7344 – Como funciona o identificador de chamada nos telefones?


O segredo de um identificador de chamada é o modem que ele possui, dispositivo que converte pulsos telefônicos em dados digitais e vice-versa. Quando você faz uma ligação, seu aparelho de telefone transforma em sinais elétricos dados como a sua voz e o número do seu telefone. Esses sinais elétricos viajam por uma complexa rede de cabos até chegar ao telefone chamado. Se ele tiver um identificador de chamadas – o popular Bina – o modem do aparelho irá transformar as freqüências em que foram emitidos esses sinais elétricos em linguagem binária (seqüências de algarismos “0” e “1”):
• Freqüência de 2,2 kHz – Representa “0”

• Freqüência de 1,2 kHz – Representa “1”

Como cada seqüência de “0” e “1”pode indicar um número – o “5”, por exemplo, é “101” na linguagem binária – fica fácil para o bina apontar de onde vem a chamada. Uma última curiosidade: o nome Bina é uma sigla para a expressão “B identifica A”. Ela indica que o aparelho é capaz de decodificar os sinais do telefone de quem fez a chamada (A) e exibi-los no visor do telefone de quem a recebeu (B).

7343 – Automóvel – Que evoluções dos carros de hoje vieram das pistas de corrida?


Álcool
Em 1977, no Brasil. Nesse ano, por causa da crise do petróleo, o governo proibiu corridas, para evitar o desperdício de gasolina. A saída foi testar o álcool combustível em um evento no dia 7 de setembro, no qual várias categorias correram usando o novo combustível
Fiat 147 com motor de 1,3 litro, de 1979, que, em função do alto “teor alcóolico”, ganhou o apelido de “cachacinha”

Injeção eletrônica
Dosa a quantidade de combustível e de ar dentro dos cilindros. Substituiu o carburador, representando uma grande evolução por controlar com muito mais precisão o volume de combustível no motor.

Em 1962, estreou na Fórmula 1, mas, em 1955, o Mercedes 300SL, com um revolucionário sistema mecânico de injeção, brilhou em provas como as 24 Horas de Le Mans

Volkswagen 311, de 1967. No Brasil, só chegou em 1988, com o Gol GTI

Turbocompressor
Sobrealimentação dos cilindros do motor, ou seja, o turbocompressor pega o ar do escapamento e joga novamente no motor, potencializando o movimento dos pistões.
Estreou na Fórmula 1 em 1977, com a Renault, e imperou em todas as equipes até 1986. O turbo não é uma invenção automobilística, mas sim aeronáutica: os primeiros motores turbinados surgiram nos anos 30 em aviões militares.

Saab 99 Turbo, de 1978. Antes de ser usado na Fórmula 1, surgiram modelos turbinados, como o Oldsmobile Turbo Jetfire, de 1962, mas a tecnologia só “pegou” mesmo após a evolução nas pistas.
Sensores eletrônicos mandam sinais sobre o tipo de solo a um computador, que determina se o carro deve levantar, abaixar, endurecer ou amolecer para tirar o melhor proveito do piso
Já se esperava algo assim desde 1987, quando a inovação surgiu nas pistas da Fórmula 1 a bordo do Lotus 99T amarelo de Ayrton Senna. Não durou muito na Fórmula 1 por motivo de segurança: o carro ganhava muita velocidade ficando colado à pista.
Sistema eletrônico que dispensa a embreagem e dinamiza a troca de marchas. Não é automático: o piloto aumenta e reduz as marchas usando, na maior parte dos modelos, uma borboletinha atrás do volante.
Ferrari 640, introduzida no circuito de Fórmula 1 de 1989.
Porsche 964, lançado também em 1989. Hoje, essa tecnologia ainda é restrita a carros mais modernos (e caros), mas aos poucos vai chegando aos mais populares.

