10.184 – Arco-íris na Lua


Como muitos de nós aprendemos na escola, um arco-íris é formado pelo resultado de uma refração da luz do Sol assim que ela passa pelas gotas de água do céu. As propriedades de refração das gotas fazem com que a luz solar se divida em uma variação de cores, mais exatamente a luz do espectro. No caso de um arco-íris da Lua, os princípios do fenômeno são quase os mesmos, a única diferença é que este arco-íris não é causado pela luz direta do Sol, mas sim por aquela que é refletida pela Lua.
Enquanto a maior parte de nós provavelmente já presenciou um arco-íris do Sol, é bem provável que você não conheça muita gente que já tenha visto fenômeno similar da Lua. Isso acontece porque a Lua varia mais do que o Sol, então são necessárias algumas condições para que este arco-íris ocorra.
Primeiramente, o arco-íris lunar é mais bem observado quando a lua está em evidência no céu. A época mais favorável é na Lua cheia, particularmente antes e depois da fase minguante. Contudo, não basta a lua estar brilhante no céu para que haja um arco-íris. A umidade no ar é um componente muito importante. A melhor situação neste caso é quando há chuva combinada com intervalos de céu claro.
Finalmente, é importante estar atento à posição da Lua no céu. De acordo com os parâmetros ópticos atmosféricos de gotas de água, o melhor é que a Lua esteja em baixa altitude. Se o satélite estiver acima dos 42 graus em relação ao horizonte, nenhuma curva irá se formar.
Apesar de estas situações soarem aparentemente comuns, o cenário fica um pouco diferente quando elas devem acontecer e funcionar ao mesmo tempo, portanto, este fenômeno é considerado relativamente raro. Os melhores lugares para observar um arco-íris lunar é o norte da Escócia, Irlanda, Reino Unido e as ilhas do Havaí.

8972 – Coisa de duendes… De onde veio a lenda do pote de ouro no final do arco-íris?


duende

Alguns mitos dizem que Duendes tomam conta de um pote de ouro no final do arco-íris; caso capturado, o duende poderia comprar sua liberdade com esse ouro. Outras lendas dizem que para enganar os homens, ele fabrica uma substância parecida com ouro, que desaparece algum tempo depois (ouro de tolo). Neste caso são chamados Leprechauns. Na cultura atual, geralmente os duendes são representados por seres verdes, dos quais o simbolo é o trevo, relacionado à boa sorte. Geralmente as estórias infantis trazem tais relatos. Contudo, é temerário ter uma visualização estritamente romântica e lúdica de seres que são considerados como demônios e seres inferiores por outras culturas.
Geralmente são descritos como tendo entre 15 e 30 cm de altura, tendo como característica notável a cabeça em formato cônico (muitas vezes independentemente de possuir chapéu), personalidade extremamente volátil (seres primários, também denominados ‘elementais’) e atributos encantados como a capacidade de atravessar paredes, mudar de forma e cor, e alta velocidade. São criaturas que não guardam qualquer receio com o ambiente urbano e, curiosamente, há muitos relatos de aparições em construções inacabadas. Gostam de espreitar pelos cantos, observando os habitantes da casa e pregando-lhes peças, como o sumiço de objetos, abertura de portas, produção de ruídos, dentre outras perturbações – sendo capazes até de matar animais de estimação.
Apesar de muitos acreditarem que são seres amigáveis, há relatos de diversas aparições ameaçadoras, inclusive com o emprego de violência. Nestas ocasiões os relatos são quase que unânimes em descrever que tais seres surgem de repente, em situações normais do cotidiano (enquanto crianças brincam em construções, pessoas observam árvores no quintal, embaixo de camas, dentro de guarda-roupas, etc) portando pequenas facas, dando gargalhadas em tom de sarcasmo e deboche para com a testemunha, acuando-a e sumindo de repente. Estranho o fato de não ser possível identificar uma motivação para tais atitudes – por isso talvez que se diga que a personalidade destes seres é volátil. Estranho também que muitas narrativas descrevem este ser como possuindo o pequeno rosto como que dilacerado, arranhado.

7168 – Por que o ar é invisível?


