6633 – O Último Pouso de Armstrong


O grande salto da humanidade

Morreu neste sábado (25) o astronauta Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na Lua, de complicações após uma operação para desobstruir quatro artérias coronárias.
Comandante da missão Apollo 11, Armstrong morreu em um hospital em Columbus, no Estado de Ohio, às 14h45 do horário local (15h45 do horário de Brasília).
Família diz estar de coração partido com morte de Armstrong
Ele se submeteu à cirurgia para desobstruir as artérias no dia 8 de agosto, apenas dois dias após seu aniversário.
Seu colega de missão Edwin “Buzz Aldrin” desejou rápida recuperação a Armstrong pelo Twitter. “Combinamos de fazer o 50º aniversário da Apollo em 2019”.
Armstrong nasceu em 5 de agosto de 1930 em Wapakoneta, no Estado de Ohio, Estados Unidos.
A Apollo 11 foi lançada do Cabo Canaveral, no Estado da Flórida, no dia 16 de julho de 1969. Ele pisou na Lua em 20 de julho, quando a missão espaçonave pousou na superfície lunar.
Dos 12 americanos que chegaram ao satélite terrestre até hoje, apenas oito estão vivos –e o mais jovem já está com 76 anos.
“SALTO PARA A HUMANIDADE”
O astrounauta é conhecido por ter dito a célebre frase “Uma pequeno passo para um homem, um grande salto para a humanidade” ao pisar na Lua.
Ele passou aproximadamente três horas andando em solo lunar com seu companheiro de missão, o astronauta Edwin “Buzz” Aldrin.
Em solo lunar, os dois coletaram pedras, hastearam a bandeira dos Estados Unidos, tiraram fotos e conversaram com o presidente Richard Nixon pelo telefone.
A missão que o levou à Lua foi seu último voo espacial.
Um ano depois, ele se tornou professor de engenharia da Universidade de Cincinnati.
Neil era um pouco recluso e morava em Indian Hills, na periferia de Cincinatti, com sua esposa Carol. Eles se casaram em 1999.
A Nasa divulgou nota lamentando a morte do astronauta Neil Armstrong na tarde deste sábado (25 de agosto). Para a agência espacial americana, ele foi um “verdadeiro herói americano”.

“Em nome de toda a família da Nasa, eu gostaria de expressar minhas profundas condolências para Carol e para o restante da família Armstrong. Enquanto houver livros de história, Neil Armstrong estará incluído neles, lembrado por dar o primeiro pequeno passo em um mundo além do nosso.

“Além de ter sido um dos maiores exploradores da América, Neil possuía uma graça e uma humildade que era um exemplo para todos nós. Quando o presidente Kennedy desafiou a nação a mandar um homem para a Lua, Neil Armstrong o aceitou sem reservas.

A medida que entramos nesta nova era de exploração espacial, nós o fazemos nos apoiando sobre os ombros de Neil Armstrong. Nós velamos o falecimento de um amigo, de um colega astronauta e de um verdadeiro herói americano.

Charles Bolden, administrador da Nasa”