7256 – De ☻lho no Mapa – Quantos países existem atualmente?


atlas

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), existem 191 países. Mas há algumas ausências nessa lista. As duas mais famosas são Taiwan, cuja independência não é reconhecida pela China, e o Vaticano, que, apesar de ficar de fora do cadastro da ONU, é “observador permanente” da entidade, status que dá direito a voto nas conferências. Além desses dois, a ONU não contabiliza possessões e territórios. A Groenlândia, por exemplo, fica de fora porque é território da Dinamarca. Para ganhar a carteirinha de sócio, o país deve ter fronteiras definidas, sustentação econômica – uma moeda ajuda bastante – e soberania nacional. E ainda deve ser reconhecido pelos outros integrantes do clube. Mas a lista da ONU não é a única. Algumas associações esportivas também têm as suas. É o caso do Comitê Olímpico Internacional, com 202 membros, e da Fifa, que tem 205. Territórios como Aruba e Ilhas Cayman, não reconhecidos pela ONU porque pertencem, respectivamente, à Holanda e à Inglaterra, integram as duas entidades. Se você acha e tem muito país pra pouco mundo, saiba que isso é uma coisa relativamente nova: no início do século 20, havia apenas 57 nações. “Após a 1ª Guerra Mundial (1914-1918), o fim dos impérios austro-húngaro, na Europa, e turco-otomano, no Oriente Médio, fez com que surgissem novos países, como a Áustria e o Iraque”, diz a historiadora Maria Aparecida de Aquino, da USP. Décadas depois, a independência de ex-colônias da Ásia e da África dividiu mais o mapa. Nessa época surgiram Índia e Paquistão (1947) e Moçambique (1975), entre outros países. Na década de 1990, com o fim da União Soviética, o mundo ganhou outra leva de nações, como a Ucrânia e o Uzbequistão. E novas divisões ainda são traçadas em zonas de conflito. A Caxemira, na fronteira entre Índia e Paquistão, e a Chechênia, na Rússia, reivindicam a independência na ponta da baioneta.

Curiosidades

O MAIS RICO – Luxemburgo
Os afortunados habitantes fazem jus à herança aristocrática do país, cujo nome oficial é Grão-Ducado de Luxemburgo. A renda anual per capita dos luxemburgueses é de 43 940 dólares, segundo dados da ONU de 2003

O MAIS QUENTE – Líbia
Ao lado do Egito e com parte do seu território coberto por desertos (do Saara e da Líbia), esse país já registrou a temperatura mais alta do mundo: 58 ºC, em setembro de 1992, na cidade de El Azizia

O QUE MAIS MUDOU DE NOME – Congo
Na declaração de independência, em 1960, o nome era República do Congo. Em 1971, passou a se chamar Zaire. Em 1997, mudou para o nome atual. Antes da independência, a colônia francesa teve outros dois nomes: Estado Independente do Congo e Congo Belga

COM MAIOR POPULAÇÃO FEMININA – Letônia
Se você quer descolar uma companhia do sexo frágil, experimente passar as próximas férias nesse país, que tem 1,2 milhão de mulheres e 1 milhão de homens — uma relação de 1,2 para 1

COM MAIS JOVENS – Iêmen
Nesse pequeno país do Oriente Médio, metade da população tem até 15 anos de idade. Essa também é a média de idade do país, que tem mais de 7,3 milhões de crianças e adolescentes

O MAIS POBRE – Etiópia
A Etiópia está na lanterna quando o assunto é riqueza. A renda anual per capita é de apenas 90 dólares, quase 500 vezes menor que a de Luxemburgo. Só para comparar, cada brasileiro ganha, em média, 3 330 dólares por ano.

COM MAIOR POPULAÇÃO MASCULINA – Emirados Árabes Unidos
As 804 mil mulheres dos Emirados Árabes podem escolher entre 1,6 milhão de homens do país. A proporção de 2 homens por mulher é a mais alta do mundo.

O MAIS FRIO – Rússia
A cidade de Oymyakon, na Sibéria, é forte candidata a sorveteria humana. Lá, os termômetros costumam bater em -50 ºC durante o inverno. Oymyakon só perde para a Antártida, que já marcou -89,2 ºC, mas não é um país

O MENOS POVOADO – Mongólia
Se você percorrer uma área de um quilômetro quadrado na Mongólia, com sorte encontrará duas pessoas. No país, a densidade demográfica é de apenas 1,5 habitante por km2. Ninguém tem problemas com os vizinhos por lá!

