10.309 – Mega de Olho na Copa – Celeste derruba a Azurra


Azurra amarela de novo e é eliminada pelo Uruguai
Azurra amarela de novo e é eliminada pelo Uruguai

Campeão da Copa do Mundo de 1950 no Brasil, o Uruguai conseguiu uma emocionante vitória por 1 a 0 sobre a Itália nesta terça-feira (24-junho), na Arena das Dunas, em Natal, pela última rodada do Grupo D, e se classificou para as oitavas de final.
Donos de quatro títulos mundiais, os italianos caíram na primeira fase pela segunda vez consecutiva. Eram os únicos que poderiam se igualar ao Brasil em número de conquistas neste Mundial.
O gol foi do zagueiro Godín, herói do título espanhol do Atlético de Madri na recém encerrada temporada e autor de outro tento na final da Liga dos Campeões da Europa.
Os italianos, que jogavam pelo empate, ficaram com um atleta a menos aos 13 min do segundo tempo, quando o volante Marchisio, que tinha a bola dominada, deu uma solada em Arévalo Ríos e foi expulso.
Ainda no final do jogo o zagueiro italiano Giorgio Chiellini e o atacante uruguaio Luis Suárez se estranharam e o europeu alegou ter sido agredido pelo rival, mostrando uma marca no ombro.
A Costa Rica, que já havia garantido uma das duas vagas, ficou com a liderança do chamado grupo da morte, após 0 a 0 com a antecipadamente eliminada Inglaterra nesta terça.
Os costa-riquenhos vão enfrentar o segundo colocado do Grupo C, formado por Colômbia, Costa do Marfim, Grécia e Japão. Os uruguaios pegarão o líder dessa chave.

10.296 – Mega de Olho na Copa – A Azurra Amarelou


ita costa rica

O “grupo da morte” tem três campeões mundiais, mas foi a azarã Costa Rica a primeira a conquistar a vaga para as oitavas. Depois de ganhar do Uruguai de virada, os “ticos” surpreenderam mais uma vez e derrotaram a Itália por 1 a 0 nesta sexta-feira, na Arena Pernambuco.
De quebra, desclassificou a Inglaterra, que, após duas derrotas, dependia de uma vitória italiana para se manter viva. A última vaga do grupo D será decidida nesta quarta-feira, quando a Azzurra e o Uruguai, ambos com três pontos, se enfrentam no dia 24, em Natal.
De longe a maior zebra desta Copa, a Costa Rica é a terceira equipe latino-americana a se classificar, ao lado do Chile, que despachou a Espanha, e da Colômbia.
Os costa-riquenhos venceram também na arquibancada, onde, em maior número do que os italianos, gritaram desde do início: “Sí, se pude!”.
Sob o sol pernambucano das 13h, o jogo começou bastante morno e com uma ligeira vantagem da Costa Rica, que ameaçou principalmente nos escanteios.
A partir de meados do primeiro tempo, os italianos reagiram, com Balotelli desperdiçando duas chances. Aos 31 min, o atacante teve a oportunidade mais clara, quanto, dentro da área, tentou encobrir o goleiro, mas a bola pegou na canela.
Depois dos sustos, a Costa Rica voltou a tomar a iniciativa do jogo nos minutos finais. Primeiro, aos 42 minutos, quando Campbell aproveitou um erro da saída de bola, avançou com a bola para a área e foi derrubado por Chiellini, mas o árbitro não marcou o pênalti.
O gol da Costa Rica veio dois minutos mais tarde. Diaz cruzou da esquerda para o cabeceio de Ruiz. A bola ainda bateu no travessão antes de bater perto da linha e foi validado pela nova tecnologia inaugurada pela Fifa nesta Copa.
O segundo tempo começou com a Itália em busca do empate. Logo nos primeiros minutos, o técnico Cesare Prandelli trocou o volante ítalo-brasileiro brasileiro Thiago Motta e o zagueiro Candreva para a entrada de dois atacantes: Cassano e Insigne, respectivamente.
Mas as mudanças não surtiram efeito, e a Itália pouco ameaçou. A melhor chance veio numa cobrança de falta do meia Pirlo, para a boa defesa do goleiro Navas.
Na segunda etapa, Balotelli só apareceu aos 23 min, mas porque levou o amarelo em uma falta sem bola.
Com a Itália inoperante e a Costa Rica fechada, o jogo se arrastou até o apito final, quando jogadores, torcida e jornalistas do pequeno país centro-americano explodiram de alegria.