14.089 – Mega Byte – ‘Novo’ nome do WhatsApp começa a aparecer para os usuários


golpe whats3
Algumas semanas atrás, o Facebook oficializou uma pequena mudança de nome do WhatsApp e do Instagram: eles passariam a se identificar como pertencentes ao Facebook; Agora, a modificação está ocorrendo e um dos aplicativos mais utilizados do mundo já tem o sobrenome da rede social.
A mudança não é tão radical, mas foi feita para que o Facebook pudesse se reafirmar como dono desses aplicativos. O Facebook quer que as coisas sejam claras para todos. Com isso, o aplicativo de troca de mensagens passa a se chamar “WhatsApp do Facebook”.
Isso já pode ser visto na tela de configurações da nova versão beta do aplicativo. Ainda não se sabe se o nome exibido abaixo do ícone na tela do aparelho também mudará, mas pode ser que aconteça no futuro.
A pequena alteração de nome não muda em absolutamente nada o funcionamento do aplicativo: o seu “WhatsApp do Facebook” é exatamente o mesmo app que antes você conhecia apenas como “WhatsApp”.

14.034 – WhatsApp – Tiro pela Culatra Contra os Spans


whatsapp-android-encaminhado
Mandou pra mais de 5, dançou… 

O aplicativo censura sua mensagem sem nem mesmo saber o conteúdo

Mensalmente são mais de 2 milhões de contas banidas que supostamente estariam propagando spans.
Dessa forma, comportamentos não permitidos, como o envio de mensagens automatizadas e em grandes quantidades – o famoso “spam” – podem ser detectados sem invadir a privacidade das conversas. Vale lembrar que o novo limite de encaminhamento de mensagens só permite enviar o mesmo conteúdo para apenas cinco contatos por vez.
Ainda de acordo com o material oficial divulgado pela companhia, 75% das contas removidas por ações inadequadas são identificadas por meio do algoritmo de aprendizado de máquina do app.
Para banir usuários sem ler o conteúdo das conversas privadas, o WhatsApp usa metadados do registro no aplicativo e a taxa de envio de mensagens. Por meio dessas informações, não é preciso decriptar o bate-papo. Tudo ocorre por meio do sistema de Machine Learning, um campo de Ciência da Computação que combina inteligência artificial e reconhecimento de modelos. Desse modo, a detecção de abusos se dá em três estágios. Primeiramente, no próprio momento de registro da conta. Em seguida, durante a escrita e envio de mensagens. Finalmente, as reações negativas, por meio de denúncias e bloqueios, também ajudam no combate às contas abusivas.
No momento de registro, os dados do aparelho em que a conta é criada permitem ao WhatsApp verificar suas coordenadas. O número de telefone, o endereço IP do celular e outros detalhes podem ser utilizados para detectar a origem de um problema. O mensageiro consegue verificar se a conta está sendo criada de um mesmo telefone ou de uma mesma rede que mostrou atividade suspeita. Nesse caso, é provável que o aplicativo remova a conta quando o usuário tentar registrá-la. Só nos últimos três meses, o WhatsApp revelou que 20% de contas foram banidas no momento em que eram registradas.
A avaliação de mensagens em tempo real é o segundo estágio. Aqui, é a intensidade de uso que faz a diferença. É relativamente fácil identificar abusos nesse momento – afinal de contas, usuários bem intencionados usam o aplicativo com moderação ao encaminhar conteúdo apenas ocasionalmente. Por outro lado, se uma pessoa envia 400 mensagens por minuto, por exemplo, é bem provável que a conta esteja relacionada a um esquema de uso abusivo do mensageiro.
As reações negativas a uma conta são, enfim, outra ferramenta que permite banir usuários sem que as mensagens sejam lidas. As denúncias enviadas são categorizadas pelo WhatsApp e permitem compreender as motivações das contas que enviam mensagens indesejadas, como espalhar informação falsa (fake news) ou mesmo vender um produto. O software também estimula a proteção contra o envio de mensagens impróprias ao oferecer a opção de bloqueio de informações para números desconhecidos.
Para aprimorar a identificação de reações negativas, o app também filtra bloqueios injustos. Assim, do mesmo modo que o WhatsApp se esforça para identificar o envio excessivo de mensagens, um grande número de denúncias direcionadas a um mesmo usuário também pode ser investigado. Uma das formas de fazer isso é verificar se os números de telefone que efetuaram as denúncias interagiram de fato com a pessoa denunciada.
Inicialmente, o app permitia o envio de um mesmo conteúdo para mais de 200 pessoas simultaneamente.
O WhatsApp foi cenário para diferentes polêmicas em 2018. Golpes envolvendo marcas famosas, como Burger King e Cacau Show, tentaram roubar dados pessoais dos usuários, e o fenômeno Momo perturbou crianças e adolescentes utilizando o chat. Além disso, uma falha envolvendo o emoji de esquilo travava o mensageiro e até os celulares.
As fake news também se tornaram assunto recorrente envolvendo o aplicativo, após uma série de boatos espalhados pela plataforma ocasionar o linchamento e morte de várias pessoas na Índia. A fatalidade fez com que a empresa mudasse sua política de compartilhamento. Aqui no Brasil, as notícias falsas movimentaram as eleições presidenciais. Confira a seguir as maiores polêmicas relacionadas ao WhatsApp em 2018.
Mega Opinião
Colocar no mesmo rol indivíduos que divulgam fake news e profissionais de vendas é um erro grosseiro do aplicativo ou é mesmo feito com intenções obscuras, cercear o direito de trabalhar num mundo com frágil economia é um deserviço à sociedade.