7342 – Obesidade – Dieta relâmpago não funciona


Aliás, quase todas não funcionam
Tal hábito provoca efeito-sanfona, flacidez, anemia, desidratação e até coma diabético. Uma dieta de choque, como tomar apenas líquidos durante 24 horas serve como auxiliar em um regime balanceado. O risco de ganhar todo o peso de volta depois de uma dieta relâmpago é quase certo. No caso das mulheres, o emagrecimento repentino pode levar à irregularidade ou à interrupção do ciclo menstrual, de acordo com o ginecologista Eduardo Slotnik, do Hospital Israelita Albert Einstein. A ausência da menstruação indica a baixa do hormônio estrógeno, que se torna mais ativo na presença da gordura.
A dieta rápida provoca a perda de massa muscular, fator que estimula os problemas de coluna. “Os músculos ficam mais fracos e a sobrecarga nos ossos se torna maior”
Algumas dicas: corte gorduras e refrigerantes, evite carboidratos(as massas),tome muito líquido, mantenha alguma atividade física regular.

A nutricionista e psiquiatra americana Susan B. Roberts, que escreveu o livro The Instinct Diet acredita que as dietas-relâmpago falham por dois motivos:

1. A pessoa não se alimenta de forma adequada, e acaba perdendo muita água e músculos em vez de queimar gordura.
2. A pessoa sente tanta fome que acaba trapaceando, uma vez que o mundo tem uma abundância de comidas pouco saudáveis e nosso instinto é comer o que temos à disposição.

Ela ensina que o segredo para ter sucesso ao tentar perder peso seria justamente agir a favor dos nossos instintos. Portanto, nada de tentar ser firme e aguentar a fome. O negócio é preveni-la. Para tanto, deve-se consumir alimentos ricos em fibras para saciar o apetite. São recomendados cereais, leite, iogurte desnatado, carnes magras (como peito de frango e peixes brancos), frutas (como maçãs) e muitos vegetais verdes.

7341 – Existe algum celular que não pode ser clonado?


Existem tecnologias que dificultam bastante a ação dos malacos. São os celulares do tipo GSM, aqueles que usam chips, e os do tipo TDMA. A grande vantagem é que tanto o GSM quanto o TDMA só usam a rede digital, em que as informações transmitidas de celular para celular ficam protegidas por um sistema de segurança chamado criptografia. Esse esquema inibe a clonagem porque ele “embaralha” as informações transmitidas, incluindo o número do celular e o código do aparelho que os fraudadores precisam para fabricar um clone. “Já os celulares que usam a tecnologia CDMA são mais vulneráveis”. Isso porque algumas operadoras de CDMA mantêm canais analógicos para facilitar o roaming, a operação do celular fora da sua cidade de origem. No sistema analógico, as informações do celular são transmitidas por ondas de rádio sem a proteção da criptografia. Aí, fica mais fácil para um clonador captar o número e o código do telefone – basta ele usar um scaner de ondas e um radiorreceptor de multifreqüência para “fisgar” a transmissão analógica.
Depois, o safado transfere esses dados para um celular sem linha e pronto: está feita a clonagem.
Mas, se você levar seu GSM a uma loja de conserto de fundo de quintal, um falsário pode simplesmente copiar o seu chip. Aí, é só ele usar a “xerox” em outro celular e deixar você pagando a conta..

CDMA – Transmite sinais de voz e dados por um conjunto de freqüências. Isso garante mais banda (espaço) para transmitir dados, permitindo rapidez para trocar músicas e filmes ou acessar a internet.

GSM – É mais seguro, já que não opera fora de sistemas digitais, que possuem criptografia de sinal. Como usa um chip, permite que o usuário troque de aparelho e mantenha o mesmo número.

CDMA – Para funcionar fora da área de cobertura, ele pode se conectar a sistemas analógicos. Essa tecnologia é mais antiga que a digital e não possui proteção com criptografia de informações. Prato cheio para clonadores!

GSM – O sistema para o tráfego de dados de computador não é tão eficiente quanto o do CDMA. Se o usuário estiver em uma área não coberta pelo sistema digital de telefonia celular, não conseguirá falar.

