9719 – Os Quadrinhos invadem o Cinema


h de aço

O Pioneiro
Em 1978, Richard Donner inaugurou a era das grandes adaptações de HQs. Superman revelou Christopher Reeve e contou com Marlon Brando, que ganhou US$ 3,7 milhões, maior cachê do cinema até então. A quinta parte da série saiu em 2006.

BATMAN
Ele estreou no cinema nos anos 60. Só voltou na virada dos 80 para os 90, ganhando um tom lúgubre. Em seguida, naufragou em fiascos com uniformes de mamilos salientes. E voltou em 2005, na mais bem-sucedida fase do herói.

OS MUTANTES
As adaptações de X-Men tiveram muita liberdade criativa, com direito a modernização de uniformes e histórias. A “primeira classe”, tratada no último filme, por exemplo, não tem os mesmos personagens das HQs originais.

QUARTETO FRACASSO
Um estúdio alemão rodou Quarteto Fantástico às pressas em 1994. Não chegou à telona, mas o filme virou relíquia. Os heróis só iriam para o cinema em 2005.

Poster do filme
Poster do filme

MAIORES NO CINEMA
Antes de virar filme, Homens de Preto era história em quadrinhos. Ela foi publicada em 1990 e era bem diferente do longa, com um tom mais sério. Assim como a HQ do Máscara dos anos 80, em que o personagem era sádico, parecido com o Coringa.

maskara01

9718 – Geografia do Brasil – Fernando de Noronha


Baía dos Porcos
Baía dos Porcos

É um arquipélago pertencente ao estado brasileiro de Pernambuco, formado por 21 ilhas, ocupando uma área de 26 km², situado no Oceano Atlântico, a nordeste da capital pernambucana, Recife. Constitui um Distrito estadual de Pernambuco desde 1988, quando deixou de ser um território federal, cuja sigla era FN, e a capital era Vila dos Remédios. É gerida por um administrador-geral designado pelo governo do estado. A ilha principal tem 17,017 km² e fica a 543 km da capital pernambucana.

Após uma campanha liderada pelo ambientalista gaúcho José Truda Palazzo Jr., em 14 de outubro de 1988 a maior parte do arquipélago foi declarada Parque Nacional, com cerca de 11,270 ha,6 para a proteção das espécies endêmicas lá existentes e da área de concentração dos golfinhos rotadores (Stenella longirostris), que se reúnem diariamente na Baía dos Golfinhos – o lugar de observação mais regular da espécie em todo o planeta. O centro comercial em Noronha é Vila dos Remédios, mas não é considerada capital por ser a ilha um distrito estadual. A administração do parque nacional está atualmente a cargo do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).
O arquipélago foi invadido algumas vezes, nomeadamente em 1534 por ingleses, de 1556 até 1612 por franceses, em 1628 e 1635 pelos holandeses, voltando ao controle português em 1700, para ser novamente conquistada pelos franceses em 1736 e definitivamente ocupada pelos portugueses em 1737.
Nas divisões territoriais do Brasil datadas de 31 de dezembro de 1926 e 21 de dezembro de 1937, Fernando de Noronha aparece como distrito de Recife.
O Território Federal de Fernando de Noronha foi criado em 9 de fevereiro de 1942, pelo decreto-lei federal, de nº 4102, desmembrado do estado de Pernambuco. A entidade administrativa durou 46 anos, sendo extinta em 5 de outubro de 1988 e reincorporada ao seu estado de origem. A capital do território era Vila dos Remédios.

