12.745 – Rio 2016 – Phelps quebra recorde olímpico de 2 mil anos


Michael_Phelps_quebra_recorde_olimpico_de_2_mil_anos_0
Com 26 medalhas no total, o nadador americano Michael Phelps é o atleta olímpico com mais conquistas dos últimos tempos. E 11de agosto, ele arrebatou mais uma vitória – dessa vez histórica – para a coleção: com a sua 13ª medalha individual de ouro, nos 200 m medley, se tornou o maior medalhista em provas individuais – um recorde que ficou insuperado por 2.168 anos.
Antes de Phelps, só um cara tinha alcançado essa proeza: o grego Leônidas de Rodes. Nascido em 188 a.C., ele competiu em quatro olimpíadas – entre 164 e 152 a.C -, e era considerado, assim como o nosso “Tubarão de Baltimore”, o maior campeão olímpico individual da época. Faz sentido: aos 36 anos, o atleta acumulou 12 coroas de louros – o equivalente à medalha de ouro naqueles tempos.
O negócio de Leônidas não era nadar, e sim correr. Só que, assim como o campeão de natação, o grego era perito em várias modalidades dentro de seu esporte – ele foi tetracampeão na corrida de 200 m e em duas outras categorias que hoje não existem mais, o diaulo e o hoplitódromo.
Diaulo é uma corrida de ida e volta, de aproximadamente 400 m, semelhante à nossa prova atual dessa distância. Já o hoplitódromo era uma competição mais pesada: os 400 m eram percorridos pelos atletas enquanto eles vestiam uma armadura militar e carregavam um escudo, somando um peso extra de 25 kg. Além de tudo, na época do ano em que as olimpíadas aconteciam, a temperatura podia chegar a 40°C. Quem praticava esse esporte, então, precisava não só ser ágil e forte, mas também ter uma resistência assustadora – por isso, a prova era conhecida como “corrida de soldados”.
Não admira que um atleta que vencesse essas três competições em uma mesma olimpíada fosse tido como um grande herói: esses caras ganhavam o título de triastes – e Leônidas era um desses. Para você entender como ele era acima da média, saiba que só existiram sete triastes na época, e esse grego específico foi o único a alcançar essa honra mais de uma vez.
De fato, o atleta conseguiu o título quatro vezes no total. Na quarta conquista, Leônidas tinha 36 anos, e já estava “velho” para os padrões dos atletas – assim como Phelps, que alcançou suas últimas quatro medalhas esse ano, aos 31. Até hoje, só outros dois atletas além deles conseguiram arrebatar quatro medalhas de ouro individuais consecutivas: os americanos Al Oerter, no arremesso de disco, e Carl Lewis, no salto a distância.
Claro, se a gente for contar direitinho, Phelps tem muito mais medalhas olímpicas do que Leônidas: no total, o americano tem 26 – 13 ouros individuais, nove ouros em revezamentos, dois bronzes e duas pratas. Mas, como na Grécia Antiga não existia nada além do primeiro lugar, e como também não havia provas de revezamento na corrida, a gente dá uma colher de chá pro Leônidas – afinal, o cara foi o único tetra medalhista individual campeão em mais de 2 mil anos de Olimpíadas.