13.854 – Falha do WhatsApp impede verificação de novos números no aplicativo


O WhatsApp apresentou uma instabilidade em um serviço importante. O aplicativo se tornou incapaz de fazer a verificação de números de telefones, o que significa que usuários que estavam fazendo seu primeiro cadastro, trocando de número telefônico ou simplesmente reinstalando o aplicativo não conseguiam concluir o processo.
Em nossos testes, o WhatsApp foi, de fato, incapaz de fazer a verificação de um número de telefone e o cadastro, como esperado, falhou. O Down Detector também confirmou um pico de reclamações em várias partes do mundo, indicando que o problema não é restrito a uma região específica.
Quando os usuários tentam realizar o procedimento, eles são presenteados com uma mensagem de erro que o WhatsApp está temporariamente indisponível. O alerta também pede para que o usuário tente realizar o procedimento novamente em cinco minutos.

falha whats

13.668 – WhatsApp muda novamente recurso de ‘apagar para todos’


golpe whats3
O WhatsApp fez mais uma mudança no recurso de apagar uma mensagem “para todos”, que exclui as publicações de modo que ninguém mais na conversa pode acessá-las nunca mais. Desta vez, o aplicativo está mexendo no tempo limite para remoção das publicações.
Para quem está tentando apagar uma mensagem dentro de janela de conversa, nada muda. O limite de tempo no qual você pode deletar esse envio ainda é de exatamente 1 hora, 8 minutos e 16 segundos, como antes. A alteração afeta a outra pessoa envolvida na conversa.
Até agora, o WhatsApp exatamente 24 horas para que o destinatário recebesse a ordem de remoção de uma mensagem para que ela fosse executada com sucesso. Se, por um acaso, essa ordem não fosse recebida dentro desse período, a mensagem não seria apagada. Agora esse limite foi ampliado para 25 horas, 8 minutos e 16 segundos.
Caso não tenha ficado claro, vamos a um exemplo. Vamos supor que você quer apagar um “oi” que você mandou para alguém. Você continua tendo pouco mais de uma hora para mudar de ideia e apagar o post. No entanto, se o WhatsApp da outra pessoa não receber essa ordem dentro das tais 25 horas, a mensagem não será removida. Isso pode acontecer, por exemplo, se a pessoa do outro lado da conversa passar um dia inteiro com o celular desconectado.
Segundo o site WABetaInfo, especializado em destrinchar as mudanças no WhatsApp, essas alterações no tempo de remoção valem para usuários do aplicativo no Android e no Windows Phone.

13.608 – Google cria recurso que reconhece e apaga imagens de ‘bom dia’ do WhatsApp


