9927 – O sufoco agora é no mar – Onda de calor faz mar ficar 3°C mais quente no Sul e Sudeste


temperatura mar

As águas que banham a costa do Sudeste e do Sul do Brasil estão até 3°C mais quentes do que o normal para o mês de fevereiro.
Um período prolongado sem cobertura de nuvens fez a superfície do oceano se superaquecer, e cientistas avaliam se as perturbações ecológicas do calor podem afetar o ecossistema marinho.
O calor do mar neste início de ano foi constatado também por banhistas, que relataram temperatura fora do normal em praias do Rio e do litoral paulista. A água chegou a 28°C na costa. Cientistas investigam se o fenômeno está relacionado ao aquecimento global e se pode causar desequilíbrio ecológico.

A consequência visível mais notável da onda de calor para as águas costeiras foi a floração de algas e outros organismos marinhos fotossintéticos, que deixou uma gigante mancha escura no oceano. Essa formação se estendeu do mar do Rio de Janeiro até Santa Catarina.
O Centro de Biologia Marinha da USP, em São Sebastião, enviou na semana passada uma equipe de pesquisadores até algumas áreas do mar onde a mancha estava presente. O barco de pesquisa Alpha Delphini, o mais ágil do instituto, já retornou e os cientistas analisam material orgânico coletado para entender melhor o fenômeno.
Outra preocupação trazida pelo calor é a mortalidade de corais, que são centros importantes de alimentação de peixes. O branqueamento de corais, sintoma típico de sua deterioração, porém, ainda não foi verificado como consequência desta onda de calor, afirma Gonçalves.
No início desta semana, pesquisadores da Marinha brasileira registraram a chegada da ressurgência -o afloramento de águas profundas, mais frias, perto da costa. Esse fluxo levou algum alívio às praias do Rio, mas ele vem do leste e dificilmente chega ao litoral norte de São Paulo.

9910 – Caldeira no Mar – Em qual lugar a água do mar é mais quente?


Segundo o Guinness, o “livro dos recordes”, a maior temperatura já registrada no oceano é 404ºC. Só para dar uma ideia, o fogão da sua casa não passa de 300ºC! Esse calor infernal foi medido no oceano Pacífico, a cerca de 480 quilômetros da costa oeste dos Estados Unidos. Mas você nunca vai conseguir nadar nessa temperatura escaldante. Isso porque o recorde foi medido a mais de 2 mil metros de profundidade, junto a uma fonte hidrotermal, um lugar em que o magma vulcânico fica muito próximo do leito do oceano, aquecendo brutalmente a água. Se você estiver a fim de dar um tibum nas águas de superfície mais quentes do planeta, pegue um avião até a região onde ficam países como Filipinas, Indonésia, Brunei e Timor Leste. Por lá, em qualquer época do ano você pode se banhar em águas que passam dos 30ºC. Se você não quiser ir tão longe, dê uma chegadinha até o canal de Moçambique, entre o leste africano e a ilha de Madagascar. Nessa área, a água também costuma atingir temperaturas acima de 27ºC – no sudeste do Brasil, por exemplo, a temperatura média é de 24ºC. Tanto no sudeste asiático quanto na costa leste da África, a a água é quentinha porque as correntes marítimas que banham a região percorrem uma longa distância, partindo da costa oeste das Américas. Como boa parte do percurso rola na zona equatorial, as correntes recebem um monte de luz solar durante o trajeto. No final da viagem, as águas estão bem mais quentes que no resto do planeta.