COM MAIS IDOSOS – Japão
A população japonesa tem, em média, 41 anos — 15 a mais que a média mundial, de 26 anos. Quase 30 milhões de japoneses têm mais de 60 anos. E a expectativa de vida feminina chega aos 85,2 anos

O MAIS ANTIGO – China
O país já era unido em 221 a.C. Mas bem antes disso, em 1500 a.C., já havia instituições políticas por lá. O Iraque e o Egito, apesar da trajetória recente como nações independentes, também têm histórias que remontam a 3000 a.C.

O MAIS POVOADO – Cingapura
Todo mundo sabe que a China é o país mais populoso do mundo, com mais de 1,2 bilhão de habitantes. Mas o mais povoado, com mais gente espremida no território, é Cingapura, com 6 107 seres humanos por km².

O MAIS RECENTE – Timor Leste

Em 1999, após uma guerra civil cruenta, um plebiscito bancado pela ONU deu aos timorenses a tão sonhada independência, reconhecida oficialmente em 2002. O país havia sido anexado pela Indonésia em 1975.

Fonte: Onu

7255 – Qual é a maior estrada do mundo?


É a rodovia 1, na austrália, com 14.523 km de extensão. O primeiro trecho, de Brisbane a Adelaide, ficou pronto em 1955 e hoje dá a volta no país inteiro, passando por todos os estados australianos e por sete das oito capitais. Mais de 1 milhão de pessoas utiliza diaria- mente a rodovia, que também é a rota para muitos pontos turísticos, como parques nacionais, cidades litorâneas e regiões de florestas. Outras estradas com extensão impressionante são a Trans-Canadá, com 12,8 mil km, e a Transiberiana, na Rússia, com 11 mil km. No Brasil, a maior é a famosa rodovia BR-230, conhecida como Transa- mazônica. Ela vai da Paraíba ao Amazonas, com 4.977 km no total. Foi planejada e inaugurada no período da ditadura militar e era considerada uma obra faraônica por seu tamanho. Até hoje, alguns trechos estão sendo pavimentados.

7254 – Qual é o país com maior população carcerária do mundo?


São os Estado Unidos, com cerca de 2,3 milhões de presos. Em seguida vêm China, com 1,65 milhão de detentos condenados – estima-se que haja outros 650 mil à espera de julgamento –, e Rússia, que passa dos 800 mil presidiários. De acordo com pesquisa divulgada pelo King’s College London em 2009, cerca de 9,8 milhões de pessoas vivem atrás das grades ao redor do mundo. Baseando-se em dados oficiais enviados por órgãos penitenciários e de segurança de 218 países, o relatório também revela em que países os presidi- ários vivem mais apertados e onde está sobrando espaço nas celas.
– San Marino, república minúscula no norte da Itália, tem apenas dois presos ocupando um centro de detenção com lotação para 12 pessoas.

Dois terços dos presos brasileiros são de réus provisórios, aguardando decisão judicial, o que deixa cadeias e penitenciárias superlotadas, além de sobrecarregar as celas das delegacias

Presos – 496 mil

Vagas – 299 mil

Ocupação – 166%

Índia

Um presídio local oferece aulas de ioga para diminuir o número de presos: completar o curso reduz a pena. exemplos assim podem dar certo em outros países com superlotação prisional

Presos – 384 mil

Vagas – 297 mil

Ocupação – 129%

África do Sul

Além do excesso de presidiários, cerca de 40% deles têm o vírus da aids. Para cada 100 mil habitantes, há 316 presos

Presos – 159 mil

Vagas – 118 mil

Ocupação – 134%

Japão

A criação de mais de 15 mil novas vagas solucionou o problema da superpopulação nas cadeias japonesas

Presos – 74 mil

Vagas – 87 mil

Ocupação – 85%

– No Japão, existe até um presídio só para idosos

XADREZ CHINÊS
A China tem a segunda maior população prisional do mundo, mas ficou fora do infográficopor não revelar a capacidade do seu sistema prisional.

7253 – Qual é a empresa mais antiga ainda em atividade?