golpe whats3
Você já ficou incomodado com as pessoas que enviam as infames imagens e GIFs de “bom dia” em grupos do WhatsApp? Se você não ficou, as chances são grandes de você ser um dos perpetradores dessa prática. O fato é que muita gente detesta esse tipo de mensagem, que além de não ter utilidade, ainda enche o armazenamento do celular com imagens desnecessariamente.
Agora o Google decidiu tomar uma medida para conter esse problema. A empresa vai utilizar o seu recém-lançado Files Go como uma ferramenta capaz de reconhecer essas mensagens de bom dia para poder apaga-las do celular, o que, de quebra, também faz com que elas sumam das conversas do WhatsApp.
Apesar de o Brasil ser um dos principais alvos desse tipo de prática, o Google criou o recurso pensando, primeiramente, na Índia, um povo que apresenta algumas similaridades com o brasileiro em relação ao seu comportamento online. Por lá, a praga do “bom dia” se tornou ainda mais grave do que no Brasil.
De acordo com uma pesquisa do Google, um em cada três usuários de smartphones na Índia fica sem espaço no celular diariamente. Para um país com mais de 1 bilhão de habitantes, esse número é bastante significativo. O motivo para isso são justamente as mensagens de “bom dia”, que chegam aos montes e se acumulam no armazenamento do celular em um país onde os aparelhos mais modestos e sem muito espaço disponível dominam o mercado.
Para solucionar o problema, o Google começou a utilizar sua experiência com inteligência artificial e aplicá-la ao Files Go, aplicativo cuja função primordial é limpar arquivos desnecessários de celulares Android. Assim, a empresa só precisou treinar suas máquinas, alimentando-as com toneladas de mensagens motivacionais e imagens de “bom dia”, para que o sistema fosse capaz de reconhecer esse tipo de publicação automaticamente.
No início, porém, a inteligência artificial demorou um pouco para reconhecer o DNA e os padrões desse tipo de mensagem. A máquina confundia as mensagens de “bom dia” com imagens de crianças com algum tipo de frase escrita em suas camisetas, segundo Josh Woodward, gerente de produto responsável pelo Files Go, em entrevista ao Wall Street Journal. Com mais treino, no entanto, hoje o sistema cumpre a missão de forma adequada.
O recurso foi pensado para a Índia, de forma que ainda não funciona no Brasil, mas não seria surpresa se o Google expandisse a função. Enquanto isso, se quiser impedir que imagens e vídeos recebidos pelo WhatsApp entupam seu celular, uma boa opção é impedir que o aplicativo faça o download automático desse tipo de conteúdo; só não é possível filtrar apenas mensagens de “bom dia” como faz o Google.

13.602 – Golpe do falso processo seletivo via WhatsApp atinge 1 milhão de pessoas


golpe whats3
Os cibercriminosos estão se aproveitando da alta do desemprego entre os brasileiros para espalhar golpes. De acordo com o DFNDR Lab, da PSafe, mais de 1 milhão de pessoas caíram em um golpe que está circulando pelo Whatsapp e que divulga um falso processo seletivo para trabalhar em uma rede de supermercados atacadista.
O usuário recebe uma mensagem que promete a participação em um processo seletivo com salários de até R$ 2.800, além de benefícios, como assistência média, vale-refeição, vale-transporte e seguro de vida, e que para participar, a pessoa precisa acessar um link e responder três perguntas.
Ao entrar clicar no link e responder as perguntas, a vítima é encaminhada para uma nova página que contém uma mensagem perguntando se ela gostaria de agendar uma entrevista. Ao clicar na opção “Sim, claro”, a pessoa acaba autorizando o hacker a enviar notificações de outros golpes por push. A página ainda solicita o compartilhamento da oportunidade com todos os contatos e grupos do WhatsApp.
Para evitar cair nesse tipo de golpe, a orientação é de que os internautas não abram links suspeitos, mesmo quando enviados por pessoas conhecidas, e desconfiem de promoções e oportunidades muito vantajosas, além de erros gramaticais. No caso de mensagens ligadas à empresas, verifique no site e redes sociais da mesma se a promoção ou seleção de emprego são verdadeiras.

13.534 – Novo golpe de WhatsApp promete maquiagem de O Boticário de graça


golpe whats4
O novo golpe do WhatsApp com a falsa promoção de O Boticário está se espalhando rapidamente entre os internautas brasileiros. Prometendo um lápis de maquiagem da linha Make B, a mensagem leva os usuários a se cadastrar em serviços de SMS pagos e a baixar aplicativos maliciosos para o smartphone. De acordo com a PSafe, mais de meio milhão de pessoas teriam sido alvo da armadilha.
Na suposta página promocional, o usuário se depara com as perguntas “Você já fez compras no Boticário?”, “Gosta de produtos da O Boticário?” e “Você recomendaria O Boticário a um amigo ou membro da família?”. Em seguida, independentemente das respostas dadas, o internauta é encaminhado para uma página onde deve encaminhar a mensagem da promoção para 10 amigos no WhatsApp para ter acesso ao prêmio.
Após encaminhar a mensagem, o internauta é redirecionado para uma página onde deve se cadastrar em um serviço de SMS pago ou baixar aplicativos falsos. Essas ameaças podem deixar o celular da vítima infectado ou vulneráveis a outros tipos de ameaças, como crimes e prejuízos financeiros, de acordo com o DFNDR Lab.

