4870 – Sol – Matança Ultravioleta


Ninguém sabe por quê, mas algumas espécies de anfíbios parecem em acelerada marcha para a extinção. Uma nova sugestão é que os animais estão sendo mortos por raios ultravioleta do Sol. Essa radiação estaria se tornando mais intensa, nos últimos anos, devido à destruição da protetora camada de ozônio na alta atmosfera. “A procriação dos anfíbios está severamente ameaçada, pois seus ovos não suportam a superexposição à radiação”, dizem biólogos da Universidade do Estado do Oregon, perto de Portland, nos Estados Unidos. Os mais afetados seriam o sapo Bufo boreas, a rã Rana cascadae e a perereca Hyla regilla. Os cientistas dizem que, normalmente, uma enzima chamada fotoliase repara qualquer dano causado ao DNA dos embriões de anfíbios. Isso não ocorre sob altas doses de radiação.

4868 – Planeta Terra – A Estação Verão


Depois da Estação Mir e da Estação Espacial Internacional, apresentamos a Estação Verão. Vai encarar esta dose de raios ultravioleta?

O movimento de translação e a inclinação do eixo terrestre em 23°27’ em relação ao plano orbital são responsáveis pela variação de energia solar que atinge a superfície terrestre durante o ano. Essa diferença de radiação solar durante o ano resultou em quatro estações: primavera, verão, outono e inverno.
O verão é a estação do ano que sucede a primavera e antecede o outono. No Hemisfério Norte, o verão se estende de 21 de junho a 23 de setembro; no Hemisfério Sul, ele ocorre entre os dias 21 de dezembro a 20 de março.
Durante essa estação do ano, uma porção da Terra está mais próxima do Sol, fazendo com que os dias sejam mais longos que as noites. Esse fato faz com que vários países adotem o horário de verão, adiantando em uma hora o relógio, de forma a economizar energia elétrica e diminuir o consumo nos horários de pico.
As temperaturas são elevadas e é comum a ocorrência de chuvas, pois a evaporação das águas se intensifica em razão do calor. Normalmente, o verão é a estação do ano destinada às férias escolares, pois esse período é propício à realização de viagens, sobretudo para cidades litorâneas.

Amor de Verão, filhos de Primavera
Uma pesquisa concluiu que as pessoas transam mais no verão
Ao contrário do que se podia imaginar, curiosamente nos países escandinavos, sobretudo na Suécia e na Dinamarca, onde o clima quente do verão se intimida pela proximidade com o pólo, os valores máximos nos meses de março e abril (primavera no Hemisfério Norte) são mais acentuados em relação a outros países do velho continente, privilegiados pelo sol. Em contrapartida, na Espanha, na Áustria, na Inglaterra, na Alemanha e nos Países Baixos, o pico da primavera existe, mas não é tão evidente. Os países restantes mostram flutuações intermediárias entre esses dois padrões extremos. Em geral, existe um outro pico de nascimentos em pleno mês de setembro, no início do outono europeu – apenas na Polônia e, em menor grau, na França, esse segundo pico não parece ser tão importante. Uma vez que dispõe dessas estatísticas, o papel do demógrafo também é levantar hipóteses para justificar esses números.
Por exemplo, em alguns países como na Itália e na França, observa-se uma queda brusca nos nascimentos em dezembro. Durante muito tempo, os cientistas desconfiaram de que essa diminuição no número de partos em dezembro era devido à influência da Igreja, ou seja, as pessoas tenderiam a abster-se de sexo durante o período da quaresma, no mês de março. A suspeita não pode ser deixada de lado, uma vez que, até hoje, em países de religião ortodoxa, onde as tradições religiosas se mantêm rígidas, a taxa de natalidade em dezembro é espantosamente baixa. É o caso da Grécia. Por outro lado, não se pode esquecer que, no mundo moderno, a influência da Igreja é bem mais fraca – e, portanto, deve-se cogitar a possibilidade de os casais, por livre e espontânea vontade, planejarem ter filhos longe do frio do inverno, evitando de propósito os nascimentos em dezembro, quando a estação começa para quem está ao norte da linha do Equador.
No Brasil, o quente é o inverno
Apesar de, no verão, as moças desfilarem de fio dental e os rapazes exibirem músculos bronzeados nas academias, o brasileiro gosta mesmo é de transar no inverno. Segundo dados do país inteiro, contabilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), varia muito pouco a quantidade de crianças que nasce mês a mês no país. Mesmo assim, 28 em cada 100 delas chega ao mundo no outono, estação líder em nascimentos, enquanto a primavera fica em terceiro lugar na predileção de cegonha, com apenas 23% dos partos. A psicóloga paulista Lúcia Rosenberg não se espanta: “Aqui, tenho a impressão de que, no verão, os relacionamentos são públicos. As pessoas ficam muito preocupadas em se mostrar e não resta tempo par um recolhimento, essencial nos relacionamentos. Já na Europa é um pouco diferente, pois lá, o inverno é tão fechado e cinzento que as pessoas, mal pisam fora de casa. Assim, quando esquenta, elas querem sair e conhecer gente, o que pode resultar em namoro”