6107 – Futebol – Duelo Brasil X Argentina: Quem tem Messi tem quase um Messias…


Mais uma vez ele fez a diferença, apesar dos críticos afirmarem que seu rendimento na seleção argentina seja inferior ao rendimento no clube, é um jogador que estáhoje no auge da carreira.
Lionel Andrés Messi, nascido em Rosário, 24 de junho de 1987, é um futebolista argentino que atua como atacante ou meia ofensivo. Atualmente, joga pelo Barcelona e pela Seleção Argentina, equipe a qual é capitão desde 2011.
Na opinião da grande maioria dos especialistas do esporte, sua qualidade técnica, jogadas, velocidade, habilidade na perna esquerda, trabalho de equipe e extraordinária vocação para o gol, o tornam o melhor futebolista do mundo atualmente. Os europeus desde já o comparam aos grandes nomes da história do futebol, como Pelé, Garrincha, Di Stéfano, Maradona, Puskas ou Cruijff. Seus feitos com a camisa do Barcelona o levaram a arrebatar por três vezes consecutivas (2009, 2010 e 2011) o Ballon d’Or, oferecido pela revista francesa especializada France Football, a mais tradicional premiação do futebol dado ao melhor futebolista europeu, que a partir de 2011 passou a denominar-se Bola de Ouro da FIFA. Em março de 2012, com apenas 24 anos, Messi se tornaria o maior artilheiro da história do Barcelona, superando o ídolo do clube catalão nas décadas de 1940 e 1950, César Rodríguez.
Ele é apontado por alguns críticos como o sucessor de Maradona. Conhecido por sua habilidade, foi contratado pelo Barcelona quando tinha apenas 13 anos. Desde então, passou por todas as categorias de base do time espanhol até chegar, aos 16 anos, ao time principal. No Mundial Sub-20, em 2005, foi campeão com a Argentina, além de artilheiro e eleito o melhor atleta do campeonato. Em 2006, Messi disputou a Copa do Mundo da Alemanha e, em 2007, foi escolhido o segundo melhor jogador do planeta, perdendo o prêmio da Fifa para Kaká. Na temporada 2008/2009, voltou a brilhar: foi campeão olímpico e o principal jogar do Barcelona na conquista da Champions League e do Campeonato Espanhol. O argentino é considerado o favorito para a escolha de melhor jogador do mundo neste ano.

Todo brasileiro que gosta de futebol odeia perder da Argentina. E vice-versa. A rivalidade se apoia em uma razão simples: ambos acreditam ter a melhor seleção do mundo. Juntas, as seleções já venceram sete das 18 Copas do Mundo, além de 22 edições da Copa América. O equilíbrio entre as equipes é tão grande que, pelos dados da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em 92 confrontos, o Brasil tem 36 vitórias contra 33 da Argentina. São 23 empates e os argentinos têm um gol a mais (146 a 145) – até agosto de 2009.
Principal seleção de futebol do planeta, o Brasil é conhecido por revelar jogadores como Pelé, Garrincha, Ronaldo, Romário, Zico e outras dezenas.Tem cinco títulos de Copa do Mundo (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002), oito de Copa América e duas Copas das Confederações, é o maior vencedor da história do futebol. Falta porém, a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos.
Os brasileiros venceram dois dos quatro confrontos contra a Argentina em Copas e um acabou empatado. A primeira vitória foi em 1974, na Alemanha Ocidental, por 2 a 1, com gols de Rivelino e Jairzinho. No segundo jogo, nada de gol, 0 a 0 em Rosário, na Argentina, em 1978. O Brasil foi eliminado sem perder – o Peru facilitou a vida dos argentinos e foi goleado por 6 a 0, placar que eliminou o Brasil. A Argentina venceu a Holanda na final e tornou-se campeã. Quatro anos depois, o time de Telê Santana venceu por 3 a 1.

Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, é considerado o maior jogador de todos os tempos – exceto pelos argentinos. Em sua carreira, conquistou três Copas do Mundo e fez 1.375 gols. Em 2000, o brasileiro foi eleito pela Fifa o melhor jogador do século XX, à frente do craque argentino Diego Maradona.

