5855 – Economia e Política – De falido a bilionário


Veja

O congresso e o governo podem converter em bilionários os banqueiros que quebraram nos anos 90. A Lei n° 12.249, deu um desconto de 45% às sua dívidas. Agora a medida provisória 517 transformou suas moedas podres em dinheiro corrente. Ao todo a dívida é de 43 bilhões de reais.
São beneficiários os donos do Nacional, do Econômico, do Mercantil de Pernambuco e do Banorte.
A MP obriga o governo a receber moedas podres, papéis que estão nas mãos dos ex-banqueiros,pelo seu valor de face, como se fossem dinheiro vivo. Emitidas contra o Fundo de Compensação de Variações Salariais, tais moedas podres são negociadas com enormes descontos por investidores privados.

Um pouco +

O Banco Central (BC) vai abrir mão de R$ 18,6 bilhões para que quatro bancos que quebraram nos anos 1990 quitem suas dívidas. Essas instituições estão inscritas no Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (Proer).
Em dezembro do ano passado, a dívida de Banorte, Econômico, Mercantil de Pernambuco e Nacional, que estão em liquidação, somava R$ 61,705 bilhões. Com os descontos proporcionados pelo Refis da Crise, eles podem quitar os débitos por R$ 43,048 bilhões.
Mesmo com o desconto, a guerra nos bastidores persiste. Os cálculos feitos pelos bancos divergem dos números do BC, que, por sua vez, não está disposto a negociar valores. Pela interpretação dos bancos falidos, a Lei do Refis garante um abatimento de R$ 25,186 bilhões, ou seja, o endividamento seria reduzido para R$ 36,518 bilhões.