9239 – Mega Monumentos – Cristo Redentor, a estátua da fé


Cristo de Corcovado e Bahia de Guanabara RJ Brasil

A estátua veio da França para o Brasil em pedaços e só a cabeça era composta de 50 peças. Depois de encaixada a estrutura metálica, todas as partes foram revestidas de pastilhas de pedra e sabão, o mesmo material que o Aleijadinho usou para criar seus profetas.

Um gigante de pedra
Com 38 metros de altura, o equivalente a um prédio de 13 andares, a estátua pesa 1145 toneladas, somando-se a armação de concreto.
A cada 10 anos em média, o Cristo Redentor passa por uma manutenção. Para facilitar, a estátua tem uma escadaria interna e alçapões.
Foi inaugurada em 1931 e é um dos mais importantes pontos turísticos do Brasil, com cerca de 1 milhão de visitantes por ano, 70% estrangeiros.
Quando o Rio de Janeiro completou 440 anos, ele foi tombado.
Nas vésperas da comemoração do aniversário de 100 anos da independência (1922), milhares de pessoas assinaram um abaixo-assinado, pedindo a construção da estátua.
Situa-se no topo do morro do Corcovado, a 709 metros acima do nível do mar. Foi inaugurado às 19h15min do dia 12 de outubro de 1931 dia de Nossa Senhora Aparecida, depois de cerca de cinco anos de obras. Um símbolo do cristianismo, o monumento tornou-se um dos ícones mais conhecidos internacionalmente do Brasil. Dos seus 38 metros, oito estão no pedestal e trinta na estátua, a qual é a segunda maior escultura de Cristo no mundo, atrás apenas da Estátua de Cristo Rei, na Polônia.
Em uma pesquisa realizada pela revista América Economia, no ano de 2011, o Cristo Redentor foi considerado por 23,5% dos entrevistados como o maior símbolo da América Latina. A pesquisa foi feita pela internet e reuniu a opinião de 1 734 executivos de todos os países da região.

Corcovado antes da estátua
Corcovado antes da estátua

9238 – Bartolomeu de Gusmão e o Balão Aerostático


lei_de_charles

Um balão aerostático é uma aeronave aerostática não propulsada que se serve do princípio dos fluidos de Arquímedes para voar.
Aparelho mais ligeiro do que o ar que se encontra fechado para não perder o gás que leva em seu interior. À medida que ascende, devido aos raios do sol que incidem sobre ele, produzem-se mudanças de pressão no gás que contém mas mantém sempre um tamanho constante. Mantém-se boiando desde que não perca o gás que contém, o qual pode ser helio ou hidrogênio, mas como este último é inflamável se usa o helio, seu defeito é que é mais pesado do que o anterior.
Os balões foram, em seu tempo, os mais significativos inventos de aparelhos voadores do ser humano; sua importância radicou no fato da impossibilidade que tinham os homens para elevar-se desde a superfície da Terra e transladar-se viajando pelo ar.
Recentes investigações demonstraram que o 8 de agosto de 1709 , o sacerdote brasileiro Bartolomeu de Gusmou fez a primeira demonstração de ascensão aérea em balão de ar quente não tripulado na Casa de Índias de Lisboa, ante a corte do rei Juan V de Portugal.
A primeira ascensão de uma pessoa a tenta em Aranjuez o francês Charles Bouche o 6 de junho de 1784, mas resultou ferido ao desaprumar-se o balão quando iniciava a ascensão. No entanto foi o italiano Vicente Lunardi quem consegue ser o primeiro em ascender o 12 de agosto de 1792, o fato se realizou nos jardins do parque do Bom Retiro de Madri, voando durante uma hora até a Vila de Daganzo, cerca de Alcalá de Henares. O mesmo Lunardi repete ascensão o 8 de janeiro de 1793, mas esta vez na localidade madrilenha de Aranjuez.

