13.715 – A Seleção da Sérvia


servia
Sucessora natural da Seleção Servo-Montenegrina de Futebol, que, por sua vez, já era sucessora da Seleção Iugoslava de Futebol. Na Copa de 2010, primeira copa disputada como nação independente, não correspondeu às expectativas e foi eliminada na primeira fase.Mas o time surpreendeu a todos quando aplicou uma vitória de 1 a 0 na forte Seleção Alemã de Futebol. Em 2014,durante as Eliminatórias para a Eurocopa 2016,a Sérvia e a Seleção Albanesa de Futebol protagonizaram um episódio controverso de violência no futebol.O jogo teve que ser cancelado enquanto a Sérvia fazia 3 a 0 na Albânia.No dia seguinte,a FIFA concedeu três pontos a Albânia.Como forma de punição,o jogo seguinte entre as duas equipes (Sérvia 2X1 Albânia)teve estádio fechado e sem público.
Sua maior vitória foi contra a Alemanha na Copa do Mundo FIFA de 2010 por 1×0 na fase de grupos, com gol de Milan Jovanovic. Mas, como havia perdido para a Gana por 1×0 e para a Austrália por 2×1, a seleção foi eliminada.

Jogador Famoso

petcovic

Dejan Petković, mais conhecido como Petković
Especialista em cobranças de faltas, escanteios, lançamentos, passes e chutes precisos, foi reconhecido como um dos jogadores mais técnicos atuando no Brasil nos últimos anos e um dos melhores jogadores estrangeiros que já jogaram no país. Um raro exemplo de jogador europeu a vir jogar no Brasil, virou ídolo no Vitória e destacou-se também em três rivais cariocas: Flamengo, Vasco da Gama e Fluminense.

Porém, esse sucesso não seria reconhecido pelas diversas comissões técnicas que foram se passando pelas Seleções Iugoslava, Servo-Montenegrina e Sérvia – sucesso este que, todavia, acabaria reconhecido pelo próprio governo da Sérvia em junho de 2010, quando o Ministro das Relações Exteriores de sua terra natal, Vuk Jeremić, anunciou Petković como cônsul honorário da Sérvia no Brasil.
Atualmente, é comentarista do canal SporTV.
Deu seu grande salto ao transferir-se em 1991 para o poderoso Estrela Vermelha de Belgrado, da capital da então Iugoslávia e recém-campeão da Copa dos Campeões da UEFA, atuando por lá até 1995. Em sua primeira temporada, a de 1991/92, o clube foi campeão iugoslavo e faturou também a Copa Intercontinental, mas Petković não chegou a ter participação relevante nos dois títulos; ainda não conseguira espaço no elenco, repleto de jogadores de renome inclusive internacional, como Dejan Savićević, Darko Pančev, Siniša Mihajlović, Vladimir Jugović e Miodrag Belodedici.
Passou por vários clubes espanhois mas não obteve sucesso.

Chegada ao Brasil: Vitória
O rubro-negro baiano, em parceria com o Banco Excel.
Desconhecido no Brasil, poucas eram as expectativas em cima do iugoslavo, que, logo na sua estreia, contra o União São João, marcou um gol de falta e deu passe para Túlio também marcar no empate por 2 a 2 contra o time paulista. Em oito partidas em 1997, marcou duas vezes.
Em 1998, começou o ano em ritmo devagar, marcando poucos gols, mas ainda assim se destacando, principalmente na goleada do Leão por 5 a 2 sobre o Santa Cruz, em jogo válida pela Copa do Nordeste, em que marcou seu primeiro hat-trick.
No Brasileirão de 1998, veio a consagração. Com quatorze gols em 21 partidas, destacou-se nacionalmente, encantando a torcida com um estilo clássico e certeiras cobranças de falta.
Paulo Roberto Falcão chegou a declarar que “É um jogador de rara habilidade, veloz e de muita visão de gol. Não hesita em tentar a jogada individual quando percebe que tem chance de concluir com êxito. Também participa da organização das jogadas de ataque e ajuda a combater. É um craque.”
“Pet” definiu ainda no fim de dezembro de 1999 sua transferência a outro rubronegro, desta vez o Flamengo. O clube carioca aproveitava o bom dinheiro recebido com prêmio da Copa Mercosul de 1999, recém-conquistada. Seu reforço foi anunciado inclusive em meio à carreata nas comemorações deste título, pelo então presidente flamenguista Edmundo dos Santos Silva, chegando por 7 milhões de dólares. Ganhou vário títulos pelo rubro negro carioca.