12.402 – Mega Conto – A Magia da Comunicação


comunicação

“Havia um cego que pedia esmola à entrada do Viaduto do Chá, em São Paulo. Todos os dias passava por ele, de manhã e à noite, um publicitário que deixava sempre alguns centavos no chapéu do pedinte. O cego trazia pendurado no pescoço um cartaz com a frase:
”Cego de nascimento. Uma esmola, por favor”.
Certa manhã, o publicitário teve uma idéia: virou o letreiro do cego ao contrário e escreveu outra frase. À noite, depois de um dia de trabalho, perguntou ao cego como é que tinha sido seu dia. O cego respondeu, muito contente:
– Até parece mentira, mas hoje foi um dia extraordinário! Todos que passavam por mim, deixavam alguma coisa. Afinal, o que é que o senhor escreveu no letreiro?
O publicitário havia escrito uma frase breve, mas com sentido e carga emotiva suficientes para convencer os que passavam a deixarem algo para o cego. A frase era:
“Em breve chegará a primavera e eu não poderei vê-la”.
Na maioria das vezes não importa O QUE você diz, mas COMO você diz.

12.401 – Japão aposta em pagamentos utilizando impressões digitais


biometria2
A medida que a tecnologia evolui, novas soluções são pensadas para substituir objetos que hoje são considerados essenciais. Ao que indica, os cartões e notas de dinheiro serão os próximos a ficarem para trás. Com olhos nos jogos olímpicos de Tóquio, em 2020, o governo japonês está investindo no pagamento de produtos utilizando impressões digitais.
A tecnologia já começou a ser testada e, se aprovada, irá permitir que qualquer pessoa realize compras sem a necessidade de carregar uma carteira lotada de notas. Bastaria, apenas, posicionar o dedo em um mecanismo de leitura.
Além de evitar o estresse das casas de câmbio, a inovação também garantiria mais segurança aos turistas que correriam menos riscos de serem assaltados. Também seria possível realizar saques de dinheiro em caixas eletrônicos utilizando apenas os dedos.
Para realizar o experimento de teste, o governo irá disponibilizar 300 scanners em centros comerciais populares do país. As máquinas serão distribuídas em locais como restaurantes, hotéis, lojas de souvenir e outros estabelecimentos.
Apesar de ser uma novidade por se tratar da escala em que está sendo aplicada, a tecnologia em si não é exatamente nova no Japão. Em outubro do ano passado, o parque Huis Ten Bosch, em Nagasaki, introduziu um sistema de pagamento semelhante e que também utilizava impressões digitais.