Golpe simula promoção já encerrada
O golpe que circula entre os usuários brasileiros trata-se de uma versão falsa da promoção “Desejos de Make” de O Boticário, que já foi encerrada pela empresa. O link encaminhado junto à mensagem, inclusive, simula a página oficial da ação. No entanto, a farsa pode ser facilmente desmascarada por conta da má construção do site e por causa de o domínio do link ser “makesx” ao invés da marca “Make B.” ou o do próprio O Boticário, por exemplo. Outro ponto é a propaganda de uma empresa concorrente à marca.

golpe botica

13.527 – Roubo na Internet – Golpe usa programa CNH Social para enganar usuários


golpe whats3
Um novo golpe que passou a circular no WhatsApp usa o programa CNH Social, instituído em alguns estados do país, para enganar os usuários. O programa permite que a população de baixa renda ou desempregada tire a carteira de habilitação de graça. Mas não são todos os estados que oferecem o benefício.
Com a promessa de que há uma nova seleção de candidatos ao programa CNH Social, o golpe solicita que o usuário preencha dados pessoais, como nome completo, data de aniversário e Estado no qual reside. Em seguida, ele é induzido a compartilhar a falsa promessa com dez amigos ou em cinco grupos do WhatsApp.
Para Emilio Simoni, diretor do laboratório de segurança digital DFNDR Lab, da PSafe, os golpistas podem ganhar dinheiro expondo ou vendendo os dados pessoais das pessoas que caírem no golpe.
Em São Paulo não existe o programa CNH Social. O candidato precisa desembolsar ao menos 361,23 reais, valor total das taxas cobradas pelo Detran-SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo) para tirar a carteira de motorista. O preço não contabiliza as aulas teóricas e práticas de uma autoescola. Se for reprovado, o candidato precisa pagar novamente as taxas ao Detran.
A orientação das empresas de segurança é desconfiar de qualquer  promessa que chega por mensagens. É preciso checar sempre, preferencialmente entrando em contato com a empresa ou órgão do governo envolvido.
Outra recomendação é que o usuário mantenha em seu celular um software de segurança com a função antiphishing, capaz de analisar as ameaças do ambiente online.

13.526 – App falso se passando pelo WhatsApp teve mais de 1 milhão de downloads


whats falso
Um aplicativo chamado “Update WhatsApp” publicado por um desenvolvedor chamado “WhatsApp Inc.” enganou pelo menos 1 milhão de pessoas.
Como você deveria suspeitar, não se trata do aplicativo verdadeiro do WhatsApp, mas algo que tenta enganar os usuários na loja do Google replicando tanto o nome do app quanto do desenvolvedor. Vale notar também que os criadores do app falso mascararam o título da “empresa” como “WhatsApp Inc.”, mas incluíram um símbolo unicode invisível após o nome para diferenciar da empresa original sem permitir que o usuário percebesse.
O app falso foi alvo de uma campanha de denúncias por parte de usuários do Reddit, que fizeram o caso ganhar notoriedade, o que forçou o desenvolvedor a se mexer e mudar o nome do aplicativo. O aplicativo passou de “Update WhatsApp Messenger” para “Dual Whatsweb Update”; o nome do desenvolvedor mudou para “Live Update Apps”. No entanto, o Google parece ter agido e agora o app está inacessível.
Depois de instalado, o aplicativo tenta se esconder no celular sem apresentar um título e ostentando um ícone em branco. Ele também é capaz de baixar um segundo APK, chamado “whatsapp.apk”, que provavelmente é um aplicativo funcional para o usuário conseguir acessar o serviço e não perceber seu engano.
Isso dito, o estrago que o app causa poderia ser maior. O aplicativo falso tinha como objetivo gerar receita para seus desenvolvedores por meio de publicidade, e não parece tentar roubar informações para desfalcar suas vítimas. Normalmente as pessoas que caem nesse tipo de golpe acabam tendo um destino muito mais complicado.