Argentina – Uma das seleções mais bem-sucedidas do mundo, já conquistou os quatro grandes títulos do futebol: Copa do Mundo (1978 e 1986), Jogos Olímpicos (2004 e 2008), Copa das Confederações (1992) e seu campeonato continental (14 títulos da Copa América). Também é um país famoso por revelar grandes jogadores, como Di Stéfano, Maradona e Messi.
Para um brasileiro, é impossível esquecer o drible de Caniggia sobre Taffarel, eliminando o Brasil da Copa da Itália, nas oitavas de final, em 1990. O jogo estava disputado, quando Maradona deu uma de suas arrancadas, driblou os volantes brasileiros e colocou a bola no pé de Caniggia. O atacante deixou Taffarel no chão e empurrou a bola para o gol. Desta forma, a Argentina despachou o grande rival para casa.
Diego Armando Maradona é considerado pelos argentinos o maior jogador da história do futebol. O craque foi responsável pelo título argentino da Copa de 1986 – foi o autor de um dos gols mais bonitos da história das Copas e também de um gol de mão. Na Copa de 1994, nos EUA, foi pego no antidoping.
Pelo lado dos argentinos, o maior carrasco do Brasil é sem sombra de dúvidas o ex-atacante Caniggia. O argentino foi o responsável pela eliminação do Brasil na Copa do Mundo da Itália, em 1990. Outros quatro jogadores argentinos conseguiram marcar três gols em uma mesma partida contra o Brasil. São eles: Seoane (1925), Peucelli (1940), Méndez (1945) e Sanfilippo (1959).

6106 – O que foi feito com o corpo de Hitler?


Após matar Osama bin Laden, em maio de 2011 e que causou uma estranha comemoração pelo povo norte-americano, já que o problema do terrorismo não foi resolvido; o governo dos EUA decidiu jogar o corpo no mar a fim de que não houvesse um túmulo em que seguidores do terrorista prestariam homenagens. O argumento não é novo. Para evitar peregrinações à sepultura, inimigos somem com o corpo.
Personagens adorados por um povo também passaram por isso. “Apesar de terem histórias diferentes, os corpos de Hitler e de Evita eram temidos pelo mesmo motivo: tornaram-se ícones temidos”.

Adolf Hitler

Em 1970, três agentes da KGB desenterraram a ossada do ditador, escondida desde o fim da 2ª Guerra. Cremaram e jogaram as cinzas ao vento. O único agente vivo, Vladimir Gumenyuk, recusou ofertas milionárias para revelar o local da despedida.

Evita Perón

Temendo o fortalecimento do peronismo na Argentina, os militares que derrubaram seu marido, Juan Domingo Perón, em 1955, sequestraram o corpo, que foi parar sob nome falso em um cemitério em Roma. Evita voltou a Buenos Aires em 1974.

Antônio Conselheiro

A cabeça do líder espiritual de Canudos foi enviada à Faculdade de Medicina de Salvador para ser estudada em 1897. Acreditava-se que sua loucura poderia ser diagnosticada pelo formato do crânio. Oito anos depois um incêndio misterioso destruiu tudo.

6105 – Tecnologias – O Infravermelho


É um tipo de radiação eletromagnética com comprimento de onda entre 10 elevado a -6 e 10 elevado a -3, ligeiramente mais longa que a luz visível. Situa-se no espectro entre a luz vermelha e as microondas; é emitido por corpos aquecidos mais intensamente se são vermelhos ou brancos e as vezes chamado de radiação térmica. Quando penetra num material torna-se apto a conceder sua energia aos átomos em vibração, de modo que, a amplitude de vibração deles aumenta, em consequência é usado como fonte de calor.

Um pouco +
A radiação infravermelha (IV) é uma radiação não ionizante na porção invisível do espectro eletromagnético que está adjacente aos comprimentos de onda longos, ou final vermelho do espectro da luz visível. Ainda que em vertebrados não seja percebida na forma de luz, a radiação IV pode ser percebida como calor, por terminações nervosas especializadas da pele, conhecidas como termorreceptores.
A radiação infravermelha foi descoberta em 1800 por William Herschel, um astrônomo inglês de origem alemã. Herschel colocou um termômetro de mercúrio no espectro obtido por um prisma de cristal com o a finalidade de medir o calor emitido por cada cor. Descobriu que o calor era mais forte ao lado do vermelho do espectro, observando que ali não havia luz. Esta foi a primeira experiência que demonstrou que o calor pode ser captado em forma de imagem, como acontece com a luz visível.Tal radiação é muito utilizada nas trocas de informações entre computadores, celulares e outros eletrônicos, através do uso de um adaptador USB IrDA.
Efeitos biológicos

