13.770 – Filósofos Contestam a Exatidão das Ciências Exatas


ciencia exata
Argumentos em que se baseiam:
“De tão caricatural, a separação entre exatas e humanas está se tornando tóxica. Rende bons memes, mas traz uma imagem errada sobre o papel de cada uma das ciências e da urgente integração entre elas. Exatidão, assim como precisão, rigor ou objetividade, são noções cujos significados mudaram ao longo da história.
Para Descartes, por exemplo, eram exatos procedimentos que permitiam construir curvas por meio de equações algébricas. Ao invés de fazer um círculo geometricamente, usando o compasso, tornou-se possível construir essa figura por meio da equação . Essa noção de “exatidão”, como mostra o historiador da matemática Henk Bos em Redefining Geometrical Exactness: Descartes’ Transformation of the Early Modern Concept of Construction (NY, Springer, 2001), era típica do século 17. Surgiu no contexto de matemáticos-filósofos tentando ampliar os métodos de construção de curvas geométricas, que também serviam à ótica.
Bem mais tarde, em meados do século 19, a ciência viu-se às voltas com a ideia de objetividade. Observar o mundo e enxergar relações implícitas, não observáveis à primeira vista, era tarefa dos “homens de ciência” – a expressão é da época, pois a tarefa era mesmo considerada atribuição dos homens mais do que das mulheres. Como cientistas são humanos, tendem a projetar valores e afetos em suas observações, o que pode comprometer as conclusões. Para que isso não acontecesse, quem praticava a ciência precisava segurar a onda. Tinha que limitar suas tendências mais íntimas – sua subjetividade – e treinar o corpo e o olhar para garantir a objetividade de suas observações. No livro Objectivity (NY, Zone Books, 2007), Lorraine Daston e Peter Galison, renomados historiadores da ciência, mostram que a objetividade tornou-se, assim, uma virtude científica.
Seria possível dar inúmeros outros exemplos, mas a moral da história é que predicados como exatidão e objetividade, atribuídos hoje a certos ramos do conhecimento, foram inventados para ampliar os procedimentos aceitos ou para limitar traços humanos que pudessem prejudicar a observação científica. Hoje, as ciências ditas exatas são aquelas que usam a matemática. O modelo mais bem acabado é o da física. Esses saberes foram construídos como exatos, em contextos específicos, para lidar com as possibilidades e os limites humanos para conhecer.”
Ciências Exatas ou Naturais?
A Filosofia da Ciência possui um papel extremamente importante para a evolução dos diversos ramos da ciência. Quando se fala em ciências o que vem a mente é justamente métodos e análises precisamente matemáticas pautadas na exatidão e pesquisadores usando laboratórios, vidrarias e roupas brancas. Erroneamente o termo ciências acaba se restringindo apenas as ditas Ciências Exatas. Porém, muito se tem questionado se realmente existe uma ciência exata. Exata na forma literal da palavra. Atualmente os ramos da Física, Química, Biologia e até mesmo a própria Matemática preferem a alcunha de Ciências da Natureza em detrimento de Ciências Exatas.
Isso se deve principalmente pela evolução da própria Ciências Naturais. Queda de Leis, paradigmas, teorias, conceitos fizeram com que cientistas percebessem que até mesmo as ciências ditas exatas como Física, Química, Astronomia, Matemática, Biologia, etc. Deveriam ser constantemente reformuladas. Prova disto está na evolução da teoria atômica (Química), da queda do lamarkismo para o evolucionismo (Biologia), da mecânica clássica para a mecânica quântica (Física), do universo estável e infinito para instável e finito (Astronomia).
Com o desenvolvimento da história, as Ciências Naturais percebeu que o nome de “exatas” não lhe cabia mais. Perceberam o quanto as Ciências Naturais estava tão próxima das Ciências Humanas e Sociais. Na Química isso fica mais evidente ainda com as diversas descobertas em relação ao atomismo. A evolução do átomo que vem desde John Dalton, passando por Thomson, Rutherford, Bohr e culminando em Schrödinger é uma prova cabal de que Ciências Exatas não existe. O que existe é Ciência. Seja ela da Natureza, Social, Médica, Engenharia, Computacional, Humana, Filosófica ou Teológica. O que temos é a Ciência.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s