9237 – Física – A Lei de Charles


O físico francês Jacques Alexandre César Charles realizou estudos sobre gases que resultaram em importantes descobertas. Dentre elas, concluiu que havia um crescimento proporcional no volume de qualquer gás ao ser aquecido, equivalente a 1/273 de seu valor inicial a 0ºC. Desta forma, pode postular que a zero kelvin, que correspondem a aproximadamente -273ºC, o volume encerrado por um gás seria igual a zero. Mais tarde o cientista inglês kelvin denomina isto como sendo o zero absoluto.
Considere um gás confinado em um sistema fechado cujo volume pode variar, sem que sua pressão varie.
Charles não publicou seus resultados. Mais tarde, estes resultados foram também encontrados e publicados em 1802 por Gay-Lussac em estudo realizado de forma independente, de modo que esta lei também ficou conhecida como lei de Gay-Lussac.
Charles foi o primeiro a utilizar o hidrogênio para encher balões aerostáticos.

9236 – Anatomia – Uma Reserva de 400 mil células


ovarios

As mulheres nascem com uma reserva de 400 mil células que se formaram em seus ovários enquanto elas ainda estavam em gestação. A cada 28 dias normalmente um óvulo é enviado à trompa uterina, até que se inicie a menopausa, entre os 45 e 55 anos, depois disso, a mulher não poderá ter mais filhos.

Os ovários têm uma região medular rica em vasos e a cortical, onde se localizam os folículos. Eles têm a forma de amêndoa, medindo até 5 cm em seu maior diâmetro e possui uma espessura máxima de 1,5 centímetro.
Sua região medular contém numerosos vasos sanguíneos e regular quantidade de tecido conjuntivo frouxo, e a cortical, onde predominam os folículos ovarianos, contendo os ovócitos. O ovário começa a se desenvolver ainda na barriga da mãe.
Os hormônios da hipófise, o LH e o FSH (eles estimulam as células dos ovários a produzir seu próprio hormônio, o estrógeno). A cada mês, esses hormônios provocam o amadurecimento de um ovócito dos ovários. Esse amadurecimento dura cerca de 12 a 14 dias. O ovócito, então, amadurece e rompe o folícolo, estrutura parecida a uma vesícula ou a uma minuscula bolha na superfície do ovário. Esse fenômeno chama-se ovulação e acontece muito próximo às franjas da tuba uterina.
Quando acontece a ovulação, o ovócito sai. O folículo maduro que restou dele será chamado corpo lúteo. Inicialmente fica um hematoma, um coágulo central dentro dele, em volta as células foliculares e da teca. As células da teca e as células foliculares vão exercer influência em um hormônio que é o LH (hormônio luteinizante). Esse hormônio vai luteinizar essas células e as células foliculares agora serão chamadas de células granulosas luteínicas. As células da teca serão chamadas células tecoluteínicas. As células granulosas luteínicas crescem tanto, que o hematoma do corpo lúteo ou corpo vermelho irá desaparecer. O corpo lúteo tem um grande aumento, as células se enchem de grãos de luteína. As células ficam então granuladas. O corpo lúteo vai existir até um determinado momento. A luteína aparece em função do hormônio luteinizante.Se não houver gravidez, esse hormônio para de ser produzido pela hipófise.

9235 – Zoologia – O Dromedário


Após uma abstinência de vários dias, ele pode beber 70 litros de água de uma só vez!

dromedario

Trata-se de um mamífero nativo da região nordeste da África e da parte ocidental da Ásia, sendo um típico exemplar da família Camelidae.
O dromedário ou camelo árabe distingue-se do camelo bactriano, nativo da Ásia Central, pela presença de apenas uma bossa, contra duas do último. A bossa do dromedário não é composta de água (ao contrário da lenda popular), mas sim de gordura acumulada pelo animal em períodos de alimentação abundante, gordura esta que lhe permite sobreviver em condições de escassez. A água é acumulada em sua corrente sanguínea, onde seus glóbulos vermelhos podem aumentar em até duzentos e cinquenta por cento seu volume para acumulá-la.
Outras adaptações à vida no deserto incluem: uma pelagem esparsa e suave que permite refrigeração, variando do branco-sujo ao bege-claro ou castanho-escuro; suas patas, que têm base larga, com uma área que impede que se enterrem na areia; além de longos cílios que protegem os olhos do animal durante tempestades de areia.
O dromedário encontra-se extinto na natureza e a totalidade da população existente no Médio Oriente vive domesticada.
O único local do mundo onde ainda restam populações selvagens é nas zonas áridas da Austrália, que tem condições de clima e paisagem relativamente semelhantes. Os dromedários australianos são descendentes de animais introduzidos pelos pioneiros que exploraram o centro do país e que depois passaram ao estado selvagem. O dromedário foi domesticado como meio de transporte à semelhança do cavalo. Na Arábia Saudita e no norte da África, os dromedários são montados com a rahla, uma sela especial adaptada às características do dorso do animal.

