10.094 – Robô Curiosity capta estranha luz em Marte


luzes-estranhas-em_-marte-noticias-the-history-channel-1

De onde vem este brilho no meio da escura paisagem marciana? A foto, obtida pelo rover Curiosity, da NASA, no dia 3 de abril, não possui efeitos especiais ou alterações digitais. Na realidade, a imagem da luz enigmática, detectada nas dunas de Marte, rapidamente se espalhou pela internet. Nas publicações especializadas em ufologia e mistérios espaciais, multiplicam-se as teorias sobre a origem do fenômeno.
No relato de Scott Waring, do site Diário de Avistamento Óvni, “uma fonte de luz artificial foi vista esta semana nesta foto da NASA, brilhando do solo… isto poderia indicar a existência de vida inteligente sob a superfície e a utilização de luz, como a nossa.”.
Entretanto, teorias mais cautelosas, como a de Justin Maki, do Laboratório de Propulsão a Jato, da NASA, dizem que “é bastante possível que a luz seja efeito do brilho da superfície de uma pedra refletindo o Sol… quando as imagens foram feitas, o Sol se encontrava na mesma direção do ponto brilhante e relativamente baixo no céu”.
Waring retrucou com uma imagem capturada pelo mesmo Curiosity um dia antes, 2 de abril, e salientou “não se trata de um brilho do Sol, ou erro do procedimento fotográfico: percebe-se com nitidez a parte inferior da luz, que tem uma superfície bastante plana, demonstrando que começa nesta superfície”.
Justin Maki também utilizou as imagens do arquivo para manter sua teoria, apontando para uma foto tomada pelo visor direito do rover, segundos depois da foto, onde se vê a luz (feita com o visor esquerdo) e não se vê nada de extraordinário.
As imagens estão à disposição dos interessados em tirar suas próprias conclusões. Mas, cada vez que a suspeita de vida em outro planeta for levantada, o debate será inevitável.

8771 – ☻ Mega Notícias – Terremoto japonês foi ouvido do espaço


O mega terremoto de 2011, que provocou tsunamis e a catástrofe nuclear de Fukushima, gerou uma onda de choque que subiu pela atmosfera e alcançou o espaço – onde foi captada por um satélite da Agência Espacial Europeia. O tremor também provocou uma redução muito pequena, porém mensurável, do campo gravitacional sobre o Japão.

Carga no fundo do mar
O Pentágono anunciou um projeto para colocar caixas com equipamentos no fundo do oceano. Elas ficariam enterradas por anos e só submergiriam, puxadas por robôs, quando necessário.

8552 – Astrônomos identificam pela primeira vez a cor de um planeta fora do Sistema Solar


Outro pálido ponto azul
Outro pálido ponto azul

Astrônomos usaram o telescópio espacial Hubble, da Nasa, para identificar, pela primeira vez, a cor de um planeta fora do Sistema Solar. O corpo escolhido foi o HD 189733b, localizado a 63 anos-luz – um dos exoplanetas mais próximos conhecidos pelos cientistas. Assim como a Terra, o HD 189733b é azul, segundo os pesquisadores.
A órbita do HD 189733b é muito pequena, e a luz refletida em sua superfície é muito fraca. Para investigar sua coloração, os pesquisadores usaram o espectrógrafo do Hubble. O aparelho mediu as mudanças na luz refletida pelo planeta durante toda a sua órbita.
Os astrônomos descobriram que, quando o planeta se esconde atrás da estrela — e a passagem de luz é bloqueada — há uma pequena mudança no padrão de ondas que chegam à Terra. “A luz vai se tornando menos brilhante no espectro azul, mas não no verde ou vermelho. Isso significa que o objeto que desapareceu era azul”, diz Frederic Pont, da Universidade de Exeter, na Inglaterra.
Segundo os cientistas, se o planeta pudesse ser observado diretamente, ele se pareceria com um ponto azulado, lembrando a Terra quando observada do espaço. As semelhanças, no entanto, terminam aí. Ao contrário da Terra, o tom azulado do HD 189733b não vem dos oceanos, mas de sua atmosfera turbulenta e tempestuosa. De dia, as temperaturas podem chegar a 1.000 graus Celsius, e de noite, a 800. A diferença de temperaturas faz com que fortes ventos percorram sua superfície a até 7.000 quilômetros por hora, carregando cortantes partículas de vidro, que refletem mais o azul do que o vermelho.

8307 – Astronomia – Um Asteroide com Lua Própria


asteroide com lua
O asteroide 1998 QE2, cujo tamanho é estimado em cerca de 2.7 quilômetros de diâmetro passou nesta sexta-feira (31), de forma segura, a 5.8 milhões de quilômetros da Terra. O astro, que vem sendo estudo por astrônomos em sua aproximação da Terra, revelou uma surpresa: um satélite de 600 metros de diâmetro orbitando ao seu redor.
Segundo cientistas, em nenhum momento o objeto apresentou risco à Terra. Em sua maior aproximação, o 1998 QE2 esteve cerca 15 vezes a distância entre a Terra e a Lua.
Mas astrônomos estiveram monitorando o astro, uma chance de aprender mais sobre a sua composição, estrutura e órbita.
“É extremamente emocionante ver imagens detalhadas desse asteroide pela primeira vez”, disse Lance Benner, do radar Goldstone, no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa em Pasadena.
Asteroide 1998 QE2 foi descoberto em agosto de 1998. A rocha espacial é um dos 10 mil asteroides próximos da Terra identificados até o momento, mas a população total desses objetos pode ultrapassar 1 milhão.
Muitos objetos menores e perigosos, entretanto, ainda não foram descobertos. Os astrônomos catalogaram menos de 30% dos asteroides de pelo menos 100 metros de diâmetro que possuem algum possibilidade de passar próximo à Terra em algum momento de suas órbitas. Tais objetos poderiam destruir uma área do tamanho de um estado se se chocassem com a Terra.

