5370 – Cientistas criam transistor do tamanho de um átomo


Folha Ciência

Cientistas australianos construíram o menor transistor do mundo a partir de um único átomo, o que representa um passo importante rumo ao desenvolvimento dos futuros computadores quânticos, informaram nesta segunda-feira à imprensa local.
O diminuto aparelho eletrônico tem um único átomo de fósforo, o qual é colocado com muita precisão em um cristal de silício, publicou o portal de notícias do “Sydney Morning Herald”.
No passado já tinham sido desenvolvidos aparelhos compostos por um único átomo, embora eles tivessem um erro de dez nanômetros no posicionamento de átomos, uma situação que afetava seu funcionamento.
O avanço dos cientistas australianos consistiu em colocar com “excelente precisão” o átomo de fósforo, assegurou a chefe do projeto e diretora do Centro de Computação Quântica da Universidade de Nova Gales do Sul e chefe do projeto, Michelle Simmons, segundo o SMH.
Para este projeto foi usado um microscópio de varredura por tunelamento para substituir um de seis átomos de silício por um de fósforo com uma precisão maior a meio nanômetro.
Assim, este único átomo de fósforo foi colocado entre dois pares de eletrodos, o primeiro a 20 nanômetros de distância e o outro a 100 nanômetros, explicou o SMH.
Ao aplicar voltagens ao longo dos eletrodos, o nanoaparelho operou como um transístor que amplia e muda os sinais eletrônicas, segundo a pesquisa publicada na revista “Nature Nanotechnology”.
Este nanotransistor representa um grande passo rumo ao desenvolvimento de computadores quânticos, aparelhos de grande poder que permitirão realizar cálculos, quase de forma instantânea, que atualmente os computadores mais avançados não podem realizar.
Calcula-se que ainda deverão passar cerca de 20 anos antes que este tipo de computadores quânticos possam estar ao alcance do público.

5369 – Por que, quando uma bexiga estoura, faz barulho?


A pressão do ar dentro da bexiga é cerca de 10% superior à pressão atmosférica fora dela. “Por isso, quando estouramos um balão, fazemos com que haja uma expansão repentina do ar comprimido que estava em seu interior”, explica um físico da Universidade de São Paulo. A expansão cria uma onda de pressão no ar, parecido com o estouro de uma bomba. A onda se propaga a uma velocidade de 340 metros por segundo até chegar ao ouvido, fazendo vibrar abruptamente os tímpanos. A diferença do estouro da bexiga e da bomba é que, no primeiro caso, o ar comprimido se expande pelo rompimento da borracha e no caso da bomba pelo rápido aquecimento da combustão.

5368 – O que é mais prejudicial : o alcoolismo ou o tabagismo?


O cigarro mata muito mais gente do que a bebida – segundo a Organização Mundial de Saúde, três milhões de mortes ao ano são provocadas pelo tabaco e 750 000 pelo álcool. Há duas razões principais para isso: fumar é um hábito muito mais disseminado e freqüente do que beber; e o tabagismo é apontado como causa de mais de 40 doenças cardíacas e respiratórias. A nicotina, responsável pela dependência química, é apenas uma das 4 700 substâncias presentes no cigarro – e, desse total, entre 40 e 60 são reconhecidamente cancerígenas. “O álcool apresenta-se como um flagelo mais dramático, porque está associado à desintegração familiar e a um grande número de mortes entre adultos jovens, em acidentes de trânsito ou atos de violência.
Isso faz parecer que é um vício mais perigoso, mas o cigarro mata, mais lentamente, um número bem maior de pessoas”, afirmau um psiquiatra do Ambulatório de Tabagismo do Hospital das Clínicas de São Paulo. “O tabaco, na verdade, mata mais que todas as outras drogas juntas”, diz ele. Sem contar, é claro, que muitas vezes essas duas dependências químicas andam de mãos dadas.

5367 – Anatomia – Para que serve a nádega?


Anatomicamente, a bunda é um conjunto de quatro músculos que têm a função de sustentar o quadril e movimentar as pernas”, diz o clínico geral José Antônio Atta, do Hospital das Clínicas, em São Paulo. Como o ser humano anda em pé, essa região ficou, digamos, mais ressaltada – nos animais quadrúpedes, a bunda se mescla à curvatura natural do resto do corpo. Outra função é proteger o quadril na hora de sentar. Por ser uma espécie de almofada natural, essa é uma das regiões do corpo que mais acumula gordura. Mas o que faz da bunda uma das regiões mais comentadas é o seu simbolismo.
Os homens vêem as mulheres de quadril grande como boas reprodutoras. Por possuir muita gordura, a bunda também se relaciona à saúde e à prosperidade.” Não é à toa que as danças sensuais abusam do rebolado.

