13.411 – Os erros mais comuns de português na hora de escrever uma redação


teste-de-portugues
Saber argumentar e ser coerente é essencial para um bom texto. Mas, segundo a professora de redação do Cursinho do XI, Vivian D’Angelo Carrera, o maior problema das redações da maioria dos alunos ainda são os erros gramaticais.
Erros ligados à semelhança sonora:

“Isso não tem haver” no lugar de “Isso não tem a ver”.

“Ele não sabe lhe dar com o problema” em vez de “Ele não sabe lidar com o problema”.

“As pessoas encontrão situações complicadas” no lugar de “As pessoas encontram situações complicadas”.

“A situação foi mau resolvida” e “ Ele é um mal elemento” no lugar de “A situação foi mal resolvida” e “ Ele é um mau elemento”. (“Mau” é o oposto de “bom“; “mal” é o oposto de “bem“. Na dúvida, troque a palavra pelo seu oposto e veja qual se encaixa melhor).

“O governo não investe como deveria em educação, mais cobra muitos impostos” em vez de “O governo não investe como deveria em educação, mas cobra muitos impostos”.

Outros erros do tipo: consiente (consciente), siguinificar (significar), extresse (estresse), supérfulos (supérfluos).

Há também os erros envolvendo junção de elementos: incomum (em comum), concerteza (com certeza), encontra partida (em contrapartida), apartir (a partir), porisso (por isso).

Erros causados pelo mau uso das regras gramaticais:

Uso do onde (pronome relativo de lugar) ligando ideias que não têm a ver com lugar.

“A amizade é algo presente na vida de todos, onde muitos se esquecem disso”.

Mau uso dos pronomes demonstrativos

“É necessário conhecer as próprias limitações. Isto deve ser feito aos poucos”. (O correto seria isso, por fazer referência a uma ideia anteriormente apresentada. “Isto” deve ser usado quando se refere a uma ideia que será apresentada em seguida).

“A população conhece os problemas do Brasil, e a mesma também sabe como resolvê-los. (Apesar de muita gente usar, o pronome mesmo não pode substituir um substantivo. O correto seria “A população conhece os problemas do Brasil, e ela também sabe como resolvê-los.”).

Erros de concordância com verbos que não permitem o plural ou uso de singular quando o verbo deve ir para o plural.

“Fazem dois anos que ninguém resolve o problema.” (Os verbos fazer e haver, quando indicam tempo cronológico, não se pluralizam).

O correto seria: “Faz dois anos que ninguém resolve o problema”.

“Encontra-se saídas” em vez de “Encontram-se saídas”. (Neste caso, o verbo concorda com o sujeito. Na dúvida, veja se dá para usar a voz passiva: “Saídas são encontradas”. Se for possível, o verbo deve ir para o plural).

Obs.: O verbo ter, para concordar com o sujeito plural, recebe acento circunflexo.

As pessoas têm o direito de votar.

Erros de regência

“Desigualdade social implica em desemprego” em vez de “Desigualdade social implica desemprego”. (Implicar é transitivo direto no sentido de acarretar).

Pleonasmo

“Aconteceu uma manifestação há dez dias atrás, então é necessário criar novas saídas para as discussões.” (Ou se usa há ou atrás. Criar e novas também trazem a mesma ideia, então o certo seria usar apenas uma das duas).

13.010 – Redação – O que é o resumo?


como-fazer-um-resumo
O resumo pode ser considerado como uma leitura inteligente do texto que se pretende entender ou explorar resumidamente. A leitura inicial é uma forma de reconhecimento do texto, o leitor vai sentir as primeiras impressões do texto. Para uma boa leitura é preciso que se leia de forma atenta e deixe de lado seus preconceitos, usando a sua parte perceptiva e identificando-se com o corpo do texto. O que podemos chamar de diálogo com o texto.
Após a primeira leitura e impressões, que é um tipo de análise do todo, passa-se a segunda leitura que divide o texto em parágrafos. Leia todo o texto sem deixar páginas ou parágrafos. Agora o leitor observará e retirará as idéias centrais dos parágrafos, cuidado ao analisar os parágrafos, pegue somente as idéias centrais e deixe as secundárias em segundo plano. A cada parágrafo deve-se fazer anotações sobre as idéias principais e importantes, não polua suas anotações com opiniões de menos importância. A idéia principal é uma explicação inserida no parágrafo. Ao término da assinalação dos dados significativos, faça um confronto com uma nova leitura para observar suas anotações e o seu entendimento.
Leia suas anotações com atenção e expresse suas idéias mostrando o que entendeu do texto, em verdade integrando as idéias contidas no texto. Observação: não é uma cópia.
Evite algumas expressões do tipo:
“O autor descreve…”;
“Neste artigo, o autor descreve que…”;
“No texto o autor fala…”;
“Todos sabem…”;
“De acordo com alguns autores…”;
Gírias, frases muito longas (são passíveis de erros), “achismos”.
O resumo deve conter:
Título – o original do autor da obra original, quando só se usa um texto. Para dois ou mais textos pode-se criar um título.
Corpo do texto – é o desenvolvimento.
Elaborar a referência – você partiu de um texto, logo será sua referência. Consultar as normas da ABNT.