12.603 – Saúde – O que são os antioxidantes?


Por definição, antioxidantes são substâncias capazes de atrasar ou inibir a oxidação de um substrato oxidável. O papel dos antioxidantes é proteger as células sadias do organismo contra a ação oxidante dos radicais livres.

Relação radicais livres x antioxidantes
Os radicais livres (agentes oxidantes) são moléculas que, por não possuírem um número par de elétrons na última camada eletrônica, são altamente instáveis. Estão sempre buscando atingir a estabilidade travando reações químicas de transferência de elétrons (oxi-redução) com células vizinhas. Apesar de fundamentais para a saúde, quando em excesso, os radicais livres passam a oxidar células saudáveis, como proteínas, lipídios e DNA.
O ataque constante leva à peroxidação lipídica (destruição dos ácidos graxos poli insaturados que compõem as membranas celulares). A intensificação no processo de peroxidação lipídica, por sua vez, está associada ao desenvolvimento de doenças crônicas, como a aterosclerose, a obesidade, o diabetes, a hipertensão, e o desenvolvimento de doenças degenerativas, como o Alzheimer e o Parkison, e alguns tipos de câncer.
A importância dos antioxidantes está justamente no fato de que estes são capazes de regular a quantidade dos radicias livres no organismo.
Uma dieta rica no consumo de antioxidantes colabora para a redução da situação de estresse oxidativo (desequilíbrio entre os níveis de radicais livres e antioxidantes)

Sistemas de defesa antioxidante
Sistema enzimático (endógeno): formado por um conjunto de enzimas (o superóxido dismutase, a catalase e a glutationa) produzidas naturalmente pelo organismo. Contudo, a eficiência deste sistema de produção tende a diminuir com o passar dos anos. Portanto, é importante manter a qualidade do segundo sistema de defesa, o não-enzimático, através da ingestão de alimentos ricos em antioxidantes.
Sistema não-enzimático (exógeno): composto por grupos de substâncias como vitaminas, substâncias vegetais e sais minerais que podem ser ingeridos através da dieta alimentar.
Os antioxidantes atuam de duas formas sob os radicais livres: inibindo sua formação e reparando as lesões já causadas. A primeira está relacionada à inibição de reações em cadeia que envolvem sua formação; e o segundo, na remoção de células danificadas, seguida da reconstituição das membranas celulares.
Os antioxidantes também interceptam os radicais livres e impedem o ataque destes sobre os lipídeos, aminoácidos, proteínas, ácidos graxos poli insaturados e bases do DNA, protegendo as células de lesões. Antioxidantes obtidos através da dieta (vitaminas, flavanoides e carotenóides, entre outros) são fundamentais neste processo.
O corpo humano possui dois sistemas de autodefesa antioxidantes: o sistema enzimático (endógeno) e o não-enzimático (exógeno).
Alguns antioxidantes, como a vitamina E, são solúveis em lipídios (lipossolúveis) e protegem as membranas celulares da peroxidação lipídica, colaborando para a remoção de danos e para a reconstituição da membrana celular.
O sistema de autodefesa endógeno, no entanto, tende a ser reduzido com o processo natural de envelhecimento, pois a produção das enzimas antioxidantes vai perdendo sua eficiência com o passar dos anos.

Os principais antioxidantes do sistema não-enzimático são:

• Beta-caroteno e Licopeno: são carotenoides, corantes naturais presentes nas frutas e nos vegetais. Atuam como antioxidantes, pois sequestram o oxigênio, reduzindo a disponibilidade de radicais livres para realizarem reações oxidativas. Estão associados à prevenção de carcinogênese e aterogênese, por serem capazes de proteger moléculas como lipídios, proteínas e DNA de sofrerem oxidação. Além disso, são percursores da vitamina A no organismo.

Onde encontrar: são encontrados em alimentos avermelhados, alaranjados e amarelados, como cenoura, tomate, laranja, pêssego, abóbora; e em vegetais verde-escuros, como brócolis, ervilha e espinafre.

• Curcumina: é um pigmento que ocorre naturalmente nas raízes da cúrcuma. Muito usada como tempero na culinária indiana, a cúrcuma sequestra os radicais livres e inibe a danificação dos ácidos graxos poli insaturados das membranas celulares.

Onde encontrar: Cúrcuma, açafrão e curry.

