e epidemias ocorreram no século XX ? Será que Malthus acertaria ?), segundo seus cálculos hoje teríamos cerca de 30 bilhões de seres humanos, entretanto o mesmo acabou prevendo a persistente fome que ainda permeia a humanidade, os alimentos transgênicos poderiam eliminar este problema ?
A ONU prevê o fim da fome em 100 anos, a meta para eliminá-la teve inicio em 1997 e em 13 anos o problema seria reduzido pela metade (o que corresponde saciar a fome de 400 milhões de pessoas).
Apesar do otimismo da ONU (que continua extremamente eficiente na elaboração de relatórios técnicos sobre os problemas do mundo), temos que entender a fome como um problema conjugado com política (guerras, como aquelas desenvolvidas na África, onde as tribos ou facções governantes escondem alimentos de outras tribos ou facções), economia (má distribuição de renda em várias localidades, o que também é uma questão política) e meio ambiente (catástrofes naturais, regiões com condições inóspitas, etc.).
Atualmente o mundo tem 840 milhões de famintos e desnutridos, sendo 11 milhões em países ricos e 30 milhões em países em desenvolvimento, o custo para eliminar a fome seria de 24 bilhões de dólares/ano, por um prazo de 100 anos (atualmente apenas 10% dos famintos são atendidos e a ajuda cai todos os anos).
Os problemas realmente são terríveis, não parece existir uma predisposição para acabar com a fome no mundo, veja o caso da Coréia do Norte, os país possui uma legião de famintos, no entanto o governo comunista (pasmem, comunista, um governo que um dia deveria atender os operários e camponeses !) desenvolve mísseis balísticos e provoca seus vizinhos mais poderosos (Japão e Coréia do Sul) com testes em direção ao mar, o custo dos mísseis é elevado, mas em nome da soberania da Coréia do Norte o povo passa fome, mais vale um míssil voando, do que saciar a fome de milhares de seres humanos (percebeu, esta não é a lógica apenas do capitalismo !) !
Entre 1997 e 2000 20 milhões de pessoas morreram de fome em países como o Afeganistão e o Camboja, considerados de terceiro mundo.
Na Índia o governo autorizou o consumo de batata transgênica, com 30% a mais de proteína (transgênico com gene do Amaranto), o que vem contribuindo decisivamente para melhorar as condições de saúde do Hindu, visto tratar-se de um dos povos mais pobres do mundo (apesar de iniciativas como essa o governo indiano vem proibindo o consumo do arroz dourado, a moratória deve durar cinco anos).
Outras informações sobre o consumo de transgênicos nos países de terceiro mundo contra a fome vem da Zâmbia, o governo deste país proibiu o consumo de milho transgênico enviado pelos EUA, apesar de não existir nenhuma prova contra o produto, o Estado proibiu o consumo da população, engrossando o coro das organizações não governamentais contrárias ao consumo.
Apesar de algumas situações como esta o consumo de transgênicos já atinge 2,5 bilhões de pessoas e gera atualmente negócios da ordem de 30 bilhões de dólares/ano, podendo chegar a 250 bilhões de dólares/ano em 2010 (vejam que negócio atraente, compreendem agora o fascínio das grandes empresas por este ramo ?).
Atualmente 99% dos 40 milhões de hectares de lavouras transgênicas encontram-se em três países: EUA, Canadá e Argentina (surpreendente esta última, não ? A Argentina parece caminhar a passos largos para integrar-se na nova economia, oriunda dos produtos geneticamente modificados). No Brasil os transgênicos estavam proibidos, eram permitidos apenas para pesquisas e testes, entretanto como já era produzido e comercializado sem fiscalização por parte do Estado o governo acabou autorizando, a situação agora regularizada deve render bons lucros para os produtores e bela arrecadação para o Estado, os testes parecem comprovar a segurança dos produtos.
A União Européia que representa um berço civilizatório é radicalmente contra os transgênicos e suspendeu a venda de novos produtos, além disso obriga que os rótulos indiquem a origem transgênica das mercadorias.
Os EUA, o maior mercado consumidor do mundo (em virtude do poder de compra do dólar), apresenta 60% dos alimentos transgênicos, ou seja, mais da metade dos produtos consumidos pelos americanos já tem origem transgênica. Nosso vizinho, a Argentina, já consome transgênicos com relativa abundância, 90% da soja e 20% do milho consumidos são transgênicos, parece difícil impedir que os brasileiros sigam o mesmo caminho.
Os agricultores calculam uma economia de 30 dólares por hectares cultivados com soja transgênica. Evidentemente que o lucro estimula esta produção, tornando-a inevitável. O futuro pertence aos transgênicos.

BIOÉTICA

O Homem está no limiar de uma nova era, a primeira experiência envolvendo a clonagem humana é assunto dos noticiários de vários órgãos de notícias, entretanto é imperativo discutir se estamos prontos para aceitar esta nova realidade, se ela é realmente necessária, as conseqüências desta nova situação sobre o ser humano e sobre as relações humanas. Nem tudo o que é cientificamente possível é eticamente aceitável. É tempo de clonar ?
ÉTICA

Diz respeito a consensos possíveis e temporários entre diferentes agrupamentos sociais, que embora possuam hábitos, costumes e moral diferentes, e mesmo divergindo na compreensão de mundo e nas perspectivas de futuro, às vezes conseguem estabelecer normas de convivência social relativamente harmoniosas em algumas questões.

Acima temos um conceito de ética, percebam que ela encontra-se num patamar mais elevado da moral, a ponto de reunir e conciliar vários tipos de morais, como a masculina, a feminina, a infantil, a política, desta forma, apesar de reunir as mesmas origens na Civilização Grega Clássica, podemos defini-las isoladamente, atualmente

CONCEPCÕES DE ÉTICA

ÉTICA BASEADA NA AUTORIDADE (ESTADO, IGREJA, ETC)
ÉTICA BASEADA NA TRADIÇÃO
ÉTICA BASEADA NA “ORDEM NATURAL DAS COISAS”

O quadro acima oferece-nos algumas concepções de ética através dos tempos; analisem a BIOÉTICA a partir das mesmas, nenhuma parece capaz de impedir o avanço da BIOTECNOLOGIA. A ética baseada na autoridade estatal encontra-se declinante, o Estado Nacional apresenta-se em vias de ser substituído por organizações políticas supranacionais como a ONU e a OTAN e blocos econômicos como o NAFTA e a COMUNIDADE EUROPÉIA. Atualmente, apesar de vários governos em todo o mundo anunciarem que proibiram a clonagem humana, o cientista italiano Severino Antinori anuncia que clonará seres humanos em águas internacionais, ou ainda em algum local secreto pelo mundo. A ética baseada na Igreja também parece incapaz de deter alguns cientistas, a Igreja Católica comparou o próprio Altinori aos médicos nazistas que realizaram experiência científicas em seres humanos durante a Segunda Guerra Mundial, entretanto Altinori defendeu-se lembrando de Galileu Galilei, que foi torturado pela Inquisição (Tribunal criado pela Igreja Católica), no início da Idade Moderna, por defender a teoria Heliocêntrica criada por Nicolau Copérnico. Motivos religiosos podem, na verdade, estimular a clonagem, como é o caso dos raelianos, membros de uma seita religiosa, que acredita que o ser humano atingiu a maturidade divina, pois ela (a clonagem) possibilitará a eternidade.
A ética baseada na tradição e na ordem natural das coisas também sofre um desgaste, pois argumentos como “não devemos alterar a natureza” ou “nunca fizemos isso” estão completamente desvalorizados, principalmente depois da Revolução Industrial, quando o Homem alterou o meio ambiente e rompeu com antigas tradições.
O passado da ciência revelou-se extremamente inescrupuloso nas relações envolvendo ética e experiências científicas, vejamos alguns casos abaixo.