É o hotel Nisiyama onsen Keiunkan, um spa de águas termais em Hayakawa, Japão, fundado em 705. Ao longo de 13 séculos, o empreendimento já teve 52 proprietários. Além dos anos de tradição, os atrativos do hotel são as cerimônias de chá, as termas medicinais e os quartos em meio às montanhas. E esse tipo de negócio não é nada incomum na Terra do Sol Nascente: o segundo e terceiro lugares no ranking das mais antigas também são ocupados por hotéis nipônicos. Além disso, dentre as 11 empresas no mundo com mais de mil anos de operação, sete são japonesas, operando nos ramos de hotelaria, fabricação de sacos de papel, artigos religiosos e construção. No Brasil, a mais antiga é a Casa da Moeda, que, em 1694, começou a cunhar moedas com o ouro das minerações e até hoje fabrica o dinheiro do país. Levando em conta apenas corporações privadas, porém, a campeã é a Ypióca, que, em sua quarta geração familiar, já produziu 165 anos de cachaça.

7252 – Qual é a maior favela do mundo?


Não fica no Brasil, ufa!
É a comunidade de Kibera, em Nairobi, capital do Quênia, com cerca de 2,5 milhões de habitantes. Como em toda favela, as condições de saneamento, habitação e infraestrutura são extremamente precárias. Pela definição da Organização das Nações Unidas (ONU), favela é um conjunto de moradias em que se vive sem um ou mais dos seguintes itens: água potável, instalações sanitárias próprias, segurança e número suficiente de cômodos. A África é o continente com mais gente nessas condições: 61,7% dos habitantes. Em Serra Leoa, recordista mundial, 97% da população urbana vive em barracos. A Rocinha, maior favela do Brasil, é dez vezes menor do que Kibera, com cerca de 250 mil moradores.

Fonte: Onu

7251 – Qual é a praia mais bela do mundo?


É o arquipélago de Seychelles, na costa africana. O conjunto de 115 ilhas, banhadas pelo oceano Índico, liderou o ranking da revista Forbes e do site CNN Global Experiences, além de aparecer no The 10 Best of Everything, da National Geographic Society, no Top 100 Places of the World, da Traveller’s World Magazine, e ganhar títulos de patrimônio da humanidade pela Unesco. Com apenas 87 mil habitantes, o arquipélago de 455 km² reúne todos os pré-requisitos para ser o mais belo do mundo: areia branca, mar azul e fauna e flora exóticas. Cada ilha tem sua particularidade: Mahé tem os resorts mais luxuosos; Anse Source d’Argent é conhecida por suas rochas graníticas; em Aldabra é possível encontrar tartarugas-gigantes; e Valle de Mai mantém uma floresta tropical conhecida como Jardim do Éden. E, para manter esse cenário, o local tem uma política ambiental rigorosa e só permite o turismo sustentável. O arquipélago foi escolhido pelo casal real príncipe William e a duquesa Kate Middleton para a lua de mel.

O Paraíso é aqui – As mais bonitas do Brasil

Baía do Sancho
Menina dos olhos do arquipélago de Fernando de Noronha, a praia pernambucana tem águas cristalinas com coloridos bancos de corais, perfeitas para o mergulho.

Porto de Galinhas
Praia pernambucana top of mind, a vila de Ipojuca oferece bons hotéis e pousadas, além do melhor da cozinha nordestina

Bombinhas
Fica a 70 km de Florianópolis e abriga uma das praias mais lindas do país, com matas nativas. As águas límpidas são muito procuradas por mergulhadores.

Jericoacoara
A vila de pescadores conquista pela simplicidade, com dunas de areia e tranquilidade. O Washington Post já indicou o local como uma das mais belas praias do mundo.

Praia da Pipa
Balneário no litoral potiguar, a praia moderninha tem bons bares e restaurantes. Ponta do Madeiro e Praia do Amor dão um toque especial, com falésias, lagoas e dunas.

Nota: Pode haver muitos que discordem, mas o ranking foi feito por especialistas

Espiritismo e Teledramaturgia – A Viagem


a viagem

Foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 11 de abril a 22 de outubro de 1994, no seu horário das 19 horas, em 167 capítulos. Escrita por Ivani Ribeiro, com a colaboração de Solange Castro Neves, direção de Wolf Maya e Ignácio Coqueiro e direção geral de Wolf Maya.
Contou com Antônio Fagundes, Christiane Torloni, Guilherme Fontes, Maurício Mattar, Andréa Beltrão, Lucinha Lins, Miguel Falabella, Jonas Bloch, Laura Cardoso e Thaís de Campos nos papeis principais.