9234 – Religião – Martinho Lutero


reforma-protestante

Na porta da capela de Wittenberg, Martinho Lutero afixara o “Manifesto”, destinado a abalar toda a Europa:
Eram 95 teses, violentamente heterodoxas, a base do movimento protestante. Atacou publicamente a doutrina das indulgências papais (embora algumas denominações protestantes façam algo hoje bem parecido). Na presença de uma enorme multidão, lançou fogo na bula do Papa Leão X, que condenava suas proposições.

Martinho Lutero, em alemão Martin Luther, (Eisleben, 10 de novembro de 1483 — Eisleben, 18 de fevereiro de 1546) foi um sacerdote católico agostiniano e professor de teologia germânico que foi figura central da Reforma Protestante. Que ficando contra os conceitos da Igreja Católica veementemente contestando a alegação de que a liberdade da punição de Deus sobre o pecado poderia ser comprada, confrontou o vendedor de indulgências Johann Tetzel com suas 95 Teses em 1517. Sua recusa em retirar seus escritos a pedido do Papa Leão X em 1520 e do Imperador Carlos V na Dieta de Worms em 1521 resultou em sua excomunhão pelo Papa e a condenação como um fora-da-lei pelo imperador do Sacro Império Romano Antigo.
Lutero ensinava que a salvação não se consegue com boas ações, mas é um livre presente de Deus, recebida apenas pela graça, através da fé em Jesus como único redentor do pecador. Apesar disso, em suas teses não negava a necessidade da confissão, considerando-a necessária para o perdão da falta.
Sua teologia desafiou a autoridade papal na Igreja Católica Romana, pois ele ensinava que a Bíblia é a única fonte de conhecimento divinamente revelada e opôs-se ao sacerdotalismo, por considerar todos os cristãos batizados como um sacerdócio santo. Aqueles que se identificavam com os ensinamentos de Lutero eram chamados luteranos.
Sua tradução da Bíblia para o alemão, que não o latim fez o livro mais acessível, causando um impacto gigantesco na Igreja e na cultura alemã. Promoveu um desenvolvimento de uma versão padrão da língua alemã, adicionando vários princípios à arte de traduzir, e influenciou a tradução para o inglês da Bíblia do Rei James.Seus hinos influenciaram o desenvolvimento do ato de cantar em igrejas.Seu casamento com Catarina von Bora estabeleceu um modelo para a prática do casamento clerical, permitindo o matrimônio de padres protestantes.
Em seus últimos anos, Lutero tornou-se algo antissemita, chegando a escrever que as casas judaicas deveriam ser destruídas, e suas sinagogas queimadas, dinheiro confiscado e liberdade cerceada. Essas afirmações fizeram de Lutero uma figura controversa entre muitos historiadores e estudiosos.