LICÕES DE HISTÓRIA

Médico inglês Edward Jenner (1749 – 1823): aplicou o pus da varíola bovina em criança; através desta experiência conseguiu – se a vacina antivaríola;
Louis Pasteur (1822 – 1895): realizou testes em humanos com o vírus da raiva durante cinco anos, deste procedimento surgiu a vacina anti – rábica;
Carlos Juan Finlay (Cuba, 1833 – 1915): descobridor da agente da febre amarela, durante 19 anos testou 120 pessoas com “picadas” de mosquitos contaminados;
John Hunter (1767): auto-inoculou-se com pus de gonorréia e sífilis, morrendo a seguir.
NAZISMO – Lei da Proteção do Sangue e da Honra alemães, 1935 (ideal da raça pura), desenvolvimento das Lesborns (creches e maternidades para os filhos e mulheres das SS), experiências com humanos nos campos de concentração;

Como podemos observar as experiências acima não primaram pela ética e respeito ao ser humano, no entanto conseguiram alguns resultados, será este o caminho a trilhar com a clonagem humana ?
Em 1978, nasceu Lousie Brown, o primeiro bebê de proveta, naquela ocasião a chance de sucesso da experiência era de cinco por cento, hoje a mesma técnica encontra cinqüenta por cento de êxito. Devemos continuar com a clonagem ?
Observando as experiências acima, você percebeu a presença da ciência Nazista ?
A Alemanha Nazista desenvolveu pesquisas envolvendo biotecnologia (1934 – 45), com o firme propósito de avançar na área de EUGENIA:

EUGENIA: Doutrina cujo objeto de estudo são as questões referentes aos “melhoramentos” físico e mental do Homo Sapiens; incentiva a reprodução dos “aptos”, limitando, e até excluindo, a reprodução dos que portam “defeitos”.

Lendo o conceito de Eugenia acima você consegue perceber os “melhoramentos” desejáveis na Alemanha Nazista, quais seriam os “aptos”, e os “defeituosos” ?
As Lesborns Nazistas eram creches e maternidades mantidas pelo Estado; as prostitutas, reconhecidamente alemãs, eram recrutadas pelo governo para reproduzir com os soldados da SS (tropas de elite Nazista) os futuros alemães, puros, ousados, empreendedores, ativos, inteligentes, corajosos, além de fisicamente superiores a qualquer outra raça, o tipo “nórdico” dominaria o mundo, este era o “apto”, enquanto outras raças, como os judeus, ciganos, negros e eslavos seriam os “defeituosos”, que precisavam ser substituídos e ou escravizados. Será que a raça humana está pronta para superar esta situação, ou a clonagem abrirá novamente este pesadelo ?
Os horrores Nazistas foram impressionantes, cobaias humanas eram utilizadas nos campos de concentração e nas grandes empresas alemãs (principalmente a Bayer), os prisioneiros-cobaias eram testados em seu limite a dor, ao congelamento e a outros martírios. Quando o mundo descobriu estas experiências, surgiu uma comoção estarrecedora, o ser humano atingiu níveis bestiais de selvageria, desta forma, durante o Julgamento de Nuremberg (onde estipulou-se as punições aos líderes Nazistas), definiu-se o Código de Nuremberg, que tentava estipular regras e alguma ética para as pesquisas envolvendo seres humanos nas próximas décadas.

CÓDIGO DE NUREMBERG

Define como ética a pesquisa em humanos, desde que tenha como pilares a utilidade, a inocuidade e a autodecisão da pessoa que participa da experiência. Baseia – se na afirmativa de que nenhuma experimentação poderá visar objetivos políticos, eugênicos ou bélicos. Define também que os interesses da pessoa devem prevalecer sobre os interesses da ciência e da sociedade.

Sem dúvida trata-se de um belo parâmetro ainda hoje, entretanto o Código de Nuremberg deixa inúmeras lacunas, vejam a pesquisa que tem objetivos “meramente científicos” será que elas existem …, no mundo do capital nenhuma pesquisa é neutra e imparcial, empresas e pacientes aceitam qualquer coisa por dinheiro!

MANIPULAÇÕES GENÉTICAS

PROJETO GENOMA (SEQUENCIAMENTE DOS GENS): Entre tantas conseqüências, devemos atentar quanto a possibilidade de desenvolver-se uma carteira de identidade genética. Esta carteira identificaria as doenças que o indivíduo estaria predisposto a desenvolver, a idade de tal ocorrência; as empresas poderiam solicitá-la na contratação de um funcionário, analisando os prós e contras de uma contratação, se valeria pena instruí-lo e treiná-lo; na verdade certos indivíduos com predisposição a algumas doenças seriam marginalizados, nunca conseguiriam empregos, no mundo do capital estariam excluídos do mesmo, ou seja, um novo tipo de segregação.
HORMÔNIO DE CRESCIMENTO: Sem dúvida poderemos desenvolver super-seres; gigantes poderão jogar basquete, outros super-atletas poderão trazer títulos e prêmios para suas equipes, além de fama e sucesso para si próprio. Analisando os últimos Jogos Olímpicos constatamos, com facilidade, a crescente mercantilização do esporte, atletas faleceram recentemente sob suspeita de ingerirem substâncias tóxicas que aumentavam seu rendimento nas práticas esportivas, desta forma é fácil concluir como este engenho poderá ser aplicado pelas grandes empresas que controlam os esportes profissionais.

XENOTRANSPLANTES: Estamos preparados para receber um órgão humano desenvolvido em um animal ? Estamos conscientes que podemos desenvolver certos vírus presentes em alguns animais ? O quê sabemos sobre os efeitos psicológicos de tais experimentos ?
CLONAGEM: O eterno sonho da raça humana encontrou uma fresta de esperança: a eternidade. Importantes estudos analisam a possibilidade de clonar um humano e transmitir-lhe, com uso de técnicas mais sofisticadas que as atuais (por exemplo, utilizando nanomáquinas, microcircuitos capazes de atravessar a corrente sangüínea e o cérebro), nossa consciência e conhecimento. Outras questões éticas devem ser relacionadas neste tópico. Seria ético desenvolvermos um clone apenas para remediar-nos de uma doença, ignorando questões como o estado vegetativo de tal ser, se o mesmo possui alma, se sonha, se possui um espírito (como diz o espiritismo Kardecista) ? Estamos preparados, psicologicamente, para vivermos eternamente ?
CÉLULAS TRONCO: Um dos casos mais polêmicos está relacionado ao uso das células tronco. Estas células, usadas em vários tipos de tratamento (pois, manipulados, podem desenvolver qualquer tipo de órgão) devem pertencer a uma instituição pública ou privada ? Sem dúvida estamos diante de uma nova forma de escravidão, seres humanos, ou instituições (públicas e privadas) tornam-se proprietários de algumas células que desenvolvem órgãos humanos, ou ainda uma vida, tal situação está prevista na lei ? Além da questão ética desenvolvida acima devemos analisar este fato com mais aprofundamento, senão vejamos: onde começa a vida, a célula tronco é uma vida ? Sua destruição configura um aborto, ou ainda um assassinato ?

ALGUNS CASOS

Caso Davis X Davis (Mary Sue e Lewis Davis), em 1989 – Mary Sue e Lewis Davis eram casados, queriam filhos, entretanto Mary não conseguia engravidar. O casal procurou uma clínica de inseminação artificial e esta desenvolveu alguns embriões a partir de células do casal. Após vários abortos espontâneas o casal separou-se, dando origem a uma disputa judicial pelos embriões que a clínica mantinha congelados.
Caso da viúva de Toulouse, em 1990 – Uma senhora, conhecida apenas como viúva de Toulouse (por questões legais), entrou numa disputa judicial com uma clínica na França para recuperar os embriões desenvolvidos a partir de suas células, entretanto a clínica recusava-se a entregar os embriões alegando que com a morte do cônjuge a mesma estava desobrigada a cumprir o contrato.