13.512 – Mega Byte – Como bloquear o WhatsApp se seu celular for roubado ou perdido


whats desativar
Então você perdeu o acesso ao seu celular e ao seu chip. Não importa se ele foi roubado, furtado ou você simplesmente acabou perdendo o aparelho, é recomendável bloquear o acesso ao WhatsApp o quanto antes.
O aplicativo guarda algumas das conversas mais delicadas que uma pessoa pode ter, com dados privativos delicados, que podem causar estrago se caírem na mão de alguém com más intenções. Muita gente ainda usa o app para trabalho e pode ter informações delicadas de outras pessoas no aparelho.
Então, é sábio barrar o acesso ao WhatsApp no seu celular antigo o quanto antes. O problema é fazer isso sem acesso físico ao celular. O jeito mais fácil seria cadastrar o aplicativo em um novo celular com o seu número antigo, mas isso pode ser um problema por dois motivos: você pode demorar para conseguir um chip novo, ou você pode demorar para conseguir um celular novo.
O WhatsApp, no entanto, fornece uma outra opção, mas ela não é intuitiva. Depois de contatar a sua operadora para bloquear o seu chip, para que a pessoa com seu celular em mãos não tenha mais acesso a mensagens SMS, você deve seguir os passos abaixo:

1. Abra seu e-mail

2. Componha uma mensagem para o endereço support@whatsapp.com

3. Coloque “Perdido/Roubado: Por favor, desative minha conta” (sem as aspas) como assunto

4. No campo de texto, digite novamente “Perdido/Roubado: Por favor, desative minha conta” (sem aspas)

5. Inclua o seu número de telefone no formato internacional

O formato internacional de um número telefônico brasileiro é +55XXYYYYYYYYY, onde XX é o código de DDD da sua área e YYYYYYYYY é o seu número de telefone. Então, se você mora em São Paulo, e seu número de telefone é 99999-9999, o número deve ser digitado como +5511999999999.

14.458 – Mega Byte – Recurso do WhatsApp é um alívio para celulares com pouca memória


aplicativo-whatsapp-20121220-01-1-original
O APP tem um novo recurso que pode ser uma alívio para o seu smartphone com pouco espaço na memória. Agora, os usuários de celulares com sistema Android podem ver facilmente quanto espaço as mídias, como fotos e vídeos, recebidas no app ocupam no aparelho.
O recurso não é novo para usuários de iPhones, que receberam a novidade antes.
No Android, o caminho é o seguinte: configurações>uso de dados e armazenamento>uso de armazenamento. Ali, você verá todas as suas conversas, listadas da que tem mais mídias ocupando espaço para a que tem menos.
Ao tocar em uma delas, você poderá selecionar a opção gerenciar e escolher excluir as imagens e vídeos compartilhadas naquela conversa.
A novidade deve ajudar especialmente quem tem smartphones com 16 GB de armazenamento ou menos, já que o sistema Android ocupa grande parte desse montante, deixando pouco espaço realmente disponível para o uso.

13.355 – Mega Byte – Whats App é Seguro?


whats ap
WhatsApp é um dos aplicativos favoritos do brasileiro e é um dos serviços mais usados no mundo atualmente, mas a empresa não está livre de críticas. Segundo relatório da EFF (Electronic Frontier Foundation), a subsidiária do Facebook tem alguns problemas sérios em relação à transparência com que trata os dados de seus usuários.

O relatório leva em conta como a empresa lida as informações de sua base de usuários, levando em conta alguns critérios pré-definidos. O levantamento é anual e leva em conta as principais companhias de tecnologia e seu comportamento nos Estados Unidos, sendo que muitos deles acabam se refletindo em todo o mundo.
Estes cinco critérios são listados abaixo, com negrito nos itens que podem afetar usuários do mundo inteiro, e não apenas os americanos:
Seguir padrões de boas práticas da indústria;
Avisar usuários sobre solicitações governamentais de dados ;
Prometer não vender dados de usuários em seus termos de serviço;
Disputar na Justiça ordens de “mordaça” sobre vigilância governamental;
A posição da empresa sobre uma solicitação de reforma em um programa governamental dos EUA que permite à NSA coletar dados de e-mails e comunicações digitais de estrangeiros fora do país.
O WhatsApp, no entanto, falhou na maioria dos critérios observados pela EFF. O aplicativo de mensagens mais popular do planeta cumpriu apenas os critérios número 1 e 5, falhando em um dos mais controversos, que é a possibilidade de vender os dados de seus usuários.
As empresas com melhor avaliação no relatório, entre aquelas que têm alguma atuação nacional, são Adobe, Dropbox, Pinterest, Uber e WordPress, todas com cinco estrelas. Com quatro estrelas surgem os gigantes Apple, Facebook, Google, e Microsoft, com outros serviços menores como Slack e Yahoo completando a família.

