6015 – Paleontologia – Os animais pré-históricos


Um dos maiores predadores entre os mamíferos de todos os tempos, o amphicyon ingens media 3,3 m de comprimento. Semelhante a um urso, também tinha característica de cachorros. Há 14,5 milhões de anos, caçava nas planícies da atual América do Norte.
Alguns lagartos do tempo dos dinossauros já tinham algumas características do que seriam os mamíferos, pode se dizer. Como o dimetrodon limbatus, com 2,9 m de comprimento, muito comum nas antigas terras da América do Norte há 280 milhões de anos.
As montanhas da região onde agora é o leste europeu formavam um ambiente ideal para os ursos de 14 mil anos atrás. O ursus spelaeus, com 2,10 m de altura foi uma das espécies que proliferaram nas muitas cavernas da região.
Há 30 mil anos, a família dos tamanduás e dos tatus incluía o lestodon armatus, com 3 metros de altura. Era uma preguiça, mas não se abrigava nas árvores, nem dormia de dia, como as de hoje. Ele andava no chão e dormia de noite. Era herbívoro, não deixou descendência e existiu apenas na América do Sul.

6014 – Genética – O gene do câncer de mama


Uma geneticista da Universidade da Califórnia, provou em 1990, que o gene do câncer de mama estava em algum lugar do cromossomo 17. Fez isso demosntrando que existiam alterações nesse cromossomo em centenas de pacientes com o câncer no seio e nos ovários, sendo que algumas dessas mulheres apresentavam os 2 tumores ao mesmo tempo. A partir daí, a cientista não cansou de procurar o gene culpado. Mesmo sem ter encontrado o endereço exato, ela foi reconhecida pelo mérito de ter lançado a corrida atrás do BRCA1.

Marie-Claire King

Ela é professora da Universidade de Washington , onde ela estuda as genética e interação da genética e as influências ambientais sobre as condições humanas, tais como HIV e lúpus , hereditário a surdez, e também câncer de mama e câncer de ovário.
King começou sua carreira com uma licenciatura em matemática (cum laude) da Faculdade Carleton . Ela completou seu doutorado em 1973 na Universidade da Califórnia, Berkeley em genética, após seu conselheiro Allan Wilson convenceu a mudar de matemática para a genética. Em seu trabalho de doutorado em Berkeley (1973), ela demonstrou por meio de análise de proteínas comparativa que chimpanzés e humanos são 99% geneticamente idênticos, um achado que surpreendeu o público na época, revolucionou a biologia evolutiva, e hoje é de conhecimento comum.
A descoberta do “gene do câncer de mama” revolucionou o estudo de inúmeras outras doenças comuns; antes e durante 16 anos de trabalho de King sobre este projeto, a maioria dos cientistas tinha desrespeitado as suas ideias sobre a interacção da genética com a doença humana complexa.

6013 – Origem da Lua


Um corpo do tamanho de Marte choca-se contra a Terra e arranca um enorme pedaço de crosta, dando origem à Lua. Tal teoria, chamada de colisão planetária foi formulada em 1946 pelo geólogo Daly e é vista com antipatia por não explicar a origem dos outros satélites. Porém, a credibilidade da teoria vem aumentando com a análise dos dados coletados na missão Apolo. A quantidade de tório e urânio encontrada nas rochas lunares, atesta que a Lua nasceu no mesmo tempo que a Terra, há cerca de 4,5 bilhões de anos. O solo lunar é muito rico em materiais refratários, como alumínio, cálcio e tório e mais pobre em elementos voláteis como o potássio, sódio e bismuto. O satélite poderia ter surgido também da condensação da nuvem de poeira que gerou todo o sistema solar e Terra.
Isso explicaria porque a Terra gira tão rápido: o choque no equador, no mesmo sentido da rotação do planeta, teria lhe dado um empurrão, fazendo com que completasse uma volta em torno de si mesmo em apenas 24 horas, Vênus precisa de 243 dias.

6012 – Psicanálise – Teorias de Freud


A fixação da libido ou energia erótica em fases infantis do desenvolvimento sexual seria responsável pelas perversões sexuais dos adultos, entre as quais, Freud inclui o homossexualismo.
As distorções no desenvolvimento sexual do indivíduo seriam, segundo Freud, a principal causa da neurose, a desordem mental caracterizada por ansiedade, mal-estar psicológico, sensação de infelicidade desproporcional as circunstâncias reais da vida da pessoa. As neuroses, formadas geralmente por volta dos 6 anos de idade, seriam justamente uma resposta do consciente ao conflito do inconsciente entre os impulsos do instinto e os padrões de comportamento impostos pela sociedade.
Em suas primeiras investigações da mente, Freud empregou a hipnose para trazer a luz as cenas traumáticas do passado. Abandonou-a porém, não só porque muitos pacientes não se deixavam hipnotizar, mas principalmente porque, embora a hipnose permitisse o acesso a memórias correspondentes a determinada região do inconsciente, criava nas fronteiras desta mesma região, barreiras ainda mais difíceis de serem transpostas.

6011 – Física – Por que o barco à vela pode ser mais rápido que o vento que o impusiona?


Duas forças atuam sobre o barco: a propulsão, causada pelo vento e agindo sobre a vela e a resistência hidrodinâmica, a força da água sobre o casco, que dificulta o deslocamento da embarcação. Quando o vento for lateral ao movimento do barco e a resistência hidrodinâmica baixa, a propulsão será suficiente para empurra-lo a uma velocidade maior que a do vento. A propulsão será constante, já que o ângulo de incidência do vento não se altera em relação ao movimento do barco.

6010 – Paleontologia – Baleia com patas?


Paleontólogos americanos da Universidade de Duke, na Carolina do Norte, encontraram no norte do Egito, o esqueleto de uma baleia antiga com patas rudimentares. O animal com corpo em forma de serpente, chamado de basiliosaurus, viveu há cerca de 40 milhões de anos e deve ter sido um ancestral comum das modernas baleias e dos mamíferos terrestres, que se deslocam sobre os pés. Os pesquisadores já desconfiavam que em um passado remoto, antes de se tornarem seres aquáticos, as baleias possuíam membros para se locomover. O esqueleto descoberto, além de confirmar as suspeitas, ajuda a entender o processo que levou a perda das patas. O exame dos ossos mostrou que as patas dianteiras do basiliosaurus, muito pesadas, deviam dificultar a sobrevivência do bicho na água, por isso, provavelmente deram lugar a ágeis nadadeiras. As patas traseiras, pelo mesmo motivo, desapareceram quase completamente, embora em algumas espécies de baleias ainda possam se notar pequenos nódulos na pélvis, no lugar onde os membros costumavam ficar.

6009 – Qual a diferença entre jacaré e crocodilo?


Você sabia que não existe crocodilo no Brasil? “Só jacaré”, diz Luís Felipe Toledo, pesquisador do Museu de Zoologia da Unicamp.

Mas qual é a diferença entre eles?

Jacarés são de uma família (Alligatoridae) e crocodilos, de outra (Crocodilidae). Uma diferença marcante é que os crocodilos têm o quarto dente inferior (na parte de baixo) à mostra, mesmo com a boca fechada (ele sai para cima do crânio). Já os jacarés não possuem esses dentes tão longos.

No Brasil, são seis espécies de jacarés:

Caiman crocodilus – jacaretinga

Caiman latirostris – jacaré do papo amarelo

Caiman yacare – jacaré do pantanal

Melanosuchus niger – jacareaçu

Paleosuchus palpebrosus – jacaré coroa

Paleosuchus trigonatus – jacaré coroa.