A radiação IV está dividida segundo seus efeitos biológicos, de forma arbitrária, em três categorias: radiação infravermelha curta (0,8-1,5 µm), média (1,5-5,6 µm) e longa (5,6-1.000 µm). Os primeiros trabalhos com os diferentes tipos de radiação IV, relatavam diferenças entre as formas de ação biológicas do infravermelho curto e médio/longo (Dover et al., 1989). Acreditava-se que a radiação curta penetrava igualmente na porção profunda da pele sem causar aumento marcante na temperatura da superfície do epitélio, enquanto que a maior parte da energia do infravermelho médio/longo era absorvida pela camada superior da pele e freqüentemente causasse efeitos térmicos danosos, como queimaduras térmicas ou a sensação de queimação (relato de pacientes). Alguns anos mais tarde, contudo, uma nova visão do infravermelho médio/longo foi apresentada demonstrando que todas as faixas da radiação infravermelha possuem efeitos biológicos de regeneração celular.
Estudos in vitro com infravermelho curto, em células humanas endoteliais e queratinócitos demonstraram aumento na produção de TGF-β1 (fator de transformação- β1) após uma única irradiação (36-108J/cm2) e de forma tempo-dependente para o conteúdo de MMP-2 (matrix metaloproteínase-2), sendo este último tanto ao nível protéico quanto transcricional. Essas duas proteínas estão envolvidas na fase de remodelamento do reparo de lesões.
A utilização de LEDs (Light Emitting Diode – diodos emissores de luz) de infravermelho curto demonstrou reversão dos efeitos do TTX (tetrodotoxina), um bloqueador dos canais dependentes de sódio, e portanto, um bloqueador de impulso nervoso; assim como a redução nos danos causados à retina por exposição ao metanol em camundongos.
Já experimentos com o IV longo demonstraram inibição do crescimento tumoral em camundongos e melhoria no tratamento de escaras em situações clínicas.
Experimentos utilizando LED de IV, os quais trabalham com geração praticamente zero de calor, levam a acreditar que além do efeito regenerativo provocado pelo calor existe ainda um efeito bioestimulatório regenerativo decorrente de um processo não-térmico. Contudo, esse processo ainda não é bem compreendido.

6104 – Quem inventou o Xadrêz?


A origem é controversa, mas é possível afirmar que o jogo foi inventado na Ásia. Atualmente, a versão amplamente difundida é a de que teria surgido na Índia com o nome de chaturanga e dali se espalhou para a China, Rússia, Pérsia e Europa, onde se estabeleceram as regras atuais. Entretanto, pesquisas recentes indicam uma possível origem na China do século III a.C., na região entre o Uzbequistão e a Pérsia antiga (atual Irã).
Um dos primeiros registros literários sobre o xadrez é o poema persa Karnamak-i-Artakhshatr-i-Papakan, escrito no século VI, e, a partir desta época, sua evolução é mais bem documentada e amplamente aceita no meio acadêmico. Após a conquista da Pérsia pelos árabes, estes assimilaram o jogo e o difundiram no ocidente, levando-o ao norte da África e Europa e até as atuais Espanha e Itália por volta do século X, de onde se expandiu para o resto do continente chegando até a região da Escandinávia e Islândia. No oriente, o xadrez se expandiu a partir da sua versão chinesa, o Xiangqi, para a Coréia e Japão também no século X.
Por volta do século XV o jogo estava amplamente difundido pelo velho continente e, dentre as variantes existentes do jogo, a europeia foi a que mais se destacou, devido à rapidez proporcionada pela inclusão da Dama e do Bispo. Apesar de já existir literatura anterior sobre o xadrez na época, foi neste período que começaram a surgir as primeiras análises de aberturas em virtude das novas possibilidades do jogo.
As partidas começaram a ser registradas com maior frequência e mais estudos da teoria foram publicados. No século XVIII foram fundados os primeiros clubes para a prática do xadrez e federações esportivas na Europa, e em decorrência do grande número de pequenos torneios acontecendo por todo o continente, em 1851 foi realizado o primeiro torneio internacional em Londres. A popularidade das competições internacionais levou à criação do título de campeão mundial, vencido por Wilhelm Steinitz em 1886, e, em 1924, é fundada a Federação Internacional de Xadrez (FIDE), em Paris, que organiza a primeira Olimpíada de Xadrez e o mundial feminino, vencido por Vera Menchik.