13.326 – Mega Byte – WhatsApp libera função de apagar mensagens enviadas


whats ap
As próximas atualizações do WhatsApp trarão a função de “anular” uma mensagem. Hoje, o usuário que quiser apagar uma mensagem enviada, até consegue, porém o destinatário ainda a recebe e vê seu conteúdo. Com o novo recurso, o remetente tem até cinco minutos para decidir se quer ou não apagar a mensagem — e dessa vez a pessoa ou grupo do outro lado não a recebe.
A função foi anunciada na página de perguntas e respostas frequentes do site do WhatsApp. Pouco depois de sua publicação, a página foi deletada, porém ainda é possível consultá-la no cachê da internet.
Segundo o anúncio, quando uma mensagem for apagada, o destinatário apenas verá o lembrete “esta mensagem foi anulada” na conversa. No entanto, para que o recurso funcione, é necessário que os dois lados da linha estejam usando a versão mais recente do WhatsApp. E caso não funcione, o usuário que tentou apagar a mensagem não será notificado.

Como ativar o recurso
Além de estar com a versão mais atualizada do aplicativo, é necessário:
No Android, tocar a mensagem e segurá-la para que fique destacada e, em seguida, clicar em ‘menu > anular’.
No iPhone e no Windows Phone, tocar e segurar a mensagem para destacá-la e clicar em ‘anular’.

Fonte: Galileu

13.229 – Mega Byte – WhatsApp voltou a funcionar após instabilidade de mais de 2 horas


aplicativo-whatsapp-20121220-01-1-original
Após mais de 2 horas de instabilidade, o WhatsApp voltou a funcionar por volta das 19h20 desta quarta-feira (3 de maio). Segundo relatos nas redes sociais, o aplicativo de mensagens estava fora do ar desde as 17h no Brasil e em outros países do mundo.
Procurado pelo G1, o WhatsApp afirmou por meio de sua assessoria de imprensa que “está ciente do problema e trabalhando para corrigi-lo o mais rápido possível”.
Um mapa feito pela página mostra que os relatos se concentram na Europa ocidental e no Brasil. Na seção de comentários do site, porém, usuários de todo o mundo afirmaram que o aplicativo esteve fora do ar em seus respectivos países.

13.049 – Golpe no WhatsApp promete mostrar com quem seus contatos estão conversando


golpe-whats2

 

Desconfie quando a “esmola” for muito!
A empresa de segurança ESET descobriu um novo golpe no WhatsApp que promete permitir aos usuários saber com quem seus contatos estão conversando. A ação, que inscreve o usuário em um serviço pago de mensagens, atraiu mais de 1,2 milhão de cliques em duas semanas no Brasil.
O usuário recebe um link que garante a ativação do novo recurso, chamado “visualizador de conversas para WhatsApp”. Depois de clicar, o usuário é encaminhado a uma página maliciosa que pede que ele compartilhe o link com seus contatos para a novidade começar a funcionar. Depois de colocar seu número de telefone, o usuário é inscrito em um serviço de SMS cobrado.

13.048 – Novo golpe no WhatsApp pode roubar dados bancários dos usuários


aplicativo-whatsapp-20121220-01-1-original
É preciso sempre estar alerta com possíveis ataques criados por hackers em serviços de mensagens como o WhatsApp. Um novo golpe, por exemplo, está roubando dados pessoais de usuários do aplicativo usando um vírus que é enviado em mensagens no app.
Além de dados pessoais, o ataque também pode deixar vulneráveis dados bancários, códigos PIN e credenciais de acesso dos internautas.
Os primeiros incidentes foram registrados na Índia. Por lá, os usuários recebem mensagens que usam nomes de organizações governamentais do país asiático como a National Defense Academy (NDA) e a National Investigation Agency (NIA). Os arquivos chamam-se “8th-toughest-College-in-the-world-to-get-into.xls” e “NIA-selection-order-.xls” e se passam por planilhas de Excel.
Por enquanto ainda não há registros de ataques em solo brasileiro, mas é preciso ficar ligado já que hackers podem trocar os nomes dos arquivos para tentar infectar smartphones por aqui.