5366 – O que são radicais livres?


São moléculas liberadas pelo metabolismo do corpo com elétrons altamente instáveis que podem causar doenças degenerativas de envelhecimento e morte celular. “Em geral, os radicais livres se combinam com outras moléculas e são aniquilados em milésimos de segundo. O problema é quando há um aumento da produção que não é absorvido pelo organismo. Exercícios físicos exagerados (aumentando o consumo de oxigênio), muita exposição ao sol, cigarro e abuso de alimentos fritos e refinados são alguns dos responsáveis pelo excesso de produção dessas moléculas. Para inibir a superprodução, o ser humano conta com a ajuda da enzima superóxido dismutase, produzida pelo organismo.
Com o passar dos anos, o corpo diminui a produção dessa enzima e os radicais livres atacam as células . Alimentos que contêm propriedades antioxidantes como o beta-caroteno e as vitaminas C e E, podem, contudo, retardar esse processo. O mamão, a laranja, a cenoura, o morango e o espinafre estão entre eles.

5365 – Bobos da Corte – Leis absurdas


Há leis ridículas espalhadas pelas constituições e pelos códigos de países do mundo inteiro. Algumas delas são relíquias caducas que perderam o sentido há séculos mas ninguém lembrou de revogar. Outras são excentricidades de algum parlamentar esquisito que foram aprovadas sabe Deus como. Os Estados Unidos, com seu sistema federativo no qual os Estados e até os municípios têm bastante autonomia para fazer legislações próprias, é recordista absoluto em normas absurdas. Mas nenhum país do mundo escapa, nem mesmo a racional França, país que leva o Direito e os direitos muito a sério. Claro que o Brasil não seria exceção. Com vocês, as leis mais idiotas do mundo.
A cidade de Miami, na Flórida, Estados Unidos, não sabe o que fazer com suas buzinas. Uma norma de 1967 estabelece que “nenhuma pessoa deve operar uma bicicleta que não esteja equipada com um sino ou equipamento capaz de produzir um sinal audível a pelo menos 100 pés (30 metros) de distância”. Outra lei, de 1980, proíbe os ciclistas de utilizar esses mesmos equipamentos de alerta sonoro. Ou seja, lá todo mundo tem que ter buzina mas ninguém pode usar.
Uma lei do Estado americano do Tennessee determina que é proibido praticar caça esportiva sobre qualquer veículo em movimento. O regulamento faz exceção para apenas um tipo de animal: as baleias. Detalhe: o Tennessee tem um litoral tão extenso quanto o de Minas Gerais – a praia mais próxima está a 500 quilômetros.
Garantir a sobrevivência dos animais não basta: é preciso também defender o seu bem-estar. Em 1980, o Estado do Wyoming proibiu que se tirem fotografias de coelhos entre janeiro e abril sem uma licença oficial. Os zelosos legisladores queriam proteger a privacidade dos bichinhos em sua época de acasalamento. Já na cidade de Pacific Grove, na Califórnia, os deputados determinaram multas de até 500 dólares para pessoas que molestarem ou ameaçarem borboletas. Alguém aí sabe como se “ameaça” uma borboleta? E em Nova Orleans, Louisiana, é ilegal amarrar um jacaré a um hidrante.
Não é piada
Vou roubar você amanhã
Para diminuir a violência crescente em seu território, o Estado de Washington formulou uma lei que obriga motoristas com intenções criminais a pararem nos limites da cidade, ligarem para o chefe de polícia e avisarem que estão chegando. O Estado do Texas foi ainda mais longe. Segundo uma lei feita pelo deputado Jim Kaster, os candidatos a criminosos precisam notificar suas futuras vítimas do crime que irão cometer com 24 horas de antecedência. O comunicado deve também informar à vítima que, em algumas circunstâncias, é permitido o uso de armas letais para se defender. Não há registro de nenhum criminoso que tenha seguido essa lei.
Uma lei que todos gostariam de cumprir: É proibido morrer
Em setembro de 1999, Jose Rubio, prefeito de Lanjaron, Espanha, proibiu a morte em seu município. O cemitério da cidade estava lotado e, enquanto a prefeitura procurava um terreno para construir outro, os 4 000 habitantes deveriam cuidar da saúde para não falecer. Os infratores teriam que responder por seus atos. Soa bizarro para nós brasileiros, mas, pasme, a idéia é familiar para os franceses. O prefeito de Le Lavandou, no sul da França, formulou uma lei idêntica depois que a assembléia vetou a construção de um novo local de descanso para os mortos.
A Suprema Corte de Apelações da França inventou neste ano o “direito de não nascer”. Ele estabelece que uma pessoa nascida com uma deficiência grave tem o direito de ser recompensada caso sua mãe não tenha tido a chance de abortar. A regra é válida mesmo quando se considera que, caso não houvesse infração, a vítima nunca teria existido. Muitas associações de deficientes se revoltaram contra a decisão.
O município de Chico, na Califórnia, formulou uma lei que determinava uma multa de 500 dólares para quem explodisse uma bomba nuclear em seu território. A medida, feita para conter o terrorismo, esqueceu de especificar quem sobraria para cobrar o dinheiro do infrator.
Em meados da década de 90, a dona de um restaurante no interior da França foi acusada de assédio sexual por dez empregados da sua cozinha. No tribunal, ela alegou que estava protegida por uma norma – datada da Idade Média – que autorizava os proprietários de terra a seduzir quem trabalhasse em seu terreno. Os juízes, depois de se assegurarem que a lei medieval jamais fora revogada, tiveram que inocentar a gulosa restaurantrice.
Leis de outro mundo
A cidade de Chateauneuf-du-Pape, França, famosa por seus vinhos, proibiu, em 1954, que discos voadores pousassem sobre suas vinícolas. Só sobre as vinícolas! Caso isso acontecesse, o “veículo” deveria ser imediatamente recolhido para um depósito. A medida, que obteve sucesso em afastar os OVNIs, foi revogada poucos anos depois. No Brasil, os alienígenas seriam mais bem-vindos. O munícipio de Barra do Garças, no Mato Grosso, criou, em 1995, uma área de 5 hectares destinada ao pouso de objetos voadores não-identificados.