Analisando os casos acima percebemos o quanto às questões acima já estão presentes em nosso cotidiano, torna-se imperativo estabelecer um novo código de ética que deverá permear o novo contexto biotecnológico.

OBJETIVOS DA BIOÉTICA

É a busca de benefícios e da garantia da integridade do ser humano, tendo como fio condutor o princípio básico da defesa da dignidade humana. Considera – se ético o que, além de bom, é o melhor para o ser humano em dado momento.

CONTEXTO DA DISCUSSÃO: CIÊNCIA E INTERVENÇÃO NA NATUREZA HUMANA

Algumas questões podem servir de base para iniciar uma discussão sobre a ética na pesquisa científica e mais especificamente na biotecnologia:

A CIÊNCIA TEM O DIREITO DE FAZER TUDO O QUE É POSSÍVEL: Acredita-se que se temos a capacidade de fazer algo, assumimos que temos o direito de fazê-lo, impedir seria uma clara violação dos direitos do pesquisador, além de contrariar a natureza humana, pois o aumento de nossos conhecimentos é uma das maiores características da raça humana.

A CIÊNCIA NÃO TEM O DIREITO DE INTERVIR NO PROCESSO DA VIDA, POIS ESTE É SAGRADO ! Esta idéia nasce do contexto religioso, Deus seria o único a ter posse da vida, entretanto tal posição pode ser perigosa, pois no passado fora utilizada para justificar alguns atos infames da Inquisição, gerando enormes perseguições a cientistas com idéias diferentes daquelas da Igreja. Esta idéia coloca o ser humano passivo diante da natureza, pois ao menor sinal de sua violação estaríamos usurpando os “direitos de Deus”.

A CIÊNCIA NÃO TEM O DIREITO DE MUDAR AS QUALIDADES HUMANAS MAIS CARACTERÍSTICAS. Essa abordagem insiste que há um limite para a intervenção da ciência, e que este limite é a natureza da pessoa humana como ela é atualmente entendida e valorizada. Na verdade, tal predisposição, deve levar em consideração a qualificação da raça humana, ou seja, a ciência deveria preocupar-se em melhorar a vida humana como a conhecemos.

A CIÊNCIA TEM O DIREITO DE INCENTIVAR O CRESCIMENTO DE CARACTERÍSTICAS HUMANAS DE VALOR E ELIMINAR AQUELAS QUE SÃO PREJUDICIAIS. Esta discussão também geraria polêmica. Como poderíamos interpretar o que tem valor e o que é prejudicial, teríamos uma discussão ética e moral que deveria considerar aspectos culturais, sociais e religiosos, talvez partindo do princípio da eliminação da dor e do sofrimento causados pelas doenças.

2723-História Científica da Humanidade – 1928 a 1994


Fita K7, utilizada por décadas para gravações domésticas e profissionais, foi descartada somente há poucos anos

Europa-1928. Baird criou a TV em cores. O alemão Fritz Pfleumer criou a fita magnética para gravador e a AEG Telefunken e a Basf desenvolveram seu projeto. Seria usada por décadas até ser superada por outra tecnologia.
1929. O inglês Frank Whittle inventou o turborreator.
1930. O húngaro Neumann foi o pioneiro da economia matemática.
1932. Na Alemanha, Max Knoll e Ruska construíram o primeiro microscópio eletrônico.
1935. O inglês RA Watson fabricou o radar.
1936. A firma alemã AEG/Telefunken criou o magnetofone.
1939. Na França, a equipe de Joliot-Curie descobriu a possibilidade de realizar reações em cadeia. Começou a 2ª Guerra MUndial.
1942. O espanhol Goicocheainventou e construiu o trem articulado Talgo; o alemão Von Braun construiu o primeiro míssil.
1945. Adolf Hitler se suicidou. Benito Mussolini foi preso e morto. Acabou a 2ª Guerra MUndial.
1955. O inglês Cockerell inventou o hovercraft.
1957. Lançamentodo Sputinik pela União Soviética.
1958. A União Soviética dispôs de um navio quebra-gelo nuclear.
1961. Enviado o primeiro homem ao espaço pela União Soviética,Yuri Gagarin. Foi iniciada a construção do Muro de Berlim.
1965. Na Inglaterra, Dennis Garbor, de origem húngara, inventou a holografia.
1966. A União Soviética pousou uma nave espacial não-tripulada na Lua.
1970. A União Soviética pousou um satélite em Vênus, o alemão Crutzen descobriu a reação química dosm óxidos de nitrogênio com o ozônio na estratosfera. A Philips holandesa e a JVC japonesa anunciaram simultaneamente a criação dos aparelhos de video k7, que começaram a ser comercializados em 1972, só chegando ao Brasil mais de uma década depois.
Ásia e Oriente Próximo – 1960. A empresa japonesa Sony descobriu o sistema Tinitron de tubo de raios catódicos.
1964. A China explodiu sua primeira bomba atômica.
1981. A empresa japonesa Sony criou a fotografia em suporte magnético.
1983. O Japão fabricou robôs industriais.Pesquisadores dos Instituto Weizmann, de Israel, descobriram um novo tipo de buckyball, uma forma de carbono ultra-resistente, feita de átomos de tungstênio, que podem ser usados na fabricação de componentes eletrônicos e para reforçar estruturas de plástico ou aço.
1986. Yuan T.Lee, natural de Taiwan, recebeu o Prêmio Nobel por suas investigações sobre a dinâmica dos processos químicos elementares. A NHK, emissora estatal de TV japonesa, apresentou a TV de alta definição em uma reunião na Iogoslávia.
1989. A empresa japonesa Nintendo fabricou o vídeo game portátil, o Game Boy.
1991. O Instituto de Pesquisas Técnicas Ferroviárias do Japão construiu o supertrem-bala, que flutua sobre um colchão magnético produzido por supercondutores e atinge uma velocidade de 500 km/h.
1992. Cientistas japoneses descobriram uma nova forma de carbono, o nanotubo, com o formato de uma rede de pescar cilíndrica. A descoberta tem aplicações na indústria eletrônica.
1994. O Japão fabricou a câmera fotográfica que utilizava a fita k7 como película.
América – 1942. O italiano E. Fermi fabricou em Chicago, o reator nuclear. Começou a construção do Conjunto Arquitetônico da Pampulha, em BH, Brasil, projeto de Oscar Niemeyer.
1944. Howard Aiken construiu em Harvard,o primeiro computador, o Marl I.
1945. Testada em julho, a primeira bomba atômica no deserto do Novo México, nos EUA.
1946. Eckert e Mauchly criaram na Pensilvânia,o computador Eniac, o primeiro a ser produzido em série.
1955. O Instituto de Pesquisas de Massachussets, nos EUA, produziu as primeiras ondas de frequência ultra-rápidas.
1956. Alexander M. Pontioff, de origem russa, inventou a fita de vídeo k7 nos EUA. O laboratório de Los Alamos detectou o neutrino.
1960. Teodore Maiman construiu o primeiro aparelho produtor de laser.
1963. Os EUA conseguiram colocar o primeiro satélite de comunicações em órbita geoestacionária.
1968. lançado nos EUA seu primeiro satélite de comunicações Intelsat-3A.
1969. Os astronautas norte-americanos Armstrong e Audrin foram os 1°s homens a pisarem na Lua.
1972. A empresa norte-americana US Intel Corporation produziu o primeiro microprocessador.
1974. Sherwood Rowland e Mário Molina demosntraram que as emissões de CFC podem danificar a camada de ozônio.
1975. Nos EUA, a empresa Commodore fabricou em grande escala o computador pessoal PET, o tataravô dos atuais PCs.

