12.802 – Intolerância à Lactose – Cientistas de SP obtêm leite de vaca que não dá alergia


vaca
Os problemas relacionados ao consumo de leite são comuns. Cerca de 2/3 da população mundial, segundo dados da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, possui deficiência da enzima lactase. É ela a responsável pela quebra da proteína lactose, presente em laticínios.
Sem a lactase, um copo de leite se torna um problemão. Esse açúcar se acumula no intestino, o que significa casa, comida e roupa lavada para bactérias, que se multiplicam, causando problemas como gases e diarreia. No Brasil, cerca de 25% das pessoas tem algum grau de deficit ligado à enzima.
Entre refluxos e indisposições intestinais, um médico encontrou três úlceras no esôfago de Madureira, quinta geração de uma família de produtores de queijo. O leite era o provável culpado. Por quatro anos, o consumo de laticínios parou. Até Caravela.
A vaca era da raça gir leiteiro, que, segundo Aníbal Vercesi, pesquisador do Instituto de Zootecnia de São Paulo, pode produzir leite sem ou com pouca proteína betacaseína tipo A1. Isso tornaria o líquido mais saudável, ou seja, com menos chances de causar problemas alimentares.

PESQUISA
Partindo do princípio que o leite com betacaseína tipo A2 é menos alergênico, um estudo do Instituto de Zootecnia de São Paulo começou, a partir de inseminação de vacas da raça gir leiteiro, a criar animais que só produzem leite com esse tipo de proteína.
Tomar leite faz bem? Para a professora da Unicamp, é um erro afirmar que o ser humano não pode consumir leite de outros animais.
Adriane, que é autora de um livro sobre os mitos do leite, diz que a enorme flexibilidade alimentar foi importante para sobrevivência e evolução da espécie humana.
“É possível ter uma dieta equilibrada com boas fontes de cálcio sem ingestão de lácteos, porém é muito mais fácil atingir as recomendações diárias quando os lácteos estão presentes”, afirma.

12.156 – Mamíferos que não tomam leite?


infointolerancialactose
O homem é um mamífero porque faz parte de sua natureza tomar leite ao nascer. Mas então por que a maior parte da população mundial não tolera o líquido branco? E por que um quarto dos habitantes tem reações alérgicas fortes ao leite, como diarréia, inchaços, dor de estômago e de cabeça? “A causa é um enigma”, segundo o médico Steve Hertzler, da Universidade de Ohio. “O fato é que as pessoas deixam de digerir o leite, inclusive o da mãe, entre 3 e 5 anos de idade”. Segundo ele, suspeita-se que elas estejam geneticamente programadas para isso. Só que não se sabe por que o DNA desliga esse processo básico da espécie. O pior é que, como o leite fornece 75% do cálcio essencial à saúde, quem não pode tomá-lo acaba tendo que completar a dose. Por exemplo, tomando remédio ou comendo queijo e iugurte. Hertzler concluiu este ano uma pesquisa mostrando que é possível reduzir a intolerância ao leite.
“Basta tomar um pouquinho, começando com meio copo por dia, e aumentar lentamente a quantidade. Os sintomas somem em algumas semanas e você sabe que atingiu o seu limite quando eles retornam”.