12.756 – Não tome mais do que 8 doses de antibióticos ao ano


antibiotico
O alerta foi dado na prestigiosa revista Science e foi direcionado aos líderes mundiais: para conter o desenvolvimento de superbactérias, aquelas resistentes a todos os tipos de antibióticos, a população geral não deve tomar mais de 8 doses diárias de antibióticos ao ano.
A pesquisa foi enviada às Nações Unidas, para que vire recomendação oficial. “Nenhum país deve consumir mais do que a dose média global: 8,5 doses diárias per capita ao ano. Calculamos que isso poderia diminuir o consumo de antibióticos em 17,5% no mundo todo”, diz o estudo. O número, claro, é uma médias Pessoas saudáveis deveriam evitar totalmente os antibióticos, para que quem precise puder tomar do que 8 doses.
A recomendação veio depois do aumento no consumo de antibióticos e na prescrição sem necessidade. Esse tipo de remédio não é eficaz em casos de gripe (que é uma doença viral) e na maior parte das inflamações da garganta, por exemplo. Cada vez que alguém toma um antibiótico sem motivo, acaba matando a fauna natural de bactérias protetoras juntos com as malignas – e deixa sobreviver apenas as mais fortes. Isso pode causar o surgimento de superbactérias.
Mortes por superbactérias são comuns dentro de hospitais, onde as pessoas já estão com a saúde debilitada. O medo é que esse tipo de doença possa se espalhar também pela população comum – e aí a ciência não teria como se defender. Casos de superbactérias aconteceram no fim de 2015 em três fazendas britânicas, por exemplo.

12.755 – Robô de 15 milímetros consegue mover objetos com até 10 vezes seu tamanho


Pesquisadores da Universidade de Varsóvia, na Polônia, desenvolveram um robô de 15 milímetros que se move com a luz e consegue mover objetos com até 10 vezes de seu tamanho. Inspirado em uma lagarta, ele foi feito de cristal líquido elastômero, um material que se move quando é exposto a uma fonte de luz.
O robô lagarta é capaz de subir encostas íngremes, se espremer em espaços minúsculos e empurrar objetos grandes. Ele pode ser usado, por exemplo, para a pesquisa científica e até para a espionagem, caso seja possível anexar uma câmera e um microfone a ele. microrobo

12.754 – Leitura de livros aumenta longevidade


livro carl sagan
Esgotado nas livrarias

Claro que a ideia de vida eterna também é um exagero, mas uma pesquisa recente afirma que a leitura de livros pode resultar em um tempo a mais de vida.
Ler livros reduziu, aparentemente, em 20% os riscos de mortalidade das pessoas que, por 12 anos, foram acompanhadas. A pesquisa, publicada na revista “Social Science & Medicine”, utilizou dados do Health and Retirement Study, realizado pela Universidade de Michigan. Os 3.635 entrevistados eram adultos acima de 50 anos.
Além de verificar se e quanto as pessoas liam, o estudo, chamado “A Chapter a Day” (Um Capítulo por Dia, em tradução livre), precisou “descontar” o efeito de alguns fatores que influenciam a longevidade, entre eles: câncer, doenças de pulmão, infarto, diabetes e hipertensão. Estado civil e situação e trabalho, histórico de depressão, idade, sexo, raça e condição econômica também foram considerados.
Mesmo assim, os pesquisadores da Universidade Yale constataram uma bela vantagem na sobrevivência daqueles que liam em média 30 minutos por dia, quando comparados a não leitores.