13.046 – Saúde – O que é Desnutrição Úmida?


fisiologia_digestao1
A Desnutrição Úmida é consequência de uma alimentação rica em carboidratos, porém pobre em proteínas, gorduras, e vitaminas. A pessoa com desnutrição úmida não costuma a apresentar perda de peso, mas isso acontece por causa do acúmulo de água que provoca inchaço nas pernas, pés, rosto e barriga devido a falta dos outros nutrientes, mesmo que uma pessoa ingira grandes quantidades de carboidratos não são capazes de substituir as funções exercidas por outros nutrientes.
Quando não há proteínas, lipídios, e vitaminas nas refeições faltam materiais para construir ou recuperar as células do organismo
O Marasmo é o tipo de desnutrição que deixa a pessoa sem disposição para realizar as suas atividades, os marasmo ocorre quando não se ingere a quantidade suficiente de nutrientes durante muito tempo com a falta de alimentos ricos em nutrientes, a pessoa está sempre com fome, não cresce, emagrece e pega outras doenças com facilidade, os músculos ficam reduzidos.

Vamos ver agora a estrutura química do amido
Um dos carboidratos mais frequentes na nossa alimentação, por exemplo, existe amido no feijão, no arroz, na farinha de mandioca etc.
As unidades formadoras do amido são sempre iguais:
O que se repete em cada unidade é uma substância conhecida, a glicose. Muitas frutas também contem glicose, mas grande parte da glicose que o corpo utiliza vem do amido, através da digestão o amido ingerido é transformado em glicose e pode ser muito bem aproveitado pelas células. Outro grupo químico importante para a saúde do organismo são os lipídios. O olho de cozinha por exemplo, os lipídios também fornecem energia mas exercem outras funções veremos três delas

Qual é a mais conhecida das funções dos lipídios ?

Reservatório de Energia, uma parte da energia produzida
a partir dos alimentos que comemos é transformada em gordura e armazenada para ser utilizada no momento em que o organismo precisar suprir energeticamente as nossas células, o principal local de armazenamento da gordura fica sob a pele é o tecido adiposo
cujo acúmulo faz as pessoas engordarem. uma outra função dos lipídios é a formação da camada que envolve a célula, a membrana celular é formada por lipídios e proteínas, e a terceira função dos lipídios é a sua relação com as vitaminas, algumas vitaminas só podem ser absorvidas pelo organismo quando há lipídeos no intestino veja um exemplo de molécula de lipídio
se você comparar um lipídio com um amido notará semelhanças e diferenças, a semelhança é que os átomos que compõe os dois são os mesmos, a diferença é o modo como eles estão combinados, cada combinação tem suas propriedades e funções, por causa das diferenças os carboidratos não podem substituir os lipídios, isso nos leva a outra substancia nutriente as proteínas. As proteínas são substancias formadas por várias unidades, os aminoácidos, eles são capazes de se ligarem e formarem moléculas de vários tamanhos.

Vitaminas e Sais Minerais
A quantidade de vitaminas e sais minerais que precisamos é pequena, mas se faltar pode dar raquitismo, escorbuto entre outras doenças tanto as vitaminas quanto os sais minerais são chamados de necro nutrientes. O corpo depende do bom funcionamento dos processos bioquímicos eles são responsáveis pela formação, crescimento e funcionamento das células e tecidos e para tudo funcionar bem é indispensável variar os nutrientes
Todos os tipos de nutrientes são importantes e devem compor a dieta diária das pessoas somente com uma alimentação equilibrada estaremos mais seguros

Revisão
Hoje você conheceu as substancias que compões o nosso corpo: proteínas, lipídios, carboidratos, vitaminas e sais minerais.
Você aprendeu que uma alimentação equilibrada deve ter todos os nutrientes em proporção e que a falta de nutrientes provoca a desnutrição.

9065 – Anatomia – O Esôfago


esofago
O esôfago é um tubo muscular que liga a faringe ao estômago. É pelo esôfago por onde passam os alimentos ingeridos. Possui aproximadamente 25 cm de comprimento 3 cm de diâmetro desde sua origem até a ligação esôfago-gástrica. A extremidade apical do esôfago é a parte mais estreita de todo o tudo digestivo; nessa extremidade existe um músculo circular que permanece fechado, mas se abre para a passagem de alimentos quando são ingeridos.
De acordo com a sua localização ele pode ser classificado em esôfago cervical, torácico ou abdominal. A região cervical do esôfago possui aproximadamente 4 cm, e tem contato direto com a traqueia; a região torácica do esôfago é a maior de todas as três regiões possuindo cerca de 18 cm; e seguindo a traqueia e a coluna vertebral, atrás do brônquio esquerdo, a ultima região – esôfago abdominal – mede em média 3 cm e se encontra sobre o diafragma e é a parte que se liga ao estômago.
A formação das musculaturas do esôfago depende da sua localização, o esôfago cervical e o início do torácico possuem uma musculatura estriada e a medida que ele vai se aprofundando, este músculo estriado passa a ser musculatura lisa. Essa diferença de musculatura é o que define a velocidade da passagem do alimento.
Uma vez dentro do esôfago o alimento será impulsionado por meio de movimentos peristálticos, que são involuntários.