5364 – Livro – Aula Nova


Imagine se um dia alguns dos maiores cientistas do mundo entrassem numa escola sugerindo mudanças no modo de ensinar – propondo inclusive a religação das ciências da natureza com as ciências da cultura. Foi mais ou menos isso que aconteceu quando o ministro da Educação francês, Claude Allègre, e o filósofo Edgar Morin promoveram, em 1998, as palestras “Jornadas Temáticas”, reunidas no livro A Religação dos Saberes (Bertrand Brasil). Serve como atualização científica para os educadores, com discussões em quase todos os assuntos, do genoma à literatura.

5363 – Quem é quem na Palestina


Palestina

É a região que inclui o Estado de Israel e a Jordânia. Esse pedaço do mundo, localizado bem no cruzamento entre três continentes, foi habitado ao longo da história por diversos povos e é sagrada para cristãos, judeus e muçulmanos.
Os judeus chegaram primeiro, em tempos bíblicos. Cristãos e muçulmanos vieram depois, com os impérios Árabe e Romano. Desde a Idade Média, a maioria da população é árabe, apesar dos esforços europeus de conquistá-la com as Cruzadas. No século XV, a região caiu sob o domínio do Império Otomano.
No final do século XIX, surge o movimento sionista, com a proposta de criar um Estado para o povo judeu que estava espalhado pelo mundo. No começo do século XX, o movimento começa a incentivar a migração para a Terra Santa.
O Império Otomano terminou a Primeira Guerra despedaçado e os cacos foram recolhidos pelos vencedores da guerra. Coube à Inglaterra a Palestina e a península do Sinai, hoje parte do Egito. O clima não era pacífico entre árabes e os dominadores britânicos. E os judeus, que começavam a chegar de lugares tão distantes quanto Berlim e Casablanca, queriam um Estado só para eles.
O holocausto na Segunda Guerra gerou massas de migrantes judeus para a Palestina. Pressionada pela ONU e pela opinião pública, que queria ver a injustiça nazista reparada, a Inglaterra deixa a colônia. Em 1948, os judeus, minoria na região, ganham o Estado de Israel. Nasce também um pequeno Estado Árabe, que deixou os muçulmanos insatisfeitos.
Em 1948, as nações árabes invadem Israel. A Jordânia conquista parte de Jerusalém, mas os judeus, com o decisivo apoio americano, ganham a guerra e até expandem as fronteiras. Em 1967, Israel contra-ataca e toma a Margem Ocidental e Jerusalém (da Jordânia), as colinas de Golã (da Síria), a Faixa de Gaza e a península do Sinai (do Egito). Esta última seria devolvida ao Egito em 1982.
Na última década, sucessivos acordos buscaram uma solução para o conflito. Jerusalém – Al Quds para os árabes – é um dos pontos nevrálgicos do bate-boca geopolítico. Os israelenses não admitem a possibilidade de abrir mão da sua capital e os palestinos negam-se a discutir qualquer hipótese que não seja a entrega definitiva e total da cidade. Como se vê, a luz no fim do túnel está bem longe.
Plano da ONU