Fernando_de_Noronha_-_Pernambuco_-_Brasil(5)

Do Inferno ao Paraíso
Antes de se tornar o paraíso turístico e ecológico dos dias atuais, o arquipélago foi local de detenção de condenados enviados a cumprir pena no presídio ali existente, que funcionou de 1737 a 1942, sendo que de 1938 em diante apenas para presos políticos do Estado Novo.
Reportagem da revista O Cruzeiro, de 2 de agosto de 1930, descreve o presídio como fantasma infernal para esses proscritos da sociedade, que viviam completamente alheios ao que se passava no resto mundo, apesar de o Governo proporcionar aos presos uma vida saudável de trabalho e de conforto.
O clima da ilha é o Tropical, do tipo As’, quente o ano todo, com chuvas concentradas entre fevereiro e julho. O clima da ilha possui uma amplitude térmica muito pequena, característica da região da linha do Equador. Nela foi registrada a menor amplitude térmica do mundo entre os anos 1912 – 1966, com mínima absoluta de 18.6°C e máxima de 30.2°C.

O Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha é uma unidade de conservação de proteção integral administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio. Criado em 1988, ocupa a maior parte do arquipélago e possui uma variedade de fauna e flora únicas. Ótimo local para turismo, porém, devido à fiscalização do ICMBio, algumas das ilhas têm a visitação controlada.
O Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha é uma unidade de conservação de proteção integral administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio. Criado em 1988, ocupa a maior parte do arquipélago e possui uma variedade de fauna e flora únicas. Ótimo local para turismo, porém, devido à fiscalização do ICMBio, algumas das ilhas têm a visitação controlada.
Outra espécie invasiva é o lagarto localmente conhecido como teiú, originalmente introduzido para tentar controlar uma infestação de ratos. A ideia não funcionou, uma vez que os ratos são noturnos e o teju diurno. Atualmente o lagarto passou a ser considerado praga em vez dos ratos.

No arquipélago existe apenas uma única agência bancária do Banco Santander e um Banco Postal (BB) na agência dos Correios na Vila dos Remédios.
Fernando de Noronha é um local de mergulho recreativo de nível internacional. Com águas quentes ao seu redor, mergulhos a profundidade de 30 a 40 metros podem ser feitos agradavelmente sem necessidade de usar roupa de neoprene.
Próximo à ilha existe a possibilidade de se fazer um mergulho avançado e visitar a Corveta Ipiranga, que repousa a 62 metros de profundidade, depois de ser afundada naquele ponto intencionalmente, após um acidente de navegação.
A ilha conta com três operadoras de mergulho, oferecendo diferentes níveis de qualidade de serviço.
Além disso, o arquipélago conta com interessantes pontos de mergulho livre, como a piscina natural do Atalaia, o naufrágio do Porto de Santo Antônio, a laje do Boldró, dentre outros.
O arquipélago possui diversificada vida marinha, sendo comum observar diversas espécies de peixes recifais, tartarugas e eventualmente tubarões e golfinhos.

9717 – Sandra, Regina e Madonna, as 3 mosqueteiras da Dance nos anos 80.


Qualquer semelhança na voz não é mera coincidência.
Em 1986, a cantora Madonna fazia um estrondoso sucesso e alguns produtores tentaram seguir o seu estilo usando cantoras com vozes semelhantes, a exemplo do que se havia tentado fazer com Michael Jackson. A tentativa resultou em 2 mega clássicos, Maria Magdalena e Baby Love.
Ouça e compare as 3 mosqueteiras dance dos anos 80:

Madonna:

Sandra:

Regina:

