2264-A Faculdade de Engenharia Industrial


FEI - A Faculdade de Engenharia Industrial em SBC, São Paulo

A Fundação Educacional Inaciana “Pe. Sabóia de Medeiros” (FEI), antiga Faculdade de Engenharia Industrial, é um Centro Universitário brasileiro e privado, de caráter comunitário, ou seja, sem fins lucrativos e voltado prioritariamente para ações educacionais de cunho social. Possui 12 departamentos acadêmicos, sendo 6 voltados a engenharia, 2 a ciências exatas, 1 a computação, 1 a administração e mais 2 a ciências sociais e jurídicas.
Fundada em 1945, em uma época em que o país passava por uma forte tendência a industrialização, com o nome de Fundação de Ciências Aplicadas (FCA), foi uma das instituições de ensino pioneiras no país em sua área de atuação.
Localizada no estado de São Paulo, possui dois Campi tendo sua sede na cidade de São Bernado do Campo e outro campus na cidade de São Paulo. Seus cursos de graduação e pós-graduação são voltados para as áreas de ciências tecnológicas, engenharia e gestão.
Sua sede, e maior campus, em São Bernardo do Campo, abriga todos seus cursos de graduação em engenharia, em administração de empresas e em ciências da computação, além de diversos cursos de pós-graduação (especialização, atualização e extensão) e dos cursos de mestrado nas engenharias elétrica e mecânica.
O Instituto de Pesquisas e Estudos Industriais (IPEI) também é localizado no campus de São Bernardo do Campo. Fonte de pesquisa e inovação, é considerado referência em assuntos relacionados a engenharia e tecnologia industrial.
O campus localizado na cidade de São Paulo, no bairro da Liberdade, oferece seu curso de graduação em administração de empresas, além de pós-graduações com especialização nas áreas tecnológicas e de gestão. Neste campus também é oferecido o curso de mestrado em administração de empresas.
A área atual de seus dois campi perfaz o total de 251.600 m².
A FEI, ao longo de sua existência, já formou através de seus cursos mais de 50 mil profissionais.
Além do ensino superior, a FEI também atua no ensino médio profissionalizante através da Escola Técnica São Francisco de Bórgia, localizada na capital paulista, no bairro da Liberdade.
No início dos anos 1960, a FEI começou a transferir suas instalações para a região do ABC, buscando aproximar-se do pólo industrial que havia começado a se criar por lá. Escolheu, então, a cidade de São Bernardo do Campo, onde, após anos de construção, mais precisamente em 1969, veio a inaugurar seu principal campus.
Ainda na primeira metade da década de 1980, a FEI foi uma das pioneiras, dentre as escolas particulares de engenharia do Estado de São Paulo, a implantar um curso de Pós-Graduação Stricto Sensu, oferecendo o Mestrado em Engenharia Elétrica.
Em 2002, a FEI, em conjunto com as outras escolas superiores mantidas pela FCA (a ESAN-SP, a ESAN-SBC – Escolas Superiores de Administração de Negócios de São Paulo e de São Bernardo do Campo – e a FCI – Faculdade de Informática), passou a constituir o Centro Universitário da Fundação de Ciências Aplicadas. A ESAN, fundada pela mesma ordem jesuíta, foi a primeira escola de administração do Brasil. Com a formação deste novo centro universitário, o conglomerado educacional passou a ter dois Campi, um em São Bernardo do Campo e outro em São Paulo.
Pouco depois, a Fundação teve seu nome alterado e, a partir de então, a já tradicional sigla FEI passou a ter um segundo e mais amplo significado, referindo-se à rebatizada Fundação Educacional Inaciana ‘Pe. Sabóia de Medeiros’, a nova denominação da mantenedora. Assim, seu complexo educacional de ensino superior passou a chamar-se Centro Universitário da FEI, ou simplesmente FEI, numa alusão tanto à Fundação quanto à sua mais renomada faculdade.
Desde os anos 1970, a Mecânica Automobilística da FEI se destaca pela produção de protótipos veiculares, como o esportivo FEI-X3 (também conhecido numa segunda versão como Lavínia) ou o mini-trem de alta velocidade TALAV. E, ainda hoje, novos veículos projetados por seus alunos fazem muito sucesso em feiras e exposições do setor automotivo.
Além da Engenharia Mecânica, outra área que tem grande destaque na FEI é a Engenharia Elétrica. Estas duas modalidades, trabalhando em conjunto têm obtido grande êxito, inclusive conquistando prêmios nos segmentos de Energia e Robótica.
Em 2006, um projeto de Biotecnologia desenvolvido conjuntamente pelos Departamentos de Engenharia Elétrica, Mecânica e Química da FEI foi escolhido para ser um dos experimentos levados a teste na Estação Espacial Internacional (ISS) pelo astronauta brasileiro Marcos Pontes durante a Missão Centenário.

Falaremos dos projetos dos alunos da FEI em outros capítulos