Enredo
Pego em flagrante num assalto, Alexandre Toledo, um jovem de classe média usuário de drogas e álcool, mata o homem que o surpreende e tenta fugir. Porém, seu irmão Raul e seu cunhado Téo o entregam à polícia. Tem uma irmã chamada Dináh, uma mulher bonita, charmosa e que tem muito ciúme de Téo, seu marido que é bem mais jovem que ela, com quem tem uma filha de 7 anos. Dináh é quem faz tudo para defender Alexandre. Vai procurar o renomado advogado Otávio Jordão para que represente Alexandre, mas se depara com um homem revoltado e disposto a fazer de tudo para condenar o rapaz, uma vez que o morto era seu melhor amigo. Assim sendo, Alexandre é condenado e preso, sofrendo muito. Para não passar mais de 20 anos sofrendo na cadeia, suicida-se, prometendo vingança “senão nessa vida, na outra”.
Com o suicídio de Alexandre, o médico e amigo da família Dr. Alberto Rezende põe-se a tentar ajudar a mãe dele, Dona Maroca, e a todos da família, dada a tragédia. Alberto é apaixonado por Dináh, mas depois volta suas atenções para Estela, irmã de Dináh, Raul e Alexandre. Estela tem problemas com sua filha adolescente Bia, que criou sozinha já que o marido, Ismael Novaes, é um mau caráter que a abandonou com a filha pequena. Porém, depois de anos de ausência, ele reaparece e passa a influenciar negativamente a filha contra a mãe.
Do lado cômico da trama existe a pensão de Dona Cininha, onde vivem Tibério, um bondoso funcionário público amigo de Estela e que acredita ter um amigo imaginário; Adonay, um homem misterioso apelidado de “Mascarado”, que esconde seu rosto horrivelmente deformado num acidente de adolescência; e o folgado Agenor, pai da jovem Lisa.
O Dr. Otávio, com quem Dináh passa a viver uma relação de ódio, culpando-o por tudo de ruim que aconteceu a seu irmão, é viúvo e pai de dois filhos: o jovem Tato e o garoto Dudu. Todavia, Alexandre, no vale dos suicídas, um lugar de dor e sofrimento para os que se matam, passa a atormentar a vida de todos, cumprindo o que prometera antes de morrer, como por exemplo deixando Tato drogado e alcoólatra, incentivando-o sem ele saber, para ele ir em prostíbulos e boates, além de bater em mulheres. Ele causa tudo isso para atingir Otávio.
Ele também acaba estragando o casamento de Raul e Andreza influenciando negativamente a sogra de seu irmão, Dona Guiomar, antes uma mulher doce que se torna uma víbora por causa de Alexandre. E ainda torna Téo um marido muito violento com Dináh. Seus principais alvos são o advogado, o irmão e o cunhado.
Dináh e Otávio acabam se apaixonando, bem como Téo e Lisa, ex-namorada de Alexandre que sofria muito por ele além de apanhar muito dele e ser abusada sexualmente quando não queria nada com ele. A única pessoa que se dá conta da malévola influência de Alexandre sobre os vivos é o Dr. Alberto, adepto do Espiritismo, que tenta fazer algo através de suas reuniões mediúnicas.
Morre o advogado Otávio (num acidente de carro provocado por Alexandre) e, depois, morre também Dináh (de um infarto fulminante após reencontrar sua sobrinhia, Bia que estava desaparecida, pois era sua última missão aqui na Terra). Eles se reencontram num lugar chamado “Nosso Lar”, uma colônia espiritual de fato existente para alguns espíritas, onde os espíritos evoluem e aprendem lições de amor e paz. De lá, juntos, com seu amor capaz de superar todas as barreiras, os dois tentam reverter a influência diabólica de Alexandre, que está preso no “Vale dos Suicídas”, sobre os seus entes queridos na Terra. Farão Alexandre perdoar a todos, e ir para colônia “Nosso Lar”, um lugar de paz, amor e evolução espiritual, para que Alexandre reencarne e se torne melhor, além de evoluir espiritualmente.

