9290 – Desidratação – Faz mal beber água do mar?


Não só faz mal, como mata. O problema é a quantidade exagerada de sais, principalmente cloreto de sódio (o sal de cozinha), que existe na água do mar. Apenas 0,9% do nosso sangue é composto por sais, enquanto na água do mar a concentração é de 4%. Se uma pessoa mata a sede bebendo essa água supersalgada, seu intestino recebe uma quantidade de sal muito maior do que a que existe no sangue que circula pelos vasinhos da parede do tubo digestivo. Em razão de um processo natural – a osmose -, a solução mais concentrada tende a puxar a água da solução menos concentrada para tentar chegar a um equilíbrio. Como a membrana que compõe os vasos sanguíneos não permite a passagem de partículas sólidas, o sal fica retido no plasma do sangue, deixando-o muito mais concentrado do que o normal. Assim acontece a desidratação, que, para piorar, faz com que o corpo peça mais água. O problema é que a água que pode fazer a concentração do sangue voltar ao normal é a água pura (ou o soro fisiológico, que tem a mesma concentração de sal que o plasma) e não a salgada, que só piora o problema. “Os receptores que controlam a sede atuam de acordo com a concentração do sangue. Portanto, quando há sal demais no plasma, o organismo vai sentir: ‘Opa, preciso de água’”.
Para complicar ainda mais a situação, alguns sais, principalmente o magnésio, irritam a mucosa do intestino, que já está repleto de água. É diarréia na certa! Esse processo é desencadeado por qualquer quantidade de água do mar ingerida, mas, claro, quanto maior o volume, maior o efeito. Portanto, se você beber um golinho de água enquanto nada no mar, você não vai morrer, mas vários goles podem colocar sua vida em risco.

Dicas de Sobrevivência:
Coloque água salgada até a metade de um recipiente e cubra-o com um pedaço de plástico. Depois de um tempinho você notará que o plástico estará cheio de gotinhas – essa água não tem sal. Chupe as gotas e repita o processo, se possível com vários potes. Tá certo que é pouca água, mas esse líquido pode te salvar…

A água da chuva costuma ser a salvação dos náufragos: no mar as chuvas são mais abundantes que em terra firme e, longe dos centros urbanos, a água da chuva é quase pura. Para captá-la, faça um reservatório usando uma lona ou qualquer tecido impermeável, uma capa de chuva, por exemplo.
Peixes também podem te fornecer um pouquinho de água. Segundo o instrutor de mergulho Vagner Marretti, especialista em sobrevivência no mar, alguns guias de sobrevivência garantem que espremendo um peixe com um pano consegue-se água não salgada. Você pode também mastigar a carne crua.

7817 – Mega Manual – Como sobreviver na selva


Para se manter vivo em um ambiente desconhecido e hostil é preciso cuidar de oito pontos-chave: água, alimento, abrigo, fogo, corpo, orientação, deslocamento e sinalização. Além disso, alguém que se perde na selva, seja porque se desviou de uma trilha, seja porque estava a bordo de um meio de transporte que foi parar na mata, precisa ter autocontrole, uma boa dose de coragem e perseverança para superar a situação. A primeira coisa a fazer é não entrar em pânico. Com calma, vai ser mais fácil encontrar o caminho de volta.

Abrigo
Construir um abrigo numa clareira é essencial para passar a noite. Para aumentar a segurança, ele deve ficar suspenso a meio metro do chão, dificultando a entrada de água e animais. Uma plataforma com galhos cruzados e sustentados por tocos de madeira fincados no chão garante a elevação.

sobrevivência

Água
Hidratação é vital para sobreviver, coletando água de chuva ou bebendo do rio. No primeiro caso, vale usar folhas para canalizar a água que escorre de galhos e troncos para a boca. Em casos extremos, o jeito é amarrar uma camiseta na perna para colher água do orvalho acumulado na vegetação.

Alimento
A selva é cheia de bichos, mas não é fácil caçá-los. Se uma cobra aparecer, vale procurar pedras ou galhos e tentar encarar a refeição. Deve-se evitar vegetais com pelos, gosto amargo e seiva leitosa – características dos venenosos. Frutos bicados ou mordidos geralmente são comestíveis.

Deslocamento
Subir numa árvore para observar o entorno evita uma locomoção desorientada. Também é importante fixar pontos de referência como rochedos ou árvores altas e com folhagem diferenciada. Marcar o caminho cortando os galhos das árvores evita que se ande em círculos e orienta equipes de resgate.

Orientação
Localizar os pontos cardeais é uma boa maneira para se orientar. Se a mata não for muito fechada, é só esperar o Sol nascer para descobrir onde fica o leste. Estendendo o braço direito nessa direção, o esquerdo apontará o oeste. O norte estará à frente e o sul às costas.

Corpo
Tomar banhos diários, lavando arranhões e picadas de insetos, evita infecções. Os pés devem ter atenção, já que são essenciais para a locomoção. Além de vestir camisas de mangas compridas para escapar de picadas, vale colocar as pernas da calça por dentro do calçado ou da meia – até pra dormir.

Sinalização
Sinais espessos de fumaça podem ser vistos por aeronaves ao sobrevoar clareiras. Refletir raios solares com espelhos ou papel alumínio também pode garantir um resgate aéreo. Para orientar o socorro em terra, deve-se marcar setas no chão, indicando a direção tomada toda vez que se sai do acampamento.

• É importante não montar o abrigo embaixo de grandes árvores para evitar a queda de galhos e de frutos grandes

• Teto e plataforma devem ser cobertos com folhas de bananeira presas com raízes ou cipós contorcidos – sem nó para não arrebentar

• Uma fogueira com 1 m de diâmetro, no máximo, evita incêndios

• Se a mata fica numa região litorânea e a ideia é escapar em direção à praia, o mais indicado é seguir para leste

• Sacuda sapatos e roupas antes de vesti-los. Isso pode livrá-lo de uma picada de aranha ou de escorpião

Uma fogueira aquece o corpo, afasta animais e ajuda a cozinhar. Veja como fazer:

1. Parta um galho ao meio para obter uma face plana

2. Descole uma faca para fazer uma trilha na madeira

3. Esfregue uma varinha no sentido da trilha até surgir uma brasa

4. Derrame a brasa sobre os seguintes materiais na ordem indicada:

INGREDIENTES

Mecha de cabelo

Palha

Tecido

Papel

Gravetos

Galhos

Troncos
Como agir se o avião cair na selva
Logo após o acidente, os sobreviventes devem se afastar da aeronave, esperar o motor esfriar e o combustível evaporar. Em seguida, é hora de atender os feridos. O avião pode ser usado como abrigo nos primeiros dias. Se o socorro não chegar após alguns dias, é hora de tentar sair da mata, seguindo as orientações que estão nesta matéria.

Rochas, troncos ou galhos ajudam a formar códigos para orientar as equipes de resgate

Não podemos prosseguir viagem

Estamos avançando nessa direção

Precisamos de medicamentos