13.192 – Uma Mulher Imortal – Ela morreu em 1951, mas suas células continuam se multiplicando infinitamente nos laboratórios de todo mundo


Henrietta Lacks, nascida em 1920 em Baltimore, teve câncer no colo do útero aos 31 anos de idade, e pouco antes de morrer ela foi doadora involuntária de tecido do seu corpo de onde surgiu a linhagem celular HeLa, uma referência ao nome de Henrietta. As células HeLa foram cultivadas quando a mulher ainda recebia tratamento para um câncer do colo uterino no Johns Hopkins Hospital. Seu câncer produzia metástases anormalmente rápidas (se reproduzia, fazia mitoses), mais que qualquer outro tipo de câncer conhecido pelos médicos.
Mesmo depois de morta, as células dessa mulher continuaram sendo cultivadas para estudo de sua impressionante longevidade, sendo distribuídas por vários laboratórios em todo o mundo. Pesquisadores estimam que haja aproximadamente 50 milhões de toneladas dessas células circulando no mundo. Elas permitiram o desenvolvimento de uma vacina contra a poliomielite e inúmeros tratamentos médicos, e também foram levadas nas primeiras missões espaciais para ajudar cientistas entender o que aconteceria com o tecido humano em situações de gravidade zero. Neste meio século desde a morte de Henrietta, suas células foram continuamente usadas em experimentos e pesquisas contra o câncer, AIDS, efeitos da radiação, mapeamento genético e muito mais. Milhares de trabalhos científicos foram realizados com essas células.
Uma leva de células de Henrietta pode ser reproduzida em 24 horas. Elas foram as primeiras células humanas imortalizadas cultivadas em laboratório e já são cultivadas há mais tempo fora do que dentro do corpo de Henrietta. As células HeLa são chamadas de imortais por se dividirem num número ilimitado de vezes, desde que mantidas em condições ideais de laboratório. Atribui-se isso ao fato dessas células terem uma versão ativa da enzima Telomerase, implicada no processo de morte das células e no número de vezes que uma célula pode se dividir.
Considerando que cada lote de células pode custar entre US$ 10 e US$ 10 mil, o tumor de Henrietta virou um negócio farmacêutico multi-bilionário. Nem um centavo desse lucro, no entanto, foi parar para os filhos de Henrietta. Durante quase 30 anos, eles sequer souberam que um pedaço de sua mãe estava vivo e sendo usado para pesquisas médicas.

celulas cancerosas

13.191 – Mega Byte – Notícias Falsas no Facebook e outros golpes


pagina-facebook

Verificar o link que está clicando

É comum que links maliciosos sejam espalhados pelo Facebook, como notícias falsas que se passam por verdadeiras. Quando o usuário clica no link, seus dados podem ser roubados. Ainda existe links que contaminam o perfil da pessoa e publicam, como se fosse ela, a notícia automaticamente, sem sua autorização.
O ideal é sempre desconfiar antes de clicar em um link, por mais que seja de um site confiável. Muitos links maliciosos usam endereços de Internet similares a sites de notícias grandes. Para evitar cair nos golpes, procure pelo título da notícia no Google e tente acessá-la pelo buscador.

Revise seus aplicativos
Assim como em outras redes, como Twitter e Instagram, o Facebook permite utilizar diversos aplicativos em conjunto com a rede social. São apps de quizz, jogos, testes de personalidade e programas que servem para divertir e entreter. Mas é importante tomar cuidado, pois há aplicativos que podem roubar seus dados.
Na aba de “Configurações” é possível verificar quais apps sua conta está utilizando. Procure saber a procedência do aplicativo utilizado e veja se é de um desenvolvedor conhecido, onde você terá como reclamar e resolver, se ocorrer algum problema.

Não revelar sua senha no chat
Essa dica parece óbvia, mas muitos usuários ainda caem em golpes similares. O próprio Facebook avisa que nunca solicita as senhas de seus usuários no chat ou em qualquer outro meio de comunicação, por isso nunca passe suas credenciais de acesso para qualquer usuário pelo chat da rede social.
Além de, possivelmente, estar entregando as senhas para um hacker, o simples ato de digitar no chat pode deixá-las registradas para que, em um acesso futuro, alguém veja e complique sua vida.
Verificar sessões ativas
O Facebook fornece uma ferramenta muito útil: a possibilidade de verificar as sessões ativas. Para isso, vá nas “Configurações”, em seguida em “Segurança” e, depois, em “Onde Está Logado”, assim é possível verificar onde seu Facebook está sendo utilizado no momento.
Se não reconhecer algum dispositivo na lista, clique em “Encerrar Atividade” e troque imediatamente sua senha, para evitar acessos indesejados no futuro.

Não aceite perfis falsos

fakebook
É bem comum que perfis falsos sejam criados para aplicar golpes e tentar roubar acesso de usuários na rede. Procure não aceitar em sua lista de amigos esse tipo de perfil, ainda que tente enviar uma mensagem de apresentação.
Reconhecer um perfil falso pode não ser fácil, mas é possível seguir algumas dicas: verifique se tem amigos em comum com seu perfil, veja se o perfil costuma postar fatos do cotidiano na linha do tempo ou se não posta nada e procure ver as fotos.

Cuidado com seu login
Similar à dica mais acima, muito cuidado com seu login. Não o deixe anotado em arquivos dentro do computador, não salve em dispositivos na nuvem, como Dropbox ou iCloud e não faça login em computadores de terceiros sem ter o máximo de cuidado.

Não caia em promessas milagrosas
Promessas milagrosas são sempre suspeitas. Alguém que pode chegar no chat da rede social e te prometer moedas infinitas em jogos ou oferecer mudar a cor do Facebook – não dê atenção a promessas que vêm de outras pessoas e que não sejam do perfil oficial da rede social. Geralmente são golpes dos mais comuns e efetivos.