7117 – Anatomia – A Máquina Humana


Abriga rede circulatória de 160 mil km, que linearmente corresponde a 5 voltas em torno da Terra. Seu pulmão decomposto sobre superfície plana, ocuparia 140m², equivalente a um terreno de bom tamanho. A célula nervosa axo somática, chega a se cominicar com 1800 outras simultaneamente. Tais exemplos servem como medida. Tais exemplos servem como medida da complexidade do nosso organismo, máquina capaz de funcionar ativamente num tempo médio de 70 anos, e que os cientistas prêem, a despeito dos problemas gerais, uma sobrevida de cerca de 150 anos já para o século 21.
Mais eficaz que qualquer máquina, mais elaborado que qualquer circuito eletrônico, tanto que, muitos de seus segredos ainda não foram desvendados;é formada por várias máquinas, devidamente entrosadas, cuja função básica é de tratar e transformar em energia o combustível perfeitamente consumido: 2 litros de água e 2800 calorias, além de volume variável de 400 a 2 mil cm³ de oxigênio por minuto. O sangue que é matéria-prima do organismo, curcula nessa fantástica extensão de 160 km, existem capilares tão finos que para preencher 1 cm de diâmetro é preciso reunir 25 mil capilares num só feixe.
A geradora do sistema é o coração, que comanda os 2 sub-sistemas de vasos sanguíneos e linfáticos. Toda e qualquer alteração no metabolismo é determinada ou agravada pelo sistema de glândulas. Tais alterações são captadas pelo sistema nervoso, o mais complexo e menos conhecido de todos os sistemas. Os sistemas pertencem ao sistema central, coberto pela proteção óssea do cérebro e da medula. Quanto ao sistema periférico, contém os órgãos dos sentidos, estruturas situadas na parte de frente das fibras nervosas e capacitadas a receber todos os tipos de sensações e estímulos. Visão, audição, tato e paladar.
O aparelho locomotor se compõe de minúsculos ossos, engrenados pelas articulações. Os 511 não só dão estrutura física como reservam os minerais, liberados de acordo com a necessidade. A medula óssea produz células sanguíneas para abastecer o organismo. O fígado desempenha funções até mais complexas que as do coração: produzindo bílis para ajudar na digestão no intestino e glicogênio, a partir dos materiais resultantes da digestão. Apenas 20% do fígado, glândula de 1,5 quilo, trabalha normalmente. O pâncreas auxilia na digestão, ligando-se ao intestino e fabricando a insulina que regula a concentração de glicose no sangue.
Para purificar o sangue é necessário um volume mínimo de 400 cm³ de oxigênio por minuto. Existem 750 milhões de alvéolos nos 2 pulmões, mas somente 20% trabalham. O pulmão não se limita a processar oxigênio e eliminar dióxido de carbono, pois outra de suas funções é eliminar água do organismo. A função específica de eliminar resíduos orgânicos é do aparelho urinário, cujo órgão chave é o rim, que manipula a tóxica urina e mantém constante o equilíbrio ácido básico, iônico e o volume de água. Se, por 2 dias não houver a eliminação da urina, o organismo estará irremediavelmente envenenado.
O aparelho genital, por atuar na reprodução, é diferenciado por sexo. O masculino possui testículos, vias espermáticas e glândulas anexas…

A Anatomia humana estuda grandes estruturas e sistemas do corpo humano. A fisiologia é o ramo da biologia que estuda as múltiplas funções mecânicas, físicas e bioquímicas do corpo humano.
Muitos cientistas buscam a partir da descoberta do código do DNA a construção em laboratório de corpos. É o que chamam de corpo biocibernético e de ciborgue, tais como corpo protético, corpo pós-orgânico, pós-biológico ou pós-humano.
No âmbito anatômico e científico, o corpo é substância física ou estrutura, de cada homem ou animal. Para a Biologia é um organismo vivo, composto de pequenas unidades denominadas células e para a Química, é uma porção de matéria. Para a Astronomia, qualquer objeto natural perceptível no céu: Reducionistas pensam que o corpo humano é uma máquina biológica complexa, cujo funcionamento e constituição, é quase inteiramente idêntico ao funcionamento e constituição dos corpos de outras espécies de animais, particularmente aquelas que estão evolucionariamente mais próximas do Homem.
A palavra corpo é uma das mais ricas da língua portuguesa. O corpo sempre foi objeto de curiosidade por ser uma engrenagem misteriosa. Esse fato levou com que cada área do conhecimento humano apresentasse possíveis definições para o corpo como seu objeto de estudo.
Platão definiu o homem composto de corpo e alma. A teoria filosófica de Platão baseia-se fundamentalmente na cisão entre dois mundos: o inteligível da alma e o sensível do corpo. O pensamento platônico é essencial para a compreensão de toda uma linhagem filosófica que valoriza o mundo inteligível em detrimento do sensível. A alma é detentora da sabedoria e o corpo é a prisão quando a alma é dominada por ele, quando é incapaz de regrar os desejos e as tendências do mundo sensível.
O corpo humano se divide em sistemas.
Sistema Digestivo
Sistema Respiratório
Sistema Circulatório
Sistema Nervoso
Sistema Muscular
Sistema Urinário
Sistema Reprodutor ou Sistema Sexual
Sistema Ósseo ou Sistema Esquelético
Todos os sistemas envolvem todos os órgãos do ser humano