6717 – Imagem da superfície de Marte intriga os pesquisadores


Superfície Marciana

O veículo explorador Opportunity, que aterrisou em Marte em 2004, e cuja principal função é analisar aspectos geológicos do planeta vermelho, enviou nesta semana uma imagem que está intrigando os pesquisadores.
A imagem revela uma concentração de saliências esféricas e difere bastante das formações esféricas de ferro, apelidadas de “blueberries”, encontradas pela Opportunity em diversas outras área do planeta.
“Essa é uma das mais extraordinárias imagens de toda a missão”, declarou um dos chefes do projeto, Steve Squyres, da Universidade de Cornell, nos EUA. “Quando vimos esses pequenos objetos esféricos, imediatamente pensamos nas “blueberries”, mas isso é diferente. Nós nunca vimos uma acumulação tão densa em Marte”.
“Elas parecem ser mais duras por fora e suaves no meio”, continua Steve Squyres. “Elas são diferentes em concentração. Elas possuem uma estrutura diferente. Elas são diferentes em composição. Elas são diferentes em distribuição. Nós temos então um quebra-cabeça geológico diante de nós.”
A Nasa lançou os veículos exploratórios Spirit e Opportunity em 2003. A Spirit concluiu sua comunicação com a Terra em março de 2010. Os veículos foram responsáveis por importantes descobertas sobre o ambiente antigo de Marte, que favoreceram a hipótese de alguma forma de vida microbiana no planeta.

5852 – Mega Notícias – Geleira é transformada em cubos para drinques


Um homem foi preso após retirar e contrabandear 5 toneladas da geleira Jorge Montt, na Patagônia. O material ia ser cortado em cubos e vendido pelo equivalente a R$ 10 600 a bares e restaurantes da região de Santiago, no Chile.

EUA jogaram corpos de soldados em lixão
Os restos mortais de 274 soldados americanos mortos nas guerras do Iraque e do Afeganistão foram incinerados e jogados em um lixão no estado da Virgínia. A descoberta dessa prática, que não era informada às famílias das vítimas, causou consternação nos EUA.

1500-☻Mega Notícias – Humanóide


O robô Hadaly 2 é um dos mais recentes protótipos desenvolvidos pelo projeto humanóide, patrocinado pela Universidade de Waseda em Tóquio. O objetivo´é construir um robô antropomorfo que combine subsistemas de reconhecimento, aprendizado, ccordenação motora e expressão.
Terremoto na Turquia – Fez um grande número de vítimas em 17 de agosto de 1999. A cidade, cuja capital é Istambul, tem mais de 10 milhões de habitantes e houve divergência entre especialistas se haveria mais abalos.
Sondas Testam tecnologia no Espaço
Um novo projeto lançará sondas um pouco maior que um toca discos e que realizará as mesmas funções dos satélites convencionais. O exército de satélites miniaturizados poderia ser posicionado ao redor da Terra para monitorar os efeitos nocivos da atividade solar sobre os equipamentos eletrônicos em órbita mais adiante, as sondas poderiam cercar outros planetas e estudar sua atmosfera. Dois projetos já foram enviados ao espaço, a sonda Deep Space 1, lançada em 24 de outubro de 1998, passou a 25 km do asteróide Braille em junho de 1999. O Deep Space 2 faz parte da sonda Mars Polar Lander, lançada em 3 de janeiro de 1999 e que pousou no pólo sul de Marte em dezembro. O projeto teve um custo de 25 milhões de dólares, pouco quando comparado ao custo de outras sondas com a Galileu, que custou 1,6 bilhão.

Mega Memória – Acidentes


No tempo de concluir a leitura desse artigo, ocorrerá pelo menos 3 acidentes nos EUA, de acordo com a lei das probabilidades. Por volta dessa mesma hora, amanhã quase 70 mil pessoas na América do Norte terão se cortado, ferido, escaldado, queimado ou envenenado, a ponto de precisarem de serviço médico. Nos próximos segundos, falando estatisticamente, alguém se terá ferido no emprego em um dos países mais apercebidos em segurança, os EUA. Na Inglaterra há décadas os acidentes de trânsito são a maior causa da morte em ambos os sexos até os 65 anos. Em meados da década de 1960, acidentes domésticos foram responsáveis por 4.200.00 ferimentos aleijadores e 1 bilhão e 150 mil dólares da colossal conta de 14.5 bilhões de dólares que os acidentes custaram á América do Norte no ano de 1961. Quem disse que o lar é um lugar seguro?