• Flavanoides: os flavanóides são um conjunto de substâncias produzidas naturalmente por vegetais para colaborar na proteção contra a radiação solar e combater organismos patógenos. Têm a capacidade de inibir a atividade das enzimas responsáveis pela produção dos radicais livres, evitando portanto, sua formação.

Onde encontrar: são encontrados em frutas, como uva, morango, maçã, romã, mirtilo (blueberry), framboesa e em outras frutas de coloração avermelhada; em vegetais como brócolis, espinafre, salsa e couve; nas nozes, soja, linhaça; além de serem encontrados em bebidas, como no vinho tinto, chás, café e cerveja, e até no chocolate e no mel.

• Vitamina A (retinol): a vitamina A tem a capacidade de se combinar com alguns radicais livres, antes que estes provoquem lesões. A vitamina A também participa no processo de produção da pele.

Onde encontrar: em alimentos de origem animal, como leite integral e fígado de boi. Aqueles que não consomem produtos de origem animal devem consumir os vegetais que contém altas concentrações de betacaroteno e licopeno, pois estes são percursores da vitamina A no organismo.

• Vitamina C (ácido ascórbico): solúvel em água (hidrossolúvel), portanto, reage com radicais livres disponíveis em meio aquoso, como o que existe no interior da célula. A vitamina C também é capaz de regenerar vitamina E e de manter as enzimas do sistema antioxidante endógeno em estados reduzidos, poupando principalmente a glutationa.

Onde encontrar: em frutas: melão, melão cantaloupe, frutas cítricas (laranjas, limões, tangerinas) kiwi, manga, mamão, abacaxi, mirtilo (blueberry), morango, framboesa e oxicoco (cranberry); e em vegetais: brócolis, couve flor de bruxelas, couve flor, pimentão vermelho e verde, espinafre, batata, batata doce, moranga e tomate.

• Vitamina E (tocoferois): a vitamina E é um conjunto de tocoferois, sendo o mais importante como agente antioxidante, o alfa-tocoferol. A vitamina E é solúvel em gordura (lipossolúvel), portanto, atua protegendo as membranas celulares (formadas por lipídios) da ação dos radicais livres. Também protege as lipoproteínas de baixa densidade (LDL) que atuam no transporte do colesterol.

Onde encontrar: óleos vegetais e derivados, folhas verdes, oleagionosas (castanha do pará, avelã, amêndoa, nozes) e sementes, cereais integrais e vegetais folhosos: espinafre, agrião, rúcula, entre outros.

• Cobre: essencial para o bom funcionamento do sistema de auto defesa endógeno, pois influencia a ação da enzima superóxido dismutase.

Onde encontrar: miúdos, frutos do mar, cereais integrais e em vegetais verde-escuros.

• Selênio: atua em conjunto com a vitamina E, combatendo a ação dos radicais livres. Colabora também para a formação normal da tireróide.

Onde encontrar: em produtos de origem animal, como miúdos e frutos do mar; em alimentos de origem vegetal, como cererais integrais e castanha do pará.

• Zinco: da mesma forma que o cobre, influencia a atuação da enzima superóxido dismutase.

Onde encontrar: alimentos de origem marinha, como ostras, lagosta, caranguejo. Em outros produtos de origem animal, como carne vermelha e carne de aves, leite e derivados. E em produtos de origem vegetal: feijões, nozes e grãos integrais.

Suplementos vitamínicos
Dessa maneira, é fundamental manter a qualidade do sistema de defesa antioxidante exógeno através da ingestão de antioxidantes.
Uma vez que as pessoas têm necessidades vitamínicas diferentes, tomar vitaminas em cápsulas pode não ser recomendável em todos os casos (veja mais aqui).
Apesar da ampla variedade de suplementos vitamínicos no mercado, é indicado que a suplementação seja feita apenas com base em uma recomendação médica, seguida de devido acompanhamento profissional.