7250 – CLT – Direito do Trabalhador Temporário


Print

Contratado pela empresa prestadora de serviços temporários, o trabalhador substitui o funcionário permanente da empresa tomadora ou atende um acréscimo extraordinário de serviços. Permanecem as regras de carga horária, repouso semanal remunerado e salário que atenda, no mínimo, o piso da função exercida. O trabalho temporário é regido pela Lei 6.019, de 3 de janeiro de 1974 e decreto 73.841 de 13 de março de 1974.
O contrato:
É firmado entre o trabalhador e uma empresa do setor de trabalho temporário devidamente autorizada pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Deve ter duração máxima de três meses, com direito a prorrogação por igual período.
As diferenças entre temporários e efetivos não são muitas. No entanto, muitos empregadores tentam “burlar” as regras. Qualquer tipo de informalidade, como contratar funcionários temporários sem carteira de trabalho assinada é passível de ação trabalhista.
É importante que o contratado saiba que tem direito a remuneração igual a dos empregados que ocupam a mesma função na empresa: pagamento proporcional de férias, 13º salário no término do contrato, pagamento de horas extras, vale-transporte, contribuição ao FGTS, inscrição na Previdência Social e contagem de tempo de contribuição para a aposentadoria.
A única diferença normalmente é com relação à rescisão do contrato. Se o empregado temporário permanece, ao final desse prazo, por exemplo, ele não tem direito nem a aviso prévio e nem indenização de 40%. Vale ressaltar também que o contrato pode ser renovado por mais três meses, além dos iniciais.
A empresa prestadora de trabalhos temporários é a contratante do trabalhador e, portanto, responsável por sua remuneração e encargos sociais. Para proteger o trabalhador em casos de falência ou inadimplência da empresa prestadora, a legislação torna as empresas tomadoras solidariamente responsáveis pelos direitos trabalhistas e previdenciários dos empregados contratados temporariamente.
O processo de contratação para esses funcionários pode funcionar de duas formas: ou por meio de uma empresa especializada em empregos temporários ou diretamente com o profissional. Nos dois casos, o empregado terceirizado tem direitos de acordo com o previsto pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

7249 – O que é a “Imprensa Marrom”?


É uma expressão pejorativa utilizada para se referir a veículos de comunicação (principalmente jornais, mas também revistas e emissoras de rádio e TV) considerados sensacionalistas, ou seja, que buscam elevadas audiências e vendagem através da divulgação exagerada de fatos e acontecimentos, sem compromisso com a autenticidade.
É o equivalente brasileiro e português do termo em lingua inglesa “yellow journalism”. Em ambos os casos registam-se transgressões da ética jornalística.
Nos Estados Unidos, a expressão yellow press surgiu por causa do personagem de histórias em quadrinhos The Yellow Kid, criado por Richard Felton Outcault e um dos focos da disputa entre os jornais New York World e New York Journal American. Como as duas publicações se destacavam também pela competição levada às últimas consequências, os críticos começaram a se referir a ambas como “imprensa amarela”.
A expressão acabou se estendendo a outros jornais que se utilizavam dos mesmos expedientes do New York World: manchetes em letras garrafais, grandes ilustrações e exploração de dramas pessoais.
Há diferentes versões para a mudança de cor na tradução da expressão para o português. Segundo Alberto Dines, o conceito foi utilizado pela primeira vez no Diário da Noite, em 1960. Ao noticiar o suicídio de um cineasta, ele escreveu que a tragédia era resultado da atuação irresponsável da “imprensa amarela”. O suicida havia sido vítima de chantagem por parte da revista Escândalo. O chefe de reportagem Calazans Fernandes, então, mudou para “imprensa marrom”, alegando que o amarelo é uma cor alegre, enquanto o marrom seria mais apropriado por ser a cor dos excrementos.
Embora “imprensa marrom” seja normalmente considerada o equivalente da “yellow press” norte-americana, Leandro Marshall propõe uma diferenciação. Para ele, a imprensa amarela seria uma fase anterior, marcada pelo sensacionalismo, com fatos sendo exagerados nas páginas de jornais apenas com o objetivo comercial de atrair mais leitores. Já a imprensa marrom seria mais caracteristicamente definida como a manipulação da notícia com fins políticos.
Outros autores, porém, argumentam que o escândalo, a intriga política e a chantagem já faziam parte dos métodos utilizados pelos primeiros jornais sensacionalistas.