2723 -☻Mega Byte – Banda Larga no Brasil é a pior e a mais cara


Fonte: Folha – Tecnologia
Um estudo divulgado ontem pela Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) constata que as empresas brasileiras ainda pagam um serviço de banda larga mais caro e de pior qualidade que suas concorrentes dos países desenvolvidos.
Esse quadro permanece, apesar da queda de preços registrada nos últimos dois anos
A conexão à internet em banda larga, por cabo, com velocidade de 1 Mbps custa, no Brasil, R$ 70,85 mensais, em média (US$ 42,73).
O mesmo serviço custa US$ 9,30 mensais (R$ 15,41) na Alemanha, US$ 12,40 (R$ 20,55) em Taiwan, US$ 28,60 (R$ 47,40) no Canadá, US$ 36 (R$ 59,66) na Suíça e US$ 40 (R$ 66,29) nos Estados Unidos, diz o estudo.
MINISTRO
O levantamento foi entregue ao ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, na presença dos presidentes da Oi, Luiz Eduardo Falco, e da Telefônica, Antônio Carlos Valente.
O ministro concordou que os preços são altos e disse que o governo está prestes a concluir um acordo com as teles que vai reduzir os preços e melhorar a velocidade de conexão.
“Não sou só eu. As torcidas do Flamengo e do Vasco também acham que os preços são altos”, brincou o ministro Paulo Bernardo.
Para ele, as empresas podem oferecer serviço melhor e mais barato com a infraestrutura existente, e sem sofrer perdas.
O Ministério das Comunicações incluiu a expansão da banda larga na negociação do novo PGMU (Plano Geral de Metas de Universalização) da telefonia fixa, a ser anunciado em maio.
O estudo da Firjan constata que o custo médio mensal do acesso sem fio à internet, com velocidade de 1 Mbps, está em R$ 109,82 e é relativamente uniforme no Brasil.
Já o custo médio mensal de acesso fixo, por cabo, varia de R$ 57,40 por mês (em Alagoas e Espírito Santo) a R$ 429,90, no Amapá.
Para o presidente da Oi, os números da pesquisa já estariam defasados.
Chama a atenção no levantamento realizado pela Firjan o preço relativamente baixo da conexão com velocidade de 10 Mbps no Brasil (US$ 63,57 mensais, em média, ou R$ 105,40).
A mesma conexão de 10 Mbps custa mais em países desenvolvidos, como Estados Unidos (US$ 100, ou R$ 165,73), Canadá (US$ 88,9, R$ 147,33) e Reino Unido (US$ 82,9, R$ 137,39).
QUALIDADE BAIXA
Responsáveis pelas áreas de informática da Petrobras, Michelin, L’Oreal e Ipiranga criticaram a qualidade do serviço de banda larga das operadoras, durante o debate da Firjan.
A Petrobras disse que investiu na construção de redes de fibras ópticas próprias por falta de opção.

2721-Drogas – A viagem pelo corpo humano


Enquanto fazem escala pelos órgãos, elas ameaçam acusar confusão. A bagunça para valer, porém, começa quando chegam ao cérebro. Ali elas tem o poder de atrapalhar o trânsito das informações alterando o comportamento de seus usuários. No início despertam sensações agradáveis, mas a dependência em seguida faz o corpo implorar pela droga e a falta dela vira um tormento. Uma vez acomodadas no sangue, iniciam sua viagem. A circulação pressionada pela turbina do coração é um transporte a jato, percorrendo 100 km de vasos, com conexões por toda a parte. A eventual escala no fígado pode barrar parte dos viajantes. Essa víscera tem função de policial de fronteira e as drogas não tem visto de entrada por ser substância tóxica e causar destruição e embora algumas sejam detidas, a maioria escapa e vão para o cérebro. Os neurotransmissores saltam de um neurônio para outro, passando o impulso elétrico para frente, mas as moléculas clandestinas das drogas alteram o nível dos neurotransmissores. São divididas em 3 grandes grupos: estimulantes, depressoras e alucinógenas. Seu campo de atuação no cérebro ainda não é completamente conhecido pelos cientistas. De acordo com experiência realizada com cobaias nos EUA, os usuários de drogas tendem a diminuir os intervalos entre as aplicações. É o fenômeno da tolerância : São necessárias quantidades cada vez maiores da substância para que ela produza o mesmo efeito no organismo. A teoria é de que atuem nos centros de prazer e saciedade do sistema nervoso. A passagem dela por aí é traiçoeira porque no início despertam alguma sensação agradável , mas depois passam a fazer chantagem : se antes alguém tomava a droga para sentir determinado efeito, é obrigado depois a toma-la para seu corpo continuar a funcionar direito. O viciado em heroína precisa tanto da substância quanto qualquer pessoa precisa de alimento, e interromper o seu consumo é sofrer flagelos piores do que estar com fome. A interrupção de seu uso sem acompanhamento médico pode ser fatal. O tormento físico é chamado síndrome de abstinência. A da heroína só perde para a do álcool. O fenômeno ocorre porque a droga desregula o sistema nervoso. As moléculas dos narcóticos, derivados do ópio como a heroína, são parecidos como a de uma família de substâncias que os neurônios fabricam para controlar a dor física e modificar emoções como o medo e a angústia. Além de servirem de anestésico, eles diminuem a ansiedade e induzem o sono. Mas seu uso contínuo leva o cérebro a poupar suas energias deixando de produzir os neurotransmissores com moléculas similares a droga. O álcool pode agir de maneira semelhante, mas para isso, é preciso que alguém beba com freqüência grande quantidade de álcool . Doses moderadas de whisky podem até combater a hipertensão. O álcool é um depressor do sistema nervoso, mas o curioso é que pode agir em etapas. A primeira região a ser deprimida é aquela do comportamento voluntário, responsável por decisões do que se deve ou não fazer, ou em um só golpe, o álcool derruba a auto censura. Depois de alguns goles, a pessoa passa a liberar pensamentos e emoções que estavam de alguma maneira bloqueados, pode por exemplo , falar da sogra, cair na gargalhada, soltar o choro, mostrar cansaço do dia a dia e adormecer em público. O próximo passo é ir para as áreas encarregadas da concentração da coordenação motora. Da mesma forma os remédios barbitúricos, criados a partir de 1903, deprimem o sistema nervoso.
Maconha
É difícil de afirmar se o THC é de fato o responsável pelo relaxamento muscular e perda da noção do tempo. Provoca ainda a liberação da adrenalina o hormônio que acelera os batimentos cardíacos. Experiências mostraram que ninguém morre de overdose dessa droga, cujos efeitos maléficos seriam os mesmos do tabaco; dependência, síndrome de abstinência e outros males como o câncer no pulmão, embora não seja comercializado por traficantes nem seus usuários perseguidos pela polícia.

