9258 – Instituições de Assistência – A Casa do Cuidar


Casa do Cuidar_jpg

É uma instituição de cuidados paliativos fundada por psicólogos e geriatras. O atendimento a pacientes é gratuito e realizado em consultório ou em domicílio.
Segundo a Organização Mundial de Saúde, Cuidados Paliativos é a assistência integral oferecida para pacientes e familiares quando diante de uma doença grave que ameace a continuidade da vida.
O objetivo dos Cuidados Paliativos é oferecer o tratamento eficaz para os sintomas de desconforto que podem acompanhar o paciente, sejam eles causados pela doença ou pelo tratamento. Infelizmente, na nossa cultura, o termo “paliativo” traz um aspecto de uma medida inconsistente ou de algo sem valor, dificultando a aceitação destes cuidados tão essenciais na vida de um ser humano que sofre diante de uma doença ativa e progressiva que ameace a continuidade da vida.Pallium vem do latim e quer dizer manto, cobertor. Portanto, Cuidados Paliativos são os Cuidados de Proteção que melhoram a qualidade de vida dos pacientes, pois cuidam de tratar o sofrimento que doença pode trazer.
O que é a instituição
Cuidados paliativos são cuidados de suporte, são cuidados de qualidade de vida, que prezam a dignidade do paciente, reconhecem a importância da esperança e validam a beleza e o sentido da vida sempre.
Como você se sentiria se alguém que você ama estivesse doente com muita dor e nem as tecnologias mais avançadas pudessem tratá-la?
Com o objetivo de cuidar melhor dos familiares, cuidadores e profissionais de saúde que cuidam diretamente de pessoas próximas à morte, a Casa do Cuidar promove um programa de atendimento especialmente voltado para o cuidado dos cuidadores.
Para poder cuidar bem de alguém, precisamos cuidar bem de nós mesmos. Suprir nossas próprias necessidades, cuidar de nossas próprias dores. Este é o melhor caminho para um cuidar mais pleno, mais humano. Quanto aos profissionais envolvidos nos Cuidados Paliativos, o descuido consigo mesmo determina constante sofrimento emocional, físico, existencial. A somatização deste desconforto é freqüente, levando o profissional de saúde a ficar doente, se afastando do trabalho de cuidar. Permanecemos doentes, carentes de cuidado e atenção, mas ainda assim buscamos cuidar do outro, até a exaustão, chegando aos limites de se doar.

“No dia 5 de julho de 2010, aos 62 anos, meu pai faleceu. E nós pudemos nos despedir dele sabendo que tinha sido bem cuidado, e que enquanto esteve vivo, foi sua vida que nos importou, e não sua morte.”

Entre em contato pelo site oficial ou pelo telefone: 119191-1452

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s