7248 – Jornal Notícias Populares


NP jornal mentiroso

Popularmente conhecido como o jornal que “você torce, sai sangue”. Muito sensacionalista, misturava mentiras com algumas verdades para confundir os leitores.
Foi um jornal que circulou em São Paulo entre 15 de outubro de 1963 e 20 de janeiro de 2001e era conhecido por suas manchetes violentas e sexuais. É considerado até hoje “sinônimo de crime, sexo e violência. Seu slogan era “Nada mais que a verdade”. O jornal era publicado pelo Grupo Folha, mesma empresa que publica os jornais Folha de S. Paulo e Agora São Paulo e publicava o jornal Folha da Tarde.
A decisão de extinguir o jornal foi tomada com o sucesso de programas de televisão como Aqui Agora, que usavam o mesmo estilo do jornal e reduziram o interesse do público pelo mesmo, e o Grupo Folha decidiu concentrar seu jornalismo popular no Agora São Paulo.
O jornal Notícias Populares atraiu muitos desafetos dentro do meio jornalístico, que acusavam o veículo de exagerar nos noticiários e até inventar notícias.

Bebê Diabo
Uma das mais famosas polêmicas em que o Notícias Populares esteve envolvido foi a série de reportagens sobre o “Bebê Diabo”. Na ocasião, jornalistas do NP aproveitaram-se da notícia de que um bebê havia nascido com deformações para inventar uma série de reportagens que iam se desenrolando ao decorrer das edições. Para os leitores os fatos inventados pela redação do periódico eram apresentados como se fossem verídicos.

NP2

Outra polêmica famosa foi quando o NP noticiou o desaparecimento do cantor Roberto Carlos, em 1968. O jornal havia recebido a informação de que um repórter da Rede Record não conseguia entrar em contato com o cantor, que estava em Nova York, fato que a redação do NP usou como pretexto para lançar, em letras garrafais, a manchete “Desapareceu Roberto Carlos”. A manchete fez o jornal vender cerca de 20 mil exemplares a mais.No dia seguinte, o NP voltou a aproveitar-se do mesmo tema ao lançar a manchete “Acharam Roberto Carlos”.

Pelezão
História do indigente que virou “ídolo das madames” após ter sido “violentado” pela “psicóloga tarada de Perdizes”, na madrugada de 28 de agosto de 1984. O caso Pelezão rendeu tantas manchetes quantas teve o “Bebê-Diabo”, que, na metade da década de 1970, mexeu com os nervos e a imaginação dos leitores, seguindo o rastro do filme O Exorcista.

pelezao

Manchetes distorcidas

Uma das principais características do estilo NP era distorcer fatos de forma a criar manchetes polêmicas que atraíssem a atenção dos leitores. Algumas das polêmicas manchetes que o jornal publicou foram:
“Bicha põe rosquinha no seguro”
“Aumento de merda na poupança”
“Broxa torra o pênis na tomada”
“A morte não usa calcinha”
“Churrasco de vagina no rodízio do sexo”
“Traficantes derrubam avião no Jd. Ângela” (o avião no caso, é uma gíria para os garotos que repassam a droga entre o consumidor e o traficante)
Sucuri virou churrasco

7247 – Natal, dos sonhos à realidade


A única celebração cristã com direito a fogos de artifício e contagem regressiva já era uma festa antes de o aniversariante da noite nascer. E hoje o Natal é a data mais querida do capitalismo, que movimenta bilhões até em países onde Jesus Cristo é menos conhecido que o Papai Noel.

ANIVERSÁRIO SEM DATA Zero. Esse é o número de textos bíblicos que revelam a data do nascimento de Jesus.
7 (A.C) & 7 (D.C) são anos prováveis para o nascimento do Messias, segundo historiadores. Mas o dia exato é uma incógnita.
Em 104 (d.c.) um bispo determinou que o nascimento de Cristo havia ocorrido entre 17 e 25 DE DEZEMBRO. Era para coincidir com a época das saturnais, um carnaval romano.
336 (d.c.) foi o primeiro ano em que comemoraram o Natal em 25 de dezembro.
Seu endereço tradicional é na cidade de Rovaniemi, capital da Lapônia, na Finlândia. As cartas enviadas para ele ficam expostas num parque temático.
Rovaniemi recebe 600 mil cartas para o Papai Noel por ano.
FIN-96930 é o CEP do Papai Noel.
17 séculos, é a idade aproximada do Papai Noel. Ou, pelo menos, do homem que inspirou a lenda: são Nicolau, que viveu no século 4 na atual Turquia.
Há 300 anos holandeses levaram o culto a são Nicolau (Sinter Klaas na língua deles) para os EUA. Daí o “Santa Claus” gringo.
2,5 bilhões é o número de casas que Papai Noel teria de visitar para presentear todas as famílias do mundo.
O bom, e esforçado, velhinho teria de percorrer 50 milhões de quilômetros.