Em 1948, quando o Estado de Israel foi criado pela ONU, a Palestina foi dividida para abrigar os Estados Judeu e Árabe. A península do Sinai foi entregue ao Egito e Jerusalém seria um distrito transnacional. Nenhum dos lados ficou satisfeito.
Primeiros conflitos
Logo após a criação do Estado de Israel (1948-49), as nações árabes invadiram o novo país. Fortalecido pelo apoio dos EUA, Israel venceu os conflitos e ainda expandiu suas fronteiras, mas perdeu metade de Jerusalém para a Jordânia
Guerra dos Seis Dias
Em 1967, Israel invadiu Síria, Líbano, Egito e Jordânia. A Faixa de Gaza e a Cisjordânia, mais a totalidade da cidade de Jerusalém, foram incorporadas ao Estado judaico. A península do Sinai foi tomada do Egito, mas seria devolvida em 1982.

5362 – Quais são as caixas de som mais caras do planeta?


O totem acústico

Quais são as caixas de som mais caras do planeta? Uma forte candidata ao título é a DSP8000, da inglesa Meridian Audio, que se gaba de ter o conversor digital-analógico mais puro que existe. Mas o que isso quer dizer na prática? Simplesmente que nem as freqüências de onda mais baixas saem distorcidas. Você pode colocar um copo com água em cima do falante e botar os graves no máximo que o líquido não apresenta a menor vibração.
• 45 000 dólares o par

5361 – Santos Dumont – Lutou contra uma doença que o levou ao suicídio


Um inventor rico e genial que foi notícia no mundo todo no início do século 20 com o 14 Bis e o Demoiselle. Apeser de sua muitas biografias, até hoje pouco se sabe sobre as razões que o levaram a se matar com 59 anos, num banheiro de hotel no litoral de São Paulo. A versão mais aceita é a de que o suicidio teria sido motivado pela angústia de ver o uso militar do avião. Santos Dumont padeceu de uma doença psíquica mal conhecida pela Medicina de então e portanto, sem registro confiável. Alguns dizem se tratar de neurastenia, outros de esclerose múltipla ou depressão profunda. Analisando tecidos de farmácia, comprovantes de consulta médica e cartas, especialistas concluíram que se tratava de transtorno bipolar, hoje diagnosticável e tratável com medicamentos. Entre 1910 e 1932, internou-se em clínicas de repouso européias, procurou os principais psquiatras do Brasil, tomou calmantes,massagens terapêuticas e banhos medicinais.Tinha dupla personalidade, alternando momentos de depressão com euforia. Em 1910, depois de um acidente aéreo, abandonou a Aviação por conselho médico, com 37 anos. Passou a sofrer crises de depressão esporádicas até 1925, quando se internou numa clínica na Suíça. Dois anos depois, ainda na Suíça, já tinha um aspecto envelhecido. Em 1928, ele criou o conversor marciano, uma espécie de hélice que, colocada nas costas de esquiadores, deveria ajudá-los a subir monhtanhas com menor esforço. Um grupo de amigos decidiu saudá-lo com um sobrevôo do navio que o trazia da Europa. O avião caiu e todos morreram. A partir dái as crises se agravaram. Ele já havia tentado o suicídio 3 vezes. A fortuna de S. Dumont não impediu o avanço da doença. No Brasil se consultou com os maiores nomes da Psquiatria, mas nada funcionou.