4537 – Rússia lança sonda para explorar a maior das luas de Marte


A Rússia lança nesta terça uma sonda para explorar Fobos –a maior das luas de Marte e também a mais próxima. A expedição representa uma retomada das missões russas ao planeta vermelho, que fora relegada aos ocidentais, após 25 anos.
A missão da sonda Fobos-Grunt, cujo lançamento está previsto para hoje às 18h16, no horário de Brasília (0h16 de quarta-feira na Rússia), a partir do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.
O objetivo é colher amostras do satélite de Marte, em órbita a 6.000 km do planeta, e trazê-las à Terra para determinar as características de sua superfície.
A sonda, que será lançada por um foguete Zenit-2SB, também terá por finalidade estudar a origem da maior das duas luas de Marte –a outra é Deimos–, assim como a atmosfera marciana.
A Fobos-Grunt também colocará em órbita, em torno de Marte, um satélite chinês, o Yinghuo-1.
Para a Rússia, este lançamento é de grande importância, já que se trata de sua primeira missão interplanetária depois do fracasso de Marte 96, lançado em novembro de 1996.
Após uma falha da nave Proton, a sonda caiu no oceano Pacífico, acabando com as esperanças da Rússia, que contava em reativar seu programa espacial, em declínio desde a desintegração da União Soviética.
O interesse pelo planeta vermelho cresce: na semana passada, seis voluntários terminaram uma missão que consistia em permanecer fechados durante 520 dias em uma réplica de uma nave espacial para simular uma viagem a Marte. No entanto, nenhuma expedição humana em direção a este planeta está prevista antes de 20 anos.

MISSÃO EM 1996
A última missão interplanetária bem-sucedida de Moscou data de 1986, com o lançamento das sondas soviéticas Vega para explorar Vênus e o cometa Halley.
Pelo contrário, os americanos multiplicaram as missões interplanetárias, como a Mars Global Surveyor, em 1996, ou a Phoenix Mars Lander, em 2007, e o lançamento de veículos em direção a Marte.
Já a ESA (Agência Espacial Europeia) lançou em 2003 com sucesso sua primeira sonda em direção ao planeta no âmbito do programa Marte Expresso.
A agência espacial russa Roskosmos sempre esteve interessada em Fobos. Em 1988 e 1989, a Rússia lançou as sondas Fobos 1 e 2 para sobrevoar o satélite, mas as missões foram um fracasso.
Previsto para 2009, o lançamento de Fobos-Grunt foi adiado até 2011. A cada dois anos, a distância entre Marte e a Terra diminui, o que facilita os lançamentos.
Segundo o Centro Nacional de Estudos Espaciais francês (CNES), associado à Roskosmos nesta missão, o veículo chegará ao destino em 2013 e as amostras estarão na Terra em 2014.

4536 – Casa Branca nega ter provas de contatos com extraterrestres


Em alguma galáxia, muito distante, existe a possibilidade matemática de haver vida extraterrestre, mas a Casa Branca não tem qualquer evidência de contatos entre alienígenas e humanos, garantiu nesta segunda-feira o ex-encarregado americano de política espacial e comunicações Phil Larson.
“O governo americano não tem evidência de que exista qualquer forma de vida fora do nosso planeta, ou que qualquer extraterrestre tenha mantido contato com algum membro da raça humana”, revelou Larson.
“Também não existe informação crível de que qualquer evidência esteja sendo ocultada do público”.
Larson admitiu que “muitos cientistas e matemáticos (…) chegaram a conclusão de que há possibilidades bastante altas de que em algum lugar entre trilhões e trilhões de estrelas no Universo exista um planeta, além do nosso, que abrigue vida”.
“Mas muitos também acreditam que as possibilidades de contato com alienígenas – especialmente uma forma de vida inteligente – são extremamente baixas devido às distâncias envolvidas”.
“Isto é apenas estatística e especulação. O fato é que não temos evidência crível da presença de extraterrestres na Terra”.
O comunicado foi publicado em resposta a duas petições, que reuniram 17 mil assinaturas, pedindo a liberação de documentos secretos do governo sobre extraterrestres.