9716 – ☻Mega Byte – Steve Jobs, o homem que assassinou os nerds


Steve Jobs tinha 12 anos e um problema: queria montar um frequenciômetro – aparelho essencial quando você precisa construir seu próprio circuito em casa. O menino não tinha todas as peças que precisava, então decidiu telefonar para alguém que certamente teria: Bill Hewlett, dono da HP. Era a maior empresa da região onde Jobs morava, naquele ano de 1967. Graças à Hewlett-Packard, aliás, aquele lugar na Califórnia, nos arredores de San Francisco, acabaria conhecido como Vale do Silício.
Jobs pegou a lista telefônica, encontrou um “William Hewlett” ali e ligou. O fundador do Vale do Silício e o jovem Da Vinci conversaram por 20 minutos. Jobs conseguiu o que precisava para montar seu frequenciômetro. E não parou mais. Alguns anos depois, conheceu sua cara-metade, outro jovem que sabia tudo de frequenciômetros, osciloscópios e circuitos integrados: Steve Wozniack. Juntos eles criaram um aparelho que enganava os computadores das companhias telefônicas e fazia ligações para qualquer lugar do planeta de graça. Uma vez ligaram para o Vaticano – Wozniak se apresentou como Henry Kissinger e pediu para falar com o papa (Paulo VI não atendeu).
Entre um trote e outro, os dois tiveram contato com o primeiro computador pessoal da história, o Altair 8800. Era basicamente uma supercalculadora, vendida na forma de kit para montar. Jobs e Woz gostaram tanto que resolveram fazer sua própria versão do aparelho e pôr para vender. Desenvolveram um protótipo no quarto de Jobs mesmo e, em 1976, deram a ele o nome de Apple I. Esse primeiro Apple, por sinal, também vinha na forma de kit e não contava com certos luxos, como uma tomada, muito menos teclado, monitor ou gabinete. Era só placamãe,memória… A circuitaria pelada, que eles vendiam por US$ 666,66 (devem ter ficado bravos com o fora do papa…).
Enquanto isso, em Albuquerque, Novo México, outro fã do Altair 8800 montava sua própria empresa: a Microsoft. Bill Gates nunca construiria sua própria máquina, ficaria só nos softwares (e ninguém pode dizer que foi uma má decisão).
Jobs, por outro lado, não esperou nem um ano para lançar o Apple II – desta vez um computador completo.

E no final dos anos 80 a coisa explodiu. Os computadores não eram mais exclusividade de empresas e centros de pesquisa. As letras verdes sobre as telas pretas estavam em todo lugar. E a cultura nerd também. Ser bitolado agora era algo bacana. Até porque Jobs e Gates viraram magnatas antes dos 30. Passar o dia enfurnado escrevendo software e montando circuitos, então, não deveria ser de todo ruim…

rbf2_77

O cinema refletiu bem a onda. Em Jogos de Guerra (1983), Matthew Broderick invade o sistema do Pentágono e quase começa a Terceira Guerra Mundial. Em Mulher Nota 1000 (1985), dois nerds escaneiam páginas da Playboy para criar a garota ideal. Os computadores ainda eram basicamente um equipamento para rodar planilhas de cálculo. Mas, na mitologia urbana da época, alguém nerd o bastante poderia mudar o mundo com aquelas máquinas de 1 MHz e 4 K de RAM.
Siglas assim, até então alienígenas, começavam a entrar no dia a dia. Aprender a operar um Apple II ou um IBM PC era algo que exigia dedicação, mas todo mundo achava natural. Fazia parte do processo de incorporar aquelas máquinas tão complexas que pareciam ter vindo do espaço. E, quanto mais conhecimento técnico você tivesse, mais essas máquinas do espaço fariam por você. Aqueles eram tempos nerds. Não os nossos. Hoje a cultura nerd está morta.
O nerdicídio começou ainda em 1984, quando ele lançou o Macintosh. Era o primeiro computador que qualquer criança podia usar. Ainda assim a cultura nerd continuaria firme: memória RAM e velocidade de processador continuaram sendo assunto de mesa de bar por duas décadas mais. Agora acabou. Você tem ideia de qual é a memória RAM do seu “espertofone”? Pouca gente sabe. E não sabe porque isso deixou de ser importante. A gente não tem como trocar a memória do iPhone ou do iPad para que ele fique mais rápido. A destreza com eletrônicos também não faz mais diferença nenhuma… iPhone e iPad tornaram a nerdice menos necessária.

