14.181 – Física – Como Construir Uma Máquina do Tempo?


Um astrofísico chamado Ron Mallet acredita que encontrou uma maneira de voltar no tempo. O professor de física da Universidade de Connecticut afirma que escreveu uma equação científica que pode servir de base para uma máquina do tempo real. Mallet chegou a construir um protótipo de um dispositivo de um componente-chave de sua teoria. Apesar disso, o restante da comunidade científica não está convencida de que a máquina do tempo vai se concretizar.

Para entender a máquina é preciso conhecer o básico da teoria da relatividade de Albert Einstein. Segundo o cientista, o tempo acelera e desacelera dependendo da velocidade com que um objeto se move. Com base nisso, se uma pessoa estivesse viajando perto da velocidade da luz no espaço, o tempo passaria mais lentamente para ele do que de alguém que permanece na terra. Porém, embora alguns físicos aceitem que seria possível viajar para o futuro dessa maneira, ir para o passado seria outra questão. Mallet acredita que lasers podem resolver isso.

O astrofísico disse à CNN que sua máquina do tempo depende da teoria geral da relatividade. Segundo ela, objetos massivos dobram o espaço-tempo, um efeito que conhecemos como gravidade, e quanto maior a gravidade, menor o tempo. “Se você pode dobrar o espaço, existe a possibilidade de você torcer o espaço. Na teoria de Einstein, o que chamamos de espaço também envolve tempo, é por isso que se chama espaço-tempo. O que você faz com o espaço, pode ser feito com o tempo também”, afirmou.

Ele acredita que é teoricamente possível transformar o tempo em um loop que permitiria viajar no tempo para o passado. Ele chegou a construir um protótipo mostrando como os lasers podem ajudar a alcançar esse objetivo. “Estudar o tipo de campo gravitacional produzido por um laser anel pode levar a uma nova maneira de olhar para a possibilidade de uma máquina no tempo baseada em um feixe de luz circulante”.

Por mais otimista que Mallet esteja, seus colegas estão céticos quanto ao sucesso de sua teoria. O astrofísico Paul Sutter disse que “existem falhas profundas em sua matemática e em sua teoria, e, portanto, um dispositivo prático parece inatingível”. O próprio autor da teoria admite que sua ideia é apenas isso no momento, uma teoria. E mesmo que sua máquina funcione, reconhece que existiria uma grande limitação que impediria alguém de viajar de volta no tempo e mudar algo no passado.

14.180 – Hyundai e Uber mostram seu carro voador


carro voador
A montadora sul-coreana Hyundai e a Uber anunciaram
durante a CES 2020 que estão desenvolvendo um carro
voador, que deve ser utilizado pela empresa de caronas
em 2023. A promessa das companhias é que este veículo,
chamado de S-A1, será capaz de transportar cinco passageiros
pelos céus e que, um dia, possa até abolir o piloto humano.
Este projeto faz parte da visão da Urban Air Mobility (UAM)
da Hyundai, com o chamado Veículo Aéreo Pessoal (PAV)
usando decolagem vertical e motores elétricos para aliviar o congestionamento da estrada.

A Hyundai será responsável pela fabricação do S-A1.
Espera-se que tenha vários rotores – para eficiência e segurança –
e um sistema de acionamento de para-quedas, se o pior acontecer.
Ele também será desenvolvido com baixo nível de ruído em mente,
para evitar perturbar as áreas urbanas nas quais as aeronaves devem operar.

Enquanto isso, a Uber cuidará das operações, sob a marca Uber Elevate.
“A Hyundai é nosso primeiro parceiro de veículos com experiência na
fabricação de automóveis de passageiros em escala global”, explicou
Eric Allison, diretor da Uber Elevate, ontem (06) durante a CES.
“Acreditamos que a Hyundai tem potencial para fabricar os veículos do Uber Air
a taxas nunca vistas na indústria aeroespacial atual, produzindo aeronaves confiáveis
​​e de alta qualidade em grandes volumes para reduzir os custos de passageiros por viagem
. Combinar o poder de fabricação da Hyundai com a plataforma de tecnologia da Uber representa um grande salto para
o lançamento de uma vibrante rede de táxis aéreos nos próximos anos”.
O conceito de uso deste carro, segundo a Hyundai e a Uber, parte de uma rede de centros de pouso espalhados por áreas urbanas,
descritas como espaços de mobilidade geral. Esses centros funcionariam como lugares para os PAVs aterrissarem,
bem como para passageiros e carga se reunirem. Um outro veículo seria usado para transportar pessoas ou itens
para o hub e atracar em seus raios periféricos.
No centro do hub, haveria um lounge e uma área de preparação.
Os PAVs decolam do Skyport por cima e transportarão passageiros pela cidade.
No outro extremo, outro PBV poderá levá-los ao destino final ou vincular-se a outras opções de transporte público.

A Uber diz que pretende lançar o modelo em 2023, embora isso dependa de obstáculos tecnológicos e regulatórios.