QUEM ACREDITA EM PAPAI NOEL

85% das crianças de 4 anos

65% das crianças com 6 anos

25% das crianças de 8 anos

E ele tem mais de 50 nomes, incluindo:

Pai Natal em português de Portugal

Père Noël em francês

Dede Moroz Pai da Neve, em russo

Sion Corn Velho da Chaminé, em galês

Capitalismo Selvagem:
180 MIL vagas foram abertas em shoppings brasileiros em 2009 para as vendas de Natal.
Sinal de que o trenó da crise econômica passou voando: o número de vagas é 25% maior que o de 2008.
As vendas nos supermercados devem aumentar em até 7,4%
Os brasileiros devoram 44 mil toneladas de panetone por ano. 71% só no estado de São Paulo.
Este ano, as compras de Natal movimentarão R$ 224 bilhões.
Isso dá 8,5% do PIB brasileiro
Durante 28 anos o Natal foi proibido em Cuba. Fidel baniu Noel da ilha entre 1969 e 1997.
Os americanos gastam, em média, US$ 835 em presentes durante o Natal.
É mais que a renda anual média de um morador da Somália, de US$ 600.

19/1 é o dia de Natal para os 6 milhões de cristãos da Igreja Ortodoxa Armênia.
7/1 é data para os 265 milhões de cristãos da Igreja Ortodoxa Oriental.
25/12 vale para o “resto”: 1,3 bilhão de católicos e protestantes.
160 países transformaram o Natal em feriado – até alguns com poucos cristãos, como Índia e Paquistão.

7246 – Papai Noel ou Papão Noel?


papão noel

O Papai Noel é um dos personagens mais queridos de nosso planeta. Afinal, ele traz os presentes no Natal e vive para alegrar as crianças, certo? Errado. A julgar por um levantamento realizado em Nova York, ou elas perderam a inocência (e não acreditam mais no Bom Velhinho) ou têm alguma desconfiança com relação àquele senhor de barbas brancas. A conclusão é que a última coisa que os pequenos de fato fazem diante da grande figura de roupas vermelhas é sorrir.
Para realizar a pesquisa sobre a relação das crianças com o Papai Noel, Trinkaus recrutou um grupo de voluntários, que ficaram de plantão em dois shopping centers e uma loja de Nova York que contrataram atores fantasiados para esquentar as vendas antes do Natal. O método, bastante simples e eficaz, previa que os observadores anotassem, numa planilha, a reação dos pequenos ao ver o Bom Velhinho. Como em todo bom trabalho estatístico, a planilha indicava seis respostas possíveis, numa escala de “animado” até “aterrorizado”, passando por “feliz”, “indiferente”, “hesitante” e “entristecido”. Os números não deixam margem a dúvidas: nada menos que 98% dos 300 meninos e meninas analisados nos dois shoppings ficaram indiferentes ou hesitantes. Na loja, a porcentagem foi apenas ligeiramente menor: 93% de um total de 30 crianças. Nos dois grupos pesquisados, foi registrada apenas uma reação “animada”

O bom velhinho não é mais aquele
Diante da figura do Papai Noel, as crianças dos shoppings de Nova York ficaram…
SHOPPINGLOJA
Animadas 0%0%
Felizes 1%7%
Indiferentes 82%73%
Hesitantes 16%20%
Entristecidas 0%0%
Aterrorizadas 1%0%

7245 – Universo está parando de fabricar novas estrelas


estrelas

Já não se fazem mais estrelas como antigamente. Um novo estudo mostra que 95% de todas elas já nasceram.
Também, pudera. Lá se vão 13,7 bilhões de anos, dos quais durante todo o tempo, salvo os 500 milhões de anos iniciais, o Cosmos vem fabricando novas estrelas.
A essa altura, a matéria-prima para a formação estelar –nuvens de gás– está em vias de se tornar insuficiente para novas fornadas.
O trabalho, sob a batuta de David Sobral, da Universidade de Leiden (Holanda), teve observações de três diferentes instalações: o Ukirt e o Subaru, no Havaí, e o VLT (Very Large Telescope), no Chile.
Graças a essa combinação, astrônomos conseguiram observar diversas amostras de galáxias. Embora seja difícil distinguir estrelas individuais nesses casos, é possível analisar o espectro (a “assinatura” de luz) e identificar o nível de formação estelar.
E, como a luz desses objetos que chega até nós tem velocidade finita, viajando a 300 mil km/s, quanto mais longe olhamos, mais velha é a luz (o que permite estudar estados antigos do Universo).
“Obtivemos amostras grandes e robustas de galáxias que correspondem a 4,2 bilhões, 7 bilhões, 9,2 bilhões e 10,6 bilhões de anos atrás”.
A referência buscada no espectro é uma emissão na chamada linha H-alfa do hidrogênio. “É a mais confiável de todas”, afirma Laerte Sodré Junior, do IAG (Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas) da USP.
Segundo ele, as principais conclusões estão de acordo com outros trabalhos. “Todos eles sugerem que a ‘época de ouro’ da formação estelar ocorreu há muito tempo e, essencialmente, em todo o intervalo de tempo coberto pelo estudo, a taxa de formação estelar vem decrescendo.”
Não deixa de surpreender o fato de que restam só 5% para que o “download de estrelas” seja completado. Dali para frente, o Universo terá de se resignar a, calma e lentamente, se encaminhar para um tedioso apagar das luzes. Isso se a tendência for mantida.