7340 – Mega Byte – Como os spams da Internet descobrem nossos e-mails?


Na maioria dos casos, é você quem fornece seu endereço para os spammers, pessoas que infestam a sua caixa postal com propagandas que você nunca pediu. Por exemplo: sabe quando você acredita em pop-ups – aquelas irritantes janelas que surgem na tela – oferecendo senhas gratuitas para sites pornográficos em troca do seu endereço de e-mail? Pronto! Os caras podem até mandar um código pra você ver umas minas peladas. Mas, geralmente, isso é só uma desculpa para essa gente enviar mensagens publicitárias para você, prometendo desde o ensino de idiomas até aumentar o tamanho do bilau. E haja spam: de acordo com o Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança – uma entidade especializada em segurança da internet -, em agosto deste ano, um em cada quatro e-mails enviados no Brasil era spam! Mas você não é o único culpado. Os spammers ainda atacam com outras técnicas.
O spam é uma forma barata de se fazer propaganda. E em um universo de milhões de contas, os spammers sempre conseguem atrair uma parcela de clientes. “39% das pessoas admitem que clicam em links enviados em e-mails não solicitados”.

Veja como funciona:
Funcionários das empresas de spam navegam pela net coletando endereços exibidos em grupos de discussão ou salas de bate-papo. Depois, eles mandam propaganda para todo mundo que deu mole e deixou endereço nessas listas.
Alguns spammers usam softwares que varrem telas de sites à procura do símbolo “@”, essencial para um endereço de e-mail. Eles capturam os endereços, montam uma megalista e mandam spams para a galera.
Softwares disparam e-mails “adivinhando” o usuário pela combinação de letras. Se o seu e-mail for jsilva@abc.com, o programa manda mensagens para jsilver, jsilv e jsilva, por exemplo. As duas primeiras voltam, mas a terceira chega…
Combinando as três técnicas anteriores, piratas coletam endereços e os gravam em CDs. Depois, vendem o produto para empresas de spam. No centro de São Paulo, um CD pirata com 1 milhão de endereços sai por 10 reais!

7339 – Quem são os Hippies?


filmes hippies

Eram parte do movimento de contracultura dos anos 1960. Embora tendo uma relativa queda de popularidade nos anos 1970 nos EUA, o movimento apenas ganhou mais força em países como o Brasil somente nessa década.
Uma das frases idiomáticas associada a este movimento foi a célebre máxima “Paz e Amor” (em inglês “Peace and Love”) que precedeu a expressão “Ban the Bomb”, a qual criticava o uso de armas nucleares.
As questões ambientais, a prática de nudismo, e a emancipação sexual eram idéias respeitadas recorrentemente por estas comunidades.
Adotavam um modo de vida comunitário, tendendo a uma espécie de socialismo-libertário ou estilo de vida nômade e à vida em comunhão com a natureza, negavam o nacionalismo e a Guerra do Vietnã, bem como todas as guerras, abraçavam aspectos de religiões como o budismo, hinduísmo, e/ou as religiões das culturas nativas norte-americanas e estavam em desacordo com valores tradicionais da classe média americana e das economias capitalistas extremistas e totalitárias. Eles enxergavam o patriarcalismo, o militarismo, o poder governamental, as corporações industriais, a massificação, o capitalismo, o autoritarismo e os valores sociais tradicionais como parte de uma “instituição” única, e que não tinha legitimidade.
O termo derivou da palavra em inglês hipster, que designava as pessoas nos EUA que se envolviam com a cultura negra, e.x.: Harry The Hipster Gibson. Em 6 de setembro de 1965, o termo hippie foi utilizado pela primeira vez, em um jornal de São Francisco, um artigo do jornalista Michael Smith. * A eclosão do movimento se deu em consequência do surgimento da chamada Geração Beat, os beatniks, uma leva de escritores e artistas que, primeiramente, assumiram os comportamentos copiados pelos hippies.
Com a palavra “beat”, John Lennon, transformado em um dos principais porta-vozes pop do movimento hippie, criou o nome da sua banda – The Beatles. Tanto o termo beatnik como o termo hippie assumiam sentido pejorativo para a grande massa norte-americana.
Nos anos 60, muitos jovens passaram a contestar a sociedade e a pôr em causa os valores tradicionais e o poder militar e econômico. Esses movimentos de contestação iniciaram-se nos EUA, impulsionados por músicos e artistas em geral.
Os hippies defendem o amor livre e a não-violência.
O lema “Paz e Amor” sintetiza bem a postura política dos hippies, que constituíram um movimento por direitos civis, igualdade e anti-militarismo nos moldes da luta de Gandhi e Martin Luther King, embora não tão organizadamente, mantendo uma postura mais anárquica do que anarquista propriamente, neste sentido.
Como grupo, os hippies tendem a viver em comunidades coletivistas ou de forma nômade, vivendo e produzindo independentemente dos mercados formais, usam cabelos e barbas mais compridos do que era considerado “elegante” na época do seu surgimento. Muita gente não associada à contracultura considerava os cabelos compridos uma ofensa, em parte por causa da atitude iconoclasta dos hippies, às vezes por acharem “anti-higiênicos” ou os considerarem “coisa de mulher”.
Foi quando a peça musical Hair saiu do circuito chamado off-Broadway para um grande teatro da Broadway em 1968, que a contracultura hippie já estava se diversificando e saindo dos centros urbanos tradicionais.
Os Hippies não pararam de fazer protestos contra a Guerra do Vietnã, cujo propósito era acabar com a guerra. A massa dos hippies eram soldados que voltaram depois de ter contato com os Indianos e a cultura oriental que, a partir desse contato, se inspiraram na religião e no jeito de viver para protestarem.
Seu principal símbolo era a Figura circular com 3 intervalos iguais.