12.602 – Medicina – A cirurgia robótica


da vinci o robot cirurgiao
Da Vinci, o robô cirurgião

É um tipo de cirurgia onde o médico manipula um robô, que faz as incisões e ressecções, através de um console joystick.
Este tipo de cirurgia foi desenvolvido tanto para melhorar a capacidade dos cirurgiões realizando cirurgias abertas, quanto para minimizar o impacto em cirurgias minimamente invasivas.
Nos Estados Unidos, no final de 2011, havia cerca de mil robôs cirúrgicos em atividade, no Brasil havia três, nos hospitais Albert Einstein, Sírio-Libanês e Oswaldo Cruz.
A primeira vez em que foi utilizado um robô, foi em 1985, quando o PUMA 560, foi utilizado durante a realização de uma biopsia no cérebro para guiar a agulha. Em 1988, o PROBOT, desenvolvido no Imperial College London, foi usado para realizar uma operação de próstata. Em 1992, o ROBODOC, da empresa “Integrated Surgical Systems”, para esculpir com precisão encaixes em um fêmur durante uma operação para instalação de uma prótese de quadril.
Um grande avanço foi dado pela necessidade das Forças Armadas norte-americanas fazerem cirurgias a distância na década de 1990, com expectativa de ter braços robóticos em hospitais próximos aos fronts, enquanto nos EUA ou em outra parte do mundo, o cirurgião principal, atuando num joystick, faria o procedimento, transmitidos por internet, esses dados iriam até o robô no campo de batalha, porém projeto não foi adiante, devido às limitações na velocidade de transmissão de dados e à impossibilidade de operar no campo de batalha sem que houvesse alguém que mexesse no robô in loco.
Algumas das vantagens da cirurgia robótica são precisão, redução das incisões, diminuição da perda de sangue e diminuição do tempo de cura e cicatrização. Além disso o robô normalmente permite uma melhor manipulação e uma magnificação dos movimentos tridimensionalmente, melhorando a ergonomia. Também é reportado uma diminuição da dor, redução da necessidade de transfusão de sangue e do uso de medicamentos analgésicos.
Entre as desvantagens pode-se mencionar o custo do robô, mais de um milhão de dólares, além dos custo dos suprimentos. Além disso é necessário treinamento adicional para utilizar o equipamento. O elevado preço é causado pela existência de só uma empresa no mercado mundial, cada equipamento custa, em média, R$ 2,5 milhões, além da manutenção de em torno de R$ 200 mil por ano, além disso, os planos e seguros de saúde não reembolsam o aluguel do robô, que custa de R$ 6 mil a R$ 12 mil.

12.601 – Desculpa de bêbado – Cientistas descobrem que cerveja pode prevenir o Alzheimer


cerveja-russia-alcoolismo-original6
Estudos concluem que a cerveja ajuda a prevenir o Alzheimer, embora ainda não se saiba como isso acontece exatamente ou qual seria a dose necessária.
Se os apreciadores da bebida estavam esperando uma boa desculpa para tomar cerveja nos fins de semana, a ciência respondeu às suas preces: segundo um estudo realizado por pesquisadores suecos e finlandeses, existe uma relação entre a concentração de beta-amiloides no cérebro (moléculas associadas ao Alzheimer) e o consumo da “gelada”.
Para chegar a essa conclusão, foram estudados 125 homens mortos entre 25 e 70 anos, sua predisposição genética para o desenvolvimento do Alzheimer e seus costumes na ingestão de álcool.
O estudo revelou que a concentração de moléculas aumentava com a idade, porém em menor medida quando se tratava de homens que tinham como costume beber cerveja. Esse mesmo fenômeno não foi verificado em homens que tinham como costume ingerir outro tipo de bebida alcoólica.
Vale também esclarecer que não foi possível determinar a ingestão recomendável de cerveja para que o efeito seja garantido, já que também não foi possível revelar como o processo se dá exatamente.

12.600 – De ☻lho no Mundo – Reino Unido deixa a União Européia


reino-unido-estados
O Reino Unido decidiu pela saída da União Europeia, numa disputa acirrada: 48% da população votou a permanência, enquanto 52% preferiu a saída – no total, a diferença de votos foi de 1,2 milhão. O primeiro-ministro David Cameron, que fazia campanha pela permanência, já anunciou a renúncia ao cargo. O resultado mostrou dois sinais: jovens e idosos pensam de formas bem diferentes; e o Reino Unido anda bem desunido.
Basta ver os dados da pesquisa boca de urna feita pelo instituto YouGov: 64% dos jovens entre 18 e 24 anos queriam que a região continuasse dentro da União Europeia. E só 33% dos britânicos entre 50 e 64 anos compartilhavam a mesma opinião.
Como, então, os membros do time pró-saída levaram a melhor? É fácil adivinhar: a população jovem compareceu menos às urnas, embora seja quem vai viver mais tempo na nova situação. No início de junho, só 50% deles diziam que participariam do referendo. Em contrapartida, mais de 60% das pessoas entre 33 a 54 anos e 80% dos idosos com mais de 80 anos confirmaram presença na votação.
Fora isso, os resultados foram bem diferentes na parte norte e sul da Grã-Bretanha. 62% dos escoceses e 56% dos cidadãos da Irlanda do Norte queriam a permanência no bloco – até porque, numa Europa unida, há mais contrapesos para o poder de Londres dentro do Reino Unido.
Resta agora saber como fica a região daqui para frente. E se a decisão britânica vai influenciar outros países, como a França, a tomar o mesmo caminho.

