11.027 – Governo de SP projeta início do racionamento em abril


Sistema Cantareira seco
Sistema Cantareira seco

Em meio a maior crise de abastecimento da história de São Paulo, o governo do Estado prevê a entrada em vigor do racionamento até a primeira quinzena de abril. As informações são do jornal Folha de S. Paulo. É neste mês que estima-se que seque a segunda cota do volume morto do Sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento de 6,2 milhões de pessoas na Grande São Paulo – na capital, serve a toda Zona Norte, além de parte das regiões Leste, Oeste, Centro e Sul.
a projeção do governo leva em conta o atual cenário de consumo e a sequência das chuvas abaixo da média: a segunda cota do volume morto do Cantareira secaria em 5 de abril e a terceira cota passaria a ser usada no dia seguinte. Conseguiria, contudo, elevar o nível do reservatório em apenas 4,2% – e se esgotaria em 31 de maio. A única maneira da capital paulista se ver livre do rodízio seria a ocorrência de chuvas acima da média nos meses que restam do período chuvoso, que se estende justamente até abril.
Ainda de acordo com a reportagem, o cenário citado pelo diretor da Sabesp Paulo Massato na recentemente, de cinco dias sem água para dois com, é o mais drástico em estudo – mas não o único. A Sabesp avalia, por exemplo, dar início ao racionamento somente nas regiões atendidas pelo Cantareira. Ou fazer um rodízio de quatro ou três dias sem água em toda Grande São Paulo. A escolha estaria condicionada ao volume que terá de ser economizado até o início do próximo volume chuvoso, em outubro. A decisão sobre o modelo será feita um mês antes do início do racionamento.
O Ministério do Planejamento incluiu o projeto de interligação do reservatório Jaguari-Atibainha na carteira do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) a pedido do governador. A obra faz parte dos projetos de segurança hídrica que o governo de São Paulo apresentou à presidenta Dilma Rousseff em dezembro, com o objetivo de reforçar o abastecimento de água no Estado.

9973 – Desenvolvimento – Programa Água para Todos


água p todos

Decreto Nº 7.535 de 26 de julho de 2011
Art. 1o Fica instituído o Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Água – “ÁGUA PARA TODOS”, destinado a promover a universalização do acesso à água em áreas rurais para consumo humano e para a produção agrícola e alimentar, visando ao pleno desenvolvimento humano e à segurança alimentar e nutricional de famílias em situação de vulnerabilidade social.

água na seca

A iniciativa do Programa Água Para Todos é do Ministério da Integração Nacional, como parte das ações previstas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A finalidade é a de universalizar o acesso ao uso da água a partir do repasse de recursos federais para ações que garantam acesso à água para as comunidades rurais cujos habitantes se encontram em situação de vulnerabilidade social.
A Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará e o Ministério da Integração Nacional vão liberar na segunda-feira (26) recurso para financiar 151 projetos de abastecimento de água do Água para Todos. No total serão investidos R$ 29,1 milhões, e 6.391 famílias serão beneficiadas.
Com os projetos, as famílias terão água de qualidade nas residências e não dependerão mais de outras fontes de abastecimento, segundo o Governo do Estado. “As famílias beneficiadas não precisarão mais carregar latas d’água na cabeça, abastecer suas residências com água de carros pipa, além de diminuir os riscos de contaminação por doenças que tenham como veículo a água”, afirma o coordenador de Programas e Projetos Especiais da SDA, Wanderley Guimarães.