12.989 – Popularidade não é qualidade-Motivos para você trocar o WhatsApp pelo Google Allo agora mesmo


whats-gloogle
O WhatsApp pode ser o aplicativo de mensagens mais popular do Brasil, mas está longe de ser o melhor. Existem concorrentes muito mais eficientes em diversas tarefas, embora nenhum tenha tantos usuários quanto o app de ícone verde que pertence ao Facebook.
Uma das melhores alternativas é o Allo, desenvolvido pelo Google. Mais do que um simples mensageiro, esse app é quase uma janela de bate-papo privada com a inteligência artificial do Google, provendo mensagens de texto, vídeo ou áudio entre contatos e muito mais.
Nesta semana, o app ficou ainda mais completo, graças a uma atualização disponibilizada especialmente para os brasileiros. Confira abaixo alguns motivos pelos quais você deveria aposentar o WhatsApp e começar a usar um aplicativo bem mais completo como o Allo.

O Allo é mais inteligente
Um dos melhores recursos do Allo é o Google Assistente, um sistema de inteligência artificial que conversa com o usuário por texto como se fosse uma pessoa de verdade. Com ele, é possível ter acesso a diversas funções e informações instantâneas da internet com apenas alguns toques. Nada que o WhatsApp seja capaz de fazer.
Quer saber quando o seu time joga? Mande uma mensagem para o Assistente perguntando. Está marcando de ir ao cinema numa conversa com um amigo? Convide o Assistente para a conversa e pergunte-o sobre os filmes em cartaz. Usar o Allo é como ter o Google na ponta dos dedos, sem precisar sair e trocar de aplicativo.

O Allo é mais leve
roid, o Google Allo ocupa menos de 40MB da memória interna, enquanto o WhatsApp pode ultrapassar os 70MB – mesmo sem mensagens, imagens ou vídeos armazenados. Já que o Allo também usa sua agenda para carregar os contatos, não é preciso manter o WhatsApp instalado ocupando espaço inútil.
Com uma interface bem mais simples e recursos minimalistas, executando a maior parte do seu processamento na nuvem, o Allo é também uma dor de cabeça a menos para o seu celular, rodando em qualquer dispositivo intermediário ou dos mais baratos – sem travar ou engasgar o sistema.

O Allo permite maior integração com o Google
Se você é usuário de outros serviços do Google, como o Gmail, o Chrome, o Maps e os apps básicos do Android como um todo, você certamente sentirá os benefícios de usar um aplicativo de mensagens integrado a tudo isso.
Ligado à sua conta do Google, o Assistente do Allo pode localizar rapidamente compromissos na sua agenda, contatos do seu telefone, locais de interesse na sua cidade (o endereço da sua casa e do trabalho, por exemplo) e até suas preferências de pesquisa. Tudo a um simples comando de distância, por texto ou voz.

O Allo é mais útil
Diga a verdade: você só tem o WhatsApp instalado no smartphone porque quase todos os seus contatos só usam ele. No fundo, o WhatsApp é mais uma obrigação do que um app verdadeiramente útil, sendo que vários outros aplicativos podem fazer o mesmo que ele e muito mais.
O Allo é um bom exemplo. Mais do que um mensageiro, o app é um canal de comunicação direto com o Google. É como ter toda a inteligência artificial da empresa à sua disposição para conversar e te informar de forma rápida e simples. O WhatsApp, por sua vez, é só um mensageiro, e nem é dos mais completos.

O Allo é mais divertido
Não existem muitas opções de formatação para as suas mensagens no WhatsApp. Você pode usar alguns códigos para deixar o texto em negrito ou itálico, mas não pode mudar o tamanho da fonte ou adicionar stickers à conversa, apenas emojis.
Nesse sentido, o Allo é mais “divertido” de usar. Além de inserir o Assistente na conversa para conferir respostas engraçadas, você tem à disposição joguinhos virtuais, stickers e pode muito bem aumentar o tamanho da fonte para maior dramaticidade. O Allo enche os olhos, enquanto o WhatsApp é um tanto monótono.

