10.351 – Novela “Boogie Oogie” – Teledramaturgia com trilha sonora “Disco”


Pelo menos de trilha sonora, a próxima novela das 6 da Globo está bem servida. Uma produção de época, do ano de 1978, explosão da era disco.
Com estreia marcada para o dia 4 de agosto no lugar de Meu Pedacinho de Chão na Rede Globo, a novela Boogie Oogie, escrita por Rui Vilhena, sob a direção de Gustavo Fernandez e Ricardo Waddington, apostará na tragicomédia como gênero e na inversão dos valores da protagonista e da vilã da história. Anos depois após trocar dois bebês na maternidade para se vingar do amante Fernando (Marco Ricca), que desistiu de se divorciar da esposa Carlota (Giulia Gam) por causa de uma das crianças, a garçonete Susana (Alessandra Negrini) vai se revelar como uma das protagonistas da trama e não a grande vilã, como aparentava, ao passo que a rival, a vítima, demonstrará o contrário.

10.350 – Mega Fight – Como surgiu o tae kwon do?


A origem deste esporte milenar está ligada à história da Coreia. No século 1 a.C., a península coreana era ocupada por três reinos rivais: Goguryeo, ao norte, Silla, no sudeste, e Baekje, a oeste. Para ensinar os jovens de Goguryeo a lutar sem armas, foram criadas técnicas como o taekkyeon. Além de usar os pés com rapidez e precisão, os alunos eram instruídos em história, filosofia e esportes a cavalo. Ao longo do processo de fusão dos três países, finalizado no século 7, os moradores de Silla acrescentaram à arte marcial o uso das mãos como defesa. Surgia assim o tae kwon do, que significa “caminho dos pés e das mãos”. Com o início da Guerra da Coreia, nos anos 50, o governo do sul reorganizou a luta e deu a ela sua versão moderna, que seria transformada em esporte olímpico nos Jogos de Sydney, em 2000.

10.349 – Esporte – Como surgiu o caratê?


-Chuck_Norris-_01

O mais provável é que a luta tenha sido criada na China, com o nome de to-de, e tenha um ancestral comum com o wushu (ou kung fu). Mas foi no Japão do século 15, mais especificamente na ilha de Okinawa, que a arte marcial foi sistematizada. O nome completo, caratê-do, significa “caminho das mãos vazias”. Outros dizem que o caratê é o “zen em movimento”, por causa da influência do zen-budismo em sua concepção. Mais do que derrotar o oponente, o caratê valoriza a busca pelo equilíbrio corporal e espiritual – daí a grande importância do kata, rotina de golpes coreografados que rola à parte das disputas corpo a corpo. No fim do século 19, o estilo se espalhou de Okinawa para o resto do Japão e, dali, com a imigração, alcançou o mundo.
Vários atores de ação se destacam como caratecas. Jean-Claude van Damme luta desde os 11 anos e foi campeão mundial. O imbatível Chuck Norris foi campeão nacional por sete vezes nos EUA.
Em escolas tradicionais, o aluno não vai para a aula sem recitar o kun: uma listinha de cinco preceitos – todos envolvendo autocontrole – criada por Tode Sakugawa no século 18.
Pat Morita, que interpretou o velhinho Miyagi em Karate Kid, nunca praticou caratê. O ator era um comediante que não manjava nada de artes marciais.
Os estilos mais conhecidos de caratê são: Shotokan, Shorin-ryu, Gojuryu, Uechi-ryu e Shito-ryu.
ANKÖ ITOSU
(1831 – 1915) Modernizou a luta, unificando diferentes estilos – ambição de seu mestre Sokon Matsumura (1809-1899). Itosu codificou os golpes e movimentos, redigiu os dez princípios da luta e deu aulas a mestres lendários como Kentsu Yabu (1866-1937), Kenwa Mabuni (1887- 1952) e vários outros, que fundaram escolas existentes até hoje.

10.348 – Curiosidades – Como funciona o zíper?


Os dois lados do zíper têm ganchos que se encaixam para fechar ou abrir. Essa invenção aparentemente banal trouxe grande avanço para a humanidade. Desde que foi criado, ficou muito mais fácil fechar calças, vestidos ou malas. Antes dele, qualquer peça de vestuário precisava de uma fileira de botões para fechar e se ajustar ao corpo. A ideia de um dispositivo deslizante que servisse para unir lados de roupas e outros objetos, como malas, calçados e barracas, surgiu em 1893, durante a Exposição Mundial de Chicago, nos Estados Unidos. O “avô” dos zíperes modernos saiu da cabeça do engenheiro americano Whitcomb Judson e era formado por um conjunto de ganchos, que se fixavam em argolas. O modelo atual, com trilhos opostos formados por dentes com ganchos que se acoplam uns aos outros, foi criado apenas em 1912, pelo engenheiro elétrico sueco Gideon Sundback, mas o nome zíper só veio em 1923, para designar o fecho deslizante de uma galocha de borracha chamada Zipper Boots, criada pela empresa americana BFGoodrich.
O zíper é composto de dois trilhos opostos, cada um deles formado por dezenas de dentes presos a uma fita ou tecido, e um cursor em formato de cunha, similar à letra Y. Esse formato é essencial para o fechamento e a abertura do zíper.
Cada dente é formado por um gancho e um espaço vazio. Quando o zíper é fechado, os ganchos dos dentes de um trilho se encaixam no espaço vazio dos dentes do trilho oposto. Para que o zíper funcione bem, cada dente precisa ter o mesmo tamanho e formato.
O encaixe tem uma ajudinha do cursor. Quando o puxamos para cima, fechando o zíper, os dois trilhos entram no cursor por duas canaletas e são pressionados um contra o outro, fazendo com que o gancho de um dente se agarre ao espaço vazio do dente oposto
Uma vez fechado, o zíper permanece com os dentes entrelaçados formando uma sólida ligação. Para abri-lo, puxamos o cursor para baixo, e sua cunha vai desencaixando os dentes seguidamente, forçando a separação de um trilho do outro.