9233 – Licença para matar (Elefantes)


Se você não tem memória de elefante, anote esse dado: a ambição pelo marfim fez com que, na década de 80, o homem exterminasse 700 000 elefantes na África e na Ásia. Ou seja, metade do total existente no planeta. A espécie já estaria extinta se não fosse um acordo internacional, fechado em 1989, que proíbe o comércio do marfim. O que, infelizmente, não significa o fim da matança. Tanto que, recentemente, foram apreendidas 3,5 toneladas de presas de elefantes africanos em portos ocidentais. E tudo indica que, daqui para a frente, a situação não vai melhorar. O Zimbábue e a África do Sul vendem licença para caçadores esportivos – os americanos chegam a pagar 50 000 dólares para poder levar um troféu para casa. A ideia é que o dinheiro financie programas para salvar outros elefantes, mas há denúncias de que acabe no bolso de políticos corruptos. Em regiões de grande concentração de elefantes, o que é comum na África meridional, eles invadem lavouras e a própria população se encarrega de matá-los. No Quênia, a caça quintuplicou, nos últimos 12 meses, devido à entrada sistemática de caçadores clandestinos vindos da Somália. Na Ásia, restam pouco mais de 50 000 elefantes. Naquele continente apenas os machos são caçados (as fêmeas não têm presas), mas isso, como é óbvio, torna-se um fator de desequilíbrio para a espécie. A Tailândia inovou na proteção, mandando tirar as presas de marfim dos animais e substituí-las por outras, artificiais. Isso reduz comprovadamente o interesse dos caçadores. Mas não é, exatamente, uma iniciativa ecológica: lá os elefantes têm valor econômico porque são usados para transportar madeira.

9232 – Medicina – O que é Artrogripose?


É uma palavra derivada do grego e significa articulações tortas, englobando em um termo inespecífico um grupo amplo e heterogêneo de malformações congênitas, que têm como característica múltiplas contraturas articulares. A artrogripose múltipla congênita ou amioplasia congênita é caracterizada por contraturas de várias articulações e rigidez de tecidos moles presentes desde o nascimento e de caráter estacionário. É a presença, ao nascimento, de anquilose fibrosa de várias articulações.
Esta síndrome é heterogênea e consiste de várias entidades patológicas similares. Apresentando como característica um distúrbio bem definido, no qual a limitação de movimento da articulação é somente uma das várias anormalidades presentes ou na qual a causa primária de rigidez da articulação é evidente. É de caráter não progressivo caracterizado por alterações na pele, tecido celular subcutâneo, que é inelástico e aderido aos planos profundos, acompanhado de ausência de pregas cutâneas, músculos atrofiados ou hipotróficos, ou seja, fracos e substituídos por tecido fibrogorduroso, articulações com deformidades fixas, geralmente simétricas e a gravidade das mesmas manifesta-se mais intensamente quanto mais distais as articulações nas extremidades, com limitação da mobilidade articular, rigidez e espessamento das estruturas periarticulares e com sensibilidade conservada.
As alterações nos membros podem estar associadas a outras malformações, tanto viscerais como neurológicas. Descrito como uma síndrome complexa caracterizada por contratura, limitação do movimento de várias articulações em diferentes partes do corpo devido a graus variados de fibrose dos músculos afetados, espessamento e encurtamento da cápsula periarticular e tecidos ligamentares das articulações afetadas, esse processo patológico básico não é progressivo. Esta síndrome consiste basicamente de contraturas articulares não progressivas e atrofia muscular, variando desde casos leves, em que duas ou mais articulações são afetadas, até casos graves em que várias articulações de todos os membros e tronco podem ser afetadas. É uma afecção relativamente rara, onde as contraturas articulares congênitas parecem ser resposta de uma variedade de agentes e situações que criam um desequilíbrio de forças musculares que atuam sobre as articulações, o que torna o membro vulnerável à limitação mecânica do ambiente intra-uterino.
É caracterizada por malformação múltipla, podendo ser classificada em três grandes grupos. A artrogripose múltipla congênita foi classificada clinicamente em amioplasias dos tipos A, B e C, artrogriposes distais – tipos I e II, com deficiência mental. As formas amioplásicas são as mais graves, as formas distais apresentam acometimento de outras articulações. O tipo II das artrogriposes distais apresenta subtipos dependendo de suas características clínicas: tipo II a – baixa estatura, fenda palatina; tipo II b – ptose palpebral; tipo II c – fenda palatina e lábio leporino; tipo II d – escoliose e tipo II e –trismo. Os pacientes são divididos em três grupos: portadores somente de contraturas de membros, portadores de contraturas e alterações neurológicas; e portadores de contraturas associado a alterações viscerais.