12.599 – NASA está desenvolvendo nave robô para manutenção de satélites


robo manutenção
A NASA está trabalhando em uma nova missão que vai lançar uma nave espacial robótica para realizar o reabastecimento e a manutenção de satélites que já estão em órbita. A nave será equipada com braços robóticos capazes de fazer as transferências de combustível dentro das condições de temperatura e pressão adequadas.
A missão, que está planejada para 2020, pode alterar a forma com que governos e empresas privadas constroem seus satélites, permitindo que eles tenham maior vida útil e impedindo sua morte prematura. O projeto poderia também auxiliar outras naves que já estão no espaço. Benjamin Reed, vice-gerente do projeto, disse que o projeto pode gerar ainda uma economia na produção de satélites.
Além de manutenção, a NASA quer usar o projeto para futuras missões para Marte e locais mais distantes.

12.598 – Avanços da Medicina


avanços da medicina
Novas tecnologias para o cancro da próstata
A popularização do uso de cirurgia robótica ganhou mais força a nível mundial e permite uma grande precisão de movimentos e uma visão muito próxima das estruturas a operar. Estão também a ser avaliadas novas tecnologias minimamente invasivas para o cancro da próstata, sobretudo a eletroporação irreversível, que já mostra resultados promissores, embora ainda não conclusivos.
Na área do diagnóstico, estão, ainda, a surgir novas técnicas tridimensionais e de fusão de imagem que permitem a realização de biópsias com elevadíssima precisão.
Também houve tentativas de criar mosquitos resistentes à malária e criar órgãos de porcos que possam ser usados em transplantes para humanos.
As técnicas têm gerado debates éticos sobre a criação de “bebês projetados” e seres humanos “geneticamente modificados”, mas as pesquisas tendem a continuar.

Derrota do câncer?
Os tratamentos de câncer estão à beira de uma grande revolução após um de seus campos mais promissores, a imunoterapia, finalmente chegar à sua maturidade.
Se você tem gripe, seu sistema imunológico busca e destrói o vírus dentro do seu organismo. Já os tumores têm a capacidade de se disfarçar de tecidos saudáveis para evitar tais ataques.
A imunoterapia desfaz o mecanismo de “disfarce”, deixando o câncer exposto aos ataques do nosso próprio sistema imunológico.
Dados de duas grandes pesquisas apresentados no congresso anual da Sociedade de Oncologia Clínica dos Estados Unidos mostraram que a taxa de sobrevida dobrou em pacientes com câncer de pulmão submetidos à esta nova técnica.
Já em casos de melanoma, um tipo de câncer de pele, os tumores encolheram em aproximadamente seis de cada dez pacientes.
Entre as estatísticas, no entanto, há casos importantes.
Alguns dos pacientes evoluíram de um estágio de câncer terminal à ausência completa da doença, comprovando que este é um dos campos mais em evidência da Medicina contemporânea.

Resistência a antibióticos
Uma das questões mais preocupantes na área médica têm sido a resistência a antibióticos e as ameaças que bactérias superpotentes trazem à saúde humana.
Alguns médicos chegaram a declarar recentemente que o mundo estava às margens de uma “era pós-antibióticos” após identificarem bactérias capazes de resistir à colistina, um medicamento usado somente quando todos os outros já falharam.
A resistência à esta droga foi identificada em pacientes e cobaias na Europa, África, China e outras partes da Ásia, aumentado as preocupações em torno de um “apocalipse antibiótico”.
Mas apesar das preocupações, há boas notícias.
Uma equipe dos Estados Unidos sinalizou durante este ano que a ausência da descoberta de novos antibióticos, que já dura décadas, pode estar próxima do fim.
Baseados na Universidade Northeastern, em Boston (EUA), os pesquisadores desenvolveram um novo método para criar culturas de bactérias que levaram à criação de 25 novos antibióticos, sendo um deles “muito promissor”, em meio à continuidade dos testes para determinar se as novas drogas podem ser usadas em seres humanos.