2720-Sócio-Economia: Brasil – Disparidades


O Brasil não é um país pobre, mas injusto. Seu grau de desigualdade é pior que o de muitas nações extremamente subdesenvolvidas, do longínquo interior africano. Foi estabelecida uma média de renda dos 10% que ganham mais e a média dos 40% que ganham menos. No primeiro grupo a renda média é 30 vezes maior que a do 2º grupo. Na miserável Uganda, onde Idi Amin Dadá comia o fígado dos inimigos que conseguia assassinar, não chega a 10. Na nossa vizinha, a Argentina, o índice fica em 10, nos EUA 6. Os países europeus são os de melhor distribuição de renda. Na Suíça é mais ou menos 5 e ma Holanda 4. O quadro geral de injustiças no Brasil não é homogêneo os diferenciais ficam por conta do gênero, raça , região de nascimento e local de habitação. Os mais injustiçados são mulheres e negros de ambos os sexos, vindo em seguida os nordestinos. As áreas urbanas tem menos pobres que as rurais. Em resumo : um brasileiro que nascer branco em estados do sul ou sudeste e que vive em cidades terá melhor chances de ser alguém, já se for negro, morando em zona rural e no nordeste está praticamente fadado ao fracasso. Atualmente a população rica participa de 65% da renda, enquanto os 50% dos mais pobres, com apenas 12%. Segundo um gráfico da ONU que analisa a concentração de renda desde 1960 , os + ricos tem aumentado ainda mais o seu patrimônio e os mais pobres tem ficado ainda mais pobres. Os esforços governamentais tem sido tímidos e o crescimento econômico insuficiente, a solução parece distante.

2719-Mega Ecologia: Começa resgate de pinguins ameaçados por petróleo na ilha


Tristão da Cunha, a ilha vulcânica, local do derramamento de óleo

Um resgate a toque de caixa tenta salvar mais de 20 mil pinguins ameaçados por um derramamento de petróleo na ilha britânica de Tristão da Cunha, depois que um cargueiro ficou encalhado.
Pinguins penacho-amarelo cobertos de óleo começaram a ser recolhidos e retirados na quinta-feira para um galpão. Lá eles recebem tratamento, limpeza e, posteriormente, voltam ao seu habitat. Quinhentos já foram salvos.
O fluido especial para a limpeza dos animais precisa, entretanto, ser reposto porque está acabando. Um segundo navio deve sair da Cidade do Cabo e fazer uma viagem de vários dias, de 2.800 quilômetros, até o local.
O MS Oliva ficou encalhado na ilha de Nightingale no último dia 16. A tripulação, formada por um capitão grego e uma equipe de 21 filipinos, foi resgatada com segurança. Mas a embarcação se rompeu, dividindo-se em duas partes, e derramou o óleo.
“Infelizmente, as aves não podem ser alimentadas até que o navio da África do Sul chegue com o abastecimento de peixe congelado, junto com uma equipe de limpeza especializada e outros suprimentos”, afirmou John Cooper do conselho de conservação de aves da Austrália.
“As informações sobre esse segundo navio e a data de sua chegada ainda são aguardadas”, disse em comunicado.
O arquipélago é habitat da maior parte dos pinguins penacho-amarelo existentes no mundo.
Tristão e Cunha é uma ilha vulcânica com 263 residentes britânicos descritos como a comunidade mais isolada do mundo, mas conta com hotéis, aeroporto, clubes noturnos e restaurantes.

2718-Fóssil de”dente-de-sabre” herbívoro e com molar no céu da boca


Dentes de Sabre: estratégia para afugentar os predadores

A criatura possuía dentes-de-sabre, como os famosos “tigres”, mas não tinha nada de carnívora. O resto da dentição até lembrava a dos mamíferos atuais, com uma diferença crucial: o céu da boca servia para mastigar.
Essa anatomia bucal inusitada, nunca vista antes num vertebrado, justifica o nome científico do bicho. O Tiarajudens eccentricus era, de fato, excêntrico –talvez a mais estranha das espécies que povoavam o Rio Grande do Sul há 260 milhões de anos.
Um grupo de paleontólogos está apresentando o animal ao mundo hoje, em artigo na prestigiosa revista americana “Science”.
Com 12 centímetros de comprimento e bastante afiados, os caninos parecem máquinas de matar, mas há raros casos de herbívoros com dentes desse tipo, como certos veados asiáticos.
Com base nesses exemplos, dá para traçar algumas hipóteses. Os “sabres” poderiam servir para afugentar predadores. Talvez fossem exibidos e/ou empregados durante disputas por poder e parceiros sexuais.
Esquisitices à parte, o bicho é importante por mostrar um evento evolutivo crucial: como surgiram os especialistas em devorar plantas.
“A alimentação dele envolvia algum tipo de material vegetal fibroso. A gente sabe que não era capim, porque a grama ainda não havia surgido naquela época. Talvez algo como folhas e caules”, diz Juan Carlos Cisneros, paleontólogo nascido em El Salvador, atualmente na Universidade Federal do Piauí.
Ele é o coordenador do estudo, do qual participaram cientistas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e da sul-africana Universidade do Witwatersrand.
Timidamente, Cisneros pede que não se use a palavra “réptil” para se referir ao T. eccentricus. De fato, o bicho não cabe nas classificações tradicionais que usamos para as espécies de hoje.
Embora tenha algo de lagartão (o tamanho era o de uma capivara), faz parte de um grupo de animais ligados aos avós dos mamíferos, os chamados terápsidos.
A evolução dos terápsidos foi a responsável por criar os primeiros ecossistemas terrestres com cara “moderna”, nos quais os herbívoros são maioria. E os estranhos dentes no céu da boca do T. eccentricus ajudam a documentar essa transição.
É que esses dentes apresentam formato diferenciado e padrão de desgaste característico, lembrando os molares dos mamíferos de hoje.
Permitiam processar cuidadosamente os vegetais fibrosos, extraindo deles mais nutrientes do que os dentes de répteis, que só permitem arrancar bocados da comida.
“Há lagartos hoje com dentes no palato [céu da boca], mas eles só servem para prender a comida, nunca para mastigar”, diz Cisneros.
Mas como mastigar com o céu da boca sem morder a língua?
“Boa pergunta”, ri o paleontólogo. “Achamos que os dentes de baixo, que ainda não foram achados, provavelmente estavam mais para dentro, o que evitaria isso.”
Dentes-de-sabre parecem ser o tipo de “invenção” evolutiva que aparece com alguma frequência. Só entre mamíferos que habitaram a América do Sul, há dois exemplos famosos.
O mais conhecido é o Smilodon, o dente-de-sabre por excelência (o termo “tigre” não é adequado; o bicho não é parente próximo de nenhum felino vivo e não era tigre). Sumiu há 10 mil anos e conviveu com os primeiros habitantes humanos do Brasil.
E há também uma versão marsupial (primo, portanto, dos cangurus), o Thylacosmilus, desaparecido há 3 milhões de anos.

