13.578 – Amigo do Homem ou Amigo da Onça?


Mulher morre atacada pelos próprios cães durante passeio

pit bull

A americana Bethany Lynn Stephens, de 22 anos, foi morta pelos próprios cães enquanto passeava com os animais em um bosque no estado da Virginia, situado no condado de Goochland, nos Estados Unidos. Os dois cachorros da raça pit bull teriam atacado a dona, que teve graves ferimentos na cabeça e na garganta, e permanecido em volta do corpo durante uma hora. Segundo o site Metrópoles.
O corpo da jovem teria sido encontrado pelo próprio pai, que estranhou a demora da filha em voltar para casa do passeio. Ao procurá-la no bosque onde Bethany costumava brincar com os animais, encontrou o corpo por volta das 20h, com os cães em volta. O homem chamou os serviços de emergência, que após examinarem o corpo constataram o ataque sofrido.
“A vítima tinha feridas defensivas em suas mãos e braços, tentando manter os cachorros afastados dela, o que seria consistente com o ataque enquanto ainda estava viva”, disse o xerife de Goochland, James Agnew, em depoimento reproduzido pelo site Metrópoles.
Após ser atacada no rosto e na garganta, ela teria caído no chão já inconsciente, sendo depois atacada em outras partes do corpo até a morte. O xerife ainda revelou que os cães são de grande porte e treinados para a luta.

Mandíbulas de Aço – Cães atacam na Alemanha


Um garoto de 6 anos foi estraçalhado por um pitbull e um staffordshine terrier num parque em Hamburgo. Para interromper o ataque foi necessário que a polícia abatesse a tiros os 2 animais, mas foi impossível abrir as mandíbulas do pitbull, encravadas no pescoço do menino levando-o a morte. O ministro ameaçou banir as raças agressivas. A Alemanha tem leis rígidas, mas é tolerante em relação a esses animais. São populares, sobretudo entre a comunidade turca, que promove rinhas. Berlim tem 3 milhões de habitantes e 200 mil cachorros. Em todo o país são 3,6 milhões, produzindo 360 toneladas de excremento por dia. Habitualmente indiferentes e até mesmo hostis com desconhecidos, os alemães ficam amáveis com qualquer um que leve um animal preso à coleira. Lá é o país que mais se desenvolvem as raças caninas. Mas vêm surgindo cachorros assassinos que não podem ser chamados de amigos do homem, mas sim de amigos da onça.