O esôfago possui três camadas:

Mucosa – Apresenta tecido conjuntivo, vasos sanguíneos e glândulas mucosas.
Submucosa – Contém pequenas glândulas que lançam secreções em direção ao esôfago, secreções que atuam contra agentes infecciosos do meio externo.
Muscular – Composta em sua maioria por músculo estriado esquelético e somente na sua parte inferior possui músculo liso.
Algumas doenças podem ser muito comuns no esôfago como por exemplo:

Pirose (queimação) – sensação de queimadura do estômago que pode chegar até o pescoço, geralmente está relacionado a alimentos e a posição em que se está alimentando (quando deitado costuma piorar), a maioria das vezes essa queimação é causada pelo refluxo gastro-esofágico.
Regurgitação- é o refluxo de pequenas quantidades, ocasionando sabor ácido na boca, geralmente ocorre após as refeições, e geralmente ocorre quando as refeições são feitas em grandes quantidades.
Odinofagia – é a dor após engolir; quando o alimento está passando pelo esôfago, pode ocorrer quando existem inflamações no esôfago (dores de garganta)
Disfagia – é a dificuldade da passagem do alimento até o estômago, pode ocorrer por diversas causas.

8525 – Uma ave com digestão de ruminantes


Hoatzin
Tal ave amazônica chamada hoatzin tem digestão igual aos ruminantes. Já se sabia que seu aparelho digestivo difere do das outras aves, porém não havia explicação para este fato.
Conhecida também como cigana, é uma das poucas aves do mundo que só come folhas. Observou-se que o papo e o esôfago são as principais estruturas fermentadoras do tubo digestivo, particularmente favorável ao mesmo tempo à mascagem do alimento e a fermentação. A menor capacidade de voo é provocada pela influência do grande papo sobre os ossos do tórax e faz com que os filhotes precisem de 60 a 70 dias para voar.

A cigana é uma ave de estatura semelhante ao faisão, com 60 a 66 cm de comprimento, cauda e pescoço longos. A pele das faces é de cor azul, os olhos são vermelhos e a cabeça pequena termina numa crista de penas avermelhadas. A plumagem é castanho-claro, a cauda é bronze-esverdeada e termina numa banda branca.
A alimentação é herbívora e baseia-se em folhas de plantas leguminosas típicas do seu habitat, por vezes suplementada por frutos e flores. Este gênero de alimentação folhívora é suportado por um sistema digestivo único na classe Aves, caracterizado pela presença de bactérias simbiontes no papo, que ajudam à decomposição da celulose das folhas ingeridas. Os juvenis são alimentados à base de secreções esofágicas e material regurgitado, rico nestas bactérias.

A época de reprodução das ciganas coincide com a época das chuvas do seu habitat. Neste período, o casal constrói um ninho em ramos de árvores perto das margens dos rios, lagos ou pântanos, num território bem definido e protegido de invasores através de vocalizações ruidosas. Cada postura contém 2 a 3 ovos, incubados por ambos os progenitores durante cerca de 32 dias. As crias chocam sem penas e totalmente dependentes dos cuidados parentais durante pelo menos um mês.
A principal característica dos juvenis da cigana é um par de garras funcionais na ponta das asas, entre o primeiro e segundo dedos, que se perde na passagem à maturidade. Esta estrutura incomum é utilizada como forma de protecção contra predadores. Se ameaçadas por macacos ou cobras, os juvenis usam as garras para trepar pelas árvores e fugir do perigo. Outra estratégia consiste em atirarem-se para dentro de água e nadar para a segurança da margem, regressando depois ao ninho trepando com a ajuda das garras. Depois de se tornarem independentes, os juvenis podem permanecer no territórios dos progenitores por alguns anos, ajudando a criar as ninhadas seguintes e a proteger o território. A maturidade sexual é atingida depois do primeiro ano de vida.
As ciganas são voadoras pouco eficientes, que preferem circular empoleiradas nos ramos das árvores. A falta de capacidade de voo é aparentemente consequência do tamanho relativamente grande do papo, que perturba a distribuição muscular dos músculos de voo.
Desde a sua descrição, em 1776, que a classificação das ciganas é fonte de polêmica na comunidade ornitológica. A espécie já foi considerada como pertencente aos Galliformes, depois Cuculiformes e actualmente o Congresso Ornitológico Internacional classifica-a numa ordem própria – os Opisthocomiformes1 (a taxonomia de Sibley-Ahlquist, baseada em estudos de DNA, considera as ciganas como membro basal da ordem Cuculiformes).
A cigana não é uma espécie ameaçada de extinção, mas a caça excessiva e degradação de habitats podem vir a ser problemas no futuro.

Mais Sobre – O Aparelho Digestivo


As fibras são as principais aliadas do intestino, porque ajudam a formar o bolo fecal, facilitando a passagem dos alimentos e carregam para fora do corpo moléculas de gordura e colesterol, mas quem ingere fibras para combater a prisão de ventre deve tomar muita água, caso contrário, endurecem as fezes, piorando o problema.