9231 – Lei e Direito – Assédio Moral no Trabalho


O assédio moral no ambiente de trabalho é caracterizado por várias ações executadas por parte do empregador ou seus prepostos contra o empregado, como violência psicológica, constrangimento, humilhação e perseguição,
Ao contrário do assédio sexual, já tipificado no Código Penal, o assédio moral ainda não faz parte, a rigor, do ordenamento jurídico brasileiro.
No âmbito estadual, o Rio de Janeiro foi o pioneiro na adoção de legislação específica sobre o tema – a Lei Estadual nº 3.921/2002, voltada especificamente para os órgãos dos três Poderes estaduais, repartições, entidades da administração centralizada, autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista e mesmo concessionárias de serviços públicos.
A lei carioca proíbe “o exercício de qualquer ato, atitude ou postura que se possa caracterizar como assédio moral no trabalho, por parte de superior hierárquico, contra funcionário, servidor ou empregado que implique em violação da dignidade desse ou sujeitando-o a condições de trabalho humilhantes e degradantes.”
A Justiça do Trabalho tem se posicionado independentemente da existência de leis específicas, visando coibir abusos na relação empregatícia.

Evidências
No julgamento de casos em que se alega a ocorrência de assédio moral, alguns aspectos são essenciais: a regularidade dos ataques, que se prolongam no tempo, e a determinação de desestabilizar emocionalmente a vítima, visando afastá-la do trabalho.
Trata-se, portanto, de um conjunto de atos nem sempre percebidos como importantes pelo trabalhador num primeiro momento, mas que, vistos em conjunto, têm por objetivo expor a vítima a situações incômodas, humilhantes e constrangedoras.
A lista de procedimentos e atitudes passíveis de enquadramento como assédio moral é extensa. A lei do Rio de Janeiro relaciona circunstâncias como atribuir tarefas estranhas ou incompatíveis com o cargo, ou em condições e prazos inexequíveis; designar funcionários qualificados ou especializados para funções triviais; apropriar-se de ideias, propostas, projetos ou trabalhos; torturar psicologicamente, desprezar, ignorar ou humilhar o servidor, isolando-o de contato com colegas e superiores hierárquicos; sonegar informações necessárias ao desempenho das funções ou relativas a sua vida funcional; e divulgar rumores e comentários maliciosos ou críticas reiteradas e subestimar esforços, afetando a saúde mental do trabalhador.
A essa lista, acrescentam-se ainda atitudes como a “inação compulsória” – quando a chefia deixa de repassar serviços ao trabalhador, deixando-o propositalmente ocioso –, a imposição de “prendas” que o exponham ao ridículo, em caso de não atingimento de metas, entre outros. Trata-se, portanto, de práticas que resultam na degradação das condições de trabalho, por meio de condutas negativas dos superiores hierárquicos em relação a seus subordinados, acarretando prejuízos práticos e emocionais para o trabalhador e a empresa ou órgão. Os colegas, temerosos ou indiretamente interessados no afastamento da vítima, muitas vezes endossam o assédio moral.