9715 – Inventos – Miniairbag evita danos ao celular


O dispositivo, que foi inventado pelo dono da livraria virtual Amazon (e ainda não tem previsão de chegada ao mercado), usa os sensores de movimento do smartphone para detectar uma eventual queda – e aí acionar, em frações de segundo, um conjunto de pequenos airbags e molas que protegem a tela e o corpo do aparelho.
Se o telefone estiver caindo de frente, erguem-se pequenas molas ao redor da tela – para que ela nem sequer toque o chão.
Se o telefone estiver caindo de costas, 6 microairbags se inflam para reduzir o impacto sobre o aparelho.

Nota: Interessante, mas pelo visto,este invento não vai colar.

9714 – Megacurtíssimas – Bebês ouvem sons enquanto dormem


Um recém-nascido chega a dormir 18 horas por dia. Só que continua ligado – e ouvindo tudo o que está sendo dito à sua volta. Cientistas da King’s College, em Londres, monitoraram o cérebro de 21 bebês de 3 a 7 meses de idade enquanto eles dormiam, e chegaram a uma conclusão surpreendente: o cérebro dos bebês adormecidos capta e processa os ruídos externos, e é inclusive capaz de diferenciar entre sons positivos (como risos) e negativos (como discussões). Os pesquisadores ainda não sabem dizer por que isso acontece.

9713 – Nutrição – Macarrão é o prato preferido no mundo todo


macarrão

No mundo:
1º Macarrão
2º Carne
3º Arroz
4º Pizza
5º Frango

No Brasil:
1º Lasanha – 20,4%
2º Arroz – 19,4%
3º Macarrão – 12,9%
4º Feijoada – 4,9%
5º Pizza – 4,6%
6º Churrasco – 4,5%
7º Frango – 4,3%
8º Peixe – 2,6%
11º Comida japonesa – 2,1%
14º Salada – 1,2%

Em alguns países:
EUA
1º Pizza – 15,2%
2º Bife – 8,2%
3º Frango – 7,5%
4º Comida Mexicana – 5,3%

Espanha
1º Paella – 11,8%
2º Macarrão – 10,6%
3º Arroz – 6,8%
4º Pizza – 4,2%
Alemanha
1º Macarrão – 12,1%
2º Pizza – 6,2%
3º Vegetais – 3,8%
4º Schnitzel* – 3,7%

Rússia
1º Carne – 13%
2º Batata – 6,2%
3º Salada – 5,4%
4º Borscht* – 4,7%

Austrália
1º Chocolate – 8,9%
2º Macarrão – 7,2%
3º Bife – 5,1%
4º Frutos do mar – 4,9%

Gana
1º Fufu* – 28,2%
2º Arroz – 25,8%
3º Banku* – 18,7%
4º Tuo-zaafi* – 6,9%

* Schnitzel: carne empanada; Borscht: sopa de beterraba; Fufu: massa de vegetais; Banku: massa de milho; Tuo-zaafi: bolo de arroz.

9712 – Comportamento – Pessoas bonitas são mais egoístas (?)


Vários estudos já constataram que as pessoas bonitas vivem mais e ganham melhores salários do que as feias. Mas uma nova experiência, elaborada pelas universidades de Barcelona, Madri e Edinburgo, revelou um efeito indesejável na beleza: as pessoas atraentes têm menos consideração com as outras e colocam seus interesses em primeiro lugar. Em suma, são mais egoístas.
Os pesquisadores reuniram um grupo de 160 homens e mulheres da Espanha e do Reino Unido, com vários graus de beleza. Esses voluntários foram divididos em duplas para jogar um jogo muito simples: uma pessoa precisava decidir se cooperava ou não com a outra. Havendo cooperação, cada uma ganhava 90 pontos. Se uma delas não quisesse cooperar, levava 160 pontos – e a outra ficava com apenas 20. Já se ambas fossem egoístas, cada uma ganhava 30 pontos. Os voluntários também tiveram o rosto analisado por um software que mede a simetria facial (quanto mais simetria, mais beleza).
Resultado? As pessoas atraentes cooperaram em apenas 45,1% dos casos – contra 67,3% das médias ou feias. “Os indivíduos com rosto mais simétrico sofrem menos rejeição. Por isso, ao longo da evolução, eles se tornaram mais autossuficientes e menos propensos a cooperar”, diz o estudo, que foi conduzido pelo biólogo Enrique Turiegano. Isso não significa, claro, que uma pessoa bela seja automaticamente má. Mas, se você é bonito por fora, cuide também da sua outra beleza – a interior.

