13.340 – Invasão de Privacidade – O Google quer fazer backup do seu computador


google de olho
Fazer backup é tão essencial quanto escovar os dentes. Mas quase ninguém faz – em parte, porque é uma tarefa meio chata. O Google quer mudar isso com seu novo aplicativo: o Backup and Sync, que foi lançado. Você instala o programa no seu PC ou Mac, diz quais pastas ele deve copiar, e não precisa mais se preocupar com nada – o software manda tudo para o Google Drive. Ele também monitora as pastas, salvando automaticamente arquivos novos ou modificados.
Parece muito bom – mas tem dois poréns. Primeiro, a própria capacidade do Google Drive. Ele só dá 15 gigabytes de espaço, o que pode não ser suficiente para fazer backup de todos os seus arquivos. Se você quiser mais capacidade, tem de pagar: o plano de 100 gigabytes custa 7 reais por mês, e o de 1 terabyte sai por R$ 35 mensais. Não é pouca coisa.
A outra questão diz respeito aos termos de uso do serviço.”Quando você faz upload de conteúdo, você dá ao Google uma licença global para utilizar, hospedar, reproduzir, modificar, criar versões derivadas, comunicar, mostrar publicamente e distribuir esse conteúdo (…) Essa licença permanece mesmo se você deixar de usar os nossos serviços”. Ou seja: essencialmente, o Google pode fazer o que quiser com os arquivos que você subir no Drive.
Inclusive ler o conteúdo deles. “Nossos sistemas automatizados analisam o seu conteúdo (incluindo emails) para fornecer recursos relevantes, como resultados personalizados para buscas, publicidade customizada e detecção de spam e vírus”. Nada impede, por exemplo, que um dia o Google decida compartilhar metadados do seu disco rígido com anunciantes.
Vale lembrar que isso já acontece, há mais de uma década, com o Gmail – cujas mensagens são lidas pelos robôs do Google. Isso chegou a gerar certa preocupação no começo, mas não impediu que o Gmail se tornasse o maior serviço de email do mundo, com mais de 1 bilhão de usuários. Curiosamente, ele agora faz o caminho oposto: em junho, o Google anunciou que o Gmail não vai mais xeretar as mensagens dos usuários.

12.662 – Microsoft vai acabar com armazenamento gratuito de 15 GB no Onedrive


onedrive
A Microsoft anunciou que vai acabar com o armazenamento gratuito de 15 GB no Onedrive. A empresa já havia revelado seus planos de redução de espaço e a partir de agora os usuários poderão contar com 5 GB disponíveis gratuitamente. A companhia anunciou ainda que os usuários que fizeram uma solicitação para uso dos 15 GB poderão manter o espaço.
Além de reduzir o espaço de armazenamento, a Microsoft retirou o bônus de armazenamento também de 15 GB do rolo da câmera. A empresa vai começar a cortar o espaço disponibilizado para os usuários entre 13 e 27 de julho.
Um e-mail informando a redução foi enviado aos usuários, confira abaixo. A solução agora para usuários que precisem de mais espaço para armazenamento será pagar pelo serviço da Microsoft ou migrar para um serviço de outra fornecedora.

12.166 – Microsoft vai doar US$ 1 bilhão em serviços na nuvem


nuvem2
Ate 2019, a Microsoft planeja doar US$ 1 bilhão em serviços na nuvem para organizações sem fins lucrativos e pesquisadores universitários. A novidade foi anunciada pelo CEO da companhia, Satya Nadella, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, Suíça.
De acordo com Nadella, a ideia é facilitar o acesso aos recursos que permitem que um negócio se torne mais ágil e eliminar a chance de desafios técnicos. Os serviços que serão disponibilizados incluem o Azure, ferramenta que permite hospedar sites e aplicações online nos centros de dados da Microsoft, além de uma série de outros recursos, como o CRM online, um serviço de gerenciamento de relacionamento com o cliente, que pode ajudar as ONGs a aceitarem doações financeiras.
De acordo com a empresa, a estimativa é de que os serviços sejam oferecidos para 70 mil instituições nos próximos três anos. Neste período, o programa de doação de ferramentas para projetos universitários também vai crescer 50%. Além disso, a Microsoft afirmou que vai investir em tecnologias de acesso à internet de baixo custo em países em desenvolvimento.