antibiotic_resistance_191115_portuguese

 

Bebê “congelado”
Na Bélgica uma mulher foi a primeira do mundo a dar à luz um bebê usando tecido de seu próprio ovário que havia sido congelado quando ela era adolescente.
A belga, de 27 anos de idade, teve um de seus ovários removido cirurgicamente aos 13 anos devido a um tratamento para anemia que poderia deixá-la estéril. O outro ovário não respondeu ao tratamento com sucesso.
Dez anos depois, os médicos implantaram fragmentos de seu ovário congelado no órgão remanescente e em 11 outros locais de seu corpo, e ela deu à luz um menino.

O rosto de um milhão de dólares
Cirurgiões norte-americanos realizaram em agosto deste ano o transplante de rosto mais completo de que se tem notícia, incluindo o couro cabeludo inteiro, orelhas e pálpebras.
Foram 26 horas de cirurgia até que o bombeiro voluntário Patrick Hardison, de 41 anos, tivesse uma nova face.
As queimaduras de terceiro grau em todo o rosto e couro cabeludo foram resultado de seu esforço para tentar resgatar uma mulher que ele acreditava estar presa nas chamas de um incêndio numa casa.
Ele esperou por mais de um ano por um doador que fosse uma combinação perfeita – não só do mesmo tipo sanguíneo mas também com a pele e o cabelo claros, como os dele.
A equipe médica diz que Patrick precisará de mais cirurgias para remover quantidades de pele solta em torno dos lábios e dos olhos.
Também em 2015, no Texas, um homem passou pelo primeiro transplante de crânio e couro cabeludo do mundo.

Demência
No ano de 2015 começaram as surgir os primeiros detalhes de como um medicamento poderia reduzir o ritmo do declínio cerebral de pacientes com Alzheimer em seus estágios iniciais.
Dados da companhia farmacêutica Eli Lilly sugeriram que a nova droga, conhecida como solanezumab, pode interromper o avanço da demência em até um terço.
Atualmente a Medicina considera impossível interromper a morte de neurônios devido à doença.
Resultados mais completos são esperados para o próximo ano, mas acredita-se que o solanezumab possa aumentar a sobrevida dos pacientes de Alzheimer através de um ataque a proteínas deformadas que surgem no cérebro em decorrência da doença.

Novo acesso ao cérebro
Pela primeira vez médicos pesquisadores conseguiram transpor a camada de proteção do sistema nervoso central de modo que drogas que combatem o câncer pudessem chegar ao cérebro de forma adequada.
A camada que reveste o cérebro, conhecida como barreira hemato-encefálica normalmente previne infecções e toxinas de chegar ao sistema nervoso central.
A equipe canadense injetou minúsculas bolhas cheias de gás na corrente sanguínea de um paciente para realizar pequenas perfurações temporárias na barreira.
Após as perfurações, os pesquisadores aplicaram ondas de ultrassom através do crânio, fazendo com que as bolhas vibrassem, levando com elas medicamentos quimioterápicos.
A técnica poderia ser usada para diversos fins, entre eles tratamento oncológico, demência, e doença de Parkinson, mas mais estudos são necessários.

Outras notícias médicas que ganharam manchetes em 2015:
O primeiro bem-sucedido transplante de pênis foi realizado na África do Sul;
Crianças que têm animais de estimação têm menos chances de desenvolver asma;
Cientistas da Universidade do Oregon descobriram que todas as pessoas são envoltas por uma “nuvem” contendo milhões de bactérias de seu próprio organismo;
Elefantes possuem defesas aprimoradas contra o câncer que podem evitar a formação de tumores;
Um homem morreu devido à formação de tumores causada por vermes parasitas cancerígenos crescendo em seus próprios órgãos;
Cientistas descobriram que o corpo humano possui um “calendário químico” capaz de detectar as mudanças das estações do ano;
Pesquisadores recomendaram que todos os homens deveriam congelar esperma aos 18 anos pelos riscos de serem pais velhos;
Registros de DNA da antiguidade mostram que a peste tem sido uma ameaça à humanidade por muito mais tempo do que se pensava;
Cientistas dizem ter descoberto uma maneira de testar o quão bem ou mal o corpo está envelhecendo.