Características
Roupas velhas e naturalmente rasgadas, para ir em oposição ao consumismo, ou então roupas com cores berrantes para fazer apologia a psicodelia, além de diversos outros estilos incomuns (tais como calças boca-de-sino, camisas tingidas, roupas de inspiração indiana).
Predileção por certos estilos de música, como rock psicodélico The Beatles, Grateful Dead, Jefferson Airplane, Janis Joplin, Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Quicksilver Messenger Service, The Doors, Pink Floyd, The Kinks, Bob Dylan, Raul Seixas, Neil Young, Mutantes, Zé Ramalho, Secos & Molhados, os tropicalistas (Caetano, Gil, etc), Novos Baianos, A Barca do Sol , soft rock como Sonny & Cher ,Hard Rock como The Who. Também apreciavam o Goa Trance, isto, quando hippies viajantes, buscadores espirituais e um sem-número de pessoas ligadas a manifestações de contracultura, munidos de conhecimento técnico de produção de música electrónica e de um puro desejo de curtir e experimentar, desenvolveram, de forma intuitiva, um novo estilo sonoro. Um dos principais fundadores deste movimento foi Goa Gil.
Às vezes tocar músicas nas casas de amigos ou em festas ao ar livre como na famosa “Human Be-In” de San Francisco, ou no Festival de Woodstock em 1969. Atualmente, há o chamado Burning Man Festival.
Amor livre e sem distinções.
Ideais anarquistas de comunidades igualitárias e total liberdade não violenta.
Rejeição à produtos industrializados, consumo de produtos artesanais, principalmente na alimentação a opção por produtos naturais e orgânicos.
Vida em comunidades onde todos os ditames do capitalismo são deixados de lado. Por exemplo, todos os moradores exercem uma função dentro da comunidade, as decisões são tomadas em conjunto, normalmente é praticada a agricultura de subsistência e o comércio entre os moradores é realizado através da troca. Existem comunidades hippies espalhadas no mundo inteiro; vivem para a subsistência.
O incenso e meditação são parte integrante da cultura hippie pelo seu caráter simbólico e quase religiosos;
Uso de drogas como marijuana (maconha), haxixe, e alucinógenos como o LSD e psilocibina (alcalóide extraído de um cogumelo), visando a “liberação da mente”, seguindo as ideias dos beats e de Timothy Leary, um psicólogo proponente dos benefícios terapêuticos e espirituais do LSD. Porém muitos consideravam o cigarro feito de tabaco como prejudicial à saúde. O uso da maconha era exaltado também por sua natureza iconoclasta e ilícita, mais do que por seus efeitos psico-farmacêuticos;
Culto pelo prazer livre, seja ele físico, sexual ou intelectual.
Repúdio à ganância e à falsidade.
Quanto à participação política, mostravam algum interesse, mas nunca de maneira tradicional. Eram adeptos do pacifismo e, contrários à guerra do Vietnã, participaram de algumas manifestações anti-guerra dos anos 60, não todas, como se acredita. Nos EUA, pregaram o “poder para o povo”. Muitos não se envolvem em qualquer tipo de manifestação política por privilegiarem muito mais o bem estar da alma e do indivíduo, mas assumem uma postura tendente à esquerda, geralmente elevando ideais anarquistas ou socialistas. São contra qualquer tipo de autoritarismo e preocupados com as questões sociais como a discriminação racial, sexual, etc.
Fome intelectual insaciável. Raramente são adeptos à muitas inovações tecnológicas, preferindo uma vida distante de prazeres materiais.
Misticismo.
Por volta de 1970, muito do estilo hippie se tornou parte da cultura principal, disseminando a sua essência por todas as áreas das sociedades atuais. A liberdade sexual, a não-discriminação das minorias, o ambientalismo e o misticismo atual são, em larga medida, produto da contestação hippie.
No entanto, a grande imprensa perdeu seu interesse na subcultura hippie como tal, apesar de muitos hippies terem continuado a manter uma profunda ligação com a mesma. Como os hippies tenderam a evitar publicidade após a era do Verão do Amor e de Woodstock, surgiu um mito popular de que o movimento hippie não mais existia. De fato, ele continuou a existir em comunidades mundo afora, como andarilhos que acompanhavam suas bandas preferidas, ou às vezes nos interstícios da economia global. Ainda hoje, muitos se encontram em festivais e encontros para celebrar a vida e o amor, como no Peace Fest e nas reuniões da família arco-íris.