Com a popularização dos computadores ao fim da década de 1950, começam a surgir os primeiros programas que jogam xadrez, que acompanharam a evolução do processamento de informação e introduziram o jogo na era moderna com competições on-line e acesso facilitado às análises das partidas.

A origem do xadrez ainda é motivo de debate entre os historiadores do enxadrismo, mas a teoria mais difundida é que tenha sido criado na Índia, durante a dinastia gupta por volta do século VI. Esta teoria é atestada pelos primeiros registros literários persas e pela análise da etimologia das palavras empregadas no jogo e sua evolução conjunta com o xadrez.
Entretanto, teorias alternativas propõem que o xadrez tenha sido criado num período anterior, em diferentes localidades como China, Irã e Afeganistão. Estas versões exploram evidências arqueológicas, militares, literárias e recursos da filogenética para contestar a teoria indiana.

O jogo teria surgido no século VI na Índia, com o nome de Shaturanga, que significa “os quatro elementos de um exército”, em sânscrito. “É que todos os componentes das forças militares da época estavam representados”, diz o Mestre Internacional James Mann de Toledo, presidente da Federação Paulista de Xadrez. “A infantaria é formada pelos peões e a cavalaria pelos cavalos. Antigamente havia também carroças (depois trocadas por torres) e elefantes (posteriormente, bispos).” A partir da Índia, o jogo foi para a China e a Pérsia seguindo as rotas comerciais. Aliás, é da palavra persa shah, que significa rei, que vem o nome xadrez. “Os árabes, que conquistaram a Pérsia em 651, se encarregaram de difundir a prática do jogo”, afirma Carlo Callero, secretário-geral da Confederação Brasileira de Xadrez. Eles levaram seus tabuleiros para as terras que invadiram no norte da África e, quando ocuparam Espanha e Portugal entre 711 e 1492, trataram de introduzir a novidade na Europa. Foi nesse período que o xadrez ganhou o formato atual, incorporando elementos típicos da Idade Média, como os poderosos bispos e as torres dos castelos. “Também foi introduzida a rainha, a peça mais poderosa do jogo”, diz James. As regras não se alteraram desde o final do século XIV.

6103 – Memória e Disparidades – Um marajá na Previdência


O marajá

Desde agosto de 1990 sua aposentadoria está congelada e mesmo assim tem recebido centenas de salários mínimos por mês. Sua fantástica aposentadoria foi conseguida graças a uma sucessão de vitórias jurídicas e com uma aritmética no mínimo estranha.. Aposentou-se em 1972 como gerente de marketing da Coca Cola , como era ex combatente do exército e lei lhe concedeu aposentadoria integral com os mesmos reajustes concedidos aos trabalhadores ainda na ativa. Um gerente de marketing da Coca Cola tem um salário atual em torno de 5 mil reais, ele recorreu a justiça para reajustar a aposentadoria e se ganhar passará a receber 35 mil. Nenhum gerente de nenhuma empresa brasileira tinha esse salário. Em 1947 foi trabalhar em tal empresa em SP e em 1957 assumiu a gerência geral. no RJ. Na época vigorava a lei da estabilidade e em 1963 a empresa resolveu demiti-lo. Bailly foi a justiça e foi reintegrado assumindo a gerência de marketing. Na reintegração optou pelo FGTS (na época opcional), para ser demitido fez acordo e recebeu 60% do que teria direito em caso de demissão. No dia seguinte retornou a justiça pedindo aposentadoria integral. Após anos de luta, conseguiu juntar a sua aposentadoria ganhos indiretos que tinha como gerente: carro, verba de representação e plano de saúde. Após negado diversas vezes, seu pedido foi concedido.

Veja no ☻ Mega