2717-História Científica da Humanidade – 1904 a 1957


Sputinik, o primeiro satélite lançado em órbita

Europa-1904. O inglês John Ambrose Fleming inventou o diodo.
1905. Os alemães Elster e Hans Friedrich Güitel construíram a 1ª célula fotoelétrica, base para a transmissão de fotografias à distância e criaram o 1° fotômetro.
1906. O espanhol L.Torres Quevedo criouo primeiro aparelho de radiodireção. O Francês Paul Cornu voou num helicóptero.
1907. Os franceses J. Stuart Blacton e Émile Cohl inventaram o desenho animado. Os irmãos Lumiere desenvolveram um processo de fotografia colorida usando chapas tricômicas.
1909. O dinamarquês SPL Sorensen criou a escala pH para medir o grau de acidez das substâncias.
1910. A cientista Marie Curie obteve o rádio em estado metálico, o francês George Claude inventou o tubo de neon luminiscente.
1913. O alemão Hans Geiger inventou o contador de partículas.
1915. O alemão Paul Longevine inventou a técnica para detectar ultra-sons.
1919. O inglês Ernest Rutherford formulou a teoria da desintegração atômica. Os alemães Hans Vogt. Engl e Massolle fizeram experiências de sonorização de filmes de cinema.
1920. O francês Fernand Holweck descobriu a contimuidade dos raios X e ultravioletas.
1923. O espanhol Juan de la Cierva projetou o autogiro. O alemão Herman Obert publicou “Foguetes para Espaços Interplanetários”.
1925. O francês Henri Jacques Chrétien inventou a objetiva anamórfica, fundamental para o cinematoscópio.
1926. Na Grã-Bretanha, Baird realizou a 1ª transmissão televisiva; na França,Yves Le Prier projetou o escafandro autônomo.
Ásia e Oriente Próximo – 1901. O russo Piotr Liebedev comprovou a pressão da luz.
1904. Inaugura-se a estrada de ferro transiberiana.
1928. O indiano Sir Chandrassekhara Venkata Raman descobriu o efeito sobre o processo de difusão da luz pelas moléculas, íons e átomos, que traz seu nome.
1930. Inaugura-se a estrada de ferro turquestano-siberiana.
1934. O japonês Yukawa formulou as teorias dos mésons e sa quântica dos campos.
1945. Explosões da bombas atômicas nas cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. Terminou a 2ª Guerra mundial com a rendição do Japão.
1946. Início da descolonização em diversos países.
1948. Mahatma Gandhi é assassinado. Fundado o estado de Israel.
1949. Proclamação da República Popular da China.
1951. O japonês Kenishi Fukui introduziu na Química os resultados da Mecânica Quântica e idealizou o método de aproximação dos orbitais fronteiriços.
1956. Na Índia, concluiu-se a construção dos sistema de represamento da águas do Rio Mahandi.
1957. Leo Esaki conseguiu o efeito túnel dos elétrons e deu nome a um diodo utilizado como amplificador de alta frequência. A União Soviética lançou o Sputinik I, o primeiro satélite articial.
África – 1910. Formação da União Sul-Africana.
1951. Começaram processos de independência em vários países.
1967. O médico sul-africano Christian Barnard realizou o 1° transplante de coração do mundo.
América – 1903. O irmãos Wright realizaram o primeiro vôo impulsionado por motor.
1905. Albert Einstein descobriu a equivalência entre massa e energia e formulou a Teoria da Relatividade Restrita.
1906. O brasileiro Santos Dumont voou em Paris, com o 14-Bis, avião que inventou e construiu.
1908. Henry Ford iniciou a fabricaçãop em série de automóveis.
1909. O brasileiro Carlos Chagas descobriu o ciclo do protozoário Tripanossoma Cruzi, que causa a doença de Chagas, transmitida ao homem, transmitida por im inseto popularmente conhecido como barbeiro.
1911. Millokan conseguiu determinar a carga de um elétron e investigou os raios cósmicos. O norte-americano Campbell Swinton inventou o primeiro protótipo de televisão.
1915. Albert Einstein formulou a teoria geral da relatividade.Grahm Bell, em Nova Iork e Thomas Watson, em São Francisco fizeram a 1° ligação telefônica transconstinental.
1923. O norte-americano Louis Bauer analisou o campo magnético da Terra.
1927. Os norte-americanos Thompson, Clinton Davinson e Lester Germen produziram a decifração dos elétrons.
1929. Milchelson determinou o valor da velocidade da luz.
1931. Harold Clayton Urey descobriu que a água contém hidrogênio pesado. O norte-americano Ernest Lawrwce desenvolveu o ciclotron, um instrumento para a aceleração de partículas carregadas.
1936. Ervin Muller inventou o microscópio iônico que permitia ver o átomo dos metais.
1941. Início do Projeto Manhatan, nos EUA, para a construção da bomba atômica.

2716-Biologia – Os primeiros pescadores


Muito antes do homem, pequenos animais marinhos, como as anêmonas e os corais já utilizavam redes para captura de alimento. Trata-se de uma franja de tentáculos , provido de células urticantes, que fincam farpas tóxicas nos animais que vivem no plâncton e tenham o azar de passar a seu alcance. Uma vez paralisadas, as vítimas são conduzidas para a boca da anêmona e em seguida á cavidade gastrovascular, onde é digerido. Quase não saem do lugar e procuram se fixar em locais de forte correnteza. Seus parentes próximos são os corais, muito valorizados pela beleza. Os corais rochosos abrigam algas simbióticas e lhes fornecem boa parte de suas necessidades nutricionais. Capturam presas só a noite. Já os gorgonáceos, desprovidos de tais algas, são obrigados a pescar 24 hrs por dia. O mais impressionante em aparência talvez seja o ofiuróide, com braços em forma de galhos. Os lírios do mar são igualmente móveis e bem sucedidos no modo de pescar. Assemelham-se a espanadores de penas. Seus longos braços, cobertos por extensões pegajosas, capturam pequenos animais com facilidade e tem grande capacidade de regeneração. Se for abocanhado por um predador, outro crescerá rapidamente no lugar. Os recifes e atóis que povoam os mares tropicais e subtropicais são o resultado do trabalho contínuo de milhões desses animais. Suas colônias, que podem Ter o diâmetro de vários metros são a base fundamental dos recifes de corais. Se reproduzem soltando células reprodutoras na água. Os ovos fertilizados se depositam abaixo e em condições favoráveis, se transformam em novos corais. É o mais importante processo de brotamento no qual se constroe suas colônias. Quando atinge determinado tamanho, aparece um broto, esse se desenvolve convertendo num indivíduo completo com boca, tentáculos e que começa imediatamente a formar seu esqueleto. O novo animal nem sempre se separa do pai. Algumas espécies formam uma massa contínua de tecido vivente, com muitas bocas e tentáculos. Os animais inferiores da colônia vão morrendo gradativamente, porém seus esqueletos permanecem. Devido a tais ramificações, acredita-se durante algum tempo que as colônias pertenciam ao reino vegetal. Alguns vivem a consideráveis profundidades. A temperatura é um fator importante. Só existem recifes em temperatura superior a 18ºC. Isto limita a sua existência a latitudes menores de 30ºC ou a regiões próximas a o equador, exceto os recifes das Bermudas, que não estão nessa faixa em função dos efeitos da corrente do Golfo. A presença da água salgada limpa é outro requisito, chuvas fortes durante a maré baixa matam os corais, ao diminuir a concentração da água salina no mar. Charles Darwin foi o descobridor do mecanismo de formação dos recifes. Muitas de suas observações foram feitas entre 1831 e 1836. Levantou a teoria de que o recife costeiro se converte em recife de barreira por um afundamento gradual da terra, que submergindo faz com que este se transforme em atol. Existem vales submersos em muitas ilhas oceânicas, Daly em 1910 apresentou outra teoria, a do controle glacial que diz que os recifes se formaram sobre plataformas submersas.

2715-Mega Notícias – Fóssil de 525 milhões de anos é descoberto na China


Um fóssil de 525 milhões de anos descoberto na província chinesa de Yunnan contém detalhes anatômicos raros de uma criatura marinha, o Galeaplumosus abilus, que pertence ao filo dos hemicordados.
Bem preservado, o fóssil possui uma carapaça que protege partes mais delicadas como vários pares de tentáculos que foram usados para coletar alimentos –os plânctons.
A descoberta, retratada na versão on-line do “Current Biology”, pode dar indicações sobre a evolução dos vertebrados.

