10.435 – Tartarugas invadem o aeroporto JFK


Tartaruga na pista atrasa o jato
Tartaruga na pista atrasa o jato

Foi uma das razões mais curiosas para o atraso de um voo: dezenas de tartarugas-de-dorso-de-diamante atravessaram lentamente a pista de pouso do aeroporto internacional JFK, em Nova York.
O incidente ocorreu em 2009 e fez manchetes. Sempre houve tartarugas no Refúgio de Fauna e Flora Jamaica Bay, logo ao sul do aeroporto, mas sua presença ocasional na área do aeroporto não costumava causar confusão.
Mas naquele dia de julho, Russell Burke, diretor do departamento de biologia da Universidade Hofstra, na vizinha Hempstead, comentou: “Alguma coisa levou um número enorme de tartarugas a subir a pista 4L”.
Dois anos mais tarde o fenômeno se repetiu. E no último 3 de julho um grupo de tartarugas voltou a aparecer na pista 4L, não obstante as medidas tomadas para mantê-las à distância.
Sempre que uma tartaruga atravessa uma barreira de plástico montada no aeroporto após a primeira invasão, biólogos são despachados para buscá-la. As tartarugas muitas vezes são vistas pelos pilotos, para os quais mesmo um animal pequeno é um risco potencial. Os biólogos então determinam se a tartaruga está grávida. Se sim, eles a levam para uma praia arenosa, do outro lado da cerca, onde ela poderá escavar seu ninho. Se não estiver, os biólogos tiram uma impressão de seu casco e a tartaruga é devolvida à natureza.
Estudando as impressões das carapaças, Burke observou alguma coisa sobre as tartarugas que estavam indo ao aeroporto. Muitas eram jovens, com entre 7 e 9 anos. Essa é a idade em que as tartarugas atingem a maturidade sexual -e quanto retornam às praias onde nasceram para ali escavar seus ninhos.
O crescimento da população de tartarugas em Jamaica Bay é tradicionalmente controlado pelos guaxinins, que matam mais ou menos 95% dos filhotes recém-nascidos a cada ano. Esse fato, associado à idade das tartarugas, levou Burke a formular uma hipótese.
“Meu palpite”, ele disse, “é que sete a nove anos atrás aconteceu alguma coisa aos guaxinins no JFK. Isso porque muitos dos ovos postos naquele ano sobreviveram, e quando essas tartarugas chegaram à idade de reproduzir, começaram a invadir a pista de pouso.”
Burke descobriu que de fato, muitos guaxinins do refúgio natural morreram em 2008 devido a um surto de cinomose.
Agora há sinais de que a população de tartarugas está voltando ao normal, pelo menos as do aeroporto Kennedy. Em junho de 2012, biólogos contaram 800 tartarugas de dorso de diamante. Um ano mais tarde, havia 400. Este ano, cerca de 300.
Mas as tartarugas continuam a fazer visitas ocasionais ao aeroporto, como a de 3 de julho, quando uma maré alta levou 86 delas a passar sobre a barreira na extremidade pantanosa onde a pista 4L termina.
De acordo com Ron Marsico, um representante do aeroporto, naquele dia os aviões puderam utilizar uma pista diferente.

2711-Aeroporto John Fitzgerald Kennedy


Fachada do aeroporto

Situa-se em Nova York, na seção sudeste do Queens, na baía Jamaica. Ele fica a 25 km da cidade pela estrada de Midtown Manhattan. Os pontos de referência geográfica são 40’38’25.8 Norte,73’46’41’9 Oeste.
O JFK tem um tamanho equivalente a 4.390 acres (1776 hectares), incluindo 880 no Área do Terminal Central (CTA). O aeroporto tem mais de 48 km de estrada e é 4 m acima do nível do mar.
O aeroporto é operado pela Port Authority of New York and New Jersey.
É um dos aeroportos mais movimentados do país, especialmente a nível de voos internacionais, e foi inaugurado a 1 de Julho de 1948, na altura com o nome de Aeroporto de Idlewild.
Em 1963, o aeroporto foi rebaptizado como Aeroporto John F. Kennedy, em homenagem ao presidente dos Estados Unidos da América que fora recentemente assassinado em Dallas.
A partir de 1977, o JFK passou a acolher os voos do Concorde, o que aconteceu até 2003. Era o aeroporto que mais operações recebia do Concorde, até este avião supersónico ser retirado de circulação.
A 19 de Março de 2007, o JFK foi o primeiro aeroporto dos Estados Unidos da América a receber o novo Airbus A380 com passageiros a bordo.
Ao longo dos anos, houve vários acidentes com aviões no aeroporto nova-iorquino. A 16 de Dezembro de 1960, um aparelho da United Airlines colidiu com um da TWA quando se aproximava da pista e ambos caíram no solo. Morreram 127 pessoas que iam a bordo dos aviões e cinco que estavam no solo. A 24 de Junho de 1975, durante uma tempestade, um Boeing da Eastern Airlines falhou a aterragem e morreram 122 pessoas que iam a bordo. Já em 12 de Novembro de 2001, um Airbus da American Airlines despenhou-se em Queens pouco depois de levantar do JFK e morreram as 260 pessoas que seguiam no aparelho, assim como cinco pessoas em terra.
Emprego e Impacto Econômico
O JFK tem cerca de 35.000 funcionários trabalhando para o funcionamento do aeroporto, contribuindo com um lucro de U$ 30.1 bilhão para as atividades econômicas de Nova York/Nova Jérsei.