9711 – Energia – Prepare o bolso e o gerador…- Preço da energia dispara e previsão é de calamidade para o ano


Montagem dos aerogeradores, clic para ampliar
Montagem dos aerogeradores, clic para ampliar

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) divulgou em 31-01-2014, que o preço de referência usado pelo mercado livre de energia elétrica para a próxima semana. O valor passou de 476 reais por megawatt-hora (MWh) para 822,83 reais a partir de segunda-feira. O salto só não foi maior porque a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) fixou para o ano este teto. Nos cálculos da CCEE, o valor real do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), que é a taxa usada como referência nos contratos de energia do mercado livre, seria de 1063,69 reais por MWh para o Sudeste, região responsável por 70% do fornecimento de energia do país. Trata-se do maior patamar da história, superando até mesmo as épocas de racionamento de energia.
Essa elevação inédita significa que o mercado está apostando em um quadro nada otimista para o setor elétrico em 2014 — que beira a calamidade, mesmo com os reservatórios de água das usinas hidrelétricas acima dos níveis registrados em janeiro do ano passado. O cálculo do PLD é feito com base em projeções que levam em conta o cenário atual de abastecimento. Tal alta reflete, segundo especialistas ouvidos pelo site de VEJA, fatores climáticos, o aumento da demanda e a falta de planejamento da Empresa de Pesquisa Energética (EPE).
Com as altas temperaturas registradas em dezembro e janeiro, é natural que se gaste mais energia com refrigeradores, ventiladores e aparelhos de ar condicionado — o que impacta diretamente a demanda. Ao mesmo tempo, os reservatórios são penalizados devido à rápida evaporação da água e falta de chuvas. Além disso, as perspectivas climáticas para 2014 não são animadoras – previsões usadas no cálculo da PLD apostam em menos precipitações em relação a anos anteriores. Assim, as usinas terão dificuldades em conseguir preencher o déficit em seus reservatórios e, talvez, nem mesmo compensar os gastos do ano, no cenário mais pessimista. Hoje, o reservatório do Sudeste/Centro Oeste usa 40,57% de sua capacidade de armazenamento, contra 37,46% em janeiro de 2013.
O religamento das termelétricas também impactou diretamente o PDL recorde. Tais usinas garantem, hoje, a oferta de energia no país, uma vez que o Brasil tem dificuldades em aumentar sua capacidade de armazenamento nas hidrelétricas. Contudo, o custeio das térmicas requer gastos altíssimos — especialmente para as que funcionam à base de óleo diesel. “O mercado já está incorporando no PDL o uso das termelétricas mais caras”, afirmou Rego, da Excelência Energética.

Durante todo o ano passado, a geração de energia por usinas térmicas foi 75% maior que em 2012. O custo do acionamento ficou em aproximadamente 9 bilhões de reais. Com as distribuidoras em dificuldades financeiras para arcar com esse rombo – elas só repassam uma vez no ano o aumento de custos ao consumidor – o Tesouro Nacional atuou como ‘caixa forte’ da conta de luz e cobriu o montante com dinheiro público injetado na Conta de Desenvolvimento Energética (CDE). Tal valor não foi dado às empresas, mas financiado. Isso significa que em 2018 o contrato vencerá e as distribuidoras terão de repassar integralmente ao consumidor seus gastos com as térmicas. Assim, na melhor das hipóteses, o desconto imposto pela presidente Dilma Rousseff será retirado aos poucos nos anos que virão. Na pior, será retirado de uma só vez, penalizando ainda mais o consumidor e impactando a inflação.