2714-Biologia – Gafanhoto: Quanto mais come, mais comida aparece


Parece coisa de história infantil: cada vez que devora uma folha, o gafanhoto tenta encher de novo a despensa. A descoberta foi feita por pesquisadores da Georgia.
Eles extraíram uma substância produzida pelo intestinos do gafanhoto Romalea Guttaras, uma espécie natural dos Estados Unidos. Nada menos que 1 000 espécies contribuíram com um pouco da substância, que foi aplicada sobre sementes de sorgo (vegetal parecido com o milho). O preparado acelerou o crescimento dos brotos em 24 horas. Isso significa que, durante a digestão, o gafanhoto deve regurgitar e cobrir a parte da folha que não comeu com o fertilizante intestinal. Os biólogos já tinham visto algo parecido. A saliva de certos mamíferos, como ratos e bisões, provoca reações químicas que forçam as plantas a reconstruir partes danificadas. Mas esta é a primeira vez que se encontra uma substância fertilizante no sistema digestivo de um inseto.
O próximo passo da pesquisa é descobrir exatamente como a planta responde ao encentivo de crescimento dado pelo gafanhoto.

2713-Planeta Terra -A Estação Outono


Amarelado das folhas caracteriza o outono

Nos chamados equinócios ocorrem primavera e outono, onde os dias e noite tem igual duração.
É a estação do ano que sucede ao Verão e antecede o Inverno. É caracterizado por queda na temperatura, e pelo amarelar das folhas das árvores, que indica a passagem de estações (excepto nas regiões próximas ao equador).
O Outono do hemisfério norte é chamado de “Outono boreal”, e o do hemisfério sul é chamado de “Outono austral”. O “Outono boreal” tem início, no hemisfério norte, a 22 ou 23 de Setembro e termina a 21 ou 22 de Dezembro. O “Outono austral” tem início, no hemisfério sul, a 20 de Março e termina a 20 ou 21 de Junho.
O horário de início da estação é definido pelo instante em que o Sol atinge o zênite de um ponto situado no equador, de modo que atinja igualmente os 2 hemisférios. As temperaturas se tornam mais amenas e o ar menos úmido.É nooutono que acontecem as grandes colheitas, porque os frutos já estão maduros e começam a cair.
A gangorra do El Niño
Assim como um dia sucede o outro e as estações se alternam de maneira regular, os cientistas querem descobrir o ritmo com que se repetem alguns fenômenos climáticos. Um estudo recente, realizado na Universidade de Maryland, com o apoio do NOAA, o órgão que cuida da Meteorologia nos Estados Unidos, pretende ver uma certa regularidade no aparecimento do El Niño, o fenômeno de aquecimento anormal das águas do Pacífico que costuma causar secas e inundações em várias partes do mundo, inclusive no Brasil. Segundo esse estudo, o El Niño pode ser comparado a uma imensa gangorra atmosférica, capaz de provocar fortes vendavais de um lado do Pacífico e criar calmarias do outro.
Tal gangorra teria dois ciclos diferentes. Um deles ocorreria a cada dois anos e o outro a cada dois anos w o outro a cada quatro ou cinco anos. A combinação dos dois ciclos produziria o ritmo do El Niño, e, quando coincidissem, haveria fenômenos climáticos mais fortes, como aconteceu entre 1982 e 1983. “Qualquer pesquisa que mostre regularidade no El Niño deve ser vista com cautela”, “Ele ocorre em média de duas a três vezes por década. Mas já houve períodos em que ficou sete anos sem aparecer.”

2712-Antimatéria – O Lado Negativo do Universo


A antimatéria é invertida. Em tudo, tem o sinal trocado: se um átomo comum tem carga positiva, ela é negativa. Mas é também um grande enigma: por que é que não se consegue ver os átomos de antimatéria no espaço, se até em laboratório eles podem ser fabricados? Agora, os cientistas estão mais perto da resposta.
Desde que os físicos aprenderam a provocar colisões frontais entre as partículas subatômicas para transformá-las em energia pura, notaram um paradoxo que até então não havia ocorrido a ninguém. É que a energia produzida desse modo geralmente toma a forma de novas partículas, metade das quais é feita de matéria comum e a outra metade, de antimatéria. Ou seja, sempre que se cria um próton de carga elétrica positiva, também surge um antipróton, que é negativo. Se nasce um elétron negativo, ao seu lado existe um antielétron positivo. Antimatéria é simplesmente isso: um inverso elétrico da matéria usual. Mas, então, por que não se vê antimatéria no grande laboratório natural que é o Universo? Tudo indica que ela deve ter sido criada em grandes quantidades durante o Big Bang, a explosão que criou o Cosmo, há 15 bilhões de anos. Mas é praticamente certo que, dentro do enorme volume gigantesco à nossa volta, não existe o menor traço de antiestrelas ou antigaláxias.
Eletricidade invertida
A necessidade de resolver essa contradição explica, em parte, a importância da máquina experimental montada no laboratório americano Fermilab, desde novembro do ano passado, para fabricar anti-hidrogênios. São átomos inteiros de antimatéria nos quais os prótons não têm carga positiva, mas sim negativa. E os elétrons passam de negativos a positivos. Então, esses elementos de eletricidade invertida podem fornecer uma pista para a sua aparente ausência no Cosmo: se forem examinados bem de perto, talvez revelem alguma propriedade nova, que não havia sido percebida antes.
A oportunidade surgiu somente agora porque os anti-hidrogênios são conquista recente. Só passaram a ser produzidos no final de 1995, numa experiência dirigida pelo físico alemão Walter Oelert, do Cern, sigla em francês para Centro Europeu de Pesquisas Nucleares. Oelert deu o primeiro passo, mas fez somente nove antielementos.
O Fermilab deu um salto à frente ao demonstrar que é viável fabricar antiátomos em quantidade – e, talvez, no fim do processo, fabricar energia. Os cem exemplares produzidos desde a montagem da “antifábrica”, em novembro de 1996, não são muita coisa. “Ainda vai ser preciso multiplicar esse número por vinte ou trinta, para poder fazer um estudo rigoroso”, diz David Christian, um dos responsáveis pela experiência. Mas, dado o primeiro passo, não vai ser difícil aumentar a produção e começar a investigar as propriedades dos anti-hidrogênios.
Por enquanto, os físicos não sabem exatamente que tipo de coisa terão que procurar. Talvez a antimatéria sofra de alguma instabilidade, alguma propensão interna para desintegrar-se. Isso explicaria o seu sumiço durante a história do Universo. Para Christian, a probabilidade de achar alguma anomalia não é grande. Mesmo assim, o trabalho não se perderá. Pois, enquanto mantêm um olho no enigma cósmico, os físicos vão explorar um novo tipo de material à disposição da humanidade. E não é muito improvável que, nos próximos anos, ele sirva para desenvolver tecnologias inimagináveis atualmente.
Antipartícula anticâncer
“Vamos tentar produzir e armazenar grande quantidade de antiátomos em gaiolas magnéticas”
Como esses antielementos não existem em nosso mundo, determinar as suas propriedades fundamentais é decisivo para a compreensão da natureza”. É até possível que a pesquisa acabe resultando em alguma aplicação prática. Para justificar essa crença, ele lembra que alguns tomógrafos já funcionam à base de antielétrons. Eles são injetados nos pacientes, se desintegram em contato com elétrons no interior do organismo e produzem raios X que atravessam os tecidos formando uma imagem dos órgãos. É como uma radiografia de dentro para fora. Mais recentemente, segundo o cientista, surgiram planos de bombardear células cancerosas com raios de antiprótons.
Propulsão de foguetes
Um projeto em andamento na Universidade da Pensilvânia, muito bem bolado, o motor proposto pelo chefe do estudo, Gerald Smith, usaria um raio de antiprótons para energizar um reator nuclear. A grande vantagem desse sistema sobre idéias anteriores é que exige apenas alguns milhares de partículas, quantidade fácil de produzir com a tecnologia existente. Segundo Smith, se a coisa funcionar, e se for possível reduzir o custo do combustível, que é hoje altíssimo, poderá acelerar uma grande nave pilotada a uma velocidade em torno de 100 000 quilômetros por hora e reduzir pela metade o tempo de vôo aos planetas. Uma viagem a Marte levaria cerca de 100 dias. O esforço pode não dar em nada. Mas a idéia de usar a antimatéria como combustível deve continuar sendo uma inspiração para o avanço das pesquisas.