2625-Esporte:A Natação


Esportes

É considerada o exercício físico mais completo, além de defesa contra afogamentos. Os primeiros grandes nadadores foram os fenícios, cujos barcos precisavam ser tripulados por pessoas que nadassem bem, pois surgiam problemas em viagens longas. No Brasil, surgiu como esporte em 1898, quando o clube da natação e regatas realizou o primeiro campeonato brasileiro, disputado apenas por homens, na distância de 1500 metros, nado livre, entre a Fortaleza de Villegainon e a Praia de Santa Luzia. O primeiro nadador brasileiro foi Tetsuo Okamoto, que conquistou uma medalha de bronze. Na olimpíada de 1952, na prova dos 1500 metros. Em 1961, Manuel dos Santos estabeleceu o recorde mundial dos 100 metros no tempode 53,6 segundos. Abílio do Couto, estabeleceu o recorde mundial em 1959, para a travessia do Canal da Mancha no tempo de 12 horas e 49 minutos.
O que significa cada pictograma?
Serão 37 modalidades em Londres’2012, cada uma idenficada por um simbolo. Acima, vemos as duas versões de pictogramas para os próximos Jogos Olímpicos da Era Moderna nos seguintes esportes (da esquerda para a direita):
1ª linha: saltos ornamentais, natação, nado sincronizado, pólo aquático, ginástica artística, ginástica rítmica, ginástica em trampolim e handebol;
2ª linha: tiro com arco, atletismo, badminton, basquete, hóquei na grama, judo, remo e tênis;
3ª linha: boxe, canoagem slalom, canoagem velocidade, BMX, triatlo, vôlei de areia, voleibol e vela;
4ª linha: mountain bike, ciclismo em estrada, ciclismo em pista, hipismo adestramento, tiro esportivo, tênis de mesa, taekwondo e levantamento de peso;
5ª linha: hipismo CCE, hipismo saltos, esgrima, futebol, lutas olímpicas e pentatlo moderno.
O que significa cada pictograma?
Serão 37 modalidades em Londres’2012, cada uma idenficada por um simbolo. Acima, vemos as duas versões de pictogramas para os próximos Jogos Olímpicos da Era Moderna nos seguintes esportes (da esquerda para a direita):
1ª linha: saltos ornamentais, natação, nado sincronizado, pólo aquático, ginástica artística, ginástica rítmica, ginástica em trampolim e handebol;
2ª linha: tiro com arco, atletismo, badminton, basquete, hóquei na grama, judo, remo e tênis;
3ª linha: boxe, canoagem slalom, canoagem velocidade, BMX, triatlo, vôlei de areia, voleibol e vela;
4ª linha: mountain bike, ciclismo em estrada, ciclismo em pista, hipismo adestramento, tiro esportivo, tênis de mesa, taekwondo e levantamento de peso;
5ª linha: hipismo CCE, hipismo saltos, esgrima, futebol, lutas olímpicas e pentatlo moderno.
Pela primeira vez foram criados símbolos para variantes de modalidades. Por exemplo, em Jogos Olímpicos anteriores o ciclismo possuia um único pictograma. Desta vez, as quatro modalidades olímpicas ciclísticas (pista, estrada, BMX e mountain bike) terão, cada uma, sua identidade simbólica própria. O mesmo ocorre com o hispimo, agora com três pictogramas (adestramento, CCE e saltos). Outra novidade é o pentatlo moderno que possue cinco esportes conjuntos (tiro com pistola, natação, esgrima, saltos do hipismo e corrida a pé) agrupados num único símbolo que, pela primeira vez, ocupará um espaço referente à dois pictogramas.

2448- Geografia-O Canal da Mancha


Mapa do Canal - Clic para ampliar

O Canal da Mancha é um braço de mar que é parte do Oceano Atlântico e que separa a ilha da Grã-Bretanha do norte da França e une o Mar do Norte ao Atlântico.
Em francês ele é chamado La Manche, em alemão Der Ärmelkanal e em inglês English Channel. Mancha é derivado de ‘Manche’, em francês, que foi traduzido erroneamente para ‘Mancha’ por portugueses e espanhóis. Em francês ‘Manche’ não quer dizer ‘Mancha’, e sim, ‘Manga’.
O canal tem aproximadamente 563 km (350 milhas) de comprimento e sua parte mais larga é de 240 km (150 milhas). Seu ponto mais estreito (o estreito de Dover) tem apenas 33 km (c. 20 milhas), de Dover até o Cabo Gris Nez. Neste ponto mais estreito do Canal, é comum aventureiros de diversas nacionalidades tentarem fazer a travessia do canal a nado, inclusive com algumas tentativas resultando em morte, como foi o caso da brasileira Renata Agondi. A profundidade do Canal da Mancha varia de 120m na porção ocidental até 45m na oriental.
A circulação marítima no canal da Mancha é uma das mais intensas do mundo, com mais de 250 navios por dia. A essa circulação intensa há que somar a dos ferries que ligam a França à Grã-Bretanha por via marítima. Atualmente, o Eurotúnel constitui uma excelente e rápida alternativa de viagem.
Nadadora Brasileira Morreu Tentando Atravessar o Canal
No dia 23 de agosto de 1988, a nadadora brasileira Renata Câmara Agondi morreu tentando atravessar o Canal da Mancha, que separa o Reino Unido da França.
Renata passou mal quando faltavam 7 km – de um total de 33 km – para o fim da travessia. Retirada do mar pelas equipes de resgate, foi levada para Calais, na França, mas morreu antes mesmo de chegar ao hospital. Renata havia nadado por 9 horas.