Moda Hippie no Brasil

O Retrato de um Passado


Há 4 milhões de anos, a humanidade não existia, mas segundo os evolucionistas, existia o australopitecos afarensis, uma criatura de cérebro minúsculo, mas que andava a pé como nenhum macaco seria capaz de fazer. Seu 1° fóssil foi desentarrado há 20 anos na Etiópia, norte da África, uma fêmea que recebeu o apelido de Lucy,e este anoo fóssil de um macho foi achado. Seu esqueleto permaneceu quase 4 milhões de anos absorvendo minerais do solo até virar pedra.
Tinha volume craniano de 500 cm³, pouco mais de 1/3 do volume craniano de 1 homem moderno, que chega a 1300 cm³. Mais de 1 milhão de anos após o último afarensis desaparecerdo planeta, susrgiram os primeiros humanos. De acordo com a ciência dos ossos, os machos de tal espécie eram bem maiores que as fêmeas e numa proporção que muitos pesquisadores tiveram receio de aceitar, ou se recusaram a admitir.
Seria como se um casal humano em que o homem tivesse 2,10 m e a mulher 1,50. Não é impossível, mas raro. A média atual gira em torno de 15% de diferença de altura. Quando há grande diferença entre os sexos, os macacos são polígamos, um único macho fecunda todas as fêmeas de seu bando; na qual todas as crias tem o mesmo pai. Os machos logo saem para formar um novobando, os que ficam não tem acesso as fêmeas. Os gibões, ao contrário, adotam a monogamia.
A maior parte da atual população humana é monogâmica, mas os povos antigos eram polígamos. Os árabes são um exemplo, havendo também outros na África, Ásia e América, numa lista de 250 povos estudados no início do século 20, 193 adotavam a poligamia.