2711-Aeroporto John Fitzgerald Kennedy


Fachada do aeroporto

Situa-se em Nova York, na seção sudeste do Queens, na baía Jamaica. Ele fica a 25 km da cidade pela estrada de Midtown Manhattan. Os pontos de referência geográfica são 40’38’25.8 Norte,73’46’41’9 Oeste.
O JFK tem um tamanho equivalente a 4.390 acres (1776 hectares), incluindo 880 no Área do Terminal Central (CTA). O aeroporto tem mais de 48 km de estrada e é 4 m acima do nível do mar.
O aeroporto é operado pela Port Authority of New York and New Jersey.
É um dos aeroportos mais movimentados do país, especialmente a nível de voos internacionais, e foi inaugurado a 1 de Julho de 1948, na altura com o nome de Aeroporto de Idlewild.
Em 1963, o aeroporto foi rebaptizado como Aeroporto John F. Kennedy, em homenagem ao presidente dos Estados Unidos da América que fora recentemente assassinado em Dallas.
A partir de 1977, o JFK passou a acolher os voos do Concorde, o que aconteceu até 2003. Era o aeroporto que mais operações recebia do Concorde, até este avião supersónico ser retirado de circulação.
A 19 de Março de 2007, o JFK foi o primeiro aeroporto dos Estados Unidos da América a receber o novo Airbus A380 com passageiros a bordo.
Ao longo dos anos, houve vários acidentes com aviões no aeroporto nova-iorquino. A 16 de Dezembro de 1960, um aparelho da United Airlines colidiu com um da TWA quando se aproximava da pista e ambos caíram no solo. Morreram 127 pessoas que iam a bordo dos aviões e cinco que estavam no solo. A 24 de Junho de 1975, durante uma tempestade, um Boeing da Eastern Airlines falhou a aterragem e morreram 122 pessoas que iam a bordo. Já em 12 de Novembro de 2001, um Airbus da American Airlines despenhou-se em Queens pouco depois de levantar do JFK e morreram as 260 pessoas que seguiam no aparelho, assim como cinco pessoas em terra.
Emprego e Impacto Econômico
O JFK tem cerca de 35.000 funcionários trabalhando para o funcionamento do aeroporto, contribuindo com um lucro de U$ 30.1 bilhão para as atividades econômicas de Nova York/Nova Jérsei.

2710-Ecologia – A Captura de peixes antes da reprodução ameaça Abrolhos


Paraíso dos recifes de corais e muitos peixes ameaçado

Em Abrolhos, um dos maiores santuários marinhos da América do Sul, peixes de alto valor comercial e importantes para a regulação do ecossistema são capturados abaixo do peso e do tamanho mínimos para reprodução, ameaçando o equilíbrio de toda a região.
No Brasil, ao contrário de boa parte da América do Norte e do Caribe, há grande deficiência de informações sobre a dinâmica reprodutiva de peixes ameaçados e com grande valor comercial.
Sem esses dados não é possível gerir a pesca de forma sustentável, minimizando os danos ao ambiente.
No caso de Abrolhos, os peixes mais valorizados são também grandes predadores que ajudam no controle de outras espécies menores. Algo essencial para a manutenção do delicado equilíbrio nos recifes de corais.
Após dois anos e meio de trabalho analisando os exemplares capturados por pescadores da região, os cientistas conseguiram identificar o período de reprodução dos peixes, bem como características de tamanho e dinâmica de movimentação.
Ainda falta, porém, descobrir os locais exatos de desova. Com isso será possível criar pontos de bloqueio à pesca no período de reprodução, entre outras medidas.
“Na desova, esses peixes se concentram em grandes cardumes, às vezes com milhares de indivíduos. Isso os torna mais vulneráveis aos pescadores”
Para chegar até esses locais, o grupo espera ter a ajuda dos próprios pescadores. Cerca de 70% da pesca no arquipélago é artesanal.
“Os pescadores sabem onde estão muitos pontos de desova. Queremos mapeá-los juntos” conta o coordenador do trabalho, publicado na revista “Scientia Marina” e financiado pela ONG Conservação Internacional.
Segundo ele, todas as descobertas foram repassadas aos pescadores em palestras, para conscientizá-los da importância de respeitar o desenvolvimento dos peixes.

2709-A Hora do Planeta – Cidades brasileiras apagaram as luzes por uma hora


Atenas aderiu a "Hora do Planeta"

Moradores de diversas cidades brasileiras apagaram as luzes na noite deste sábado para participar da campanha ambiental Hora do Planeta
A ação é uma mobilização mundial para conscientizar a população sobre o aquecimento global e a necessidade de se preservar o ambiente.
Entidades e prefeituras também aderiram à campanha e cortaram a iluminação de monumentos. Ficaram às escuras a partir das 20h30 o Cristo Redentor, no Rio, e a ponte Octavio Frias de Oliveira, em São Paulo.
No Brasil, o primeiro minuto da Hora do Planeta foi de silêncio, em homenagem às vítimas do terremoto e do tsunami que atingiram o Japão e às famílias atingidas pelas enchentes no Rio de Janeiro e em outros Estados.
O Rio, que participa pela terceira vez da campanha, é a sede do evento no Brasil e, além do Cristo, apagou as luzes dos arcos da Lapa e da orla da praia de Copacabana.
Outras 18 capitais, como Brasília, Curitiba e Salvador, também anunciaram ter aderido à Hora do Planeta apagando a iluminação de monumentos famosos.
A organização ambientalista WWF (sigla em inglês de World Wildlife Fund), responsável pela iniciativa, estima que serão mais de 4.000 cidades de 130 países do mundo a apoiar a campanha. No Brasil, são 123.

2708-Universidades – Harvard, a 1ª do Hanking


Harvard é ainda a melhor do mundo

É uma das instituições educacionais mais prestigiadas do mundo, bem como a mais antiga instituição de ensino superior dos Estados Unidos. Eleita a melhor universidade do mundo pelo Institute of Higher Education Shanghai Jiao Tong University.
Fundada em 8 de Setembro de 1636 em Cambridge, Massachusetts, era chamada simplesmente de new college (universidade nova). Foi batizada então em 13 de Março de 1639 como Harvard College, em homenagem a John Harvard, um dos seus principais mecenas. A primeira vez na qual se mencionou a instituição como universidade foi em 1780.
Harvard é a universidade privada com a maior dotação financeira do mundo; no ano de 2009 a soma foi de 25,9 bilhões de dólares,este valor não corresponde a um orçamento anual, mas sim a ativos (obtidos principalmente por doações e aplicações financeiras) de que a universidade dispõe e apenas uma parte, entre 5 e 10%, é usada em gastos anuais diretos.
A universidade é lar da quarta maior coleção de livros do mundo, com mais de 150,5 milhões de títulos, estando atrás apenas da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos (Library of Congress), em Washington, DC, da Biblioteca Britânica, em Londres, e da Biblioteca Nacional da França, em Paris.
Harvard, além de ser a mais rica, é também considerada a melhor universidade do mundo. O ranking anual feito pela Shanghai Jiao Tong University, o Academic Ranking of World Universities, coloca a universidade de Stanford em segundo lugar.
Até hoje, Sete presidentes dos Estados Unidos graduaram-se em Harvard: John Adams, John Quincy Adams, Rutherford B. Hayes, John F. Kennedy, Franklin Delano Roosevelt , Theodore Roosevelt e Barack Obama.