Porque a atmosfera é composta de gases incolores. Para que possamos enxergar um gás qualquer, é preciso que ele possua alguma coloração. Isso só acontece quando seus elementos químicos absorvem luz visível, uma vez que, como ensina o arco-íris, cada um dos sete raios que compõem a luz corresponde a uma cor diferente. Funciona assim: quando os átomos de um gás são atingidos por luz eles retêm alguns raios. Se as partículas dele absorverem, por exemplo, um raio amarelo, a tonalidade do vapor será definida pela mistura das cores dos raios que sobraram – nesse caso, veríamos um gás roxo (uau!). Só que nem todos os raios que formam a luz são visíveis – e aqueles que o ar absorve são justamente alguns dos que não conseguimos enxergar. O nitrogênio e o oxigênio – que compõem 99% da atmosfera – só retêm os invisíveis raios ultravioleta.
Assim, como todas as cores que enxergamos atravessam o ar, ele se mantém transparente. “Se a atmosfera fosse formada, digamos, por um gás como o vapor de iodo, que absorve cores visíveis, o ar seria violeta”.

7081 – Física – A Luz


Você Está no ☻ Mega Arquivo

A luz branca ou visível não passa de um pequeno grupo de ondas do espectro. Na verdade, ela é formada por uma mistura de diferentes cores e cada cor tem um comprimento de onda diferente. Em 1666, Issac Newton descobriu que a luz é formada de diferentes cores. Ele fez incidir um feixe de luz solar sobre um prisma de cristal e observou que sobre a parede se projetavam 7 franjas de cores diferentes: vermelho, alaranjado, amarelo, verde, azul, anil e violeta. Este é o leque de cores que aparece no arco-íris, chamado de espectro de luz visível, e tal fenômeno é conhecido como dispersão de luz. A cor vermalha é a que possui o maior comprimento de onda, a violeta, o menor. As cores aparecem sempre na mesmo ordem.Se misturarmos a luz das 7 cores obteremos a luz branca.

A cor das coisas
Quando a luz incide sobre um objeto, uma parte dela é absorvida e outra se reflete e chega aos olhos. Se vemos um objeto de cor vermelhaéporque ele absorveu todas as cores da luz branca, exceto a vermelha. A cor da luz refletida determina a cor do objeto. Um objeto negro absorve todas as cores; um objeto branco reflete todas elas.

O vermelho, o verde e o azul são as 3 cores primárias. Combinando-as em diferentes proporções pode se obter todas as demais.

A retina humana é formada por 3 famílias de células, cada uma capaz de distinguir uma das cores primárias. No cérebro se faz síntese delas, o que permite a percepção das outras cores. As imagens de um televisor em cores tem por base este mesmo princípio. Milhões de pequenos pontos brilhantes, alguns vermelhos, outros azuis e outros verdes, se misturam para formar todas as cores que aparecem na tela.

Mini Glossário

Raios Infravermelhos – são pertencentes à parte invisível do espectro luminoso, na faixa que se situa na continuação da cor vermelha, e sãonotados por sua ação calorífera.

Raios Ultavioleta – também pertencem à paret invisível do espectro luminoso, na faixa situada na continuação da cor violeta, e sua ação é fotoquímica.

Vácuo – espaço que não contém o ar nem qualquer outra matéria perceptível por meios físicos e químicos.

Vidro Esmerilhado – é um vidro que perdeu seu aspecto transparente ao ser trabalhado com jatos de areia ou com esmeril.

6016 – O que são miragens?


Fenômeno óptico que ocorre quando a luz do Sol é totalmente refletida por uma superfície. No deserto, os objetos são refletidos na camada de ar mais quente que se forma sobre a areia, como se ela fosse a superfície de um lago. No caso de alucinações, trata-se de alterações dos sentidos para acalmar uma necessidade que não pode realmente
ser satisfeita. É comum acontecer em situações de extrema solidão ou ansiedade.

Um pouco +

Miragem é apenas um dos muitos fenômenos ópticos que podemos observar no céu. Efeitos como arco-íris, halo, iridescência, coroa, nuvens noctilúcias, dentre outros, também podem ser confundidos com ilusões de óptica, mas são fenômenos reais envolvendo a propagação da luz na atmosfera, além de serem muito agradáveis de se ver.