12.126- Mega (tera) Byte – Panasonic e Facebook criam disco que poderá armazenar até 1 TB


cd-400x400
A Panasonic pediu ajuda ao Facebook para desenvolver um novo sistema de armazenamento em larga escala e anunciou os resultados da parceria durante a CES, que acontece em Las Vegas: é um produto chamado freeze-ray.
Embora conte com uma capacidade de armazenamento que é, no mínimo, duas vezes superior à do Blu-ray, a Panasonic não posiciona o freeze-ray como um substituto – até porque o novo formato não tem o consumidor doméstico como alvo.
O freeze-ray entra na categoria do armazenamento “frio”, guardando arquivos que não são acessados constantemente. Por isso a parceria com o Facebook foi tão importante; com uma quantidade de arquivos impressionante sendo gerada a cada instante, a rede social precisa de soluções inteligentes para manter tudo isso minimamente disponível – aquela foto que você nem lembra que postou em 2009, por exemplo.
Atualmente o Facebook já está usando uma versão do Blu-ray com 100 GB e até o fim de 2016 pretende colocar em operação a segunda versão da tecnologia, que chega a 300 GB de capacidade. A meta, entretanto, é que os discos sejam capazes de armazenar entre 500 GB e 1 TB no futuro.

10.483 – Mega Byte – SanDisk lança mini pen drive por R$ 50


pendrive

A empresa SanDisk lançou ontem no Brasil o Ultra Fit USB 3.0, um pen drive de apenas 19,1 x 15,9 x 8,8 mm, em versões de 16, 32 e 64 GB, com entrada USB 3.0. Além de pequeno, o dispositivo chama a atenção por ser veloz.
O modelo de 16 GB é cinco vezes mais rápido que a maioria dos USB 2.0, enquanto nos modelos de 32 e 64 GB, essa diferença chega a dez vezes. Segundo a empresa, as versões mais rápidas transferem 1 GB de arquivos em 40 segundos, o que significa velocidade de transferência de 25,6 MB/S.
Os preços são os seguintes: R$ 50 pelo de 16 GB, R$ 95 pelo de 32 GB e R$ 190 pelo de 64 GB, o que não os torna pen drives exatamente baratos, em termos de armazenamento, sendo possível encontrar dispositivos de 64 GB até da própria SanDisk, por preços próximos de R$ 100. O preço se justifica pela velocidade de transferência e tamanho diminuto.
Outro diferencial é o fato de os drives virem com assinaturas gratuitas de dois serviços durante um ano. O primeiro é o SecureAccess, que permite bloquear o dispositivo com uma senha, para transportar dados sensíveis, enquanto o RescuePro serve para recuperar arquivos apagados por engano de seu pendrive. Após isso a assinatura dos softwares sai por volta de US$ 50 (R$ 113).

10.160 – Sony cria fita magnética de 185 terabytes


fita magnética

A Sony desenvolveu a fita magnética com a maior densidade de armazenamento de memória da história. Com 148 GB por polegada quadrada, um único cartucho armazena até 185 TB de dados.
A tecnologia utiliza vácuo para a formação de finas camadas de cristais com a mesma orientação magnética, tendo espessura de apenas alguns micrômetros, com cada cristal medindo da ordem de nanômetros.
Com o novo produto, a Sony melhora em 74 vezes a eficiência da fita que até então tinha a maior capacidade do mercado, com armazenamento de 2 GB por polegada quadrada, chegando a 2,5 TB.
Embora seja sessentona, a tecnologia da fita magnética é uma opção barata ao HD tradicional e muito utilizada por empresas e departamentos governamentais. A criação da Sony ainda não está disponível no mercado, e a empresa não informou quando pretende lançá-la.

8122 – Mega Byte – WD Lança Disco de 2,5″ e 5 mm


WB Blue 500 GB: apenas 5 mm de espessura
WB Blue 500 GB: apenas 5 mm de espessura

A Western Digital está anunciando o início das vendas da WD Blue, uma nova família de HDs no formato de 2.5” (geralmente usado em notebooks) e com apenas 5 mm de espessura, o que segundo a empresa é algo inédito nesta categoria.
A nova família foi projetada para uso em dispositivos ultrafinos de nova geração, como Ultrabooks e híbridos, e também para utilização em espaços extremamente reduzidos nos quais não seja possível usar qualquer outro tipo de disco.
A linha inclui tanto HDs puramente eletromecânicos como híbridos que integram uma pequena unidade SSD, que agiliza o acesso às informações armazenadas. A capacidade dos discos é de 500 GB.
Segundo a Western Digital o WD Blue de 2.5” e 5 mm de espessura (modelo WD5000MPCK) já está disponível a fabricantes e integradores, com preço sugerido de US$ 89 por unidade, e tem garantia limitada de dois anos.