4093 – Jamiroquai faz show animado, mas com poucos hits


Jamiroquai no Rock in Rio 2011

Nada memorável, mas um bom aquecimento. Assim pode ser resumido o show do Jamiroquai no Rock in Rio, na noite desta quinta.
A plateia – consideravelmente mais velha, em comparação com a do primeiro fim de semana – que esperava por Stevie Wonder, a grande atração da noite, pode dançar com gosto ao som do funk soul da banda inglesa, declaradamente influenciada pelo músico americano.
Dançante como de costume, com seu visual cool (que inclui um cocar de penas), o vocalista Jay Kay parecia animado com a numerosa plateia à sua frente (“Isso é uma grande multidão”, disse a certa altura, admirado) e, mesmo deixando de fora muitos de seus sucessos (como “Space Cowboy”, “Virtual Insanity” e “When You Gonna Learn”) em prol de canções de seu último disco (“Rock Dust Light Star”, 2010), segurou o pique na maior parte do show.
Teve nessa tarefa o apoio de uma banda tão grande quanto afinada, incluindo três backing vocals e o indispensável naipe de metais para acompanhar a guitarra suingada e o baixo marcante.
Os momentos mais animados, evidentemente, se deram nas canções conhecidas do público – como a dobradinha “Cosmic Girl” e “High Times”, na primeira parte do show, e a ótima e pesada “Deeper Underground”, antes da saída para o bis.

Você confere abaixo Space Cowboy, seu maior sucesso e que também virou filme.

4091 – Afrika Bambaataa se Apresentou no o Rock in Rio


Nem só de metal vive o Rock in Rio.
Jamiroquai e Steve Wonder também estiveram lá e tem capítulos á parte aqui no ☻ Mega

Esse nova-iorquino praticamente inventou o DJ de hip hop, no início dos anos 1980. Ele se apresenta ao lado da cantora brasileira Paula Lima e do rapper português Boss AC, veterano que trabalha muito com DJs de Angola.
Afrika Bambaataa é o pseudônimo de Kevin Donovan (Bronx, Nova York, 19 de abril de 1957) é um DJ estado-unidense e líder da Zulu Nation, reconhecido como fundador oficial do Hip Hop.
Nasceu e foi criado no Bronx e, quando jovem, fazia parte de uma gangue chamada Black Spades (Espadas Negras, em português), mas viu que as brigas entre as gangues não levariam a lugar nenhum. Muitos dos membros originais da Zulu Nation também faziam parte da Black Spades, que era uma das maiores e mais temidas gangues de Nova York. Bambaataa se utilizou de muitas gravações já existentes de diferentes tipos de música para criar Raps. Usando sons, que iam desde James Brown (o pai do Funk) até o som eletrônico da música “Trans-Europe Express” (da banda européia Kraftwerk), e misturando ao canto falado trazido pelo DJ jamaicano Kool Herc, Bambaataa criou a música “Planet Rock”, que hoje é um clássico. Bambaataa também foi um dos líderes do Movimento Libertem James Brown, criado quando o mestre da Soul Music estava preso e, anos depois, foi o primeiro ‘Hip-Hopper’ a trabalhar com James Brown, gravando “Peace, Love & Unity”. Bambaataa criou as bases para surgimento do Miami Bass, Freestyle (gênero musical), ritmos que segundo alguns historiadores infuênciaram o Funk Carioca, o que eu particularmente discordo.
Palco Sunset, às 15h50
Joss Stone
Inglesa, loirinha e dona de um vozeirão, quando ela surgiu, ainda adolescente, ganhou fama logo de cara. Agora, mais madura, volta ao Brasil, onde uma legião de fãs concorda com os críticos que querem compará-la a Aretha Franklin
Palco Sunset, às 17h45
Também discordo dos críticos. Ela não tem nada a ver com Aretha Franklim, que segue abaixo com Jump to It, outra clássica dos anos 80 e produzida por Luther Vandross