Existem vários tipos de miragem, com diferentes processos de formação. Basicamente, a miragem é dividida em dois grandes grupos: miragem inferior e superior. A primeira é a miragem de deserto e rodovias, em dias quentes, e a segunda é mais comum em regiões polares e menos comum do que a primeira.
É um fenômeno óptico muito comum em dias ensolarados, especialmente sobre rodovias, em paisagens desérticas, ou também em alto-mar. Trata-se de uma imagem causada pelo desvio da luz refletida pelo objeto, ou seja, é um fenômeno físico real e não apenas uma ilusão de óptica.

5351 – Se a luz se propaga em linha reta, por que o arco-íris é curvo?


O arco-íris ocorre porque as gotas da água da chuva (ou de qualquer outra coisa que deixe partículas de água em suspensão, como neblina ou cachoeiras muito altas) funcionam como prismas, ou seja, decompõem a luz solar em vermelho, alaranjado, amarelo, verde, azul anil e violeta. Cada raio de luz dessas sete cores sai da gota em sentido contrário e num ângulo de 42 graus, aproximadamente, em relação ao raio de luz incidente. Por isso, para observar o arco-íris, é necessário estar entre o Sol e a Chuva; e o Sol não deve nem estar muito alto nem muito baixo, para que a luz alcance o observador no ângulo ideal de 42 graus. O arco-íris é curvo porque essa é a única forma de os raios de luz formarem ângulos de 42 graus, de onde quer que se olhe. É como desenhar uma semicircunferência como um compasso aberto de 42 graus: todos os pontos de arco “olharão” o centro do compasso no mesmo ângulo.

5271 – Os animais enxergam em preto e branco?


As formas de ver o mundo são tão variadas quanto a própria natureza. “A percepção das cores depende dos tipos de pigmentos na retina.
Nos seres humanos e nos outros primatas, há três pigmentos – o verde, o azul e o vermelho – permitindo a visão do vermelho ao violeta. Muitos insetos, aves, répteis e peixes têm um pigmento extra, para a luz ultravioleta, e por isso enxergam coisas para nós invisíveis. Já mamíferos como gatos e cachorros são daltônicos, porque possuem só dois pigmentos – o verde e o azul. Vêem, portanto, menos cores. Esses bichos estão adaptados para a vida noturna, que exige mais atenção às formas do que aos tons. Os únicos bichos que enxergam em preto e branco são os que possuem um único pigmento, como os peixes abissais, que vivem em locais de baixíssima iluminação, onde não há cores para serem vistas. No extremo oposto há um camarão com 12 tipos de pigmentos.
O homem precisa ver do vermelho ao violeta para localizar os frutos maduros, item importante da sua dieta
As abelhas, assim como os beija-flores, vêem ultravioleta, o que as ajuda a enxergar o néctar nas flores
A urina de roedores reflete ultravioleta. Com isso, fica fácil para as aves, que vêem essa cor, encontrar suas presas
Nas profundezas do oceano há poucas cores – os peixes abissais não precisam ver todo o arco-íris

1431-Como se forma um arco-íris?


Um arco-íris aparece quando a luz branca do sol é interceptada por uma gota d’água da atmosfera. Parte da luz é refratada para dentro da gota, refletida no seu interior e novamente refratada para fora da gota. A luz branca é uma mistura de várias cores. Quando a luz atravessa uma superfície líquida – no caso, a gota da chuva – ou sólida (transparente), a refração faz aparecer o espectro de cores: violeta, anil, azul, verde, amarelo, laranja e vermelho.

Quando a luz do sol atravessa um trecho de chuva, ela é refletida e refratada no interior das gotas e devolvida em várias cores ao ambiente, segundo o Departamento de Física da USP. Mas o arco-íris não existe realmente. Ele é uma ilusão de óptica cuja posição aparente depende da posição do observador. Todas as gotas de chuva refratam e refletem a luz do sol da mesma forma, mas somente a luz de algumas delas chega ao olho do observador.

As vezes é possível que um segundo arco-íris, mais fraco, possa ser visto fora do arco-íris principal. Esse raro fenômeno ocorre quando há dupla reflexão da luz do sol nas gotas de chuva. Devido à reflexão extra, as cores do arco são invertidas quando comparadas com o arco-íris principal.