O câncer retal e do intestino grosso, costuma aparecer numa porção chamada cólon e se desenvolvem a partir dos pólipos, lesões pré-tumorais na parede intestinal. E não há como evita-los. Algumas pessoas têm maior pré-disposição a esse tipo de câncer.

O tumor retal provoca a perda de sangue junto com as fezes e é facilmente confundido com hemorróidas. O câncer de cólon se manifesta por cólica ou dor contínua no lado esquerdo do abdome, perda de sangue nas fezes e anemia. Para quem não têm pré-disposição familiar ele só aparece depois dos 40 anos.

Por mais que seja desagradável, a colonoscopia é a única forma de saber se há pólipos ou tumores no intestino. O exame deve ser feito a cada 5 anos para pessoas com mais de 40 ou num período menor caso haja casos na família.

A maioria dos casos necessita de cirurgia. Retiram-se os pólipos ou tumor e o tratamento segue com aplicações de quimioterapia para evitar que o câncer atinja outros órgãos.

Intestino – Trabalho Sujo


Responsável pela absorção dos nutrientes, dos sais minerais e da água dos alimentos e sempre precisa de ajuda extra para executar esse serviço. As secreções quebram os nutrientes e então, as paredes intestinais conseguem absorver tudo o que o organismo precisa. A sobra é eliminada. O íleo retém algumas vitaminas, o cálcio e os sais biliares, formados a partir do colesterol retirado do sangue pelo fígado. O que restou da comida segue para o intestino grosso, que é encarregado de transportar as fezes e absorver a água, o sódio e o bicarbonato. É considerado normal quem evacua 3 vezes por dia ou 3 vezes por semana, só não é normal alterações extremas. Quando o ritmo intestinal se modifica subitamente pode ser indício de doenças, como o câncer. Em caso de diarréia simples, o intestino volta ao normal em poucas horas.

 Conhecendo o Intestino

Mucosa: absorve a água e nutrientes e secreta um muco que ajuda a lubrificar o intestino e formar o bolo fecal.

Glândulas: Ficam na parede intestinal e ajudam os anti-corpos que protegem o órgão contra doenças.

Músculos: Responsáveis pelo movimento que faz o bolo alimentar andar pelo intestino.

Camada serosa e adventista: Trabalham juntas para fazer a proteção externa e dar formato ao órgão.

Uma doença não muito rara é a glite nervosa, uma espécie de inflamação na parede intestinal causada por razões emocionais. Pode parecer estranho, mas a angústia e a ansiedade prejudicam o órgão. Os médicos estão cada vez mais seguros de que indivíduos estressados e nervosos têm maior propensão a dores e gases. Remédios auxiliam, mas não resolvem. Quem tem o problema precisa de psicoterapia ou outro tratamento. O intestino precisa ter calma para trabalhar.

Intestino – Trânsito Lento
 O problema é mais comum em mulheres. O intestino praticamente pára quando há falta de fibras e água. As mulheres sentem medo de usar qualquer privada e quando não se procura evacuar sempre que se sente vontade, o cérebro pára de enviar o estímulo ao intestino. Incluir fibras na alimentação ajuda. Exercícios físicos também estimulam os movimentos que fazem o bolo fecal transitar pelo intestino.

Acidentes de percurso » Um pedacinho de fezes errou o caminho, problemas á vista: Fecálitos são pequenos pedaços de fezes endurecidas. Se eles entram no apêndice e não conseguem sair, irritam a mucosa e provocam uma inflamação, a famosa apendicite. Trata-se de uma infecção do apêndice, uma bolsinha sem função aparente, localizada do lado direito do intestino. Se algum corpo estranho cair ali dentro, ela incha e surge um abscesso, uma bolha de pus em sua ponta. Se ela romper diz-se que o apêndice supurou. Sintomas: Dor no lado direito do abdome, febre baixa e vômito. Praticamente só atinge crianças e jovens. A única solução é a cirurgia, de preferência antes do apêndice supurar.

Diverticulite
 Divertículos são pequenas bolhas que aparecem no intestino. Suas principais causas são aumento da pressão na parte interna do órgão, e flacidez na parte intestinal. Nos países ocidentais, aos 80 anos todas as pessoas têm divertículos. Pode haver perfuração na parede do intestino. Qualquer movimento faz a pessoa sentir dor. Analgésicos, antibióticos e repouso total do intestino por meio de dieta líquida, resolvem em 90% dos casos. Perfurações precisam de cirurgia. Uma dieta rica em fibras ajuda a prevenir tal tipo de complicação.
Tumor de cólon e de reto
 É a 5ª maior causa de morte entre os pacientes com câncer e pode ser evitada com diagnóstico precoce.
Os pólipos são lesões pré-tumorais que aparecem na parede intestinal. Quando são descobertos a tempo, o cirurgião faz a sua retirada antes que o câncer apareça.
Ao se transformar em tumor, é como se ele fincasse minúsculas garras na parede intestinal, em direção aos vasos sanguíneos.
Bem alimentado pelos nutrientes na circulação, o tumor pode crescer a ponto de obstruir o caminho. É também capaz de se espalhar por todo o organismo, lançando células cancerosas pela corrente sanguínea.