10.758 – Resistência Bacteriana – Exame rápido diminui uso desnecessário de antibiótico


Informações na bula
Informações na bula

Segundo o estudo realizado por cientistas da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, os médicos geralmente não têm nenhuma maneira imediata de saber se o paciente está com uma infecção bacteriana ou viral. Na dúvida, receitam o antibiótico.
O uso desnecessário do medicamento pode criar bactérias resistência às drogas disponíveis no mercado. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já considerou o problema uma realidade na saúde pública global e diversos pesquisadores pensam na possibilidade da existência de uma era pós-antibiótico.
“Os nossos resultados sugerem que a prescrição de antibióticos em pacientes com infecções respiratórias agudas poderia ser reduzida com a realização de testes de biomarcadores de bactérias”, diz Rune Aabenhus, coautor do estudo e pesquisador da Universidade de Copenhague.
Os pesquisadores analisaram seis estudos que verificaram se o exame que mede o nível da proteína C reativa, marcador que indica se o corpo passa por algum processo inflamatório, é eficaz para identificar uma infecção bacteriana. Atualmente, esse é o único método rápido que poderia ajudar os médicos na prescrição adequada de antibióticos — o resultado sai em até 3 minutos.
Os estudos envolveram 3 284 pacientes adultos. Ao todo, 1 685 realizaram o teste da proteína C reativa, sendo que em 631 casos os antibióticos foram receitados. Entre os 1 599 pacientes que não fizeram o teste, 785 receberam prescrição de antibióticos. Assim, os pesquisadores constataram que a utilização de antibiótico foi 22% menor no grupo que se submeteu ao teste.

10.757 – Minerais Perigosos – Galena (PbS)


galena

É a nossa fonte de chumbo. Os romanos usavam chumbo em tudo, desde tubos e tintas a utensílios domésticos. E nós ainda podemos contar com ele hoje: o chumbo é frequentemente encontrado em pilhas e projéteis, blindagem de alta energia (como cobertores de raios-X e caixas de reatores nucleares), e anteriormente eram usados como um aditivo para tintas e gasolina e como uma solução de armazenamento de produtos químicos corrosivos. Mas, gente, é chumbo.
Não é tão ruim quanto o mercúrio, que irá matá-lo imediatamente, mas o chumbo também não é liberado para fora do seu organismo. Ele se acumula ao longo dos anos, e acaba atingindo níveis tóxicos. Quando isso acontece, você paga um preço bem alto, já que a toxicidade do chumbo é cancerígena e pode acabar causando defeitos congênitos graves até a seus filhos.

10.756 – Biologia – Paradoxo de Peto


paradoxo

Baleias são muito maiores do que nós, não é? Isso significa que elas também têm muito mais células em seus corpos. Então, se cada célula do corpo tem potencial para se tornar cancerosa, baleias têm uma chance muito maior de ter câncer do que nós seres humanos, certo? Errado.
O Paradoxo de Peto, em homenagem ao professor de Oxford Richard Peto, afirma que a correlação esperada entre tamanho do animal e da prevalência do câncer é inexistente. Os seres humanos e as baleias beluga compartilham uma chance relativamente semelhante de ter câncer, enquanto que certas raças de pequeno ratos têm uma chance muito maior. Para alguns biólogos, essa falta de correlação apresentada no paradoxo vem de mecanismos de supressão de tumores em animais de maior porte. Estes supressores justamente trabalham para evitar a mutação de células durante o processo de divisão.