11.546 – Mega Memória – Conde von Zeppelin fez 1a. demonstração de um dirigível em 02-07-1900


O Dirigível da Goodyear
O Dirigível da Goodyear

Em um dia como hoje, no ano de 1900, o alemão e Conde Ferdinand von Zeppelin fez o voo inaugural do LZ-1, um dirigível, às margens do lago Constança, na Alemanha. Contudo, a experiência não foi das melhores já que o tecido que cobria a estrutura de alumínio do balão se rompeu no pouso. Contudo, o milionário não desistiu do seu plano e continuou tentando. Veja mais: Zepelim ultramoderno promete substituir aviões e trens de carga Em 1908, quando estava em situação financeira difícil, ganhou fama com o LZ-4, ao cruzar os Alpes, numa viagem de 12 horas sem escalas. A partir daí, seu negócio cresceu e seus dirigíveis se transformaram em orgulho nacional da Alemanha. Zeppelin instituiu a primeira companhia aérea, a Luftschiffbau-Zeppelin GmbH, em 1909, com uma frota de cinco dirigíveis. Durante a Primeira Guerra Mundial, os dirigíveis foram utilizados para bombardear Paris. Durante sua vida, Zeppelin construiu em torno de 100 dirigíveis.

11.545 – Estética – Nova técnica promete destruir gordura da barriga usando o congelamento


gordura congelada

Agora, a moda é o CoolSculpting®. O procedimento, que resfria as células a temperatura de – 7 ºC evita certas lesões na pele e músculos. Congelada, a gordura é convertida em triglicerídeos por meio dos glóbulos brancos do sangue.
Após metabolizada, a substância é eliminada naturalmente pelo corpo. Além disso, o processo recebeu aprovação por parte da Administração de Drogas e Alimentos dos Estados Unidos, órgão de validação de procedimentos estéticos. Tal procedimento “mágico” é capaz de remover de 20% a 25% de gordura da área tratada. E o melhor de tudo: sem esforços!
A sessão é realizada através de um pad com gel, colocado na área de gordura. Em seguida, a perda de temperatura é controlada por um aparelho denominado Zeltiq. Ao todo, são 17 máquinas e mais de 15 mil tratamentos foram finalizados no Centro de Cirurgia Plástica de Marina, na Califórnia.
Desde 2010, 1,5 milhão de sessões já foram feitas ao redor do mundo (cada uma custa de US$ 400 a US$ 1.800). O CoolSculpting® é uma adaptação semelhante ao resfriamento usado para o método de combate ao câncer.
De acordo com alguns médicos, ainda não é possível afirmar a eficácia do método e eliminação dos triglicerídeos. Contudo, a eliminação de gordura de forma simplificada vem, a cada dia, atraindo mais interessados em perder centímetros sem se submeter a processos complicados ou dolorosos – sem se importarem se isso, de fato, é apenas uma promessa mirabolante ou uma realidade científica.

11.544 – Nivolumab: medicamento promete ensinar o sistema imunológico a lutar contra as células cancerosas


