14.152 – Mega Curiosidades – Quantos Amperes tem Um Raio?


tempestade2
Durante a chuva, o granizo e as gostas de chuva presentes nas nuvens concentram carga elétrica negativa, enquanto os cristais de gelo e a água concentram carga elétrica positiva. A diferença entre as cargas gera uma tensão elétrica que dá origem aos raios.
Segundo o engenheiro eletricista Maurício Ferraz, a potência dos campo elétrico nas nuvens em que os raios se formam pode chegar a mil gigawatts. Ou seja, uma potência 100 mil vezes maior do que a encontrada em redes de alta tensão.
Um raio comum costuma ter intensidade de 30 mil amperes, isso equivale a intensidade de mil chuveiros elétricos.
Mito
Já ouviu aquela história de que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar? Pois é, ele pode cair sim. Há locais com grande incidência de raios. O Cristo Redentor, por exemplo, é atingido por cerca de 6 raios todos os anos.
Os raios não caem apenas durante as tempestades. Além de dias de chuva, eles também podem se formar em outras situações. Erupções vulcânicas e tempestades de neve e areia, por exemplo, podem envolver atrito de partículas e criação de cargas elétricas, que geram raios.
A chance de uma pessoa ser atingida por um raio é de 1 em 1 milhão. mas, se ela estiver numa área descampada enquanto muito forte, essa chance é de 1 em mil. Como foi o caso dos banhistas que recentemente foram atingidos por raios numa praia no litoral sul de São Paulo.
Quando um raio atinge alguém, a sua corrente elétrica pode causar queimaduras, além de outros danos. A maioria das mortes causadas por raios é por causa de paradas cardíacas e respiratórias. Por outro lado, quem é atingido e consegue sobreviver, pode sofrer de problemas psicológicos e físicos por um longo período.
De acordo com o Inpe, um em cada 50 mortes por raios no mundo acontece no Brasil. Cerca de 1.672 pessoas morreram por causa de raios no país entre os anos de 2000 e 2013, segundo o órgão.
Até o mês de novembro de 2014, 84 pessoas haviam morrido por causa de raios no Brasil. Em função do calor intenso e do alto nível de umidade, a incidência de raios no país é maior entre os meses de outubro a março.
De acordo com pesquisas recentes, a incidência de raios tem crescido em áreas urbanas. Isso estaria ligado ao aumento da poluição e da temperatura nesses locais.
Alocalidade de Kamemebe, situada na África Central, tem a maior incidência de raios do mundo. A média anual na região é de 33 raios por quilômetro quadrado.
Brasil
A incidência de dezenas de milhões de raios no Brasil se deve ao fato da maior parte do país se encontrar na zona tropical, que é uma área do globo mais favorável à formação de tempestades.
No Brasil, a região entre Coari e Manaus tem a maior incidência de raios. De acordo com o Inpe, a ocorrência de raios nessa área nas próximas décadas deve se tornar cada vez mais comum.
Já quando é considerada a incidência por município, Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, está no topo da lista. A média da cidade é de 13 raios por quilômetro quadrado todos os anos.
Embora tenha potência elétrica grande, a pequena duração dos raios faz com que eles não gerem muita energia. Em média, um raio gera em torno de 300 quilowatts/hora, o que equivale ao consumo mensal de uma pequena residência.
Um raio é extremamente veloz. Ele dura no máximo 2 segundos e consegue percorrer distâncias de até 5 quilômetros nesse tempo.
Para os especialistas, raio e relâmpago são coisas diferentes. Enquanto relâmpago é qualquer descarga elétrica gerada por nuvens de tempestade, o raio é uma descarga elétrica desse tipo que se conecta com o solo. Logo, todo raio é um relâmpago, mas nem todo relâmpago é um raio.
Algumas pessoas confundem raio e trovão. O trovão é o som produzido pelo aquecimento e expansão do ar nas regiões da atmosfera percorridas pela corrente dos raios. A intensidade de um trovão pode chegar a 120 decibéis, ou seja, para os seus ouvidos é como se você estivesse nas primeiras fileiras de um show de rock. No entanto, apesar de ser ensurdecedor, o trovão é, em geral, inofensivo.
Existe um jeito simples para saber a distância aproximada em quilômetros de um raio. Basta contar os segundos entre o momento em que se vê o raio e o instante em que se escuta o trovão e dividi-los por três, então você terá a distância.
No futuro, regiões que registram médias anuais de mais de cinco raios por quilômetro quadrado poderão usá-los como fonte de energia. Uma torre capaz de captar os raios em locais com essas características pode fornecer energia suficiente para manter um sítio ou uma fazenda funcionando.

intensidade raio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s