7244 – O Cão Selvagem


cão selvagem

Carnívoro, seu prato preferido é o antílope, mas nas regiões em que esses bichos vivem, os cães são raros. Observando-se 300 cachorros de tal espécie, na África do Sul, notaram que os antílopes são vizinhos dos leões, estes, embora não ataquem cachorros adultos, adoram a carne de seus filhotes, por isso, quando vão caçar seus antílopes, andam um pouco mais para longe de casa.
O cão selvagem africano (Lycaon pictus) pratica um eficiente jogo de equipe na hora de garantir sua refeição. Ele caça em grupo, alternando-se com outros companheiros de matilha na tarefa de perseguir a presa, que dificilmente consegue escapar do bem bolado revezamento. Mas nem mesmo essa eficiência tática tem sido suficiente para livrar a espécie da ameaça de extinção, devido à perseguição humana e à transformação de grandes extensões de seu hábitat natural (as savanas) em pastagem. Calcula-se que restam apenas entre 3 mil e 4 mil indivíduos vivendo em liberdade. Os cães selvagens se diferenciam fisicamente dos cachorros domésticos por terem quatro e não cinco dedos nas patas. Sua pelagem malhada (marrom, preta ou cinza) faz com que muitas vezes sejam confundidos com as hienas. Eles medem até 1,12 metro de comprimento, pesam entre 16 e 23 quilos e são excelentes caçadores.
Dotados de orelhas grandes e arredondadas, têm as pernas compridas e o corpo esguio, características que os ajudam a percorrer longas distâncias, o que é fundamental, pois eles são nômades – bandos costumam se deslocar por áreas superiores a 500 quilômetros quadrados. Antigamente, os cães selvagens viviam em quase todo o continente africano, exceto no deserto do Saara. Hoje, porém, só são encontrados em oito países: Botswana, Zâmbia, Tanzânia, África do Sul, Zimbábue, Senegal, Namíbia e Quênia. Quando eram mais abundantes, vagavam em grandes grupos de 40 a 50 animais, mas agora não reúnem nem 20 membros. As matilhas são compostas por vários machos aparentados e uma ou mais fêmeas. Apenas um par no bando acasala e os filhotes, até poderem pegar suas próprias presas, são alimentados pelos demais membros do grupo.
Ao contrário da maioria dos felinos, que caçam ao entardecer, os cães selvagens preferem agir ao longo do dia. Impalas e gazelas são seus pratos favoritos. Na hora de escolher uma vítima, dão preferência para os animais velhos ou doentes
Após identificar a melhor presa, um ou mais cães disparam em sua direção, iniciando a perseguição. O resto da matilha fica à espreita, aguardando o momento certo para colocar em ação o próximo passo do plano de ataque.
Passados alguns minutos, é a vez de os cães que estavam apenas observando entrarem na perseguição. Descansados, eles substituem os primeiros caçadores e têm muito mais chances de pegar a presa, que está exausta
Quando a vítima é finalmente alcançada, vem o bote final. Um dos cães morde com força o focinho dela, enquanto os outros atacam na altura do estômago, matando a presa em poucos segundos.
Para evitar que leões e hienas roubem a caça, eles a devoram rapidamente. A partilha é feita sem brigas e, se a comida não for suficiente, tem início uma outra caçada
Alguns cães levam parte da presa para os filhotes e para os membros do bando que cuidaram destes. Às vezes os cães “entregadores” armazenam grandes quantidades de carne em seus estômagos para regurgitá-la quando encontram os filhotes.