3415 – ☻Mega Bloco – Sexo sem Tabu


O que é o Masoquismo?
Trata-se de uma contradição à regra geral, ou seja, buscar o prazer pelo sofrimento. O termo é em homenagem ao Barão Sachermasochi, um escritor do século 19, que tinha esse desvio. Tais indivíduos só encontram prazer sexual através de práticas estranhas como o chicoteamento, arranhaduras, pisoteamento e outras torturas masoquistas não-sexuais. São em grande número e se caracterizam por fracassar em toda e qualquer atividade, tendo má atuação em sociedade. A psicanálise explica o fenômeno com o nome de introjeção: o masoquuista lança contra si o próprio ódio que sente pelos outros. Estudos modernos descobriram que a mulher sente prazer em ser submissa ao homem e apresenta uma dose de masoquismo.
Masturbação – Não provoca prejuízos físicos, mentais ou morais, ao contrário do que se pensava no passado.Trata-se de um ato fisiológico natural praticado até por animais. Dentro da civilização humana é mais um tabu sexual. Felizmente, psiquiatras e médicos começaram a mudar de opinião a partir da 2ª Guerra Mundial; mas a propria palavra em si, possui conotação negativa. Como dissemos, animais como cães, gatos e cavalos, também touros chimpanzés são exemplos conhecidos de animais que a praticam. A frequência do ato é individual. O único dano que causa é o complexo de culpa, induzido eventualmente por padres ou outros líderes religiosos quaisquer ou ainda por outros membros da hipócrita e moralista sociedade em que vivemos. É portanto, uma das questões sexuais mais mal interpretadas: não se trata de perversão, mas ato inofensivo isolado e derivado de impulso sexual, servindo como válvula de escape quando o coito encontra obstáculos inevitáveis, criados pela vida civilizada comum.

2800 -☻Mega Polêmica – Pornô é bom para a sociedade?


Vejamos a opinião do diretor do Centro do Pacífico para Sexo e Sociedade, associado à Universidade do Havaí.

A maioria das pessoas já viu e defende fortes opiniões sobre ela. Uns argumentam que seu acesso fácil traz efeitos negativos à sociedade, como a degradação da mulher. Mas outros defendem que é uma expressão legítima de fantasias, e que não apenas traz satisfação imediata do desejo como também substitui a agressão sexual. Assim, evitaria outras atividades perigosas, prejudiciais e ilegais. Algumas feministas afirmam até que ela emancipa a mulher, libertando-a das amarras do pudor e das restrições sociais.
Não faltam provas confirmando esse posicionamento. Ao longo dos anos, muitos cientistas investigaram a ligação da pornografia tanto com crimes sexuais quanto com seu efeito na atitude dos homens em relação às mulheres. E, em todas as regiões investigadas, pesquisadores descobriram que crimes sexuais ou diminuíram ou não aumentaram onde a disponibilidade da pornografia cresceu. E, dos poucos que viram correlação entre a disponibilidade de pornografia e comportamentos antissociais, nenhum encontrou relação de causa e efeito.
Pesquisas de escala nacional na Dinamarca, Suécia, Alemanha Ocidental e EUA observaram que, embora a presença de pornografia tenha aumentado consideravelmente de 1964 a 1984 nesses países, a taxa de estupros ou caiu ou permaneceu no mesmo nível. Estudos posteriores mostraram ainda resultados semelhantes em todos os outros países cientificamente examinados – entre eles, Canadá, China, República Checa, Finlândia, Japão e Polônia. Afinal, a pornografia oferece um substituto fácil e imediato para os crimes sexuais: a masturbação.
Ainda assim, é comum que a polícia sugira que uma grande porcentagem de criminosos sexuais já usou pornografia. Isso é irrelevante, dado que a maioria dos homens tem em algum momento da vida acesso a conteúdos de sexo explícito.
Observando a questão mais de perto, pesquisadores descobriram algo surpreendente: presos estupradores têm maior probabilidade de ter sido punidos na juventude por ver pornografia que os não estupradores. E mais. Presos não estupradores começaram a ver pornografia mais cedo e em maior quantidade que os estupradores. O que é realmente correlato com o crime sexual é ter tido uma educação religiosa rígida e repressora.
Estudos também mostram que homens expostos a filmes pornográficos são mais tolerantes com as mulheres que os não expostos. Nenhum pesquisador cientificamente sério provou que a exposição à pornografia tem uma relação de causa e efeito com sentimentos ou atos negativos contra mulheres.
É verdade que algumas pessoas afirmam sofrer efeitos adversos da exposição à pornografia – basta considerar testemunhos em cortes de divórcio. No entanto, não há nenhuma prova de que a pornografia tenha sido a causa do abuso. Acima de tudo, não há liberdades que não possam ser usadas de forma equivocada. Mas o acesso à pornografia é uma das que parecem oferecer mais bem do que mal.

Mega Tabu – A Castidade é Benéfica?


Pode ser em circunstâncias específicas. A medicina no passado até já recomendou-a como fator de saúde e longevidade. O conselho se baseava em suposições e observações feitas com animais e plantas não polinizadas e animais estéreis viviam mais tempo. Os atletas da antiguidade procuravam se abster de práticas sexuais nos períodos de treinos e competições. Algumas teorias já foram derrubadas por serem pouco ou quase nada científicas. Castrados e abstinentes não tem melhor saúde e nem vivem mais do que os casados e não abstinentes. Castos não são superiores nem fisica nem intelectualmente aos que se entregam ao amor , porém, é óbvio que desregramentos podem comprometer o organismo e o caráter, mas a total abstinência de masturbação ou relações sexuais é cada vez mais difícil por ser uma conduta na contra mão da natureza biológica humana. Ela pode ser benéfica em períodos de exaustão, esforço psíquico, intelectual e físico. Fora de tais condições a castidade como conduta permanente pode ser prejudicial por exigir dispendiosos esforços de repressão aos impulsos, produzindo tensões e conflitos.