6429 – Medicina – Estudo associa diabetes tipo 1 a maior risco de distúrbios da tireoide


Crianças com diabetes tipo 1 enfrentam maior risco de terem bócio e autoimunidade tireoidiana, segundo estudo iraniano apresentado em setembro no Congresso Internacional da Tireoide. Por essa razão, os pesquisadores da Universidade de Ciências Médicas de Isfahan defendem que a avaliação da função da tireoidiana e o exame da tireoide sejam realizados em crianças com a doença metabólica.
A prevalência de distúrbios da tireoide, como bócio, nódulos, problemas autoimunes e disfunção da tireoide, é pouco investigada em crianças com diabetes tipo 1, embora se saiba que esses problemas são comuns em adultos com essa doença. Para avaliar essa relação em crianças, os pesquisadores selecionaram 100 pacientes pediátricos com diabetes tipo 1 atendidos no Centro de Pesquisas de Endocrinologia e Metabologia de Isfahan e 184 crianças saudáveis, pareados com os primeiros por idade e sexo.
Examinando os participantes para a presença de bócio e realizando testes da função tireoidiana, além de medir os níveis de anticorpos antitireoperoxidase (Anti-TPO Ab) e anticorpos antitireoglobulina (Anti-TG Ab), os pesquisadores descobriram que ambos os grupos apresentavam a mesma prevalência de hipotireoidismo subclínico (18%). Entretanto, os pacientes diabéticos tinham menor frequência de bócio (21%, contra 38%), e maior prevalência de autoimunidade tireoidiana (22%, contra 8%), de positividade para TPO Ab (19,3%, contra 5,3%) e de positividade para TG Ab (11%, contra 6,4%), comparados ao grupo controle.
Em publicação do congresso, os pesquisadores destacaram que o fato de os diabéticos terem autoimunidade tireoidiana estava associado a uma propensão muito maior a terem disfunção da tireoide. E não foi observada associação entre idade, sexo, duração do diabetes e HbA1C com as concentrações séricas de Anti-TPO Ab e de Anti-TG Ab nesse grupo. “Nossos resultados demonstram a alta prevalência de autoimunidade da tireoide e de disfunção da tireoide em pacientes com diabetes mellitus tipo 1, e a necessidade de testes regulares da função da tireoide e dos anticorpos nesses pacientes”.