Ele está sendo disponibilizado no Reino Unido e pode ganhar força em vários outros países. Administrado em forma de vacina a cada duas semanas, o fármaco nivolumab ensina o sistema imunitário do corpo a atacar, especificamente, as células cancerígenas.
As evidências mostram que o efeito continua por vários anos após o tratamento acabar. Especialistas consideraram a imunoterapia como a ‘nova era’ na luta contra o câncer. As primeiras experiências sugerem que ele é capaz de dobrar as taxas de sobrevivência nos acometidos pela doença.
Na Inglaterra, a partir de hoje, os médicos irão oferecer nivolumab gratuito para pacientes com câncer de pulmão avançado, àqueles quais a cirurgia não é uma opção segura. Os custos serão pagos pelo fabricante, Bristol-Myers Squibb.
A terapia difere da quimioterapia e da radioterapia, que matam todas as células, incluindo as saudáveis. Isto significa que existem menos efeitos colaterais debilitantes, tais como fadiga, doenças secundárias, perda de cabelo e de infecções causadas por células saudáveis ​​sendo destruídas. Alguns pacientes com câncer de pele previamente diagnosticados como terminal, foram capazes de retornar ao trabalho após a imunoterapia. Eles só precisam tomar doses de poucos em poucos meses.
O câncer de pulmão é uma das formas mais mortais da doença. Apenas 5% dos pacientes ainda estão vivos 10 anos após o diagnóstico. É também o segundo tipo mais comum, perdendo apenas para o câncer de mama em mulheres e câncer de próstata em homens, com 43 mil novos casos por ano. Nivolumab é o terceiro tratamento disponibilizado através do acesso antecipado ao Sistema de Medicamentos do Reino Unido, ignorando a burocracia que pode durar até uma década.
Os fabricantes apresentam dados sobre novas drogas para especialistas da Agência Reguladora de Avaliação de Medicamento e Produtos de Saúde. Se o especialista for convencido de que o tratamento pode ser benéfico, sem causar danos, ele é disponibilizado aos pacientes. Os custos são cobertos pelo fabricante, até que a droga seja formalmente licenciada da maneira usual. O esquema significa que os pacientes são efetivamente cobaias, testando novas drogas e possíveis efeitos colaterais, mas o governo espera que isso possa salvar centenas de vidas.
“O parecer científico positivo de nivolumab oferece uma esperança real para aqueles que mais precisam dela. Espero que ele seja apenas um dos muitos medicamentos que serão disponibilizados”, disse George Freeman, Ministro de Ciências Médicas.
Um estudo envolvendo 272 pacientes constatou que 42% dos que tomaram nivolumab continuaram vivos um ano a mais em comparação com apenas 24% dos que passavam por quimioterapia. Algumas das pessoas sobre o efeito da droga ainda estão vivos, dois anos depois.
É pouco, mas pode melhorar.

11.543 – Jetpack: Primeira mochila a jato comercial do mundo estará à venda em breve


mochila voadora
O Martin Jetpack tem sido desenvolvido ao longo dos últimos 35 anos e vai custar cerca de R$ 470 mil reais.
O veículo sempre foi o sonho do então estudante universitário, Glenn Martin. Testes realizados na Nova Zelândia do protótipo inicial, em 2011, conseguiram fazer o jetpack tripulado voar com sucesso pelo menos 1.000 metros do chão antes de aterrissar de paraquedas.
A versão melhorada, cahamada P12, estava em exposição na Paris Airshow – juntamente com um simulador que permitia ao público experimentar o Jetpack. Ele roda em um motor a gasolina de 200 cavalos de potência V4 que impulsiona duas ventoinhas de dutos e pode voar por mais de 30 minutos a até 74 quilômetros por hora, superando 1.000 metros de altitude. Ele pode transportar uma carga comercial de até 120 kg.
Peter Coker, chefe-executivo da Martin, diz que, embora o Jetpack possa interessar a aventureiros ricos, ele é direcionado principalmente para a equipe de emergência de busca e missões de resgate. “Eu acho que os socorristas vão ver isso como uma grande melhoria para a sua capacidade. Então, por exemplo, nos serviços de bombeiros para observação situacional, talvez por resgates aquáticos ou até mesmo busca e salvamento em praias, poderia ser útil. Naturalmente, também serve para o serviço de ambulância chegar a um ponto de importância para resgatar as pessoas no menor tempo possível. Portanto, há uma série de usos dentro deste segmento”, disse em entrevista à Reuters.
A empresa diz que o Jetpack, que usa o mecanismo Vertical Take-off and Landing (VTOL) – decolagem e pouso vertical -, pode pousar nos telhados cobertos com antenas e fios, e voar em áreas bem confinadas, tornando-se uma alternativa prática para os helicópteros tradicionais.
De acordo com Coker, o Jetpack tem um módulo estrutural para o piloto que o protege em caso de acidente e paraquedas balístico.
As primeiras entregas do jato estão programadas para o segundo semestre de 2016.