Chicotes, Ofensas e Ameaças
Na prática, a “criatividade” dos assedia dores supera as sucintas descrições legais. Os processos que chegam à Justiça do Trabalho buscando reparação por danos causados pelo assédio moral revelam que, em muitas empresas, o ambiente de trabalho é um circo de horrores. Ameaças, ofensas, sugestões humilhantes, isolamento e até agressões físicas fazem parte do roteiro. Em processo contra uma empresa da Bahia, uma trabalhadora afirmou que o gerente de vendas “a teria ridicularizado, obrigando-a a participar de atos libidinosos com vendedores e clientes, assim como tentou estuprá-la, causando-lhes lesões corporais graves”.
Em outro processo, envolvendo um banco, os autos registram “a conduta reprovável do gerente ao qual estava subordinado o empregado, que, utilizando-se de um chicote, cobrava a produção dos empregados”. De acordo com depoimentos de testemunhas, o gerente, além de transformar o chicote ganho de um empregado em “ferramenta de trabalho”, chamou o trabalhador que ajuizou a ação de incompetente e jogou sua gaveta no chão na frente de um cliente. Durante um período em que o empregado esteve afastado, o mesmo gerente “ligava diariamente e mencionava que iria convencê-lo, pelo cansaço, a voltar a trabalhar”.
Em determinada loja de utilidades domésticas, no Rio Grande do Sul, realizavam-se reuniões em que os vendedores “eram chamados de ignorantes, burros, parasitas”, e o gerente os ameaçava de perda de emprego caso não cumprissem suas cotas. Outra prática, alvo de várias reclamações trabalhistas, é o pagamento de “prendas”.
Numa revendedora de bebidas e refrigerantes de Conselheiro Lafaiete (MG), os vendedores que não atingiam suas metas eram obrigados a pagar flexões, correr em volta de uma praça pública e usar um certo “capacete de morcego”, diante dos colegas e das pessoas que estivessem na praça no momento. Em Belo Horizonte, uma indústria de bebidas aplicava castigos vexatórios semelhantes, submetendo seus empregados a constrangimentos como desfilar de saia rodada, perucas e batom diante dos colegas e mesmo de visitantes.
O processo trabalhista considerado pioneiro na abordagem do assédio moral no Brasil veio do Espírito Santo. Nele, o Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região classifica e enquadra como assédio moral as perseguições sofridas por um técnico de publicidade e propaganda: “A tortura psicológica, destinada a golpear a autoestima do empregado, visando forçar sua demissão ou apressar sua dispensa através de métodos que resultem em sobrecarregar o empregado de tarefas inúteis, sonegar-lhe informações e fingir que não o vê, resultam em assédio moral, cujo efeito é o direito à indenização por dano moral, porque ultrapassa o âmbito profissional, eis que minam a saúde física e mental da vítima e corrói a sua autoestima”, registra o acórdão do Recurso Ordinário nº 1315.2000.00.17.00.1, relatado pela juíza Sônia das Dores Dionízio. “No caso dos autos, o assédio foi além, porque a empresa transformou o contrato de atividade em contrato de inação, quebrando o caráter sinalagmático do contrato de trabalho e, por consequência, descumprindo a sua principal obrigação que é a de fornecer trabalho, fonte de dignidade do empregado”, conclui.
Os resultados dos processos que envolvem alegações de assédio moral, quando favoráveis ao empregado, geram basicamente três tipos de reparação. A primeira é a rescisão indireta do contrato de trabalho, hipótese semelhante à justa causa, só que em favor do empregado, que se demite mas mantém o direito ao recebimento de todas as verbas rescisórias, como se tivesse sido demitido sem motivação. Outra é a indenização por danos morais, que, na esfera trabalhista, visa à proteção da dignidade do trabalhador. A terceira é a indenização por danos materiais, nos casos em que os prejuízos psicológicos causados ao trabalhador sejam graves a ponto de gerar gastos com remédios e tratamentos.
Os valores das condenações em processos individuais, na maior parte dos casos, variam entre R$ 10.000,00 e R$ 30.000,00. O ministro Ives Gandra Martins Filho, num das primeiras decisões do TST relativas ao tema (RR 122/2001-036-12-00.0), ressalta que a ausência de critérios específicos para fixação de dano moral na legislação trabalhista “leva o julgador a lançar mão do princípio da razoabilidade, cujo corolário é o princípio da proporcionalidade, pelo qual se estabelece a relação de equivalência entre a gravidade da lesão à imagem e à honra e o valor monetário da indenização imposta.”
A fixação de valores para dano moral, conforme vem sendo adotada pelo TST, tem dupla finalidade: compensar a vítima pelo dano moral sofrido e, também, punir o infrator, a fim de coibir a reincidência nesse tipo de prática. O que se busca é um possível equilíbrio entre as “possibilidades do lesante” – o porte e o poder econômico da empresa – e as “condições do lesado” – a extensão do dano causado.