12.917 – Outro Golpe – Golpe no WhatsApp ”oferece” passagens aéreas da TAM para usuários


golpe-tam

Um novo golpe no WhatsApp agora está testando a atenção de quem quer viajar de avião. Uma mensagem com um link bastante suspeito sugere que o usuário irá “ganhar” duas passagens aéreas em comemoração de um suposto aniversário de 50 anos da companhia aérea TAM.
Para isso, tudo o que o usuário precisaria fazer seria responder quatro perguntas após clicar em um link que é enviado via mensagem nas redes sociais e aplicativos de mensagens, principalmente no WhatsApp.
O problema é que ao invés de ganhar as passagens, tudo o que o internauta irá conseguir é instalar um malware no smartphone que poderá coletar informações pessoais do usuário, cadastrá-lo em serviços de mensagens pagas e compartilhar o golpe com outros usuários presentes nos contatos do aparelho.
Felizmente, a ameaça pode ser facilmente identificada. Há diversos erros de português no texto. Além disso, não há qualquer indicação de que a companhia, que agora se chama LATAM, após fusão com a companhia LAN no ano passado, esteja completando 50 anos de existência em 2016.
Para completar, como é possível ver abaixo, o endereço da promoção não tem qualquer ligação com o site da TAM, respondendo apenas por “101promo.net”.
Dessa forma, ela é apenas uma variação de “promoções” de outras empresas como cupons do McDonalds e do Burger King, Starbucks, Zara, entre outras. Se você foi vítima do golpe, o melhor a fazer é alertar seus contatos e cancelar os serviços em que foi cadastrado sem saber. Para saber como fazer isso, leia esta reportagem.
A LATAM Airlines Brasil informa que a promoção que está circulando nas redes sociais e e-mails é falsa”. A empresa ainda afirma que só divulga suas campanhas, ofertas e promoções em seus canais oficiais.

12.890 – Como os bloqueios de serviços de internet afetam a economia brasileira


whats-brasil
No último ano, o Brasil se notabilizou pelo bloqueio de serviços de internet, sendo o caso mais conhecido o que colocou o WhatsApp em rota de colisão com a justiça brasileira. O problema é que estes bloqueios vão além da chateação dos usuários de não poderem falar com seus amigos; eles geram prejuízos a quem usa estas ferramentas para trabalhar.
Como observou o colunista Ronaldo Lemos da Folha de S. Paulo, um estudo do centro de pesquisa americano Brookings Institution mostra o quão danoso para a economia podem ser estes bloqueios. No caso do Brasil, os custos chegam a R$ 360 milhões.
A pesquisa levou em consideração vários países e o impacto sofrido pela economia de cada um deles por bloqueios de serviço de internet. O Brasil fica na quinta colocação, acima do Congo (com perdas de R$ 220 milhões) e abaixo do Iraque (R$ 660 milhões).
O objetivo do estudo é apontar como a internet é vital nos negócios e na economia do mundo atual, e como restringir o acesso, mesmo que apenas a um serviço, vai na contramão da modernidade. Para exemplificar isso, ele cita que, em 2015, mais de US$ 1 trilhão do PIB dos EUA são referentes à internet, gerando 450 mil empregos.
Há outros indicadores, também. O Banco Mundial diz que um aumento de 10% nas conexões de banda larga pode representar um aumento de 1,35% no PIB per capita de países em desenvolvimento e 1,19% em países desenvolvidos. Além disso, também há a ideia de um efeito multiplicador, de que para cada dois empregos gerados por atividades online, há a criação de mais um em outro setor da economia.

12.861 – Veja como é possível acessar as mensagens apagadas no WhatsApp


aplicativo-whatsapp-20121220-01-1-original
Recentemente, um especialista russo em segurança percebeu que as mensagens deletadas pelo WhatsApp não eram completamente deletadas, e poderiam ser recuperadas usando técnicas avançadas forenses. Isso significa que o app não protege totalmente a privacidade de seus usuários.
O processo envolve criar uma cópia bit por bit do conteúdo armazenado na memória do celular e transferi-lo para outro dispositivo. Então, um software é capaz de reconstruir os dados para que eles sejam legíveis novamente.
Acontece que ao apagar uma mensagem, resquícios da informação apagada permanecem no disco enquanto não forem sobrescritos várias vezes, o que permite a sua recuperação. Isso vale para praticamente todos os dados gravados em um dispositivo, de quase todos os aplicativos.
A partir do momento que as informações apagadas podem ser recuperadas, elas precisam ser decifradas. Aí entra a segunda etapa do processo, que é recuperar as chaves de criptografia. Elas estão armazenadas na memória do celular que já foi copiada para outro dispositivo. Um software pode identificá-la para que seja possível usá-la para quebrar a proteção das mensagens.
A boa notícia para os usuários é que, para este processo de recuperação seja executado com sucesso é necessário acesso físico ao celular e ferramentas específicas que não são de fácil acesso. O software é direcionado para autoridades policiais e jurídicas que precisam de informações de vítimas ou suspeitos durante uma investigação.