11.542 – Cogumelo contra a Obesidade


cogumelo2
Comumente conhecido como reishi, o Ganoderma lucidum é um cogumelo amargo, usado na medicina chinesa para aumentar a longevidade e melhorar a saúde.
Usuários afirmam que estes fungos, utilizados apenas para fins medicinais, podem curar e combater alergias, doenças hepáticas, problemas pulmonares, diabetes, câncer e doenças cardíacas. Agora, um novo estudo descobriu que o cogumelo reduz o peso corporal, inflamação e resistência à insulina em ratos com uma dieta rica em gordura.
Pesquisadores da Universidade Chang Gung, de Taiwan, esperam que o Ganoderma lucidum possa ser a base de um novo tratamento contra a obesidade. “O nosso estudo mostra que G. lucidum previne a obesidade induzida pela dieta e alivia a inflamação através da modulação da composição da flora intestinal, mantendo a integridade do intestino”, disseram.
Para aprofundar o estudo nestes fungos, que tem sido utilizados durante séculos, na China, para tratamentos de saúde e longevidade, os pesquisadores deram um extrato do cogumelo para ratos, com uma dieta rica em gordura. Os resultados apareceram nos primeiros dois meses de experimento.
“O extrato do cogumelo pode ser utilizado como pré-antibiótico para reduzir o ganho de peso corporal, inflamação crônica e resistência à insulina (diabetes tipo 2) em indivíduos obesos”, observaram os pesquisadores. Os cientistas descobriram que o cogumelo alterou as bactérias no intestino, trazendo benefícios para a saúde.
Um estudo passado descobriu que a microbiota intestinal – trilhões de bactérias no intestino que regulam os níveis de nutrientes e energia – estão associados com a obesidade.
Atualmente, as taxas elevadas de obesidade são consideradas uma das principais ameaças à saúde pública, com 500 milhões de pessoas obesas e 1,4 bilhão de indivíduos com excesso de peso em todo o mundo.
Dezenas de estudos relacionaram a obesidade, tanto em níveis menores quanto maiores, com a resistência à insulina, prevalência a diabetes tipo 2, doença do fígado, doença cardiovascular, apneia obstrutiva do sono e vários tipos de câncer.

11.541 – História – Revelados segredos escondidos no mapa que guiou Colombo à América


mapa-martellus-noticias-history-channel

Um mapa do mundo produzido em 1491, que teria sido usado por Cristóvão Colombo, escondeu durante cinco séculos mensagens secretas que o teriam ajudado em sua circum-navegação pelo globo terrestre e na chegada à América. A descoberta foi feita recentemente pelo uso imagens multiespectrais que revelaram detalhes ocultos do mapa, incluindo numerosas descrições latinas de regiões e pessoas.
O antigo mapa foi feito por Henricus Martellus, também conhecido como Heinrich Hammer, um cartógrafo alemão que viveu em Florença de 1480 a 1496. Em seu trabalho, Martellus mostrou a existência de uma passagem para o Oceano Índico pela África, deu detalhes da costa da africana e incluiu o continente que era chamado de Malásia.
Suas fontes de pesquisas foram variadas, entre ela relatos e documentos trazidos por Marco Polo, textos do estudioso grego Cláudio Ptolomeu (do século 2 d.C) e relatos de nativos africanos. No entanto, Martellus errou completamente na localização do Japão, posicionado a 1,6 mil quilômetros da costa asiática. Isso deve ter feito Colombo acreditar que tinha chegado ao território japonês quando, na realidade, havia atingido as Bahamas, chegando à América. O novo continente apareceu em um mapa pela primeira vez em 1507, no trabalho de Martin Waldseemüller, um dos muitos cartógrafos influenciados por Martellus.
O mapa de 1491 está no Beinecke Rare Book & Manuscript Library, nos EUA, e foi analisado por um grupo de especialistas que usaram 12 cores refletivas para revelar o conteúdo escondido e um software de alta tecnologia. De acordo com o professor Roger Easton do Centro de Imagem Científica Chester F. Carlson do Instituto Rochester de Tecnologia, novas descobertas ainda serão feitas, já que até cerca de 80% por cento do texto do mapa foi revelado.