9230 – Nave espacial com tocha olímpica parte rumo à Estação Espacial Internacional


soyuz

A nave Soyuz TMA-11M, com três tripulantes e a tocha olímpica dos Jogos de Inverno de Sochi 2014 a bordo, foi lançada com sucesso da base de Baikonur, no Cazaquistão, rumo à Estação Espacial Internacional (ISS), informou o Centro de Controle de Voos Espaciais (CCVE) da Rússia.
O lançamento, realizado com a ajuda de um foguete Soyuz-FG, aconteceu às 2h14 de Brasília e foi transmitido ao vivo pela televisão russa.
O casco da nave que está a caminho da ISS com o cosmonauta russo Mikhail Tyurin, o astronauta americano Rick Mastracchio e o japonês Koichi Wakata está decorado com o símbolo dos Jogos de Sochi, que acontecem em fevereiro de 2014.
A Soyuz TMA-11M vai se acoplar ao módulo Rassvet da ISS, cuja atual tripulação é integrada pelos russos Fyodor Yurchikhin, Oleg Kotov e Sergei Riazanski, pelos americanos Karen Nyberg e Michael Hopkins, e pelo italiano Luca Parmitano.
Tyurin, Mastracchio e Wakata, que completarão uma missão de 190 dias na ISS, levam até a estação espacial uma tocha olímpica idêntica às utilizadas no revezamento que levará o fogo olímpico a Sochi, sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014.
Em um revezamento simbólico, a tocha sairá ao espaço exterior no próximo sábado durante a caminhada de Kotov e Riazanski no casco da ISS.
Durante o período que vai passar no espaço, a tocha olímpica não será acesa por razões de segurança.
A tocha voltará à Terra a bordo da nave Soyuz TMA-9M que trará de volta a Yurchikhin, Karen e Parmitano.

9229 – Robótica – Macacos controlam dois braços virtuais com pensamentos


rbotica

O neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis publicou mais uma etapa de seus estudos com o objetivo de desenvolver uma prótese controlada pela mente que permita a pessoas paralisadas voltarem a andar.
Na última edição da revista científica “Science Translational Medicine”, Nicolelis e seu grupo de pesquisa da Universidade Duke (EUA) e do Instituto Internacional de Neurociências de Natal, relatam um experimento no qual dois macacos resos conseguiram movimentar, por meio de comandos enviados pelo cérebro, dois braços virtuais em um avatar no computador.
O controle de um só membro por meio de uma interface cérebro-máquina já havia sido demonstrado pelo grupo de Nicolelis em 2011 e por outros pesquisadores dessa área. O neurocientista destaca que a movimentação de dois membros ao mesmo tempo é essencial para tornar possível uma prótese com pernas para paraplégicos.
O pesquisador tem como objetivo demonstrar o funcionamento de um exoesqueleto controlado pelo cérebro na abertura da Copa de 2014, em 12 de junho, em São Paulo. O plano é que um jovem com lesão medular caminhe e dê o pontapé inicial.
No experimento publicado agora, microeletrodos captaram a atividade elétrica dos neurônios dos macacos, nos dois hemisférios cerebrais, em regiões ligadas aos movimentos e à sensibilidade.
Um dos avanços do trabalho foi o número de neurônios cuja atividade foi registrada: 500, o dobro do conseguido em estudos anteriores.
Um algoritmo criado para fazer a interface entre o cérebro e o computador traduziu essa atividade em comandos dados aos braços virtuais.
Os animais aprenderam a controlar os braços virtuais de duas formas: treinando os movimentos em um par de joysticks ou observando passivamente os avatares realizarem a tarefa, que consistia em pôr as mãos sobre dois objetos (bolas ou quadrados) e manter a posição.
O fato de um dos macacos ter sido treinado sem o joystick é mais uma boa notícia, segundo Nicolelis, porque é assim que os pacientes paralisados vão aprender a usar a interface cérebro-máquina.