7051 – Regeneração de Órgãos – Célula-tronco doada pode ajudar coração


Pesquisadores americanos afirmam ter conseguido um novo avanço na tentativa de usar células-tronco para reparar corações afetados por ataques cardíacos.
Num estudo com 30 pacientes, apresentado na conferência da Associação Americana do Coração, os cientistas usaram células-tronco de doadores para tratar pessoas com problemas cardíacos, e o resultado sugere que a técnica pode ser eficaz e segura.
Hoje, o mais comum é que esse tipo de terapia experimental seja feita usando células-tronco da medula óssea dos próprios doentes, o que evita riscos de rejeição.
No entanto, a nova pesquisa mostrou que o uso de células de outras pessoas também não leva a uma reação do organismo do receptor, desde que as células-tronco sejam bem escolhidas.
Para isso, é preciso se certificar da ausência de moléculas da superfície das células que são ligadas ao fenômeno da rejeição, diz Joshua Hare, coordenador da pesquisa na Universidade de Miami.
O uso das células-tronco diminuiu a presença de cicatrizes não funcionais no coração dos pacientes e melhorou o fôlego deles para a prática de exercícios físicos.
A principal vantagem de usar células de doadores seria a criação de “bancos celulares”, que poderiam ser usados imediatamente no caso de um problema cardíaco.

3297 – Dr.Know – O Transplante de Medula Óssea


A Medula

Trata-se do transplante de células-tronco hematopoiéticas (TCTH) é um procedimento médico da área da hematologia e oncologia que envolve o transplante de células tronco hematopoiéticas provenientes da medula óssea do doador. Esse procedimento é indicado principalmente em doenças da medula óssea e certos tipos de câncer hematológicos. O TMO surgiu na década de 70, graças ao pioneirismo de E. Donnall Thomas e colaboradores, reconhecido mais tarde com o Prêmio Nobel em Fisiologia e Medicina. A principal característica desse procedimento e o que a difere da maioria dos transplantes de órgãos é que no TMO o receptor recebe por via endovenosa um aspirado de células de medula óssea do doador, e essas células migram pelo sangue até se fixarem na medula óssea do receptor e voltarem a se multiplicar e cumprir suas funções fisiológicas no hospedeiro. Apesar de aparentemente simples, ainda é um procedimento de risco e está indicado apenas em doenças graves. As principais complicações são infecções, recidivas da doença anterior e a doença do enxerto versus hospedeiro (graft versus host disease – GVHD), aonde as novas células do sistema imunológico, ao não reconhecer as células do hospedeiro, passam a destruí-las como se fossem uma infecção.
Condições tratadas com TMO
Adquiridas
Leucemia linfóide aguda
Leucemia mielóide aguda
Anemia aplástica
Leucemia mieloide crônica – fase acelarada ou crise blástica
Linfoma de Hodgkin
Mieloma múltiplo
Síndrome mielodisplásica
Linfoma não-Hodgkin
Hemoglobinúria paroxística noturna (HPN) – aplasia severa
Congênitas
Adrenoleucodistrofia
Síndrome de Hurler
Doença de Krabbe
Leucodistrofia metacromática
Talassemia
Linfohistiocitose hemofagocítica – (LHH)
Síndrome de Wiskott-Aldrich
Alguns erros inatos do metabolismo