11.540 – Neurologia – Fim da dor?


dor
Embora não seja possível erradicar as causas externas que causam a dor física, talvez seja possível, sim, evitar que se sinta a dor… E de que forma? Por exemplo, bloqueando os sinais de dor antes que eles cheguem ao cérebro, onde é produzida essa sensação. E um grupo de cientistas suecos, conforme publicado na revista Medical Express, afirma ter desenvolvido um dispositivo capaz de realizar esse processo.
Trata-se de uma “bomba de íons”, tal como a chamam seus criadores, semelhante a um marca-passo, que é colocada em uma área específica do corpo, suprimindo a dor através de sinais químicos. Segundo eles, o implante não causa nenhum tipo de problema ou dano à saúde do usuário.
Se sua eficácia for comprovada, esse dispositivo poderá ter um efeito revolucionário na medicina. Por enquanto ele foi testado apenas de forma experimental, mas com resultados animadores. O implante foi realizado na medula óssea de ratos de laboratório, eliminando por completo a sensação de dor nos animais. Também foi comprovada a inexistência de efeitos adversos nos roedores. Dessa forma, a incrível possibilidade de acabar com a dor física estaria próxima da realidade.

11.539 – Astronáutica – Cargueiro privado explode rumo à Estação Espacial Internacional


explosão cargueiro
O voo fazia parte do programa de transporte de carga comercial promovido pela Nasa, agência espacial americana, em parceria com empresas. A bordo do Falcon 9 estava o cargueiro Dragon, em sua sétima missão ao complexo orbital. Ainda não está claro o que levou à falha.
Foi o décimo-nono lançamento do Falcon 9, e o primeiro a sofrer uma falha catastrófica.
O veículo se desintegrou e deixou de transmitir dados de telemetria ainda durante a queima do primeiro estágio, viajando a pouco mais de 4.700 km/h. “O Falcon 9 experimentou um problema pouco antes do desligamento do primeiro estágio”, escreveu Elon Musk, o quase lendário dono da SpaceX, em sua conta no Twitter. “Daremos mais informações assim que revisarmos os dados.”
Apesar disso, o problema parece ter acontecido no segundo estágio do foguete. “Houve um evento de superpressurização no tanque de oxigênio líquido do estágio superior”, escreveu Musk. “Isso é tudo que podemos dizer com confiança agora. Teremos mais a dizer após uma análise completa da árvore de falhas.”
O acidente com certeza trará problemas logísticos para a estação espacial, uma vez que trata-se do segundo cargueiro seguido que não consegue chegar lá. O primeiro foi o russo Progress, que entrou em órbita, mas fora de controle, e acabou se desintegrando ao reentrar na atmosfera da Terra, no fim de abril. No momento, o complexo orbital está habitado somente por três tripulantes, o que reduz problemas em termos de suprimentos.
Além disso, a perda do Falcon 9 projeta uma poderosa sombra sobre o programa americano de transporte comercial de carga. Em outubro do ano passado, outro cargueiro que fazia parte do programa, o Cygnus, também foi perdido após a explosão do foguete Antares que o levaria ao espaço. Cygnus e Dragon, das empresas Orbital e SpaceX, eram os únicos participantes do programa — e agora os dois estão no chão após acidentes.
O problema também deve reverberar no programa tripulado comercial da Nasa. A SpaceX pretendia lançar astronautas ao espaço numa versão mais sofisticada da Dragon, acoplada ao foguete Falcon 9, a partir de 2017. A concorrente Boeing, que também participa do programa tripulado, ganha uma dianteira significativa a partir de agora.